Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento

A dispnéia do tipo expiratório é causada por uma violação da perviedade da árvore brônquica e é um sintoma da forma obstrutiva da insuficiência respiratória crônica. O bloqueio do brônquio pode se desenvolver tanto com patologias orgânicas do trato respiratório quanto com a ingestão de um corpo estranho. A expiração difícil também ocorre no segundo estágio da asfixia, quando as reações compensatórias se esgotam e o centro respiratório na medula oblonga é inibido. Causas mais raras de dispnéia: broncoespasmo na síndrome de Mendelssohn, tumores traqueais localizados próximos à sua bifurcação.

Detonic - um medicamento único que ajuda a combater a hipertensão em todas as fases do seu desenvolvimento.

Detonic para normalização da pressão

O efeito complexo dos componentes vegetais da droga Detonic nas paredes dos vasos sanguíneos e no sistema nervoso autônomo contribuem para uma rápida diminuição da pressão arterial. Além disso, este medicamento evita o desenvolvimento da aterosclerose, graças aos componentes únicos envolvidos na síntese da lecitina, um aminoácido que regula o metabolismo do colesterol e impede a formação de placas ateroscleróticas.

Detonic síndrome não viciante e de abstinência, uma vez que todos os componentes do produto são naturais.

Informações detalhadas sobre Detonic está localizado na página do fabricante www.detonicnd.com.

Asma brônquica

A doença é caracterizada por uma súbita dificuldade em expirar após o contato com substâncias provocadoras. Alguns minutos antes do ataque, sentimos dor de garganta, congestão nasal e coceira na pele. Então, nitidamente, há uma sensação de aperto no peito, uma aguda falta de ar e a incapacidade de fazer movimentos respiratórios normais.

Durante o ataque, a aparência do paciente é típica: seus olhos estão bem abertos, seu rosto parece inchado, o triângulo nasolabial é azul. Ao inalar, as veias cervicais incham. Devido à dificuldade em expirar, movimentos ativos do tórax, a tensão da prensa abdominal é notável. Na asma brônquica mista, a falta de ar é provocada não apenas pelo contato com alérgenos, mas também pelo estresse e pela ação do ar frio. Os ataques de expiração difíceis que ocorrem exclusivamente no trabalho são patognomônicos para a asma profissional.

Paroxismos de longo prazo de dificuldades respiratórias, que não são interrompidos pelos medicamentos usuais, são observados com status asmático. Uma pessoa está constantemente em uma posição forçada (ortopnéia), há uma cianose aguda do triângulo nasolabial, pontas dos dedos azuis. Os pacientes estão ansiosos, inspiram freneticamente, alguns pacientes têm medo de quase morrer.

A doença é acompanhada de bronquostenose, devido à qual existem distúrbios respiratórios constantes de gravidade variável. Na bronquite obstrutiva aguda, a dispnéia à expiração ocorre com mais frequência durante um ataque de tosse. A fase de expiração do ar aumenta significativamente, os pacientes se queixam de aperto no peito, asfixia.

Falta de ar com esforço físico mínimo ocorre com bronquite de fumantes, bronquite por poeira. Ao mesmo tempo, é difícil expirar, que se torna um dos primeiros sintomas e aparece no contexto de uma saúde normal. Para crianças pequenas, uma forma especial de asfixia expiratória devido ao estreitamento dos brônquios menores é característica - bronquiolite aguda complicando ARVI, infecção sincicial respiratória. A criança tem dificuldade para chiar, inchaço das asas do nariz, cianose da pele.

Além da inflamação da árvore brônquica, outras patologias orgânicas do trato respiratório também podem causar dificuldade na expiração. Os distúrbios nessas doenças são formados de forma gradual e imperceptível, para que os pacientes não procurem um médico por um longo tempo, o que é repleto de um curso complicado. O principal elo da patogênese são as alterações na estrutura da parede brônquica, o crescimento excessivo de tecido conjuntivo ou cicatricial, que causa bronquostenose. Dispnéia expiratória acompanhada por:

  • DPOC No início da doença, há uma leve falta de ar durante o exercício, que geralmente é negligenciada. Com a progressão das alterações morfológicas nos brônquios, a dificuldade em respirar com uma expiração prolongada se desenvolve em repouso. Com um ataque, os pacientes ocupam uma posição forçada, cianose grave da pele é observada, uma tosse paroxística excruciante é perturbadora.
  • Doença bronquiectática. O aparecimento de dificuldade em expirar indica a presença de insuficiência respiratória. Com bronquiectasias, um sintoma pode ocorrer independentemente da hora do dia. Os ataques de falta de ar são longos, nas fases terminais são extremamente difíceis de interromper com a ajuda de broncodilatadores. Além da dificuldade em expirar, uma tosse forte se desenvolve com a liberação de expectoração abundante e purulenta, dor na região do peito.
  • Estenose da traqueia e brônquios. Estridor expiratório típico - exalação difícil e ruidosa, que é precedida por uma respiração curta e convulsiva. A gravidade das dificuldades respiratórias depende da causa da obstrução, do grau de estenose. Com o estreitamento da traquéia em decorrência da falta de ar, é possível que haja desmaios de curta duração associados a efeitos reflexos nas terminações nervosas. A broncoestenose procede como bronquite recorrente.
  • Traqueobroncopatia osteocondroplásica. Durante muito tempo, não há queixas. Com a substituição maciça das paredes do trato respiratório por tecido ósseo, dificuldade em exalar, chiado ruidoso, os pacientes experimentam falta de ar. Os distúrbios respiratórios são combinados com dor no peito, dor de garganta. Gradualmente, a falta de ar intensifica-se, com uma forma grave da doença, surgem ataques de asma.
  • Síndrome de Williams-Campbell. Nesta doença congênita, os distúrbios respiratórios aparecem nos primeiros meses de vida de uma criança. Os pais observam que o bebê fica inquieto, respirando barulhento, estridoroso. A retração dos espaços intercostais e a fossa supraclavicular, a cianose do triângulo nasolabial são testemunhas de falta de ar grave. O bebê se recusa a mamar ou mamilos, o choro fica quieto.

As dificuldades respiratórias são causadas por mecanismos obstrutivos e restritivos. Os pacientes queixam-se da incapacidade de inspirar “tórax cheio”, uma expiração prolongada com chiado no peito, que se ouve à distância. O sintoma às vezes ocorre com pneumonia prolongada e outras doenças pulmonares crônicas não específicas. Mais comumente, a dispneia causa:

  • Enfisema. A dificuldade em expirar no início é percebida apenas durante os esforços físicos, na subida de vários lances de escada. Os pacientes exalam o ar pelos lábios firmemente fechados ou dobrados em um tubo, enquanto suas bochechas ficam bastante infladas, “bufando”. Ao contrário de outras doenças, com o enfisema, a pele fica com uma cor rosada saudável. Um quadro clínico semelhante é detectado com a forma ventilatória da síndrome de Macleod.
  • Pneumosclerose Ao substituir o parênquima pulmonar, ocorre falta de ar durante o esforço e em repouso. Há um prolongamento da expiração, uma sensação de falta de ar, com ataques prolongados, um medo da morte é expresso. Os distúrbios respiratórios são acompanhados por cianose difusa da pele. A falta de ar pode ocorrer a qualquer hora do dia, mas a asfixia excruciante é mais frequentemente observada à noite ou no início da manhã.
  • Ascaridose dos pulmões. A falta de ar com expiração prolongada se desenvolve no contexto de fortes dores no peito e intoxicação geral. As reclamações sobre episódios frequentes e prolongados de falta de ar, provocadas pelo efeito alérgico dos helmintos, são típicas. No momento do ataque, uma tosse seca começa com chiado alto. O paciente se senta na cama, se inclina para a frente e descansa as mãos dobradas nos cotovelos de joelhos.
  • Deficiência de alfa-1 antitripsina. Os sintomas ocorrem em jovens com uma lesão primária nos pulmões. As dificuldades no início incomodam-se ao praticar esportes, correr, subir escadas acima do 3º andar. No futuro, o prolongamento da expiração se manifesta mesmo em repouso. Durante o paroxismo, há uma sensação de falta de oxigênio, a necessidade de tensão dos músculos abdominais para uma expiração completa. A cianose perioral aparece, as asas do nariz incham.

As dificuldades de expiração são características da bissinose, que se desenvolve ao entrar em contato com a poeira dos materiais em rotação. O desconforto respiratório se torna perceptível após as pausas no trabalho - feriados, fins de semana, o que é chamado de "síndrome de segunda-feira". A dispneia expiratória é acompanhada por uma sensação de peso e pressão no peito, dor de garganta.

Ataques de dispnéia expiratória ocorrem com a chamada asma aspirina. Os sintomas aparecem imediatamente após o uso do medicamento: os pacientes têm respirações convulsivas dolorosas e chiado no peito por um longo tempo. Um quadro clínico semelhante é observado com um tipo de alergia brônquica a salicilatos, caso em que as dificuldades no momento da expiração persistem de um a três dias após o uso da medicação.

É difícil respirar, não há ar suficiente - as razões para essa condição às vezes são difíceis de estabelecer devido ao grande número de possíveis fatores desencadeantes. Algumas condições são absolutamente normais, portanto, a falta de ar passa por si mesma, enquanto outras indicam doenças e requerem a ajuda de um especialista.

Alguns fatores que podem causar falta de ar e dificuldade em respirar são:

  • Neuralgia intercostal, osteocondrose, hérnia do disco intervertebral muitas vezes levam à incapacidade de respirar fundo, sentir dores no peito ou nas costas. É importante consultar um médico a tempo e determinar o diagnóstico para excluir doenças cardíacas. tyazhelo dyshat ne hvataet vozduha prichiny 5 - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento
  • Durante a gravidez, em seus últimos estágios, é difícil para as mulheres respirar. Um aumento no útero e sua pressão sobre os órgãos, alterações hormonais, aumento da demanda de oxigênio nos tecidos às vezes levam à falta de ar. Porém, casos de asfixia grave são perigosos tanto para a mãe quanto para o feto; portanto, se você suspeitar de uma emergência, será necessária atenção médica de emergência.
  • Excesso de peso, obesidade. Uma grande quantidade de tecido adiposo dificulta o coração e os músculos envolvidos na respiração.
  • Fumar.
  • Sobreposição do trato respiratório com um objeto estranho é encontrada em crianças e adultos que engasgam com um brinquedo ou comida. Essa é uma condição de emergência na qual você deve fornecer imediatamente os primeiros socorros.
  • Edema alérgico. Alergias graves requerem ajuda imediata e medicação.
  • Atividade física intensa leva a falta de ar em todas as pessoas saudáveis.
  • Subida às montanhas. A uma altura considerável, o oxigênio no ar é menor, portanto, respirando com mais dificuldade.
  • O diabetes mellitus leva a danos nos vasos sanguíneos que não conseguem transportar oxigênio com eficácia.
  • A tireotoxicose é um excesso da produção de hormônios da tireóide, como resultado do aumento da demanda tecidual de oxigênio e o batimento cardíaco se torna mais frequente.
  • Com um aumento da temperatura de qualquer origem, a falta de ar pode ser sentida junto com calafrios, dor de cabeça, palpitações e outros sintomas.
  • Depois de comer demais, o estômago pressiona os músculos respiratórios e ocorre falta de ar a curto prazo.
  • Congestão nasal durante corrimento nasal, deformidade após uma lesão ou cirurgia também interfere na respiração livre.

Por que é difícil para uma pessoa respirar com bronquite, como ajudar uma pessoa com um ataque de falta de ar

Com essas doenças, é mais difícil para um paciente inspirar do que expirar. A dispnéia cardíaca se distingue por uma postura especial do paciente, porque sentar torna a respiração mais fácil do que deitar. Às vezes, o paciente se sente bem sentado e começa a sufocar assim que se deita. Isso leva ao fato de que uma pessoa não consegue dormir normalmente.

Doenças comuns do sistema cardiovascular em que este sintoma é observado:

  • Doença cardíaca coronária.
  • Um ataque cardíaco. tyazhelo dyshat ne hvataet vozduha prichiny 2 - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento
  • Doença cardíaca.
  • Endocardite.
  • Miocardite.
  • Hipertensão arterial.

Se as doenças crônicas não forem tratadas, elas levam a uma complicação séria - a insuficiência cardíaca. Um dos sintomas de insuficiência respiratória por motivos cardíacos é também a tosse crônica, que se intensifica ao se deitar e não responde ao tratamento expectorante.

A falta de ar e a respiração pesada devido a doenças pulmonares são caracterizadas por um assobio característico na área do peito. Dificuldades podem ocorrer na inspiração, na expiração ou de forma mista.

Lista de doenças pulmonares nas quais é difícil para os pacientes respirarem:

  • Asma brônquica.
  • Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC).
  • Edema pulmonar.
  • Pneumotórax.
  • Pneumonia.
  • Tuberculose
  • Bronquite.
  • Enfisema

tyazhelo dyshat ne hvataet vozduha prichiny 3 - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamentoUma causa comum de enfisema é fumar. Durante a patologia, é difícil respirar, não há ar suficiente.

Alguns deles, por exemplo, pneumotórax e edema pulmonar, são uma condição de emergência na qual a asfixia se desenvolve rapidamente. Ajuda qualificada e distinguir doença cardíaca de doença pulmonar, os médicos de emergência podem.

Tomar medicamentos para doenças agudas e crônicas do sistema cardiovascular pode ter como objetivo:

  • afinamento do sangue e prevenção de coágulos sanguíneos; asd2 dlya cheloveka shema primeneniya 5 - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento
  • efeito diurético contra edema;
  • abaixando o colesterol e seu controle;
  • dilatação dos vasos sanguíneos;
  • controle de pressão.

Além de medicamentos para falta de ar grave, é utilizada oxigenoterapia. Se o tratamento não melhorar, são possíveis intervenções cirúrgicas: eliminação de defeitos cardíacos, instalação de marca-passo, transplante e outros.

A mortalidade por doenças cardíacas é muito alta e a prevenção será o melhor tratamento. É importante não fumar, comer direito, evitar excesso de peso e um estilo de vida sedentário.

A escolha dos métodos depende da doença subjacente. Ao estreitar o lúmen do trato respiratório, são utilizados medicamentos broncodilatadores, expectorantes para remover o escarro e, no caso de pneumonia, são utilizados antibióticos e anti-inflamatórios. A oxigenoterapia é eficaz para asfixia grave.

Em um estado estável, são indicados exercícios de fisioterapia e exercícios respiratórios. Em casos extremos, ventilação mecânica e tratamento cirúrgico. Um estilo de vida saudável reduz o risco de doenças graves, enquanto o fumo contínuo por muito tempo sempre leva a distúrbios crônicos, tosse e falta de ar.

O curso da bronquite é acompanhado por um grande número de sintomas. Quando fica difícil para o paciente respirar com bronquite - isso é um sinal do curso complicado da doença, então agora o corpo precisará de ajuda adicional para restaurar a respiração normal.

A principal manifestação da bronquite é o desenvolvimento de inflamação nos tecidos dos brônquios. Este processo é acompanhado por sintomas:

  • um aumento da temperatura corporal em resposta a um processo inflamatório;
  • fraqueza geral, uma vez que o corpo envia todas as suas forças para sua defesa e luta contra a causa da inflamação;
  • tosse ajuda a remover a fleuma, limpa os pulmões para uma respiração adequada.

Um sintoma como falta de ar com bronquite deve ser alarmante. Afinal, isso indica uma ingestão insuficiente de ar.

O que fazer se a criança tiver dificuldade em respirar após a bronquite - consulte um médico o mais rápido possível

Ofegar é um sinal de falta de ar; também é chamado de dispnéia. Essa síndrome se desenvolve em resposta à inflamação nos brônquios.

Você pode determinar a falta de ar pelos seguintes sinais:

  • a respiração é difícil ao expirar, inalar ou nos dois casos, enquanto o ataque não é precedido por um período de atividade física;
  • a tosse se torna mais frequente, de modo que o corpo tenta expandir os brônquios e respirar livremente;
  • o paciente sente compressão do peito;
  • com falta de ar severa, é sentida dor no esterno;
  • há uma sensação de que não há ar suficiente para respirar.

Importante: além da inflamação nos brônquios, a falta de ar pode falar sobre outros problemas sérios. Problemas cardíacos também podem causar uma sensação de falta de ar

A asfixia pode ultrapassar uma pessoa não apenas quando ela sofre de inflamação dos brônquios, mas também nas seguintes situações:

  • se uma pessoa inalou acidentalmente um corpo estranho;
  • na presença de câncer no peito;
  • se o paciente tem asma brônquica;
  • na presença de problemas cardiovasculares;
  • com pneumonia;
  • se desenvolver pneumotórax.

A falta de ar resultante pode evoluir para um ataque de asfixia - esta condição é muito perigosa para os humanos e requer assistência. É difícil para uma pessoa comum determinar por que razão houve uma sensação de dificuldade para respirar, o que significa que o próprio paciente ou uma pessoa próxima deve discar imediatamente um número de ambulância.

Se ocorrer falta de ar, evite a falta de ar.

A falta de ar com suas dificuldades inerentes à respiração se manifesta de diferentes formas. Várias manifestações dependem de que tipo de bronquite uma pessoa sofreu.

tyazhelo dyshat ne hvataet vozduha prichiny 6 - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento

Os problemas respiratórios geralmente ocorrem precisamente com esse tipo de curso da doença. Quanto mais freqüentemente a doença se repete, mais grave será a falta de ar. Os pacientes costumam queixar-se de dor no peito. Se o tratamento não for suficiente, ocorrerá asfixia.

A terapia de uma condição crônica é muito complexa, deve ser gerenciada por um pneumologista. Dificuldade alérgica a respiração se desenvolve quando um alérgeno está diretamente próximo a uma pessoa, é usado o contato tátil com ela ou com um produto que causa uma reação. A condição melhora quando o contato com um alérgeno cessa.

Além disso, tomar anti-histamínicos ajuda uma vez. O tratamento adicional é supervisionado por um médico alergista-pneumologista. A falta de ar durante a obstrução é uma ocorrência frequente quando o escarro viscoso é produzido ativamente, que se acumula, deforma a árvore brônquica e reduz significativamente o lúmen dos brônquios.

A assistência ao paciente com obstrução deve ser realizada o mais rápido possível. Com o desenvolvimento de falta de ar e asfixia graves, é necessária assistência de emergência.

Importante: pessoas com asma brônquica devem ter um cuidado especial; para eles, a bronquite pode ser retardada e exigir tratamento mais prolongado.

f68b94afb2e7d059fd463fa4b67be02b - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento

No tratamento de doenças pulmonares, vários problemas precisam ser resolvidos ao mesmo tempo

A falta de ar se desenvolve por algum motivo, sabendo que você pode desenvolver um mecanismo para tratá-lo com bronquite.

O uso de drogas anti-inflamatórias, bem como a inalação, para um efeito direto nos tecidos inflamados. A luta ativa contra a infecção causa intensa formação de muco e escarro.

Se essas substâncias forem muito espessas, é difícil removê-las com uma tosse regular e, ao acumularem-se, elas causam problemas respiratórios em uma pessoa. O escarro precisa ser diluído para uma tosse bem-sucedida, para esse fim são utilizados medicamentos mucolíticos.

A complexidade do tratamento para bronquite é de fundamental importância. Quanto mais forças uma pessoa faz para sua própria recuperação, mais cedo será capaz de retornar à vida e ao trabalho cotidianos.

Pacientes com asma estão familiarizados com a sensação de asfixia; é importante: se a doença se repetir com muita frequência ou durar muito tempo, o médico prescreverá antibióticos para uso, você não deve ter medo e negligenciar esses medicamentos se eles tiverem sido prescritos, para que o corpo não possa ficar sem eles.

Importante: um estado de asfixia, perigoso para a saúde humana, pode se desenvolver em apenas alguns segundos e você não pode atrasar nessas situações.

Pacientes com doenças respiratórias em estágio agudo ou com complicações de uma doença não devem ser deixados sem assistência, porque uma deterioração acentuada da condição pode ocorrer a qualquer momento.

Os médicos avaliarão a condição do paciente e, se necessário, serão levados ao hospital

Existem sinais pelos quais você pode entender que o paciente precisa de cuidados médicos de emergência:

  • A respiração se torna frequente, mas superficial. Cara, como se ele não pudesse respirar.
  • Com o ouvido nu, você pode ouvir chiado e assobio no peito ao respirar.
  • As crianças são caracterizadas por um início repentino de letargia e apatia.
  • A inspiração ou expiração é severamente difícil; é mais lento que o efeito oposto.
  • O paciente perdeu a consciência ou a tez adquiriu nitidamente um tom terroso ou cianótico - todos esses são sinais perigosos de falta aguda de oxigênio.
  • Existem sinais neurológicos de falta de ar - cãibras, são mais características das crianças.

A principal coisa com falta de ar enquanto espera por um médico é acalmar a criança

Assim que ocorrerem os primeiros sintomas de um ataque de falta de ar em desenvolvimento, você precisará procurar ajuda médica de emergência. Esperando a chegada dos médicos, há uma maneira de aliviar a condição do paciente e retardar o crescimento da falta de ar.

Como ajudar a criança

O estado de depressão respiratória em uma criança é muito perigoso, porque uma pessoa pequena nem sempre pode comunicar claramente sua condição.

Importante: as crianças são muito mais difíceis de tolerar ataques de deficiência respiratória na bronquite.

A peculiaridade dessa condição em uma criança é complicada pelo medo infantil.

É difícil para uma criança se acalmar por conta própria; para isso, antes da chegada de um médico, você precisa tentar o seguinte:

  • para colocar a criança diretamente, colocar um apoio adicional nas costas, um travesseiro é mais adequado, qualquer objeto volumoso de tecido pode ser usado;
  • você precisa tentar distrair o bebê de sua condição, quanto menos a criança se concentrar em sua saúde precária, menos se preocupará;
  • vale a pena liberar a área do peito para que não haja roupas, vale a pena se livrar de golas altas; elas podem criar a aparência de que são roupas que impedem a respiração;
  • se possível, a umidificação do ar ajuda; se houver um umidificador na casa, ele deve ser usado; se a temperatura do corpo da criança não estiver elevada, você poderá organizar uma atmosfera úmida no banho;
  • se houver um nebulizador, vale a pena fazer a inalação usando uma solução salina.
!  Osteocondrose pode causar hipertensão

Exame

Pacientes com queixas de dificuldade em expirar geralmente procuram um pneumologista ou terapeuta. A dispnéia expiratória indica distúrbios graves no sistema respiratório; portanto, é necessário um exame laboratorial e instrumental abrangente. Durante o diagnóstico, o especialista avalia as características morfológicas da traquéia, brônquios e pulmões e também examina o estado funcional desses órgãos. Os mais informativos são:

  • Exame de raio-x. Para estudar as características das estruturas anatômicas da cavidade torácica, uma radiografia de tórax padrão é realizada em duas projeções - uma direta e uma lateral. O método ajuda a detectar deformações dos brônquios e da traqueia, sinais de esclerose e enfisema. Para melhor visualização do trato respiratório e órgãos vizinhos, é prescrita TC.
  • Broncoscopia O exame endoscópico visa estudar a estrutura da membrana mucosa, identificando áreas patologicamente alteradas do tecido e estenose cicatricial. De acordo com as indicações, o método é complementado com biópsia de fórceps e lavagem broncoalveolar com subsequente análise microscópica e bacteriológica das lavagens.
  • Espirometria. É possível estabelecer a natureza das dificuldades respiratórias estudando os principais indicadores - o volume de expiração forçada no primeiro segundo, a capacidade vital funcional dos pulmões e o índice de Tiffno. Para o diagnóstico diferencial entre asma brônquica e outras doenças pulmonares obstrutivas, um teste de broncodilatação é recomendado.
  • Testes de laboratório. O grau de insuficiência respiratória é estabelecido de acordo com um teste de sangue - determinar o nível de saturação de oxigênio da hemoglobina, a concentração de dióxido de carbono. Na presença de uma síndrome de infecção geral, um exame de sangue bacteriológico é indicado. Para esclarecer o tipo de patógeno, são realizadas reações sorológicas (RIF, ELISA, PCR).

Para determinar o fator etiológico da obstrução brônquica na fase de remissão, são prescritos testes de alergia. Se você suspeitar de uma doença congênita do sistema respiratório, é necessária uma consulta com outros especialistas.

Causas e tipos de insuficiência respiratória em crianças, homens, mulheres, durante a gravidez, idosos

Quando é difícil respirar e não há ar suficiente, diferentes processos fisiológicos podem controlar a causa, que é controlada por uma substância especial, um surfactante que reveste a superfície interna dos pulmões. A essência de sua ação é a penetração desimpedida de oxigênio na árvore broncopulmonar, prevenção do colapso das paredes dos alvéolos durante a respiração, melhora da imunidade local, proteção do epitélio brônquico e prevenção de hipóxia. Quanto menos surfactante, mais difícil é para uma pessoa respirar.

As condições patológicas também podem ser causas de dificuldade em respirar: estresse, alergias, inatividade física, obesidade, hérnia, mudança climática, mudanças de temperatura, tabagismo, mas a essência das mudanças está sempre associada à concentração de surfactante na membrana gordurosa interna da alvéolos. Vamos examinar com mais detalhes a principal ocorrência de dispnéia.

Coração

A causa mais comum de falta de ar, ataques de asma - doenças cardíacas. A dispneia, neste caso, é inspiratória, acompanha a insuficiência cardíaca, piora à noite em repouso, deitado. Além da falta de ar, o paciente se preocupa com dores intensas no peito, inchaço dos membros, pele azulada, sensação constante de cansaço, fraqueza. Esses sintomas são característicos de:

  • DIC, angina de peito;
  • arritmias;
  • cardiomiopatias;
  • doenças cardíacas de diferentes gênese;
  • miocardite, pericardite, pancreatite de várias etiologias;
  • CHF;
  • anormalidades anatômicas congênitas ou adquiridas;
  • AMI;
  • processos distróficos.

Pulmonar

O segundo lugar entre os gatilhos da dispnéia é ocupado por alterações patológicas nos pulmões. A dispnéia é mista, ocorre no contexto:

  • DPOC;
  • Tela
  • asma, bronquite;
  • pneumonia;
  • pneumosclerose;
  • enfisema;
  • hidro ou pneumotórax;
  • crescimento tumoral;
  • tuberculose;
  • corpo estranho;

Falta de ar está aumentando gradualmente, maus hábitos, um ambiente disfuncional exacerbam a situação. A essência do processo é hipóxia tecidual com o desenvolvimento de encefalopatia, ataxia.

O componente asmóide junta-se, o paciente sufoca, entra em pânico, perde a consciência. O paciente muda externamente: o peito assume a forma de um barril, as veias dilatam-se, os espaços intercostais aumentam. Expansão diagnosticada radiologicamente da metade direita do coração, a estagnação começa nos pequenos e grandes círculos da circulação sanguínea. Tosse produtiva, às vezes febre.

Outro motivo sério para a perda repentina do acesso normal do oxigênio aos pulmões é um corpo estranho. Isso acontece com mais frequência com bebês durante a brincadeira, quando uma pequena parte de um brinquedo entra na boca, ou durante a alimentação - obstrução dos brônquios com um pedaço de comida. A criança começa a ficar azulada, sufocar, desmaiar, há risco de parada cardíaca com atendimento médico precoce.

Torna-se difícil respirar com embolia pulmonar, que ocorre repentinamente, freqüentemente no contexto de varizes, doenças do pâncreas ou do coração. Ofegante aparece, parece que o coração está pressionando o peito.

A falta de oxigênio pode ser causada por crupe - edema da laringe com sua estenose, laringite, difteria, edema de Quincke, alergias banais. Nestes casos, é necessário atendimento médico de emergência até traqueostomia ou ventilação mecânica.

Cerebral

Às vezes, a dificuldade em respirar está associada a danos nos centros vasomotores cerebrais. Isso acontece com lesões, acidente vascular cerebral, edema cerebral, encefalite de gênese diferente.

A respiração patológica nesses casos se manifesta de diferentes maneiras: a frequência dos movimentos respiratórios pode aumentar ou diminuir até a respiração parar completamente. O efeito tóxico dos micróbios causa febre, hipóxia, falta de ar ruidosa. Esta é uma reação compensatória do corpo em resposta à acidificação excessiva do ambiente interno.

DVV, neurose, histeria causam uma sensação de falta de ar, mas dados objetivos sobre asfixia não são observados, órgãos internos estão funcionando normalmente. A falta de ar emocional é interrompida por sedativos, sem consequências negativas.

A dificuldade em respirar ocorre no contexto de um tumor cerebral, o que geralmente leva à impossibilidade de inspiração independente, expiração, requer ventilação mecânica.

Hematogênico

A sensação de peso no peito da gênese hematogênica é caracterizada por uma violação da composição química do sangue. A concentração de dióxido de carbono começa a prevalecer, formas de acidose e produtos metabólicos ácidos circulam constantemente na corrente sanguínea.

Esse quadro é característico para anemia, neoplasias malignas, coma diabético, insuficiência renal crônica, intoxicações poderosas. O paciente é incomodado pela respiração pesada, mas a inspiração e a expiração não são perturbadas, os pulmões e o músculo cardíaco não são afetados. A causa da falta de ar é uma violação do equilíbrio gás-eletrólito do sangue.

A sensação de uma súbita falta de ar sem motivo aparente é familiar para muitos: você não pode respirar nem expirar sem dor no peito, não há ar suficiente, é difícil respirar. Os primeiros pensamentos sobre um ataque cardíaco, mas na maioria das vezes é uma osteocondrose banal. O teste pode estar tomando nitroglicerina ou validol. A falta de resultado é uma confirmação da gênese neurológica de um ataque de asma.

Além da osteocondrose, pode ser neuralgia intercostal ou hérnia intervertebral. A neuralgia causa uma dor pontiaguda, agravada pela inspiração, pelo movimento. Mas é exatamente essa dor que pode provocar falta de ar crônica, semelhante à asma cardíaca.

A hérnia intervertebral causa dor periódica, bastante forte nas sensações. Se acontecem após o exercício, tornam-se como um ataque de angina de peito.

Se não houver ar suficiente durante a noite em um estado calmo, fica difícil respirar, surge uma tosse e uma sensação de nó na garganta - todos esses são sinais do normal para uma mulher grávida. O útero em crescimento sustenta o diafragma, a inspiração-expiração altera a amplitude, a formação da placenta aumenta o fluxo sanguíneo geral, a carga no coração e provoca um aumento dos movimentos respiratórios para compensar a hipóxia. Freqüentemente, não só é difícil para as mulheres grávidas respirar, mas também bocejar durante a caça - isso é consequência da mesma hipóxia.

Em outras palavras, um sintoma de respiração pesada e cansada pode indicar uma disfunção em quase todos os sistemas do corpo humano, requer uma atitude muito cuidadosa e, às vezes, ajuda qualificada urgente.

É difícil respirar, não há ar suficiente - as razões para isso muitas vezes estão ocultas em doenças do sistema respiratório ou cardiovascular. Menos comumente, esse sintoma ocorre em distúrbios dos sistemas nervoso e endócrino, problemas com o sistema músculo-esquelético e doenças auto-imunes.

O tipo específico de insuficiência respiratória é determinado pelo médico após exame e coleta de dados. Ao mesmo tempo, por tipo, um especialista geralmente pode entender o motivo. Os principais indicadores nos quais ele se concentra são a frequência, ritmo, presença ou ausência de consciência no paciente.

Em uma pessoa saudável, a respiração é rítmica, com iguais períodos de tempo para inspiração, expiração e entre elas. O desvio do ritmo e a respiração rápida ocorrem nele após o esforço físico, por exemplo, uma longa subida da escada, ou com excitação, e rapidamente se recupera em repouso.

Quando a falta de ar começa devido a uma leve tensão ou em um estado calmo, isso significa uma violação e um sintoma da doença.

É difícil respirar, não há ar suficiente - as causas dessa condição estarão diretamente relacionadas ao tratamento da doença de base, pois a falta de ar é apenas um sintoma.

Os tratamentos mais comuns incluem:

  • tomando medicamentos;
  • exercícios de respiração;
  • oxigenoterapia;
  • ventilação mecânica em caso de doença grave;
  • intervenção cirúrgica;
  • outro tratamento específico para uma patologia específica.

Terapia sintomática

O médico assistente seleciona todos os medicamentos individualmente, com base na condição do paciente e suas características. Mesmo com um ataque cardíaco ou derrame, é perigoso usar comprimidos de uso geral ou aqueles que ajudaram outra pessoa.

Essa admissão descontrolada pode complicar o diagnóstico ou piorar a condição do paciente. Se você sentir sintomas de falta de ar, é melhor consultar um médico ou chamar uma ambulância.

A dificuldade em expirar geralmente indica doenças orgânicas do sistema respiratório, portanto, é necessária assistência médica qualificada. Se o distúrbio ocorrer pela primeira vez e for grave, uma ambulância deve ser chamada com urgência. Antes da chegada dos médicos, é importante que o paciente garanta paz e suprimento suficiente de ar fresco, transfira-o para uma posição reclinada e limite o contato com possíveis alérgenos. Para reduzir o estresse emocional, pode-se sugerir sedativos leves à base de plantas.

Se ocorrer um ataque em um paciente com diagnóstico de asma brônquica, você deve tomar imediatamente broncodilatadores previamente prescritos na forma de um aerossol (agonistas beta-adrenérgicos, anticolinérgicos, antiespasmódicos miotrópicos). Para doenças inflamatórias, expectorantes podem ser usados; para condições alérgicas, anti-histamínicos. Noutros casos, é permitido o uso de medicamentos especiais apenas após um exame médico, tendo em conta as suas recomendações.

Vídeo sobre as causas da asfixia

Para ajudar, é necessário descobrir a causa da falta de ar, as medidas dependem disso. Qualquer pessoa é capaz de executar ações simples antes da chegada dos médicos, que podem simplificar o tratamento ou até salvar a vida do paciente.

No caso de um ataque de asma ou outra doença crônica, você precisa:

  1. Coloque o paciente em uma posição confortável, ofereça-se para se acalmar. tyazhelo dyshat ne hvataet vozduha prichiny 11 - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento
  2. Ajude a tomar medicação, use um inalador, se houver.
  3. Para desapertar as roupas prensadas, para garantir o fluxo de ar.
  4. Peça para prender a respiração para que a quantidade de dióxido de carbono aumente e a respiração seja restaurada reflexivamente.

Em caso de reação alérgica:

  1. Interrompa o contato com alérgeno, se possível.
  2. Tome um anti-histamínico (suprastina, difenidramina, tavegil e outros).
  3. Beba mais líquidos para acelerar a eliminação do alérgeno do corpo.

Se uma pessoa se sufoca devido a um corpo estranho e está consciente, é necessário:

  1. Segure o homem por trás, apertando a mão em punho.
  2. Coloque o punho na região epigástrica - logo acima do umbigo, sob as costelas no meio.
  3. Coloque a outra mão em cima e dobre os cotovelos com um movimento brusco, pressionando.
  4. Repita várias vezes, inclinando o paciente para a frente, até que ele limpe a garganta.
  5. Uma criança de 1 a 3 anos precisa ser virada de cabeça para baixo, segurando as pernas até limpar a garganta.

O ataque de asfixia de natureza psicogênica deve ser eliminado com a ajuda de sedativos.

99b6028f8b065902c9f84932abe2c5b8 - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento

O algoritmo de ação para um ataque de asfixia, respiração pesada depende da causa da patologia. Mas existem regras gerais que são recomendadas a serem seguidas com crescente falta de ar:

  • Primeiro de tudo, você precisa se acalmar e tentar avaliar sobriamente a situação, sem pânico;
  • se a insuficiência respiratória for acompanhada de falta de ar crescente, dor no peito, vermelhidão do rosto - chame imediatamente uma ambulância;
  • pastosidade dos tecidos da cabeça e do rosto, lábios e bochechas inchados, olhos inchados indicam edema de Quincke;
  • pré-síncope, perda de consciência, embaçamento, hipotensão, vertigem, náusea, cefaléia occipital, hiperidrose, calafrios, escuridão diante dos olhos - sintomas típicos de DVV;
  • Antes da chegada da ambulância, garanta o mínimo movimento à vítima;
  • acesso aberto ao ar fresco;
  • tomar sedativos: Corvalol, erva-mãe, Valeriana;
  • você pode tomar outros medicamentos somente se a razão for clara, o regime de tratamento foi acordado anteriormente com o médico (não o primeiro ataque): Suprastin, Berodual, Nitroglicerina.

Após a chegada dos médicos, todas as ações tomadas devem ser comunicadas à equipe da ambulância. Se a hospitalização for proposta, é melhor não recusá-la, as consequências de cada ataque de respiração pesada podem ser imprevisíveis.

Muitos pacientes reclamam que é difícil respirar ao correr, caminhar rapidamente ou subir escadas. Mas também existem pessoas nas quais a falta de ar começa imediatamente quando se caminha ou durante o descanso. A respiração é um processo fisiológico natural que as pessoas não percebem.

Mas quando uma pessoa tem dificuldade em respirar e começa a sufocar, ela se torna palpável e faz você se preocupar com sua saúde. Com esse fenômeno, o cérebro não é controlado pela consciência. Um sinal é fornecido aos neurônios de núcleos específicos da medula oblonga, devido aos quais a respiração se torna mais frequente, seu ritmo e frequência de movimentos respiratórios mudam.

Do ponto de vista médico, a falta de ar ocorre devido a um baixo conteúdo de oxigênio no sangue (o termo hipoxemia) ou no corpo (hipóxia). Esse processo estimula o núcleo respiratório do cérebro, por isso a pessoa não tem ar suficiente, a respiração acelera.

A dispnéia é dividida em três tipos:

  • inspiratório (difícil de inalar);
  • expiratório (expire com força);
  • misto (é difícil inspirar e expirar).

Para neutralizar esse sintoma, é necessário descobrir a causa e curar a doença. Por exemplo, se a dispnéia ocorrer como resultado de doença cardíaca coronária, distonia vegetativo-vascular ou infarto do miocárdio, são prescritos medicamentos apropriados e, para a asma, um inalador. Mas a maneira mais eficaz é a oxigenoterapia.

A dispnéia pode aparecer repentinamente ou intensificar-se em alguns dias. Quais são suas causas? Vamos considerar.

  1. Condição física
  2. Ataque de pânico.
  3. Anemia e anemia.
  4. Obesidade.
  5. Doença pulmonar.
  6. Doenças cardíacas.
  7. Embolia pulmonar.

Qualquer estresse, raiva, medo de algo ou sentimentos estimulam a produção de adrenalina. Depois que a adrenalina entra na corrente sanguínea, os pulmões começam a vazar uma grande quantidade de oxigênio, causando hiperventilação.

Por esse motivo, quando uma pessoa está nervosa, preocupada ou com medo, a frequência cardíaca acelera e a respiração fica pesada. Esse sintoma é seguro, mas em caso de ataques de pânico graves, é melhor consultar um médico, pois é característico de uma doença como a distonia vegetovascular.

Medos e inquietação podem levar ao fato de que é difícil para uma pessoa respirar à noite, parece-lhe que ela é sufocante.

A anemia por deficiência de ferro é caracterizada pela falta de ferro no organismo, devido à qual a hipóxia se desenvolve. O tratamento é baseado em uma dieta contendo alimentos enriquecidos com ferro ou em suplementos de ferro. O tesouro desse elemento são o fígado e a carne vermelha.

obeso. Não se trata de uma má preparação física, mas de uma doença grave. Nesse caso, a gordura interna é uma ameaça, que envolve os órgãos, impedindo-os de fazer movimentos respiratórios completos. O coração não é capaz de suportar tal carga porque bombeia sangue para o depósito local de gordura. Nesse caso, o tratamento é um - é perder peso devido à atividade física e à alimentação adequada.

A dispnéia respiratória ocorre com doença pulmonar. A dispnéia pulmonar é diagnosticada por exame prescrito por um pneumologista especialista. De acordo com os resultados de pesquisas médicas, o tratamento é prescrito.

Falta de ar repentina, passando a sufocação, freqüentemente perturba à noite. A asma cardíaca é muito perigosa e ameaça a vida de uma pessoa. O paciente não consegue dormir em nenhuma posição. Ele tem dificuldade para respirar à noite, ele sufoca e chia, começa o edema pulmonar. Nesse caso, é prescrito o tratamento adequado que irá melhorar o estado do paciente. Esses pacientes são obrigados a visitar regularmente um cardiologist.

Na maioria das vezes, a dispnéia aparece devido a embolia pulmonar. Com esta doença, coágulos sanguíneos estão localizados na artéria pulmonar, bloqueando a passagem, que é repleta de pneumonia por ataque cardíaco. Sinais característicos de tromboflebite venosa profunda são sintomas como:

  • falta de ar severa;
  • tosse prolongada grave;
  • dor no peito;
  • em casos raros, uma mudança de cor (começa a ficar azul).

A doença é difícil de tratar, portanto, a ajuda oportuna de um especialista evitará o tromboembolismo.

A dispnéia ocorre por uma variedade de razões, variando de doença menor a grave.

A sensação de falta de oxigênio ao tentar respirar é familiar a um grande número de pessoas. Uma situação semelhante pode ser desencadeada por um aumento acentuado da atividade física ou ter um caráter regular.

Existem situações na vida em que uma pessoa na sua frente começa a sufocar. E durante esse período, é muito importante não se confundir e prestar os primeiros socorros corretamente. Caso contrário, o caso pode facilmente terminar em morte. No entanto, antes de se apressar para ajudar, você precisa entender como ajudar corretamente.

bronkhialnaya astma - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento

Antes de tudo, é claro, você precisa chamar uma ambulância. Somente os médicos podem avaliar de maneira mais adequada e competente a gravidade da situação. No entanto, ficar sentado à toa não vale a pena. Depois de ligar para os serviços de emergência, tente prestar os primeiros socorros.

Uma pessoa sufoca quando o ar não entra nos pulmões. E pode haver algumas razões para isso. Portanto, você precisa tentar descobrir o que exatamente provocou esse problema.

- respiração difícil; - fala incoerente ou incapacidade total de falar;

- o aparecimento de chiado ou assobio durante a inspiração e expiração;

- o susto da vítima; - um fluxo de sangue e um triângulo nasolabial azulado; - perda de consciência. Muitas vezes, se uma pessoa está consciente, ela se agarra reflexivamente pela garganta, tentando facilitar e ativar o processo respiratório.

- bloqueio das vias respiratórias por sangue, vômito, língua afundada, etc. (na maioria das vezes, isso pode ocorrer com uma lesão ou um ataque de epilepsia); - apertar o peito também costuma causar problemas respiratórios; - envenenamento com gás ou outras substâncias tóxicas, resultando em espasmo; - choque elétrico; - asfixia artificial por qualquer um ou um objeto - um cinto, um laço, etc .; - asma ou bronquite em estágio avançado.

tyazhelo dyshat ne hvataet vozduha prichiny 7 - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento

Observe atentamente a pessoa afetada. Tente não entrar em pânico - você ainda tem tempo. Se ele ainda conseguir falar ou mesmo gritar, tente acalmá-lo e fazê-lo respirar pelo nariz. É melhor convidar a pessoa ferida a se levantar e se apoiar em qualquer superfície (pode ser uma mesa, cadeira, prateleira etc.)

Tentando "respirar" a vítima nesta situação, não o bata nas costas. Afinal, se, por exemplo, algum corpo estranho se tornar a causa, você só poderá aprofundá-lo dessa maneira. Se depois disso se tornar mais fácil para uma pessoa, não lhe ofereça água.

!  Como dilatar os vasos sanguíneos em casa

Afinal, a garganta e a faringe ainda estão tensas e qualquer intervenção pode causar um novo ataque de asfixia. Se a vítima perder a consciência, deite-a cuidadosamente sobre uma superfície plana (por exemplo, no chão) e certifique-se de que nada bloqueie as vias aéreas.

Golpeie-o bruscamente entre as omoplatas para que o objeto estranho seja deslocado e o ar tenha acesso aos pulmões. Se a melhoria não ocorrer e a situação se tornar mais crítica, tente obter um objeto que bloqueie as vias aéreas com os dedos.

Apenas faça-o com muito cuidado e somente se você o vir.

Se a situação for muito crítica - o pulso desaparece na vítima - inicie a ventilação artificial dos pulmões.

Respirar é um processo reflexo. Uma pessoa não precisa pensar constantemente na necessidade de inspirar e expirar uma parte do ar, isso acontece automaticamente.

Os problemas ocorrem se, por algum motivo, esse processo natural causar dificuldades.

Fisiologia do processo respiratório

O oxigênio entra no corpo através de um complexo sistema de órgãos e o dióxido de carbono é removido do corpo. É incorreto pensar que a respiração ocorre apenas nos pulmões, uma vez que o nariz, laringe, brônquios, músculos abdominais, músculos intercostais e o sistema cardiovascular também participam dela.

  1. Respire A troca de gás entre as vesículas que compõem os pulmões (alvéolos) e os pequenos vasos. tyazhelo dyshat ne hvataet vozduha prichiny 1 - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento
  2. A transferência de oxigênio no sangue para órgãos e tecidos.
  3. As células emitem dióxido de carbono no processo de oxidação e são transportadas de volta na mesma ordem e depois removidas do corpo após a expiração.

Diagnóstico de patologia

O algoritmo para diagnosticar insuficiência respiratória é padrão:

  • histórico médico, exame físico;
  • tonometria, pulsometria, medição da frequência respiratória;
  • OAC, OAM, bioquímica - triagem do bem-estar geral do paciente;
  • ECG, ecocardiografia;
  • Cabresto
  • testes de estresse;
  • radiografia de tórax, tomografia computadorizada (TCM), ressonância magnética;
  • análise de escarro com cultura e determinação da sensibilidade de micróbios a antibióticos;
  • tomograma;
  • EEG;
  • Ultra-som da glândula tireóide;
  • consulta de um médico otorrinolaringologista.

Este é um exame clínico mínimo obrigatório de cada paciente com dispnéia de origem desconhecida.

Como as causas da dispneia geralmente estão associadas a doenças cardíacas ou pulmonares, os pacientes costumam consultar um cardiologista e pneumologista com isso. Um exame inicial e coleta de dados também podem ser realizados por um clínico geral. Dependendo dos motivos, um neurologista, endocrinologista, hematologista, oncologista e psicoterapeuta pode tratar distúrbios respiratórios.

Tipo de diagnósticoExemplos
FuncionalInterrogatório do paciente, exame de sinais externos, ouvindo o coração e os pulmões, chocalhando.
HardwareUltrassom, ressonância magnética, raio X, eletrocardiograma, fluorografia, espirometria, broncoscopia, medição de pressão.
LaboratórioAnálise geral e bioquímica de sangue e urina, expectoração, biópsia, punção pleural.
  • asfixia não passa dentro de 10 a 15 minutos em repouso;
  • falta de ar é acompanhada por uma temperatura alta, que não diminui devido às drogas, tosse, chiado no peito;
  • existe a probabilidade de uma reação alérgica;
  • um corpo estranho está preso nas vias aéreas;
  • asfixia é acompanhada por fraqueza, pele azul, dor no peito, medo da morte;
  • falta de ar é acompanhada por uma diminuição acentuada ou aumento da pressão arterial;

spirometriya - falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento

  • Clínico que estuda o histórico médico e o histórico de vida do paciente para identificar doenças crônicas que podem ser a fonte do principal sintoma;
  • realização de um exame físico completo, com a escuta obrigatória do paciente enquanto respira com uma ferramenta como um estetoscópio;
  • questionar detalhadamente uma pessoa - para determinar o tempo de ocorrência das crises de falta de ar, uma vez que os fatores etiológicos da deficiência de oxigênio à noite podem diferir do surgimento desse sintoma em outras situações. Além disso, tal evento ajudará a estabelecer a presença e a intensidade da expressão de sintomas concomitantes;
  • análise geral e bioquímica do sangue - deve ser feita para avaliar os parâmetros de trocas gasosas;
  • oximetria de pulso - para determinar como a hemoglobina está saturada de ar;
  • radiografia e ECG;
  • espirometria e pletismografia corporal;
  • capnometria;
  • consultas adicionais com um cardiologista, endocrinologista, alergista, neurologista, terapeuta e obstetra-ginecologista - nos casos de falta de ar durante a gravidez.

Prevenção

Para evitar uma respiração ofegante, é necessário estabelecer uma dieta equilibrada com gordura suficiente. O fato é que o surfactante responsável pela atividade respiratória normal é um fosfolípido.

Nesse caso, os alimentos mais úteis que corrigem a dieta são abacates, azeitonas, frutos do mar e peixes do mar, nozes - tudo que contém ácidos ômega-3.

A hipóxia não é apenas um gatilho para distúrbios respiratórios, provoca insuficiência cardíaca, é uma causa comum de morte prematura. É especialmente importante formular sua dieta corretamente para mulheres grávidas, pois a saúde do bebê depende disso.

É fácil cuidar do sistema respiratório. Além da nutrição adequada, é recomendado:

  • visitando cavernas de sal, quartos;
  • inflação diária de balões: de 5 a 10 peças;
  • ande mais em ritmo acelerado;
  • vá para a academia;
  • correr;
  • nadar;
  • durma o suficiente;
  • abandonar completamente maus hábitos;
  • livrar-se de situações estressantes (geralmente um sentimento de raiva ou medo provoca falta de ar);
  • anualmente são submetidos a exame médico com uma medida da IC;
  • beba cursos preventivos de multivitaminas e minerais;
  • tratar atempadamente constipações, SARS, gripe, infecção.

A essência da prevenção de ataques respiratórios pesados ​​é um estilo de vida saudável e acesso oportuno a cuidados médicos, se houver necessidade.

Medidas preventivas específicas que impedem a ocorrência do sintoma principal não existem. No entanto, você pode reduzir a probabilidade com:

  • manter um estilo de vida saudável e moderadamente ativo;
  • evitar situações estressantes e sobrecarga física;
  • controle sobre o peso corporal - deve ser feito constantemente;
  • impedir uma mudança acentuada no clima;
  • tratamento oportuno de doenças que podem levar ao aparecimento de um sinal tão perigoso, especialmente em um sonho;
  • passagem regular de um exame preventivo completo em uma instituição médica.

O prognóstico de que periodicamente uma pessoa não tem ar suficiente é extremamente favorável. No entanto, a eficácia do tratamento é diretamente determinada pela doença, que é a fonte do principal sintoma. A completa falta de terapia pode levar a consequências irreparáveis.

Literatura

  1. Doletsky AA, Shchekochikhin D.Yu. , Maximov ML O diagnóstico diferencial de dispnéia na prática clínica // M. Cancro da mama, 2014.
  2. Amao E., Val E., Michel F. Síndrome de Platypnea-orthodeoxia // Rev. Clin. Esp. 2013.
  3. Arena R., Sietsema KE Teste de exercício cardiopulmonar na avaliação clínica de pacientes com doença cardíaca e pulmonar // Circulação. 2011.
  4. Toma N., Bicescu G., Dragoi R. et ai. Teste de exercício cardiopulmonar no diagnóstico diferencial de dispnéia // Maedica (Buchar). 2010.
  5. Banzett RB, Pedersen SH, Schwartzstein RM, Lansing RW A dimensão afetiva da dispneia de laboratório: a fome de ar é mais desagradável do que trabalho / esforço // Am. J. Respir. Crit. Care Med. 2008

c27694a33bd2641ef067f683616a812b - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento

Educação médica superior. 30 anos de experiência profissional em medicina prática.

Mais Sobre o Autor

Última atualização: novembro 1, 2019

Causas cerebrais

É difícil respirar, não há ar suficiente - as razões para problemas de saúde, que podem ser devido à função cerebral prejudicada. Este órgão controla todos os processos do corpo, para os quais possui centros especiais - respiratório, cardiovascular e outros.

Por várias razões, a função cerebral pode ser prejudicada, por exemplo:

  • devido a ferimentos na cabeça;
  • depois de um acidente vascular cerebral;
  • devido a encefalite;
  • devido ao tétano;
  • devido a edema cerebral, como resultado de doenças;
  • devido a distúrbios e anomalias congênitas;

Tais condições são perigosas para a saúde de todo o organismo e a vida do paciente. Em casos graves, a respiração dos pacientes é mantida artificialmente, usando equipamento. O cérebro está conectado ao sistema nervoso central e anormalidades no seu funcionamento podem causar problemas respiratórios psicossomáticos. Com alguns problemas psicológicos e doenças psiquiátricas, ocorre falta de ar neurótica.

Sua causa pode ser:

  • neurose; tyazhelo dyshat ne hvataet vozduha prichiny 4 - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento
  • histeria;
  • ataque de pânico;
  • distonia vegetativo-vascular e outras doenças;

Durante os ataques, o paciente sente falta de ar e apresenta sintomas; no entanto, o trabalho dos órgãos internos não é perturbado. Pacientes crônicos com histeria podem respirar mais rápido, gritar e chorar, mas nem mesmo um médico perceberá que uma pessoa não é sufocante.

Causas hematogênicas

Às vezes, a causa dos problemas respiratórios é uma alteração na composição do sangue. O sangue transporta gases e minerais; portanto, um desvio da norma de seu conteúdo pode ser sentido como falta de ar. Nesse caso, o trabalho do sistema respiratório não é perturbado, a inspiração e a expiração não são difíceis.

tyazhelo dyshat ne hvataet vozduha prichiny 10 - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento

Algumas doenças nas quais esse sintoma ocorre:

  • anemia de vários tipos;
  • diabetes;
  • vários tumores;
  • desordens do fígado e rins;
  • envenenamento com várias substâncias.

Bocejo e falta de ar

A falta de ar se tornou minha principal preocupação. Além disso, um “movimento errado”, por exemplo, outra xícara de café bêbada, agravou o problema e por 2 semanas depois disso eu não consegui adormecer por falta de ar. Eu costumava suportar muito sofrimento, agora estou mais confortável com isso. Quando essa sensação vem, entendo que não faz sentido entrar em pânico - ainda assim não vai ajudar. Resta apenas reconciliar e esperar até "deixar ir".

Comecei a participar de vários fóruns sobre a TIR e outros tipos de lixo, leia artigos. Todos eles disseram que a falta de ar é estresse, você só precisa se acalmar e tudo ficará bem. Mais de 6 anos se passaram desde a minha primeira falta grave de ar (com um estado de desmaio). Até me mudei para a vila, calmo e nada mais.

1. Fumar

Morei muito tempo com falta de ar, mas não conseguia parar de fumar. Ele justificou isso pelo fato de não ter nada a ver com fumar. De fato, apesar da possível conexão indireta, depois de parar de fumar, comecei a me sentir muito melhor. Comecei a engasgar pelo menos 50% menos. Bem, fiquei mais fácil suportar a falta de ar, provavelmente devido ao fato de haver mais oxigênio (ou menos dióxido de carbono). Esta foi a decisão número 1.

A propósito, também tentei mudar para o vaping (fumar cigarros eletrônicos). Comprei um mod caro, comprei líquidos premium. A princípio, pareceu-me que comecei a sentir menos falta de ar, mas depois rolou ainda mais.

No momento, não fumo há um ano e entendo que nunca mais voltarei a isso. Sinto claramente a diferença e não tenho absolutamente nenhum desejo de voltar a esse lado. Ao parar de fumar, o principal é abordar esse processo o mais persistentemente possível. Depois de me recusar, um mês depois, quebrei e fumei dois cigarros, mas depois desses cigarros o ano inteiro já passou e eles permaneceram os últimos.

2. Osteocondrose

tyazhelo dyshat ne hvataet vozduha prichiny 12 - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento

A palavra em si parece bastante "antiquada" e eu nunca pensei que teria algo assim. Quando criança, ouvi essas palavras no rádio e sempre pensei que isso era verdade apenas para as avós, que, devido à idade, mal conseguem se movimentar. Mas não, a osteocondrose acabou sendo o que está na minha vida. E no meu caso, essa é outra razão para a falta de ar.

Para ser honesto, eu era muito cético em relação a vários tipos de ginástica (bem como a parar de fumar para melhorar a respiração). Além disso, eu mesmo motivei a recusa em realizar os exercícios pela falta de tempo / falta de vontade de gastá-lo em “coisas inúteis”. Na verdade, isso é preguiça elementar. Mas você vai superar quando perceber que, além de você, ninguém vai corrigir a situação com a sua saúde. Não existe uma pílula mágica que cure o problema de falta de ar.

Claro, você pode usar infinitamente antidepressivos e tranqüilizantes (cada um dos quais tem um mar de efeitos colaterais). Ou você pode simplesmente fazer ginástica que melhorará sua condição sem efeitos colaterais. Se o pescoço também doer e a ginástica for muito dolorosa, faça-o com cuidado, mas não desista. No futuro, você definitivamente sentirá a melhoria e a tornará muito mais fácil.

Provavelmente, faz sentido atribuí-lo à osteocondrose, mas quero destacar esse ponto separadamente. Eu darei um exemplo Eu sei fazer ginástica, me sinto ótimo. Agora realmente tenho momentos em que meu pescoço não dói e nem tenho sinais, não sinto falta de ar. Mas se eu assoar o pescoço (por exemplo, correr da casa de banho para a casa no frio), os problemas se juntam.

Aliás, as massagens também economizam, mas nem sempre. Além disso, percebi que este é um prazer muito caro - pelo menos 10 mil são gastos para melhorar o bem-estar, enquanto a ginástica é gratuita e leva menos tempo (20 minutos). Se você definir os músculos rapidamente, vista-se bem. Percebi que o outono e a primavera são sempre períodos difíceis para o pescoço e os ombros. Parece estar quente lá fora, mas sopra um vento frio. Basta suar e olá resfriados.

Não sei por que isso acontece tão rápido para mim, talvez eu precise de um estilo de vida mais ativo. Todos os meus movimentos são uma bicicleta, uma viagem de compras, chegar ao carro, limpar a neve, desenterrar alguma coisa. Em geral, não é suficiente. Eles recomendam caminhar, mas eu não gosto muito desse negócio; talvez, quando eu o pressiono completamente, terei que me apaixonar. Em teoria, para que os músculos não enrijecessem, você precisa usá-los constantemente. Ou seja, não apenas para fazer ginástica, mas também para movê-las ativamente.

tyazhelo dyshat ne hvataet vozduha prichiny 13 - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento

Tudo o que contém cafeína afeta muito a falta de ar (no meu caso). Café, coca-cola, Pepsi, chá (até verde), podem adicionar friamente uma sensação de falta de ar. Eu não tomo chá preto e verde há vários anos, eu tomo principalmente Ivan Tea (erva) em casa. Absolutamente não afeta a respiração, tem um sabor agradável e, além disso, é útil.

Se você comer demais, há uma sensação de falta de ar. Mas, novamente, depois de parar de fumar, isso é quase inexistente. A propósito, viver sobriamente sem nicotina e cafeína é muito legal. A propósito, a cafeína é muito alta na tabela de correlação de dependência e dose letal.

Em princípio, não falo de álcool - se você realmente quer o sabor da cerveja, tente substituí-lo por kvass. Se for absolutamente insuportável - por favor, mas pelas consequências você será responsável por falta de ar e batimentos cardíacos. Novamente, talvez seja apenas meu caso, embora eu duvide muito.

A seguir, tentarei resumir as razões da falta de ar e listar tudo o que, na minha opinião, exacerba ou melhora a situação. Em ordem de influência.

Bocejar é uma respiração profunda forçada com falta de oxigênio no corpo. Em uma pessoa saudável, está associada à falta de sono e fadiga.

Mas bocejos muito frequentes e prolongados podem ser um sinal de muitas condições perigosas, por exemplo:

  • insuficiência cardíaca;
  • a presença de coágulos sanguíneos nos vasos;
  • asma brônquica;
  • inflamação e neoplasias nos pulmões. tyazhelo dyshat ne hvataet vozduha prichiny 8 - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento

Freqüentemente, o bocejo frequente é um sintoma psicossomático em caso de neurose, distonia vegetativo-vascular, além de conseqüência do excesso de peso e de um estilo de vida sedentário. Para bocejar menos, você precisa dormir horas suficientes em uma sala fria e eliminar as causas de insônia, se houver. A falta crônica de sono, por si só, leva ao estresse e contribui para o desenvolvimento de doenças.

Dica 2: Atelectasia pulmonar: o que fazer se não houver nada para respirar

A respiração normal é de 15 a 16 respirações por minuto - quando essa respiração não é suficiente para fornecer oxigênio aos tecidos e órgãos, é necessário respirar pesadamente.

Na maioria das vezes, fica difícil respirar devido a:

  • Esforço físico intenso - os músculos precisam de mais oxigênio, o sistema respiratório é forçado a trabalhar mais para fornecer ao sangue o oxigênio necessário;
  • Vários estresses e condições nervosas - espasmo do trato respiratório torna difícil para o oxigênio entrar no corpo;
  • Fadiga crônica - anemia, saturação de oxigênio insuficiente do sangue;
  • Asma brônquica - broncoespasmo, inchaço da mucosa sob a influência de vários alérgenos;
  • Espasmos vasculares do cérebro - forte dor de cabeça, insuficiência respiratória;
  • Doenças dos pulmões - os pulmões são um dos principais órgãos respiratórios, um mau funcionamento em seu trabalho leva à falta de ar;
  • Insuficiência cardíaca - a interrupção do sistema cardiovascular resulta em falta de oxigênio no sangue.

No caso em que é difícil respirar, mesmo em repouso, é necessário um diagnóstico urgente para determinar a causa da respiração pesada. Os seguintes estudos são recomendados:

  • Eletrocardiograma do coração (ECG);
  • Radiografia da área do peito;
  • Exame pulmonar do funcionamento dos pulmões.

Quando é difícil respirar devido a um estado de medo não associado a uma doença específica, é necessária uma consulta psiquiátrica.

Com uma quantidade suficiente de oxigênio no ar, ele deve entrar livremente nos pulmões através do trato respiratório. Além disso, se for difícil respirar, os pulmões não conseguem lidar com a tarefa de saturar o sangue com oxigênio. Isso pode acontecer em casos de danos a uma grande quantidade de tecido pulmonar:

  • Danos a doenças - enfisema ou outras doenças;
  • Infecções - pneumonia, tuberculose, criptococose;
  • Remoção ou destruição cirúrgica - um grande coágulo de sangue, um tumor benigno ou maligno.

Em tal situação, a quantidade restante de tecido pulmonar não é suficiente para suprir os vasos sanguíneos com oxigênio que entra no corpo ao inalar. Se uma grande proporção dos pulmões é afetada, é difícil respirar, respiração rápida, com esforço.

Com os seguintes distúrbios no sistema cardiovascular e na função cardíaca, é difícil respirar devido a:

  • Doenças cardíacas - ataque cardíaco agudo, doença coronariana, insuficiência cardíaca, etc. Como resultado de doenças, o músculo cardíaco fica enfraquecido e não consegue empurrar uma quantidade suficiente de sangue oxigenado através do sistema circulatório para órgãos e tecidos;
  • Anemia. A falta de glóbulos vermelhos - glóbulos vermelhos que se ligam e transportam oxigênio através do sistema cardiovascular, ou na patologia dos glóbulos vermelhos, em que a liberação de ligação de oxigênio é interrompida.

Devido a sérios danos ao sistema circulatório e ao coração, torna-se difícil respirar devido à aceleração do ritmo cardíaco.

Quando é difícil respirar, a tosse é uma manifestação concomitante de todas as razões acima. A respiração rápida irrita a membrana mucosa e os receptores da laringe, os músculos do trato respiratório se contraem, causando uma expiração forçada pela boca.

Em uma situação em que é difícil respirar, a tosse tende a limpar o trato respiratório das obstruções, para que as vias aéreas fiquem limpas.

Por que é difícil respirar em outros casos, a causa pode ser uma condição na qual o corpo precisa de mais oxigênio do que o normal. Febre alta, câncer progressivo, distúrbios da glândula tireóide, diabetes mellitus, neuralgia intercostal, etc.

Frequentemente, batimentos cardíacos e falta de ar significam problemas cardiovasculares, mas não apenas. Existem outras razões: estresse, neurose, distonia vegetativo-vascular, obesidade, uso excessivo de cafeína. O desvio da norma é uma manifestação prolongada do sintoma após esforço leve, em repouso.

Um paciente com batimentos cardíacos rápidos e falta de ar deve parar de se mover e tentar se acalmar e respirar profundamente. Se o sintoma não desaparecer por muito tempo e for acompanhado de dor no coração, medo, deterioração da saúde, é necessário chamar uma ambulância, pois existe o risco de um ataque cardíaco.

Ao adormecer

Tais distúrbios respiratórios são acompanhados por pânico e medo de adormecer novamente. Durante um ataque, uma pessoa está meio adormecida e nem sempre é capaz de acordar rapidamente; esse é o perigo de tal condição.

Além de asfixia súbita, o paciente pode sentir:

  • calafrios ou febre;
  • tontura; tyazhelo dyshat ne hvataet vozduha prichiny 9 - Falta de ar ao respirar espécies, causas e tratamento
  • náusea;
  • dormência dos membros;
  • a presença de um nó na garganta;
  • batimentos cardíacos aumentados ou lentos e outros sintomas.

As causas dessa condição podem ser apneia e hiperventilação dos pulmões. A apneia é uma parada repentina da respiração em um sonho, mas também ocorre durante o sono. Com a hiperventilação dos pulmões, o paciente sente uma falta aguda de ar, respira frequentemente e profundamente. Ambas as doenças são de natureza psicossomática e geralmente são causadas por estresse, neurose, ataques de pânico e transtornos mentais.

Svetlana Borszavich

Clínico geral, cardiologista, com trabalho ativo em terapia, gastroenterologia, cardiologia, reumatologia, imunologia com alergologia.
Fluente em métodos clínicos gerais para o diagnóstico e tratamento de doenças cardíacas, bem como eletrocardiografia, ecocardiografia, monitoramento de cólera em um eletrocardiograma e monitoramento diário da pressão arterial.
O complexo de tratamento desenvolvido pelo autor ajuda significativamente com lesões cerebrovasculares e distúrbios metabólicos no cérebro e doenças vasculares: hipertensão e complicações causadas pelo diabetes.
O autor é membro da European Society of Therapists, participante regular em conferências e congressos científicos na área da cardiolmedicina e medicina geral. Ela tem participado repetidamente de um programa de pesquisa em uma universidade privada no Japão na área de medicina reconstrutiva.

Detonic