Regurgitação tricúspide de 1 grau em uma criança

A insuficiência da válvula tricúspide pode ser de vários tipos:

  • Deficiência absoluta ou orgânica. A patologia é causada por danos nas cúspides valvares, como prolapso da válvula (flacidez das cúspides), devido a uma doença congênita - displasia do tecido conjuntivo, incluindo também reumatismo, endocardite infecciosa, síndrome carcinóide e outros;
  • Comprometimento relativo ou funcional. Ocorre quando a válvula é esticada, causada pela resistência à saída de sangue do ventrículo direito, com dilatação severa da cavidade ventricular devido à alta hipertensão pulmonar ou dano difuso do miocárdio.

De acordo com a gravidade do fluxo sanguíneo reverso, a regurgitação tricúspide é dividida em quatro graus:

  • 1 grau. Um movimento reverso do sangue quase imperceptível;
  • 2 grau. A regurgitação é determinada a uma distância de 2 cm da válvula tricúspide;
  • 3 graus. O movimento reverso do sangue do ventrículo direito é detectado a uma distância superior a 2 cm da válvula;
  • 4 graus. A regurgitação é caracterizada por uma grande extensão na cavidade do átrio direito.

A gravidade do retorno sanguíneo é determinada pela ecocardiografia.

O termo regurgitação tricúspide é entendido como uma condição patológica na qual o sangue flui na direção oposta. O processo descrito ocorre no coração direito durante a sístole. O motivo é a função insuficiente da válvula tricúspide. Isso ocorre sob a influência dos seguintes fatores:

  1. Doença reumática das válvulas. A doença se forma após uma infecção estreptocócica (na maioria das vezes amigdalite). Na maioria dos casos, os microrganismos afetam o coração. Uma localização comum é a válvula tricúspide.
  2. Endocardite. Ocorre inflamação do revestimento interno do coração.
  3. Malformações congênitas de Ebstein. Com esse desvio, a posição normal da válvula é perturbada.
  4. Infarto do miocárdio (necrose) das células.
  5. Prolapso da válvula mitral, tricúspide ou aórtica. Patologia indica o aparecimento de protrusão em uma das válvulas. Isso ocorre no momento do fechamento e do preenchimento da cavidade cardíaca com sangue. Na maioria das vezes, a criança sofre essas violações.
  6. Síndrome carcinóide. Quando uma válvula tricúspide é afetada, placas fibrosas começam a ser depositadas.

As razões acima se aplicam ao primário. Fatores secundários levam à dilatação (expansão) do anel ao qual os retalhos estão ligados.

Considere as principais razões pelas quais a doença se desenvolve. Os seguintes fatores são importantes para a ocorrência de formas primárias:

  1. Prolapso da válvula tricúspide. Esse defeito está associado a uma saliência patológica de uma ou mais válvulas.
  2. Endocardite. Doença inflamatória do tecido cardíaco que se desenvolve no contexto de uma invasão de infecção.
  3. Todas as doenças reumáticas que causam fibrose valvar.
  4. Um ataque cardíaco localizado à direita.
  5. Síndrome carcinóide, na qual placas de tecido conjuntivo podem ser depositadas nos vasos e no coração. A síndrome é devido ao excesso de serotonina no sangue.
  6. Anomalia de Ebstein, uma malformação congênita rara na qual a válvula atrioventricular está anormalmente localizada na parede do ventrículo direito.
  7. Síndrome de Marfan, uma patologia genética que é acompanhada por aneurisma e insuficiência cardíaca.
  8. O uso de certos medicamentos a longo prazo.
  9. As consequências de lesões traumáticas no peito.

As causas do tipo secundário de regurgitação são as seguintes doenças:

  1. A cardiomiopatia é uma doença associada a alterações estruturais no miocárdio.
  2. Hipertrofia (espessamento, aumento) ou expansão (dilatação) do ventrículo à direita.
  3. A hipertensão pulmonar é um aumento da pressão interna nos vasos pulmonares. Quadro sintomático

Com manifestações leves e moderadas de insuficiência tricúspide, classificadas pelo 1º grau de patologia, a pessoa não se sente mal e não se queixa. A patologia é detectada por acaso, com diagnóstico por ultrassom do músculo cardíaco. O único sintoma que pode alertar o médico é uma leve pulsação das veias cervicais, agravada pelo esforço.

Com a transição da doença em 2 e estágios subsequentes, os sinais da doença aparecem mais brilhantes, tornam-se muito intensos nos estágios 3 e 4.

O paciente reclama de falta de ar, fadiga rápida e fraqueza, aparecimento de edema nas pernas, micção frequente, peso sob as costelas à direita. Ao exame, veias jugulares inchadas e trêmulas são claramente visíveis, com auscultação do coração, sons cardíacos divididos e sopros pansistólicos. Nos estágios 3-4 da doença, as seguintes manifestações clínicas são observadas:

  • insuficiência cardíaca;
  • distúrbios do ritmo;
  • pulsação na artéria pulmonar por inspiração, no átrio direito, no fígado;
  • ao realizar um ultrassom do coração, são reveladas alterações hipertróficas no átrio e ventrículo direito, malformações mitral e aórtica;
  • com diagnóstico por ultrassom da cavidade abdominal, acúmulo de líquido, aumento patológico do fígado;
  • a aparência do paciente muda - o rosto fica inchado, a pele adquire um tom amarelado, as pernas estão postosas ou inchadas.

Todos esses sintomas requerem correção e indicam graves violações no trabalho do músculo cardíaco. No entanto, não se pode chamar a clínica de regurgitação típica apenas para ela - essas manifestações também são características de outras patologias. Portanto, os pacientes precisam de um diagnóstico completo.

A regurgitação tricúspide é uma patologia encontrada em pacientes de todas as idades, geralmente por acidente. A doença tem 4 graus de gravidade e várias causas. Às vezes, o tratamento não é necessário e medidas preventivas ajudam a prevenir a deterioração do coração. O que é, quais sintomas indicam a presença de uma condição e como ela é perigosa.

Uma válvula tricúspide separa o átrio direito do ventrículo. Suas válvulas normalmente passam pelo fluxo venoso do átrio e depois fecham firmemente. O fluxo sanguíneo que entra no ventrículo se move mais para dentro da artéria pulmonar e vai para os pulmões.

Na regurgitação tricúspide, assim como na mitral, nem todo o sangue do ventrículo vai para os pulmões, alguns são jogados de volta ao átrio.

Isso ocorre devido à insuficiência de tecido valvar - as válvulas após a ejeção de sangue do átrio não fecham firmemente. Com um aumento regular da carga no átrio, ele hipertrofia, o tecido muscular da cavidade é esticado, seu tamanho aumenta.

Ao mesmo tempo, o ventrículo é hipertrofiado, o que leva a falhas no seu trabalho, e a estagnação do sangue é observada em um grande círculo.

Existem 2 tipos de insuficiência valvar: absoluta (orgânica) e relativa (funcional). No primeiro caso, o dano às válvulas tricúspides é devido a uma patologia congênita, como a displasia do tecido conjuntivo. Como resultado, o tecido é desprovido de turgor, as faixas caem. No entanto, com a idade e proliferação de tecidos, a anomalia pode desaparecer. Algumas doenças também levam a isso:

  • doença cardíaca reumática;
  • endocardite de origem infecciosa;
  • tumor carcinóide.

Uma variante relativa se desenvolve como resultado de um estiramento da válvula, que ocorreu devido à resistência que ela confere ao retorno de sangue ao átrio. Isso ocorre com relaxamento excessivo do ventrículo como resultado de hipertensão pulmonar ou dano difuso ao músculo cardíaco.

Além disso, a força do fluxo sanguíneo reverso é expressa de maneira diferente. Existem 4 graus:

  1. É notada uma pequena quantidade de sangue jogado de volta.
  2. O comprimento do jato para dentro da válvula atinge 2 cm.
  3. A corrente sanguínea para dentro da válvula excede uma distância de 2 cm
  4. O volume sanguíneo ocupa uma quantidade significativa de átrio.

A insuficiência das paredes da válvula 1º geralmente não incomoda, a patologia é insignificante. Os pacientes notaram uma leve pulsação nas veias do pescoço. Isto é devido à alta pressão na veia jugular. Os estágios posteriores podem se manifestar por fadiga aumentada, inchaço e anorexia. Fibrilação ou flutter atrial podem ser detectados.

Nos estágios 2 e 3, as veias jugulares podem inchar fortemente, o fígado também hipertrofia e o líquido se acumula nos tecidos periféricos. A auscultação produz sopros cardíacos característicos, mudando ao respirar, aumentando ao inspirar.

Os sintomas não são específicos. Tais sinais podem indicar a presença de qualquer outra doença do sistema cardiovascular.

O principal sintoma é um tremor perceptível da veia jugular. 1 a regurgitação tricúspide está presente em muitas crianças nascidas após 2010 e é considerada uma norma fisiológica. Além disso, se a criança não tiver outras patologias do coração, a válvula será restaurada no estado desejado. Se a condição piorar, há uma alta probabilidade de insuficiência cardíaca. Em qualquer caso, é necessária a observação de um cardiologista.

Talvez você queira saber sobre o novo medicamento - Cardiol, que normaliza perfeitamente a pressão sanguínea. Cardiol cápsulas são uma excelente ferramenta para a prevenção de muitas doenças cardíacas, porque contêm componentes únicos. Este medicamento é superior em suas propriedades terapêuticas a esses medicamentos: Cardiline, Recardio, Detonic. Se você quiser saber informações detalhadas sobre Cardiol, Vá para o site do fabricante. Aqui você encontrará respostas para perguntas relacionadas ao uso deste medicamento, avaliações de clientes e médicos. Você também pode descobrir o Cardiol cápsulas no seu país e as condições de entrega. Algumas pessoas conseguem obter um desconto de 50% na compra deste medicamento (como fazer isso e comprar pílulas para o tratamento da hipertensão por 39 euros, está disponível no site oficial do fabricante).Cardiol cápsulas para o coração

Diagnóstico

A regurgitação tricúspide da válvula de 1 e 2 graus é frequentemente detectada com ecocardiografia realizada para outras indicações. É possível assumir a presença dos três estágios restantes da doença durante a história médica e o exame físico (incluindo ausculta), e o diagnóstico será confirmado por ecocardiografia na presença de um ou mais sinais:

  • Insuficiência bidimensional com aproximação ou mobilidade patológica;
  • fluxo intenso de regurgitação no doppler colorido;
  • um grande fluxo da zona de convergência proximal para a válvula;
  • largura do istmo da regurgitação gt; 7 mm;
  • refluxo sistólico nas veias hepáticas;
  • dominância das ondas transcuspidais gt; 1 cm / s;
  • pico denso, triangular, no início, onda contínua de um doppler de uma corrente TH.

Para avaliar o tamanho e a função do ventrículo direito, a RM é usada. Realiza frequentemente ECG, ultra-som e radiografia de tórax.

Cateterismo cardíaco raramente prescrito. O método ajuda a medir com precisão a pressão na artéria pulmonar em regurgitação grave e a avaliar a condição dos vasos coronários, se a cirurgia estiver planejada.

A terapia da patologia depende do tipo e grau. Além disso, a presença de doenças concomitantes é levada em consideração. O grau inicial de retorno do sangue para a aorta raramente requer correção; o paciente não sente nenhum inconveniente. Geralmente, é acompanhado por um cardiologista por 3 anos. Se a condição não piorar, o tratamento não é prescrito.

crianças

O movimento normal do sangue ao longo do coração direito é garantido pela capacidade das cúspides da válvula tricúspide de se moverem de forma síncrona com as fases da sístole e da diástole do miocárdio.

Os defeitos valvulares, dependendo do substrato morfológico e do comprometimento funcional, são divididos em:

  • estenose, que se desenvolve devido à calcificação, uma lesão inflamatória. A patologia é caracterizada pelo estreitamento do lúmen da abertura, o que reduz a vazão volumétrica do átrio para o ventrículo;
  • regurgitação (na antiga terminologia - insuficiência) - alongamento dos acordes, danos às estruturas valvares por processos infecciosos contribuem para a expansão do lúmen e do movimento patológico do sangue durante a sístole ventricular, não apenas na artéria pulmonar, mas também no átrio;
  • defeito combinado.

As patologias da válvula tricúspide são defeitos adquiridos raros e mais frequentemente se desenvolvem como alterações secundárias no contexto da descompensação da condição.

As causas mais comuns de regurgitação tricúspide:

  • A endocardite infecciosa é uma patologia bacteriana caracterizada pela entrada do patógeno no sangue e danos seletivos ao tecido endocárdico. O envolvimento no processo das válvulas da metade direita do coração geralmente se desenvolve entre os usuários de drogas injetáveis;
  • cardiopatia reumática crônica - uma consequência de uma infecção por estreptococo beta-hemolítico com antígenos cruzados com estruturas valvares;
  • patologias sistêmicas do tecido conjuntivo: síndrome de Ellesra-Danlo, Marfan, síndrome de displasia indiferenciada;
  • A anomalia de Ebstein é uma malformação congênita da válvula, na qual as válvulas não se desenvolvem a partir do tecido conjuntivo do anel fibroso, mas do miocárdio do ventrículo direito. Os primeiros sinais de violações são diagnosticados ao examinar um recém-nascido em uma maternidade;
  • cardiomiopatia dilatada. A regurgitação resultante é considerada relativa, uma vez que um aumento no tamanho da abertura atrioventricular direita está associado a uma expansão patológica das cavidades cardíacas;
  • síndrome carcinóide é uma reação específica do corpo em tumores malignos de várias localizações. É formado em resposta à ingestão de um produto da troca de células cancerígenas na corrente sanguínea: diarréia, náusea, ondas de calor (como na menopausa), dor abdominal.

Sinais no rosto: cor da pele azul, dificuldade em respirar, insuficiência cardíaca no coração direito. Tais violações podem levar à morte do recém-nascido, portanto, durante a gravidez, é necessário comparecer a exames agendados por um especialista.

No total, existem três tipos de fluxo sanguíneo de retorno: mitral, aórtico, tricúspide.

Prolapso da válvula mitral causa insuficiência mitral.

Uma certa quantidade de sangue é lançada no átrio esquerdo através de um MK fracamente fechado. Ao mesmo tempo, parte do coração é esticada do sangue transbordante da artéria pulmonar.

A sobrecarga do átrio causa seu espessamento e expansão, a chamada dilatação.

Por algum tempo, a violação não se faz sentir, uma vez que a compensação ocorre devido ao aumento das cavidades atriais.

Com a insuficiência mitral de primeiro grau, um pequeno vazamento não causa alterações clínicas no trabalho do coração, surgem problemas de saúde nos pacientes durante o segundo e o terceiro estágio do prolapso - com um aumento na corrente reversa do sangue vazado.

Causas do prolapso:

  • doenças autoimunes;
  • reumatismo;
  • defeitos nas folhas das válvulas devido à calcinação;
  • violação de processos metabólicos;
  • isquemia;
  • ataque cardíaco.

Cardiologistas diagnosticam a regurgitação mitral de 1º grau pelo ruído registrado na parte superior do coração ou durante o exame por ultrassom; o próprio paciente não tem queixas.

A violação não requer tratamento, apenas observação por especialistas.

Problemas de fluxo sanguíneo em pacientes pediátricos estão associados a anormalidades cardíacas congênitas:

  • defeitos de partições;
  • Tetrad de Fallot;
  • subdesenvolvimento das válvulas da artéria pulmonar.

Um cardiologista examina os recém-nascidos com esses sintomas, eles são encaminhados para ultrassom e então são determinados com a escolha de uma maneira de eliminar o problema - na maioria das vezes isso é uma operação.

A válvula tricúspide ou tricúspide está localizada entre o átrio direito e o ventrículo direito; durante a diástole, suas válvulas se abrem, passando sangue venoso do átrio direito para o ventrículo. Durante a sístole (contração), as cúspides valvares são bem fechadas e o sangue que entra no ventrículo direito entra na artéria pulmonar e depois nos pulmões.

Durante a regurgitação da válvula tricúspide, o sangue do ventrículo direito não entra completamente na artéria pulmonar, mas retorna parcialmente ao átrio direito, e há um refluxo reverso da regurgitação sanguínea. Isso ocorre devido à disfunção da válvula tricúspide - com fechamento frouxo de suas válvulas, a entrada para o átrio direito não está completamente fechada.

Com regurgitação tricúspide, devido ao aumento da carga, ocorrem hipertrofias no átrio e, em seguida, ocorre tensão muscular e seu aumento no tamanho. Por sua vez, isso leva à entrada de uma grande quantidade de sangue do átrio no ventrículo direito durante o período diástole, sua hipertrofia adicional e funções prejudicadas, o que provoca estagnação em um grande círculo de circulação sanguínea.

A regurgitação pode ocorrer em 4 estágios diferentes (graus). Mas, às vezes, os médicos distinguem uma quinta regurgitação fisiológica separada. Nesse caso, não há alterações no miocárdio, todas as três cúspides valvares são completamente saudáveis, apenas uma violação quase imperceptível do fluxo sanguíneo nas próprias cúspides (“turbilhão” de sangue) é observada.

  • Primeira etapa. Nesse caso, o paciente tem um pequeno fluxo de sangue para trás, do ventrículo para o átrio, através dos retalhos das válvulas.
  • Segundo estágio. O comprimento do jato da válvula atinge 20 mm. Tricusp>

Essa condição não ameaça a vida, não afeta o bem-estar e é detectada acidentalmente durante o exame. A menos que, é claro, não comece a progredir.

O fluxo sanguíneo reverso para o ventrículo direito é agora cada vez mais registrado em crianças, e mesmo antes do nascimento. A regurgitação tricúspide no feto pode aparecer no primeiro trimestre da gravidez, entre as 11 e as 13 semanas.

Esse recurso geralmente ocorre em bebês com anormalidades cromossômicas (por exemplo, com síndrome de Down). Mas uma certa porcentagem de regurgitação também é observada em um feto absolutamente saudável.

Cardiologistas pediátricos falam de um número crescente de casos de anomalia tricúspide em crianças de diferentes idades. Na maioria deles, a regurgitação de primeiro grau é diagnosticada e hoje já é considerada uma variante da norma.

Se a criança não tiver outras patologias cardíacas, no futuro há uma grande chance de a válvula se recuperar por si mesma.

Porém, se uma doença congênita atingir o segundo ou o terceiro estágio, existe o risco de futura insuficiência cardíaca, disfunção do ventrículo direito. Portanto, é importante que a criança visite regularmente um cardiologista e siga todas as medidas necessárias para prevenir doenças cardíacas.

Classificação da doença

Existem várias opções para patologia - primária e secundária, descritas acima. A classificação inclui gravidade:

  1. Eu grau. O paciente praticamente não está preocupado com nada. Nesse estágio de desenvolvimento, ele é rastreado durante o exame ultrassonográfico do coração.
  2. II grau. Há um fluxo sanguíneo reverso, que tem uma distância de 2 cm do anel com válvulas.
  3. Grau III. Uma corrente de sangue é lançada no átrio direito em mais de 2 cm.
  4. Grau IV. O sangue é jogado a uma distância considerável. Os sintomas são pronunciados.

Quando a válvula tricúspide é afetada, a insuficiência grau 1 é quase assintomática. Se o tratamento não for feito a tempo, a patologia progredirá.

Em cardiologia, é habitual separar a regurgitação tricúspide de acordo com vários sinais. Antes de tudo, a patologia é dividida em congênita e adquirida. A insuficiência congênita ocorre em bebês e geralmente acompanha doenças cardíacas congênitas. Às vezes, a doença é detectada no feto durante a gravidez da mãe e, mesmo antes do nascimento do bebê, eles planejam mais tratamento se a válvula não normalizar antes do parto. A forma adquirida é detectada posteriormente em adolescentes e adultos e já está associada a doenças cardíacas existentes adquiridas durante a vida.

Além disso, a regurgitação tricúspide é dividida em:

  1. Primário. Este tipo de patologia é combinado com patologias orgânicas do miocárdio, mas não é acompanhado por problemas no sistema circulatório dos pulmões. A insuficiência tricúspide primária é freqüentemente combinada com malformações de outras válvulas, às vezes patologia combinada, insuficiência mitral e tricúspide do 1º grau, na qual o fluxo sanguíneo reverso está presente nas câmaras cardíacas direita e esquerda, às vezes é detectada.
  2. Secundário. Ela sempre se desenvolve como resultado de doenças miocárdicas existentes e é acompanhada por uma violação do suprimento sanguíneo para os pulmões (hipertensão pulmonar). Com o tipo secundário da doença, são reveladas hipertrofia e aumento da funcionalidade do ventrículo direito.

A principal classificação que dá uma idéia da prevalência do processo é a separação por graus. Existem apenas 4 deles.

  1. Regurgitação tricúspide do 1º grau, o que é, como identificá-la - nem todo mundo sabe. O fluxo sanguíneo de retorno quase não é visualizado, o volume e a duração do fluxo são mínimos. A condição não afeta o bem-estar do paciente, geralmente 1 grau é detectado por acaso. Às vezes, o médico não usa um expoente na descrição da patologia, mas indica que o paciente revelou insuficiência tricúspide mínima.
  2. Regurgitação tricúspide de 2 graus. Esse tipo de patologia já precisa de terapia medicamentosa. O comprimento do jato durante o vazamento reverso de sangue é bem visualizado durante o exame, mas não excede um comprimento de 20 mm.
  3. O terceiro grau é claramente visível durante o exame, o comprimento do fluxo sanguíneo excede 20 mm.
  4. Com 4 graus de patologia, o jato de corrente reversa é visualizado longe na profundidade do átrio direito. Patologia grave é acompanhada por sintomas vívidos.

Os estados funcionais também são distinguidos quando os fenômenos de regurgitação de 0 ou 1 grau não estão associados a defeitos na válvula tricúspide. Mais frequentemente, anormalidades funcionais valvulares se revelam em adultos de alto crescimento e pele magra. Segundo as estatísticas médicas, a regurgitação funcional 0-1 está presente em 2/3 de uma população saudável e é considerada a norma. Não requer tratamento, é uma característica fisiológica, mas na presença de fatores provocadores e estilo de vida incorreto pode progredir.

Freqüentemente, a insuficiência tricúspide é acompanhada por insuficiência da própria válvula tricúspide. A doença é classificada em 4 graus e também é dividida em absoluta e relativa. No Classificador Mundial de Doenças, a patologia está localizada na seção de doenças do sistema circulatório, o código da CID-10 é I07.1.

  1. A insuficiência tricúspide absoluta ou orgânica é mais frequentemente observada em recém-nascidos e está associada a defeitos congênitos das cúspides valvares. Nos casos em que manifestações patológicas estão presentes nos dois lados do miocárdio, elas falam de insuficiência valvar combinada aórtica e tricúspide.
  2. Insuficiência valvar relativa ou funcional pode ser observada com lesões cardíacas difusas e defeitos da artéria pulmonar.

De acordo com a localização das violações das válvulas cardíacas, elas são divididas em classificações:

  • Regurgitação mitral é que o fluxo sanguíneo do ventrículo esquerdo do coração entra no átrio. Isso leva ao seu alongamento e aumento do trabalho e desgaste. A princípio, isso não é percebido pelo homem, porque o coração compensa a patologia mudando de forma. Suas causas incluem doenças do coração e vasos sanguíneos, articulações e músculos, função valvar comprometida, deposição de colesterol e cálcio nas paredes internas dos vasos sanguíneos e miocárdio, algumas patologias do tecido conjuntivo, processos auto-imunes, mau funcionamento dos processos metabólicos, diminuição suprimento de sangue para algumas partes do corpo;
  • A regurgitação aórtica é formada com fechamento incompleto das válvulas ou patologias associadas à estrutura do maior vaso não emparelhado, quando, em expansão, o anel da válvula também aumenta e a válvula simplesmente não pode fechar completamente. Aqui, há um fluxo reverso de sangue no ventrículo, que começa a encher excessivamente, esticando, requer mais sangue e muito menos entra no vaso. Nesse caso, o coração começa a bombear sangue mais rápido e mais forte. Como resultado, falta de oxigênio, estagnação do sangue em grandes vasos;
  • Regurgitação tricúspide é menos comum. Ocorre com pressão excessiva em um pequeno círculo. Isso leva à devastação do coração direito, após o que a estagnação ocorre nas veias de um grande círculo. Externamente, isso pode se manifestar na pele azul, um aumento no tamanho do fígado, inchaço das veias no pescoço, fibrilação atrial;
  • A regurgitação pulmonar pode ocorrer com aterosclerose, sífilis, endocardite ou ser congênita. Não raramente, essa patologia ocorre com doenças do sistema pulmonar. Representa o fechamento incompleto da válvula nas artérias do pequeno círculo da circulação sanguínea.

Formas de regurgitação mitral

  1. Tricusp />
  2. Regurgitação tricúspide de 2 graus. Esse tipo de patologia já precisa de terapia medicamentosa. O comprimento do jato durante o vazamento reverso de sangue é bem visualizado durante o exame, mas não excede um comprimento de 20 mm.
  3. O terceiro grau é claramente visível durante o exame, o comprimento do fluxo sanguíneo excede 20 mm.
  4. Com 4 graus de patologia, o jato de corrente reversa é visualizado longe na profundidade do átrio direito. Patologia grave é acompanhada por sintomas vívidos.

Os estados funcionais também são distinguidos quando os fenômenos de regurgitação de 0 ou 1 grau não estão associados a defeitos na válvula tricúspide. Mais frequentemente, anormalidades funcionais valvulares se revelam em adultos de alto crescimento e pele magra.

Segundo as estatísticas médicas, a regurgitação funcional 0-1 está presente em 2/3 de uma população saudável e é considerada a norma.

Não requer tratamento, é uma característica fisiológica, mas na presença de fatores provocadores e estilo de vida incorreto pode progredir.

Regurgitação aórtica

O refluxo reverso do sangue através da AK é causado por insuficiência valvar, dano ao vaso ou processo inflamatório nele.

  • reumatismo;
  • inflamação da folha valvar causada por endocardite ou dano mecânico do tecido;
  • espondilite anquilosante;
  • artrite reumatóide;
  • sífilis;
  • aterosclerose;
  • hipertensão arterial.

Qual é a característica da forma aórtica? Excesso do ventrículo esquerdo devido ao fluxo reverso da aorta.

O sangue não entra completamente no grande círculo da circulação sanguínea, a fome de oxigênio se instala, o fenômeno é compensado pelo aumento do volume total do coração.

A violação tem vários graus. O primeiro não afeta o estado de saúde. Um grau insignificante permite que uma pessoa leve uma vida normal por muitos anos.

O comprometimento hemodinâmico ocorre gradualmente, está associado a um aumento no volume do ventrículo esquerdo, cujas artérias coronárias não fornecem mais nutrientes e oxigênio. Fenômenos como isquemia e cardiosclerose ocorrem.

A progressão do problema está repleta dos seguintes sintomas:

  • fraqueza;
  • pele pálida;
  • palpitações cardíacas;
  • ataques de angina.

Manifestações clínicas

Nos estágios iniciais, não há sinais. Em casos raros, sensações desagradáveis ​​na área do coração, a fraqueza restante após o descanso perturbar. Com a progressão da patologia em um recém-nascido ou um adulto, os seguintes sintomas aparecem:

  • expansão das veias no pescoço, pulsação visível;
  • a pele dos dedos, lóbulos das orelhas e triângulo nasolabial adquire uma cor azul;
  • sensações doloridas ou dor no fígado;
  • inchaço nas pernas;
  • fadiga;
  • sensação de batimento cardíaco acelerado;
  • tom de pele amarelo;
  • dispnéia.

Durante o exame, divisão de tons, fibrilação atrial são reveladas. Na inspiração durante a escuta - um murmúrio no coração. Se houver regurgitação de 1 grau na válvula tricúspide, as manifestações listadas do paciente não serão perturbadas.

São conhecidos casos de aparecimento de patologia no feto ou no recém-nascido. Durante a gravidez, a futura mãe consegue fazer um diagnóstico entre 11 e 13 semanas. Uma anomalia de desenvolvimento geralmente aparece com uma mutação cromossômica. Em casos raros, ocorre em bebês saudáveis.

Diagnóstico

Atualmente, existem maneiras suficientes de indicar com precisão a presença de uma doença.

O diagnóstico de insuficiência valvar cardíaca inclui:

  • O exame ultrassonográfico permite avaliar a natureza do fluxo sanguíneo através dos vasos e do coração, o movimento das válvulas e, se uma doença for detectada, é possível estabelecer seu grau após o primeiro exame. Este método é o mais acessível e não é caro;
  • Um eletrocardiograma (ECG do coração) detecta sinais indiretos de patologia, portanto, é menos aplicável.

É muito importante identificar a doença não apenas na população adulta, mas também em nascituros. Os distintos métodos de diagnóstico são capazes de detectar distúrbios em diferentes estágios da gravidez da mãe, o que ajuda a resolver a questão da preservação do feto.

Resultados diagnósticos da insuficiência valvar cardíaca no ecocardiograma com doppler

O diagnóstico é estabelecido após a avaliação do quadro clínico e dos resultados dos estudos. Os seguintes métodos são aplicados:

  • ecocardiografia (ecocardiografia);
  • eletrocardiografia (ECG);
  • ecocardiografia transesofágica;
  • Raio-x do tórax;
  • craniografia;
  • cateterismo cardíaco.

Se houver suspeita de regurgitação da válvula tricúspide ou de outra doença do sistema cardiovascular, é realizado um eletrocardiograma. A pesquisa faz parte do padrão-ouro para o diagnóstico. Seu objetivo é determinar a atividade elétrica dos cardiomiócitos. O método refere-se a exames obrigatórios de crianças, adolescentes e adultos (escola, exército).

O mais eficaz é uma ecografia do coração. Ajuda o médico a estudar a condição das cavidades, fluxo sanguíneo, aparelho valvar. Com sua ajuda, é possível distinguir um defeito ou defeito da norma. Um eletrocardiograma pode ser realizado ao mesmo tempo que a gravação do ecoCG. A técnica permite não apenas estudar a estrutura e função do miocárdio, mas também vasos sanguíneos.

O ecocardiograma é considerado uma opção moderna e informativa. Seu médico faz através do esôfago, no qual um sensor especial é inserido. A condição do miocárdio é avaliada através da realização de ultra-som no peito.

A principal vantagem é a ausência de barreiras ao dispositivo. Na ecocardiografia comum, o feixe deve penetrar através dos tecidos moles e duros de todo o organismo.

O cateterismo das cavidades cardíacas fornece uma imagem completa do estado dos vasos sanguíneos. Agulhas especiais perfuram a veia femoral ou ulnar. Em seguida, é introduzido um agente de contraste, que facilita a transmissão da imagem.

O diagnóstico de insuficiência tricúspide é realizado de acordo com:

  • exame clínico: edema, ascite, aumento do tamanho do fígado, síndrome hepatojugular (pulsação do fígado). Com a ausculta, o sopro sistólico é determinado ao longo da borda esquerda do esterno, enfraquecendo os tons básicos;
  • eletrocardiograma (ECG): sinais de hipertrofia dos departamentos direitos, muitas vezes - fibrilação atrial, bloqueio da perna direita do feixe de Giss;
  • radiografia da cavidade torácica - expansão da sombra do coração devido aos departamentos certos;

O método de verificação é a ecocardiografia (ecocardiografia), com a ajuda da qual o grau e o estágio das perturbações são estabelecidos, a pressão nas cavidades, a velocidade do fluxo sanguíneo e o volume de regurgitação são medidos.

O ecocardiograma é utilizado para diagnosticar com segurança a anomalia fetal de Ebstein no terceiro trimestre da gravidez.

Métodos conservadores e cirúrgicos de tratamento são usados ​​para corrigir a condição do paciente.

O suporte farmacológico visa eliminar sinais de insuficiência ventricular direita:

  • diuréticos (diuréticos) - Furosemida, torção para remover o excesso de líquido do corpo;
  • medicamentos anti-hipertensivos para reduzir a pressão sistêmica nos vasos;
  • glicosídeos cardíacos - Digoxin, Korglikon - para manter a força e a frequência das contrações miocárdicas;

A correção cirúrgica é prescrita para pacientes com insuficiência moderada e implica a substituição completa da válvula por uma prótese (biológica ou mecânica) ou cirurgia plástica da abertura atrioventricular direita (estreitamento do lúmen com suturas). Pacientes submetidos à correção cirúrgica de insuficiência não são adequados para o serviço militar.

Um diagnóstico correto da insuficiência tricúspide, bem como a determinação do grau da doença, podem ser feitos com base na ecocardiografia Doppler. Com regurgitação tricúspide de 1 grau, o fluxo reverso de sangue do ventrículo direito de volta ao átrio direito é quase imperceptível. A regurgitação tricúspide de 2º grau é caracterizada por um fluxo sanguíneo reverso não superior a 2,0 cm da válvula tricúspide. Com o terceiro grau de insuficiência, a regurgitação excede 2,0 cm e, com o quarto - se espalha por todo o volume do átrio direito.

Como métodos de pesquisa adicionais, são realizados ECG e radiografia de tórax. O eletrocardiograma frequentemente revela sinais de hipertrofia ventricular direita. Nas radiografias com regurgitação tricúspide de 1º grau, geralmente não são detectadas alterações. Com regurgitação tricúspide de 2 graus ou mais, é detectada uma sombra aumentada da veia cava superior e do átrio direito e, em alguns casos, a presença de derrame na cavidade pleural.

O cateterismo cardíaco como método diagnóstico para insuficiência valvar tricúspide é extremamente raro.

Os fatores que causam o aparecimento desta doença cardíaca geralmente são divididos em 2 grandes grupos, dependendo do tipo de patologia em si:

  1. Causas da insuficiência tricúspide primária:
    • reumatismo (inflamação sistêmica do tecido conjuntivo);
    • endocardite infecciosa (inflamação do endocárdio, freqüentemente encontrada em viciados em drogas injetáveis);
    • prolapso da válvula (faixas dobradas vários milímetros);
    • Síndrome de Marfan (doença hereditária do tecido conjuntivo);
    • Anomalias de Ebstein (malformação congênita na qual a válvula sai é deslocada ou ausente);
    • lesões no peito
    • uso prolongado de drogas (ergotamina, fentermina, etc.).
  2. Causas da insuficiência tricúspide secundária:
    • aumento da pressão nas artérias pulmonares (hipertensão);
    • expansão ou hipertrofia do ventrículo direito;
    • disfunção ventricular direita;
    • estenose da valva mitral;
    • fracasso do direito e fracasso grave do ventrículo esquerdo;
    • vários tipos de cardiopatia;
    • defeito do septo atrial (malformação congênita);
    • obstrução da artéria pulmonar (e seu trato eferente).

Os médicos aprenderam a determinar regurgitação tricúspide pronunciada por um longo tempo, mas o diagnóstico de formas leves tornou-se possível relativamente recentemente, com o advento do ultrassom. Ou seja, cerca de 40 anos atrás.

Hoje, o ultrassom é considerado o principal método diagnóstico para essa patologia. Permite distinguir a menor abertura das abas das válvulas, o tamanho e a direção da corrente sanguínea.

Um diagnóstico abrangente da insuficiência tricúspide inclui o seguinte:

  • coleta de anamnese;
  • exame físico (incluindo auscultação do coração);
  • Ultrassonografia do coração (normal e com Doppler) ou ecocardiografia;
  • eletrocardiografia;
  • Raio-x do tórax;
  • cateterismo cardíaco.

O cateterismo é um método de diagnóstico e tratamento que requer uma preparação cuidadosa do paciente. Para estudar problemas com o fluxo sanguíneo através da válvula tricúspide, é raramente usado. Somente naqueles casos em que é necessário o diagnóstico mais profundo, por exemplo, para avaliar a condição dos vasos coronários do coração.

Para o diagnóstico de insuficiência tricúspide, além de anamnese, exame físico e ausculta, são realizados os seguintes estudos:

  • ECG. Os tamanhos do ventrículo direito e do átrio, arritmias cardíacas são determinados;
  • Fonocardiograma. A presença de ruído sistólico é detectada;
  • Ultra-som do coração. Os sinais de compactação da parede valvar, a área do forame atrioventricular, o grau de regurgitação são determinados;
  • Radiografia de tórax. A localização do coração e seu tamanho, sinais de hipertensão pulmonar são revelados;
  • Cateterismo cardíaco. O método é baseado na introdução de cateteres para determinar a pressão nas cavidades do coração.

Além disso, a cardiografia coronariana realizada antes da cirurgia pode ser usada. Baseia-se na introdução de um agente de contraste nos vasos e cavidades do coração para avaliar o movimento do fluxo sanguíneo.

A insuficiência valvar tricúspide é uma condição na qual, durante o período de contração (sístole) dos ventrículos, o sangue é jogado do pâncreas (ventrículo direito) para o pâncreas (átrio direito), o que ocorre devido à falha da válvula tricúspide. Assim, o termo “regurgitação” significa o fluxo sanguíneo inadequado e reverso (você pode ler mais sobre regurgitação em nosso artigo aqui).

Às vezes, o ultrassom do coração revela tal patologia por acidente, na maioria das vezes é regurgitação fisiológica ou valvar.

Os pacientes neste caso estão preocupados com a pergunta "regurgitação tricúspide de 1 grau, o que é".

Você pode obter respostas para esta e outras perguntas lendo o artigo, que examinará mais detalhadamente os tipos, causas, manifestações da patologia, bem como sua identificação e tratamento.

Classificação

De acordo com os graus, é habitual distinguir quatro tipos de TR (regurgitação tricúspide):

  1. O primeiro grau - o fluxo reverso de sangue quase não é visualizado, o paciente não sente as alterações;
  2. O segundo grau - o fluxo sanguíneo na direção oposta é observado a uma distância não superior a 2 cm das cúspides da válvula.
  3. O terceiro grau é que o refluxo reverso de sangue no PP (átrio direito) é determinado além do que a uma distância de 2 cm da válvula, a corrente é claramente visualizada;
  4. O quarto grau - o refluxo de sangue na direção errada é perceptível a uma distância considerável da válvula tricúspide.

Além disso, existem dois tipos de regurgitação no TC:

  1. Primário - como manifestação de uma patologia orgânica do coração, é frequentemente combinado com outros defeitos cardíacos e lesões do aparelho valvar. Nesse caso, apenas o coração direito está envolvido e a hipertensão pulmonar não é característica.
  2. Secundário - esta espécie ocorre no contexto de doenças cardíacas existentes e é sempre acompanhada de hipertrofia e aumento da função ventricular direita e hipertensão pulmonar.

destaque

Uma grande variedade de fatores causais pode ser dividida naqueles que levam à regurgitação primária no CT e naqueles que causam o aparecimento de regurgitação tricúspide secundária. As causas comuns de insuficiência tricúspide primária são:

  • Doenças reumáticas (incluindo febre reumática aguda, artrite reumatóide, etc.);
  • Endocardite de natureza infecciosa (processo inflamatório da camada interna do coração);
  • Prolapso TK;
  • Infarto do ventrículo direito;
  • Síndrome carcinóide (deposição de placas do tecido conjuntivo nas válvulas, na parede do músculo cardíaco e grandes vasos);
  • Síndrome de Marfan;
  • Vício de Epstein;
  • O uso de certos medicamentos (fentermina, ergotamina, fenfluramina).

Terapias

A terapia depende da causa e extensão do problema. Suas táticas são determinadas pela presença de doenças concomitantes.

Um ligeiro vazamento reverso não requer tratamento médico e cirúrgico; os pacientes são submetidos a um exame de ultrassom durante um determinado período.

Em casos mais complexos, é necessária intervenção cirúrgica, que pode ser plástica ou protética. O tratamento medicamentoso em curso visa restaurar a circulação sanguínea normal, eliminando arritmias e insuficiência cardíaca.

De acordo com as indicações, os pacientes são prescritos betabloqueadores, diuréticos, anti-hipertensivos.

O prognóstico da insuficiência valvar depende do grau de violação, das doenças somáticas dos órgãos internos e da idade dos pacientes. A correção cirúrgica contínua permite que os pacientes tenham uma vida longa e ativa.

Prevenção

O prognóstico para regurgitação de válvulas cardíacas de primeiro grau é favorável. Com monitoramento constante pelo médico assistente, as complicações são identificadas imediatamente e o tratamento é prescrito, se necessário.

No segundo grau, a situação é diferente. Após o diagnóstico, apenas sessenta por cento continuam em pé e, depois, apenas por quinze anos. A morte ocorre devido a um ataque cardíaco, insuficiência cardíaca, embolia, pneumonia pulmonar.

As medidas preventivas visam reduzir o risco de reversão do fluxo sanguíneo no coração.

Assim, a regurgitação das válvulas cardíacas é uma doença grave. Que pode ser adquirido e congênito. Está localizado entre diferentes partes do coração (no lado direito ou esquerdo). Possui vários graus de desenvolvimento, o primeiro dos quais é o mais simples, não apresenta sintomas, portanto é difícil calcular a doença.

Se a patologia for detectada, eles são tratados com métodos cirúrgicos ou com medicamentos. O principal é não se atrasar, portanto, recomenda-se um exame sistemático do corpo por um especialista.

Como medidas preventivas, antibióticos são administrados ao paciente. Para evitar a recidiva do reumatismo, faça benzilpenicilina no músculo. Para cada pessoa, para eliminar o risco de aderir à endocardite infecciosa, o medicamento também é indicado.

Além dos medicamentos, siga o seguinte esquema:

  1. Exercício com exercício moderado para treinar o corpo.
  2. Evite estresse físico excessivo e hipotermia.
  3. Trate oportunamente todas as infecções.
  4. Limite alimentos salgados e líquidos.
  5. Se a cirurgia for planejada, a profilaxia com antibióticos é realizada.
  6. Quando um paciente é prescrito medicação, é importante monitorar seu bem-estar. Se sentir falta de ar e dor no coração, é recomendável consultar o seu médico.

Se após a correção da dinâmica positiva não for observada, ela será enviada para cirurgia.

Com insuficiência da válvula tricúspide, um longo período de recuperação é característico.

O prognóstico é mais favorável com a origem reumática da patologia, em comparação com a isquêmica.

O primeiro grau de violações é considerado o mais favorável. Uma pessoa não precisa de tratamento, mas prevenção e controle suficientes. A ausência de mudanças positivas torna-se a base da intervenção médica ou cirúrgica.

O aparecimento de sintomas de doença cardiovascular está diretamente relacionado a distúrbios circulatórios devido à insolvência da hemodinâmica intracardíaca ou patologia vascular. O funcionamento normal das válvulas fornece uma descarga adequada de sangue nos grandes vasos, no caso de um distúrbio, alterações secundárias ocorrem nas câmaras do coração.

Um estilo de vida saudável é recomendado como prevenção de qualquer doença. O modo normal de trabalho e descanso, esforço físico razoável, ausência de estresse e vícios prejudiciais aumentam a probabilidade de ficar doente com algo mínimo. Um aspecto muito importante é o tratamento oportuno e correto dos resfriados, o esclarecimento obrigatório das causas de doenças sistemáticas.

O prognóstico para regurgitação tricúspide é positivo; na infância, pode ser nivelado com a idade. Para um adulto, um grau de patologia revelada pelo acaso é considerado uma norma funcional que não requer tratamento. Se a insuficiência tricúspide ocorrer em combinação com outras complicações, o paciente recebe um grupo de incapacidades.

Esteja atento a si mesmo e a seus filhos, não ignore doenças periódicas. Atrás deles, condições perigosas podem ser mascaradas.

A terapia da regurgitação tricúspide inclui 2 grandes blocos - tratamento conservador e cirúrgico. Quando a doença está no primeiro estágio, não é necessária terapia especial, apenas monitoramento regular por um cardiologista.

Quando a doença atinge o segundo grau, o tratamento conservador já envolve tomar medicamentos especiais. São diuréticos (diuréticos), vasodilatadores (meios para relaxar os músculos dos vasos sanguíneos), preparações de potássio, etc.

O tratamento cirúrgico da válvula tricúspide é o seguinte tipo de operação:

O prognóstico da vida com insuficiência tricúspide é bastante favorável, desde que o paciente tenha um estilo de vida saudável e cuide do coração. E quando a doença é detectada no primeiro estágio e quando a operação da válvula já foi realizada.

Os médicos neste caso são aconselhados a usar medidas padrão para a prevenção de insuficiência cardíaca. Estes são controle do peso corporal e atividade física regular, nutrição adequada, desistir de cigarros e álcool, descanso regular e o mínimo de estresse possível. E o mais importante - monitoramento constante por um cardiologista.

Nutrição adequada com um leve grau de violação

Existem quatro graus de transfusão de sangue na direção oposta:

  • Com 1 grau de regurgitação das válvulas, não há sintomas por vários anos. Uma grande quantidade de sangue retornando aumenta o coração, o que pode causar, se o tratamento adequado não for seguido após a detecção, um aumento persistente da pressão arterial. Um exame do paciente revela um ruído no coração, uma ecografia mostra uma ligeira discrepância na válvula e um ligeiro distúrbio no fluxo sanguíneo.
  • 2 graus de regurgitação das válvulas cardíacas são caracterizados por uma maior gravidade do fluxo de retorno. Há estagnação em um pequeno círculo.
  • Três graus de regurgitação das válvulas são caracterizados por um grande jato reverso, cujo fluxo atinge a parede posterior do átrio. Aqui se desenvolve o aumento da pressão arterial na artéria pulmonar, por causa da qual há uma sobrecarga no lado direito do músculo cardíaco. Como resultado de tal violação, a insuficiência ocorre em um grande círculo de circulação sanguínea.

A avaliação da gravidade dos estágios é determinada pela potência da corrente sanguínea, que retorna ao ventrículo ou átrio:

  • não vai além do folheto frontal da válvula que liga o ventrículo esquerdo ao átrio;
  • atinge ou atravessa a faixa;
  • o tamanho do fluxo se aproxima da metade do comprimento do ventrículo;
  • o jato toca seu topo.

Outro prolapso de uma válvula cardíaca bicúspide é isolado, devido ao qual existe um refluxo de tecido líquido do corpo em graus variados. Anteriormente, esse diagnóstico não era feito com frequência. Isto é devido a métodos mais novos para detectar a doença. O uso do método Doppler ajudou a estabelecer a quantidade exata do jato retornado.

O prolapso das válvulas cardíacas é encontrado em adolescentes magros e altos. Em mais casos, a doença não causa nenhum desconforto no paciente e é detectada em jovens por acaso, passando por vários exames médicos, por exemplo, ao entrar no instituto ou antes de ser convocada para o exército.

Se o grau for o primeiro ou mesmo zero, o tratamento não será necessário. O principal é não perder a formação de complicações de transição, para isso é necessário ser examinado por um médico.

Na dieta de adultos e crianças com uma pequena gravidade de insuficiência cardíaca, incluem alimentos vegetais, laticínios e outras proteínas animais, na quantidade necessária para a função cardíaca normal. Uma dieta para pacientes com problemas cardíacos é prescrita por um médico.

Quando está acima do peso, é importante usar alimentos de baixa caloria, nos quais o teor de colesterol deve ser mínimo.

As gorduras animais da dieta são substituídas por gorduras vegetais que contêm ácidos poliinsaturados. No entanto, é necessário lembrar que os óleos de cozinha reduzem as propriedades benéficas, portanto, é aconselhável adicioná-los às saladas.

Os carboidratos são uma fonte de energia. No entanto, é aconselhável que pacientes cardiológicos usem produtos que contenham essas substâncias em uma forma simples e facilmente digerível: frutose, sacarose, galactose.

Os carboidratos complexos contêm amido e fibras (vegetais, frutas, cereais, ervas).

Para problemas cardíacos, é recomendável reduzir a quantidade de gorduras animais, substituindo-as por vegetais. Manteiga proibida, caldos fortes, carne gordurosa, banha de porco.

Diferentemente da tabela da dieta de outros grupos de pacientes, alimentos defumados, picles e marinadas são permitidos, mas em porções mínimas.

Se o edema for uma preocupação, é recomendável reduzir a quantidade de líquido que você bebe.

A insuficiência tricúspide (insuficiência valvar tricúspide) é um defeito cardíaco no qual o sangue flui de volta na fase sistólica através da válvula tricúspide do ventrículo direito para a cavidade do átrio direito.

Com regurgitação de 1º grau, via de regra, os sintomas da doença não se manifestam de forma alguma e só podem ser detectados por acaso durante a eletrocardiografia. Na maioria dos casos, a regurgitação tricúspide do 1º grau não requer tratamento e pode ser considerada uma variante da norma. Se o desenvolvimento da doença é provocado por defeitos reumáticos, hipertensão pulmonar ou outras doenças, é necessário tratar a doença subjacente que causou um ligeiro defeito nas cúspides da válvula tricúspide.

Nas crianças, esse grau de regurgitação é considerado uma característica anatômica, que pode até desaparecer com o tempo - sem a presença de outras patologias cardíacas, geralmente não afeta o desenvolvimento e o estado geral da criança.

Os sintomas

A derrota da válvula tricúspide é acompanhada por sinais inespecíficos, cuja gravidade depende do estágio da patologia e do nível de descompensação de funções. Na prática clínica, são distinguidos 3 graus de defeito valvar adquirido:

  • A regurgitação de 1º grau na válvula tricúspide (“suave”) é caracterizada por manifestações insignificantes de estagnação do sangue em um grande círculo (inchaço moderado das pernas até o final do dia);
  • com regurgitação da válvula tricúspide do 2º grau, ocorre expansão do lúmen da abertura atrioventricular direita para 10 cm 2, com comprometimento moderado do fluxo sanguíneo na veia porta do fígado, inchaço das veias cervicais, inchaço grave nas extremidades inferiores;
  • regurgitação grau 3 (“aguda”) com expansão das cavidades das câmaras direitas, aumento da pressão nas veias das cavidades, aumento do fígado e do baço, edema pronunciado nos membros e acúmulo de líquido no tórax e nas cavidades abdominais.

As principais queixas do paciente estão associadas à estagnação do sangue e são apresentadas:

  • dor no hipocôndrio direito (a violação da saída de sangue do fígado estica a cápsula do órgão e causa dor);
  • falta de ar, peso no peito devido ao acúmulo de líquido;
  • inchaço das veias cervicais (a pulsação desta é visível ao exame);
  • inchaço nas pernas, desenvolver no final da tarde, cianótico, frio, denso;
  • um aumento no volume do abdômen (devido ao líquido livre).

Os sintomas secundários incluem uma sensação de constrição no peito, interrupções no trabalho do coração e desbotamento.

Com um ligeiro defeito nas válvulas da válvula tricúspide (regurgitação tricúspide de 1 grau), a doença geralmente não se manifesta e é considerada uma condição benigna, cujo tratamento não é realizado. Somente em uma pequena parte dos pacientes ocorre a pulsação das veias cervicais, causada por um aumento da pressão nelas.

Na regurgitação grave da válvula tricúspide, é observado inchaço pronunciado das veias jugulares. Tendo colocado a mão na veia jugular direita, você pode sentir seu tremor. Insuficiência valvar significativa pode levar à disfunção do ventrículo direito, à ocorrência de flutter atrial ou fibrilação atrial, à formação de insuficiência cardíaca.

Nas formas leves de fluxo sanguíneo prejudicado entre as câmaras cardíacas, não há sintomas específicos.

Esse efeito ocorre devido à alta pressão nas veias jugulares, e é fácil sentir a pulsação simplesmente colocando a mão no pescoço à direita.

Em estágios posteriores, você pode sentir não apenas um pulso pulsante, mas também um claro tremor das veias cervicais. Os seguintes sintomas também informam sobre problemas com o fluxo sanguíneo no ventrículo direito:

  • As veias jugulares não apenas tremem, mas também aumentam visivelmente;
  • cor da pele azulada (principalmente no triângulo nasolabial, sob as unhas, nos lábios e na ponta do nariz);
  • inchaço das pernas;
  • fibrilação atrial;
  • divisão de tons de coração;
  • sopro vocalista no coração (aumentado pela inspiração);
  • falta de ar e fadiga;
  • dor e peso no hipocôndrio direito;
  • fígado aumentado, etc.

A maioria desses sinais pode sinalizar uma grande variedade de problemas do sistema cardiovascular. Portanto, o sintoma mais visível da insuficiência tricúspide é chamado de inchaço e tremor da veia jugular.

destaque

  • Alterações hipertróficas no ventrículo direito;
  • Hipertensão pulmonar;
  • Cardiomiopatia
  • Expansão (dilatação) do ventrículo direito.

Entre todos os fatores acima, na maioria das vezes essa patologia ocorre com dilatação do ventrículo direito e aumento da pressão na artéria pulmonar.

Os sintomas

Se o paciente tiver regurgitação tricúspide de 1º grau, geralmente não sentirá nada subjetivamente. A condição geral não sofre. Tais mudanças geralmente são detectadas apenas com o ultra-som do coração aleatoriamente.

Tal condição também não requer tratamento na maioria dos casos. A exceção ocorre nos casos em que a doença causadora subjacente é detectada, o que levou às alterações iniciais na válvula.

No entanto, se a condição se desenvolveu muito ou é grave, as seguintes queixas podem aparecer:

  • fadiga devido ao desenvolvimento de insuficiência cardíaca;
  • inchaço das veias jugulares no pescoço, sensação de aumento da pulsação - associada a um aumento da pressão nas veias;
  • dor na área abaixo das costelas à direita (projeção do fígado), seu aumento além do arco costal - devido à congestão em um grande círculo de circulação sanguínea;
  • inchaço das pernas;
  • dispnéia;
  • resfriamento dos membros - associado ao suprimento insuficiente de sangue para os braços e pernas;
  • interrupções do miocárdio.

Objetivamente, através de uma auscultação, o médico pode identificar:

  • sopro sistólico à esquerda do esterno no 5º espaço intercostal, que será mais audível ao inspirar;
  • Na percussão com aumento significativo do átrio e ventrículo direito, os limites da embotamento relativo do coração serão expandidos de acordo com a direita.

Diagnóstico

O diagnóstico de regurgitação na válvula tricúspide é estabelecido por um cardiologista ou terapeuta.

Se estamos falando sobre o grau TR 1, ele é exposto com mais frequência apenas com base no exame instrumental, ou seja, ecocardiografia, que é realizada para algum outro propósito.

Noutros casos, o diagnóstico pode ser estabelecido com base em:

  • Reclamações de pacientes
  • Exame do paciente, ouvindo os tons do coração e determinando o ruído
  • Eletrocardiografia Neste caso, haverá sinais de sobrecarga do coração direito, a saber: aumento da amplitude e z apontado. P, s aumentado. R no tórax leva ao coração direito (V1, V2, V3), sinais de fibrilação atrial, como complicações da patologia principalmente
  • Ultra-som do coração com Doppler. Permite identificar alterações estruturais no coração (a espessura do miocárdio do ventrículo direito, o tamanho da cavidade do átrio direito etc.) e o comprimento do jato de sangue nas costas, com base em qual o grau de TR é definido: um, dois, três ou quatro. Além disso, é possível determinar o gradiente de pressão no TC (normal lt; 25 mm Hg) e a velocidade do fluxo (normalmente menor que 2,5 m / s)
  • Roentgenografia. Tire uma foto no peito. Com regurgitação leve, mudanças geralmente não são observadas. Em casos mais graves, podem aparecer sinais como aumento da sombra da veia cava superior (ERW), expansão da sombra do átrio direito e do mesmo ventrículo. Além disso, com o desenvolvimento de complicações, um raio-x ajudará a identificar líquido de efusão na cavidade pleural
  • Cateterismo cardíaco. O método é invasivo e, portanto, raramente é prescrito. Com ele, você pode detectar uma onda sistólica amplificada dos átrios e medir a pressão nos átrios durante a sístole, que será normal ou elevada

Anti-germes

A regurgitação tricúspide na maioria dos casos é consequência de outra patologia; portanto, o tratamento deve estar nos estágios iniciais para eliminar o principal fator causal.

Se o paciente tiver regurgitação em AT de 1º grau com boa saúde, o tratamento não precisará ser realizado, uma vez que os distúrbios hemodinâmicos não são significativos, esse refluxo reverso do sangue pode ser considerado fisiológico.

O tratamento medicamentoso geralmente é realizado com TP de 2º grau na presença de complicações da circulação sanguínea: arritmias ou insuficiência circulatória. As seguintes ferramentas são usadas:

  • Diuréticos
  • Vasodilatadores
  • Antiarrítmicos

Com o desenvolvimento de regurgitação tricúspide de 3 e 4 graus, pode ser necessária intervenção cirúrgica. Indicações gerais:

  • Hipertensão pulmonar e aumento da pressão no pâncreas (ventrículo direito)
  • A combinação de TP com insuficiência mitral grave, que se manifesta clinicamente
  1. Tratamento cirúrgico e suas opções
  • Anuloplastia. A essência da operação é que o anel artificial é suturado ao anel natural da válvula, devido ao qual seu diâmetro pode ser reduzido. É aconselhável realizar esse tipo de intervenção cirúrgica, se a causa da regurgitação for a expansão do anel.
  • Cirurgia plástica valvar. É realizada em dois casos: a válvula é afetada principalmente ou a anuloplastia é impossível por algum motivo.
  • Próteses valvares. Este tipo de tratamento cirúrgico é indicado se patologias como a doença de Epstein ou a síndrome carcinóide foram a causa da regurgitação. Para próteses, eles usam uma válvula de porco que pode durar 10 anos no coração direito e até mais.

Aparte é uma operação como excisão da válvula. É realizado no único caso: com o desenvolvimento de endocardite infecciosa, cujo tratamento conservador não teve efeito.

Agora fica claro o que é regurgitação tricúspide e quão perigoso é. Enfatizamos mais uma vez que o 1º grau dessa patologia geralmente não causa preocupação entre os médicos e não requer terapia. A regurgitação de altos graus com curso severo pode causar complicações graves, portanto, requer tratamento, inclusive cirúrgico.

Com regurgitação tricúspide do 2º grau, como em outros graus, a doença geralmente prossegue sem sintomas óbvios. Com um curso grave da doença, são possíveis as seguintes manifestações:

  • Fraqueza, fadiga;
  • Pressão venosa aumentada, levando ao inchaço das veias do pescoço e sua pulsação;
  • Fígado aumentado com dor característica no hipocôndrio direito;
  • Distúrbios do ritmo cardíaco;
  • Inchaço das extremidades inferiores.

A auscultação (escuta) revela um sopro sistólico característico que é melhor ouvido no espaço intercostal 5-7 a partir da borda esquerda do esterno, amplificado pela inspiração, silencioso e instável. Com um aumento no ventrículo direito e uma grande quantidade de sangue entrando nele durante a diástole, um sopro sistólico é ouvido na veia jugular direita.

conclusões

A insuficiência da válvula tricúspide é uma patologia rara, acompanhada por uma diminuição significativa na qualidade de vida humana. O diagnóstico de distúrbios é mais frequentemente realizado em um complexo de estudos para outras doenças. Para exame militar, pacientes com forma leve são adequados para o serviço militar, com moderada e aguda - não. A correção cirúrgica oportuna do defeito alivia completamente o paciente de sinais de insuficiência cardíaca.

As seguintes fontes de informação foram usadas para preparar o material.

Mesmo uma pessoa desinformada em medicina conhece as válvulas do coração. O tópico de nossa conversa hoje é a patologia de uma delas, tricúspide ou tricúspide, como os cardiologistas chamam. Está localizado no lado direito do coração, entre o ventrículo direito e o átrio. Consiste em 3 pétalas (válvulas) que se abrem durante a sístole (contração) do miocárdio, permitindo que o sangue do ventrículo se mova para o átrio e depois para a circulação pulmonar.

Se houver defeitos na estrutura da válvula, as válvulas não podem fechar completamente após a liberação do sangue, parte dela retorna ao ventrículo, formando estagnação. Tal refluxo reverso e incorreto de sangue (corrente reversa) é uma patologia que deve ser tratada. O nome do fenômeno é regurgitação tricúspide.

Abordagens de diagnóstico

Para diagnosticar regurgitação tricúspide e outras doenças do coração e vasos sanguíneos, os médicos prescrevem:

  1. Eletrocardiograma.
  2. Ultrassom do coração com dopplerometria, que permite avaliar o fluxo sanguíneo vascular.

Ecografia Doppler com regurgitação

A moderna base diagnóstica permite diferenciar com precisão o diagnóstico e atribuir ao paciente terapia ou cirurgia adequada.

Regurgitação Pediátrica

É possível detectar manifestações de insuficiência tricúspide durante a triagem pré-natal do primeiro trimestre de gravidez, durante o período de 1 a 11 semanas de formação fetal. A patologia é característica na presença de doenças cromossômicas do feto, bem como nos casos em que durante a gravidez uma mulher foi sistematicamente exposta a efeitos tóxicos, radiação de raios-x e outros fatores prejudiciais.

Cardiologistas pediátricos freqüentemente diagnosticam regurgitação tricúspide em uma criança de 1 grau. Essa patologia não é tratada, a condição da criança é monitorada regularmente, na ausência de outras doenças cardíacas com a idade, tudo desaparece por conta própria.

Se a patologia estiver associada a doenças congênitas e os graus 3 ou 4 forem classificados, a criança precisará da supervisão de um cardiologista e tratamento complexo, às vezes cirúrgico. As complicações nesses casos são insuficiência cardíaca e função ventricular direita comprometida.

Crianças com insuficiência tricúspide de 1º grau não são contraindicadas no esporte. No entanto, isso não significa que a criança possa praticar profissionalmente. A atividade física deve melhorar sua saúde até que o sintoma desapareça completamente. Com o 2º grau de patologia, a questão do esporte é resolvida individualmente, e com os 3º e 4º estágios são permitidos apenas exercícios de fisioterapia com um instrutor.

Detonic - um medicamento único que ajuda a combater a hipertensão em todas as fases do seu desenvolvimento.

Detonic para normalização da pressão

O efeito complexo dos componentes vegetais da droga Detonic nas paredes dos vasos sanguíneos e no sistema nervoso autônomo contribuem para uma rápida diminuição da pressão arterial. Além disso, este medicamento evita o desenvolvimento da aterosclerose, graças aos componentes únicos envolvidos na síntese da lecitina, um aminoácido que regula o metabolismo do colesterol e impede a formação de placas ateroscleróticas.

Detonic síndrome não viciante e de abstinência, uma vez que todos os componentes do produto são naturais.

Informações detalhadas sobre Detonic está localizado na página do fabricante www.detonicnd.com.

Svetlana Borszavich

Clínico geral, cardiologista, com trabalho ativo em terapia, gastroenterologia, cardiologia, reumatologia, imunologia com alergologia.
Fluente em métodos clínicos gerais para o diagnóstico e tratamento de doenças cardíacas, bem como eletrocardiografia, ecocardiografia, monitoramento de cólera em um eletrocardiograma e monitoramento diário da pressão arterial.
O complexo de tratamento desenvolvido pelo autor ajuda significativamente com lesões cerebrovasculares e distúrbios metabólicos no cérebro e doenças vasculares: hipertensão e complicações causadas pelo diabetes.
O autor é membro da Sociedade Europeia de Terapeutas, participante regular de conferências e congressos científicos na área de cardiologia e medicina geral. Ela participou repetidamente de um programa de pesquisa em uma universidade particular no Japão no campo da medicina reconstrutiva.

Detonic