Ruanda assegura recursos à medida que a situação de COVID aumenta

Covid

Ruanda certamente colocará os recursos de Kigali, bem como 8 várias outras áreas em todo o país, sob bloqueio a partir de sábado para controlar as crescentes situações de coronavírus e também fatalidades, afirmaram as autoridades.

As restrições certamente durarão até 26 de julho, afirmou o local de trabalho do primeiro-ministro Edouard Ngirente em declaração na quarta-feira

“Os cidadãos são instados a reduzir significativamente as interações sociais e a limitar os movimentos apenas a serviços essenciais”, afirmou.

Foram adquiridos locais de trabalho públicos e exclusivos, à excepção dos que oferecem soluções essenciais.

Outras acções em consequência da entrada em pressão consistem na restrição da actividade desportiva exterior, bem como das tarefas de entretenimento, enquanto as instituições serão certamente encerradas e a variedade de pessoas que participam em serviços funerários é contemplada em 15.

Chegadas internacionais, bem como turistas, certamente continuarão.

Um limite de tempo do pôr do sol ao amanhecer apresentado em junho em todo o país continua ativo.

Ruanda já se manteve afastado da pandemia mais terrível, impondo algumas das mais rígidas ações de controle no continente, além de realizar um extenso programa de triagem e mapeamento de chamadas.

Mas nas semanas atuais, as situações realmente aumentaram à medida que o país da África Oriental luta contra variações tóxicas extras da infecção, que consistem em delta.

Os hospitais estão realmente desnorteados, com uma falta vital de leitos e também de medicamentos freneticamente necessários.

A nação de 13 milhões de indivíduos já se inscreveu em quase 51,000 situações de COVID-19, das quais 607 foram fatais.

Mas, como várias outras nações do continente, a vacinação tem sido lenta devido, em parte, à ausência de dosagens e também à letargia pública.

Um projeto em todo o país focado em imunizar 60 por cento da população até o ano seguinte, na verdade, até agora atingiu apenas 401,160 indivíduos, de acordo com a maioria das estatísticas atuais do governo federal.