Lentidão local da condução intraventricular

O sistema de condução se origina do nó da zona sinoatrial, no qual se origina o ritmo sinusal, a partir daqui os impulsos vão para o nó atrioventricular e entram nas pernas do feixe de His.

Os bloqueios parciais aparecem em pessoas saudáveis, portanto, não se aplicam a doenças. Mas se sua origem é observada em um contexto de doenças cardíacas, é necessário tomar medidas médicas.

As causas do seguinte:

  • Um ataque cardíaco.
  • Doença isquêmica
  • A cardiosclerose é um processo patológico que afeta o miocárdio, observa-se proliferação de tecido conjuntivo, formação de cicatrizes de diferentes tamanhos e localização. Neste caso, a patologia é observada no contexto da aterosclerose.
  • Insuficiência cardíaca.
  • Doença cardíaca.
  • Altos níveis de hormônios da tireóide.
  • Pressão alta.
  • Hipertrofia cardíaca - uma lesão com dificuldade de contração.
  • A miocardite é uma lesão inflamatória do músculo cardíaco.
  • Cardiomiopatia - aumento do tamanho do coração, sua insuficiência, piora da freqüência cardíaca, condução.

Os provocadores da violação podem ser um desequilíbrio de eletrólitos, ingestão excessiva de certos medicamentos, doenças pulmonares, embolia pulmonar e outros fatores.

O sistema de condução começa com o nó sinoatrial, que é a fonte do ritmo sinusal. A partir dele, impulsos através de células especializadas entram no nó atrioventricular localizado na zona de conexão dos átrios e ventrículos. Além disso, a passagem dos pulsos é realizada através de um sistema de Suas fibras.

Às vezes, são encontrados sinais de bloqueio parcial de impulsos na região da perna direita no contexto de uma saúde completa e são considerados características congênitas.

Mas muitas vezes o problema repentino dos impulsos é uma consequência de uma doença cardíaca. Possíveis causas da patologia da condução intraventricular:

  • infarto do miocárdio
  • ataques de isquemia
  • cardiosclerose aterosclerótica,
  • insuficiência cardíaca
  • distrofia miocárdica,
  • miocardite,
  • defeitos cardíacos
  • Cardiomiopatia
  • hipertensão arterial,
  • hipertrofia do coração.

Às vezes, os distúrbios de condução são causados ​​por desequilíbrio eletrolítico, intoxicação por medicamentos, tireotoxicose, patologia pulmonar obstrutiva crônica, tromboembolismo pulmonar.

Todas as possíveis causas de falha podem ser divididas em dois grandes grupos: cardíaca - causada por patologia do coração e não cardíaca - provocada por outros distúrbios.

  • defeitos cardíacos;
  • infarto do miocárdio;
  • miocardite;
  • isquemia cardíaca;
  • cardiomiopatia;
  • arteriosclerose coronariana;
  • as consequências de intervenções cirúrgicas (por exemplo, devido a próteses valvares, ablação por radiofreqüência).
  • distonia vascular;
  • problemas endócrinos: hipotireoidismo, diabetes mellitus;
  • distúrbios do sistema respiratório com hipóxia tecidual - broncoespasmo, inflamação crônica;
  • medicação irracional;
  • hipertensão arterial;
  • envenenamento por álcool;
  • tomando drogas;
  • gravidez.

A falha do sinal nem sempre indica patologia. Por exemplo, uma violação parcial da condutividade ao longo da perna direita do feixe de His é considerada uma variante da norma, característica dos jovens individuais.

A violação da função condutiva do miocárdio pode ser permanente e transitória. “Avarias” temporárias são detectadas no contexto da atividade física (por exemplo, em treinos e competições). Se após o repouso a situação se normalizar, não há motivo para preocupação. Mas se o problema persistir e as alterações forem visíveis no ECG, você precisará ser examinado por um especialista.

Com o bloqueio sinoauricular, ocorre um batimento cardíaco inteiro. Depois, há uma pausa. Às vezes, os pacientes sentem:

  • “Congelamento” ou parada cardíaca de curto prazo;
  • “golpe” reforçado afiado.

Tais sintomas isolados raramente levam a um médico. Detectado com mais frequência após infecção com interrogatório direcionado. Um estudo de ECG permite confirmar o fator complicador da doença, suspeita de miocardite.

Para um paciente que toma medicamentos digital, uma imagem de ECG indica o início dos efeitos negativos de uma overdose e a necessidade urgente de interromper o medicamento.

O bloqueio sinoauricular pode ocorrer à noite, então você deve pensar na participação de um aumento do tônus ​​do nervo vago. O mesmo mecanismo atua no coração em caso de lesão ocular (acidente vascular cerebral), compressão das artérias carótidas.

O distúrbio da condução atrial é observado com estenose mitral com hipertrofia do átrio direito.

O bloqueio atrioventricular raramente ocorre como uma ocorrência aleatória. Se forem detectados sinais característicos no ECG, o paciente deve ser cuidadosamente examinado, pois as áreas de distúrbio incompleto da condução acabam se transformando em uma completa diferenciação das contrações atriais e ventriculares.

Isso pode causar sérias conseqüências sem tratamento, que se manifestam em uma diminuição no suprimento de sangue para os órgãos internos e o cérebro.

A visão atrioventricular é caracterizada pela presença de uma lesão profunda e generalizada.

  • miocardite pós-infecciosa ou séptica;
  • alterações cicatriciais no miocárdio com cardiosclerose difusa, infarto do miocárdio;
  • lesão aterosclerótica grave dos vasos coronários.

Existem 3 graus de tais violações. Se após o tratamento as alterações no ECG desaparecerem, poderemos falar retrospectivamente sobre danos incompletos nas vias ou no primeiro grau e sua restauração.

O segundo e o terceiro graus são distinguidos pela persistência e constância. A patologia a longo prazo leva a uma interrupção nas conexões entre os átrios e os ventrículos. As manifestações clínicas dependem da frequência de contrações ventriculares independentes.

Se a frequência dos batimentos cardíacos estiver na faixa de 40 a 50 por minuto, a tontura aparecer nos pacientes, o desmaio a curto prazo é possível.

Um grau extremo de distúrbio da condução atrioventricular é considerado o desenvolvimento da síndrome de Morgagni-Edems-Stokes. Nesse caso, a frequência das sístoles ventriculares diminui para 25–20 por minuto. A condição pode ser fatal porque causa hipóxia das células cerebrais.

Dependendo das condições fisiológicas surgidas, os tipos de distúrbios da condução por impulso são distinguidos:

  • criando um obstáculo na área entre o tecido miocárdico normal e a área alterada;
  • conservação da propagação em baixa velocidade na zona de patologia;
  • envolvimento de impulso na área afetada com bloqueio subsequente;
  • a possibilidade de passar em apenas uma direção, interrompendo o fluxo de retorno.

Uma das patologias do ritmo devido à última opção é a taquicardia paroxística, na qual os impulsos passam apenas dos ventrículos para os átrios por meio de um feixe de Kent adicional.

A forma perturbada e expandida do complexo ventricular indica extra-sístole ou condução alterada

Como a patologia da condução não é isolada, mas é uma conseqüência de outras doenças, a previsão é permitida apenas considerando o curso clínico, a eficácia do tratamento da doença subjacente.

O bloqueio do bloqueio do ramo esquerdo aumenta o risco de morte em 5 vezes. O bloqueio da perna direita não é considerado um fator de risco para doenças cardíacas.

Os distúrbios de dois feixes precedem a transição para completar o bloqueio atrioventricular anualmente em 5% dos pacientes. O medo de aumentar a condutividade deve ocorrer com um tipo intermitente de mudança.

Se surgirem bloqueios no estágio agudo do infarto do miocárdio, a mortalidade aumenta para 50%. Isso indica um foco comum de necrose.

A condução intraventricular não pode ser considerada isoladamente de todas as patologias cardíacas. O tipo de bloqueio é importante no diagnóstico, objetivo e escolha do tratamento.

438 01 - desaceleração local da condução intraventricular

A condução do músculo cardíaco é um conceito que reflete a excitação das partes do sistema de condução, representada pelo nó sinoatrial no átrio direito, pelas fibras condutoras na parede dos átrios, pelo nó atrioventricular entre os átrios e os ventrículos. e duas pernas do feixe de His na espessura dos ventrículos que terminam em fibras de Purkinje.

o trabalho do sistema de condução do coração, seus principais componentes são indicados

Normalmente, a frequência cardíaca é realizada a uma frequência de 60 a 80 contrações por minuto. A condução retardada do impulso, que pode ocorrer em qualquer parte do músculo cardíaco, leva ao fato de que o ritmo “se desvia” em uma frequência normal e ocorre um bloqueio cardíaco completo ou parcial. As razões para isso podem ser inofensivas e também devido a doenças cardíacas graves.

É necessário distinguir entre os conceitos de “desaceleração” e “violação” da condutividade. Por exemplo, se o paciente viu na conclusão do ECG uma frase como “a condução atrioventricular está desacelerada”, isso significa que ele tem episódios de bloqueio atrioventricular de 1º grau.

Uma desaceleração na condutividade indica que o paciente possui um bloqueio de grau 1, o que, em princípio, não é perigoso no momento, mas com uma alta probabilidade de progredir para o bloqueio de grau 2 e 3, o que já pode representar uma ameaça à saúde e até para a vida.

Se o protocolo de ECG se referir a uma violação da condutividade, isso significa que o paciente possui um bloqueio correspondente de 2 ou 3 graus.

A violação da condução do coração pode ser completa quando o impulso não é realizado completamente através de uma parte específica do coração, ou parcial (incompleta) quando o impulso é realizado, mas com um atraso. Bloqueios completos são muito mais perigosos que os incompletos.

As causas do aparecimento da doença podem ser completamente diferentes. Os seguintes são considerados os principais:

  1. 1.
    Em uma pessoa absolutamente saudável, ocorrem comparativamente distúrbios locais da condução intraventricular na perna direita do chamado feixe de His.
  2. 2.
    Se a criança tem uma janela oval aberta no músculo cardíaco, isso pode levar a distúrbios locais da condução intraventricular do coração em crianças.
  3. 3.
    É possível bloquear completamente qualquer uma das pernas do pacote Dele. Isso pode ocorrer devido à ocorrência de doenças do músculo cardíaco, como hipertrofia do miocárdio (espessamento e proliferação do coração) durante o desenvolvimento de defeitos valvares nas válvulas, infarto agudo do miocárdio no músculo cardíaco, doença cardíaca coronária. Os mesmos problemas podem ocorrer durante doenças dos brônquios e pulmões, por exemplo, com bronquite obstrutiva, bronquiectasia, durante o desenvolvimento da asma brônquica. Os médicos encontram fenômenos semelhantes durante o aparecimento de miocardite, cardiomiopatia, cardiosclerose pós-infarto.
  4. 4.
    Em alguns casos, é possível uma violação não específica da condução intraventricular, que ocorre devido à operação inadequada e descoordenada de um ou mais sistemas do músculo cardíaco. Geralmente, isso pode causar uma desaceleração das contrações cardíacas com bloqueio incompleto e, em caso de falha completa do impulso de controle, é possível uma parada prática do miocárdio. Tais violações ocorrem devido ao aparecimento do profeta do coração, à formação de cicatrizes ou cicatrizes nele e à divisão nos próprios ventrículos. Na maioria das vezes isso ocorre devido a processos inflamatórios ou exposição orgânica. Também pode resultar do uso inadequado de certos medicamentos.

Como é o diagnóstico

Para determinar com precisão a violação da permeabilidade no primeiro estágio, os médicos usam um eletrocardiógrafo. Se forem detectadas inconsistências rítmicas, o monitoramento Holter é executado - um tipo especializado de ECG. A terceira etapa será o estudo da localidade da patologia com o auxílio do feixe eletro-Hiss.

Alguns exames médicos que determinam a violação local da condução intraventricular sugerem exames com esforço físico. Graças a eles, é possível estabelecer uma imagem precisa do curso da doença e descobrir que tipo de bloqueio cardíaco acompanha a patologia. De como competentemente realizado o diagnóstico dependerá do tratamento.

Um impulso cardíaco é formado nas células do nó sinusal, passa pela junção atrioventricular e vai para os ventrículos, nos quais as vias são representadas por um feixe de His. A princípio, segue o septo, depois divide-se em ramos, o direito desce até o ventrículo com o mesmo nome e o esquerdo divide-se em anterior e posterior, simulando contrações do ventrículo esquerdo.

Diretamente na camada muscular do coração, as células condutoras são pequenas fibras de Purkinje.

Artigo 1147 - Diminuição local da condução intraventricular

Com uma diminuição na velocidade de propagação do pulso, ocorre o bloqueio das pernas. Esta não é uma doença independente, mas ocorre quando danos no músculo cardíaco, patologia pulmonar, desequilíbrio eletrolítico.

Uma anamnese e um exame físico podem revelar arritmias e sugerir possíveis causas, mas o diagnóstico de arritmias requer um ECG em 12 derivações. Os dados obtidos durante o exame estabelecem a relação entre sintomas e ritmo.

O ECG como uma abordagem sistemática, permite medir intervalos e identificar irregularidades sutis. Os principais sinais diagnósticos são a frequência das contrações atriais, a frequência e a regularidade das contrações ventriculares e a relação entre elas. A ativação incorreta das contrações atriais e ventriculares é classificada como irregular regularmente ou irregularmente irregular (o padrão não pode ser detectado). Violação regular de curto prazo em um ritmo regular (por exemplo, extra-sístole).

Detonic - um medicamento único que ajuda a combater a hipertensão em todas as fases do seu desenvolvimento.

Detonic para normalização da pressão

O efeito complexo dos componentes vegetais da droga Detonic nas paredes dos vasos sanguíneos e no sistema nervoso autônomo contribuem para uma rápida diminuição da pressão arterial. Além disso, este medicamento evita o desenvolvimento da aterosclerose, graças aos componentes únicos envolvidos na síntese da lecitina, um aminoácido que regula o metabolismo do colesterol e impede a formação de placas ateroscleróticas.

Detonic síndrome não viciante e de abstinência, uma vez que todos os componentes do produto são naturais.

Informações detalhadas sobre Detonic está localizado na página do fabricante www.detonicnd.com.

Bradicritmias

O diagnóstico eletrocardiográfico das bradiarritmias depende da presença ou ausência de ondas P, da morfologia das ondas P e da relação entre as ondas P e os complexos QRS.

Nas bradiarritmias, fora da relação entre ondas P e complexos QRS, pode-se sugerir dissociação AV; um ritmo de escorregamento pode ser nodular (complexo QRS estreito) ou ventricular (complexo QRS largo).

Bradiarritmia regular com uma proporção de 1: 1 entre ondas P e complexos QRS indica a ausência de bloqueio AV. As ondas P anteriores ao QRS indicam bradicardia sinusal (se as ondas P forem normais) ou parada sinusal com bradicardia atrial (se as ondas P forem diferentes do seio). As ondas P após complexos QRS indicam parada sinusal com ritmo nodular ou ventricular com ativação retrógrada dos átrios. O ritmo ventricular leva ao aparecimento de um amplo complexo de QRS; o ritmo de escorregamento nodal, por via de regra, tem uma forma QRS estreita.

Quando o ritmo é irregular, as ondas P geralmente excedem o número de complexos de SRO. Um ritmo irregular com uma proporção de 1: 1 entre as ondas P e QRS, como regra, indica arritmia sinusal com uma aceleração e desaceleração gradual do ritmo sinusal (se as ondas P forem sinusais).

Podem ocorrer pausas no ritmo regular devido a ondas P bloqueadas (as extra-sístoles atriais geralmente ocorrem após a onda T ou distorcem a morfologia da onda T), parada sinusal ou bloqueio AV do 2º grau.

Taquiarritmias

Polnaja blokada pravoj nozhki puchka Gisa - desaceleração local da condução intraventricular

As taquiarritmias são divididas em 4 grupos: regular, irregular, complexo estreito e complexo amplo.

Taquiarritmias irregulares com um complexo estreito de SRO. As taquiarritmias incluem fibrilação atrial, flutter atrial, taquicardia atrial com graus variados de condução AV e taquicardia atrial multifocal. A diferenciação é baseada nas ondas de ECG atrial, que são melhor distinguidas nas pausas entre os complexos QRS.

Taquiarritmias irregulares com um amplo complexo QRS. Existem, regra geral, 4 tipos de taquiarritmias. A separação é baseada na visualização de ondas atriais em um eletrocardiograma e na presença de taquicardia ventricular polimórfica com uma freqüência cardíaca muito alta.

Taquiarritmias regulares com um complexo QRS estreito. Essas taquiarritmias incluem taquicardia sinusal, flutter atrial ou taquicardia atrial com uma proporção consistente de condução AV e taquicardia supraventricular paroxística. Os testes vagos ou farmacológicos ajudam a diferenciar esses tipos de taquicardia.

Ao usar essas técnicas, a taquicardia sinusal não para, mas a condução é mais lenta ou ocorre bloqueio AV transitório, o que ajuda a detectar ondas sinusais. Além disso, a flutter e a taquicardia atrial, por via de regra, não param, mas é possível visualizar ondas de flutter ou ondas P atriais.

Taquiarritmias regulares com um amplo complexo QRS. Eles incluem taquicardia regular de complexo estreito, com bloqueio das pernas do feixe de His ou por condução de DFS e taquicardia ventricular monomórfica. Os testes vagos ajudam no diagnóstico diferencial entre eles. Os critérios de ECG são frequentemente usados ​​para distinguir TV e TVS com um defeito na condução intraventricular.

Com uma condição estável do paciente e a existência prolongada do bloqueio, o tratamento especial não é realizado. Para melhorar a condutividade miocárdica, a doença de fundo deve ser tratada.

Medicamentos anti-hipertensivos, nitratos podem ser prescritos dependendo da origem desta patologia. Com um ritmo ventricular raro e bloqueio atrioventricular, pode ser necessária a instalação de um marcapasso.

Com o desenvolvimento agudo do bloqueio das pernas de His, para efeito temporário, designe:

  • anticolinérgicos (Atropina, Platifilina);
  • estimulantes adrenostimulantes (noradrenalina, isadrina);
  • corticosteróides no processo inflamatório (Dexametasona, Hidrocortisona);
  • diuréticos para reduzir o potássio (Lasix);
  • estimulação cardíaca temporária.

Para detectar condução atrial prejudicada, o ECG fornece mais informações. Uma técnica padrão nem sempre é suficiente; em seguida, são utilizados o monitoramento Holter, o registro transesofágico ou o exame eletrofisiológico.

A duração da onda P excede a norma (0,12 s). Deve-se notar que em apenas 3% dos casos atinge 0,13-0,15 segundos, na grande maioria - cerca de 0,125 s. Se o bloqueio não for constante, então a duração de P é sempre maior que PR. O dente atrial pode se tornar plano, bifásico, deformado. Freqüentemente, o bloqueio de grau 1 é combinado com distúrbios de condução nodular ou intraventricular, extra-sístole.

Segundo grau

Cada contração subsequente tem um P cada vez mais longo e, em seguida, uma onda aparece, emanando apenas do átrio direito, e a esquerda não se contrai. Isso corresponde à primeira opção 2 graus de bloqueio. Existe também uma variante na qual não há aumento gradual de P, e os pulsos periodicamente não atingem o átrio esquerdo.

Os sinais do átrio direito estão completamente bloqueados. O átrio esquerdo produz seu próprio ritmo lento - cerca de 40 contrações por minuto. Na forma, o P ectópico é pequeno, os intervalos entre eles e os dentes comuns não são regulares. Um ritmo atrial adicional é a fibrilação atrial ou flutter atrial, taquicardia unilateral.

O átrio direito e os ventrículos recebem ondas de excitação de uma fonte normal (seio), enquanto sinais anormais nunca se propagam para eles, e o ritmo principal não afeta o ectópico. Este é o principal sintoma da dissociação atrial.

Opinião de especialista Alena AricoExpert na área de cardiology

Nem sempre esse quadro reflete uma doença cardíaca grave. A dissociação atrial falsa pode aparecer no ECG com um ajuste inadequado dos eletrodos, o médico toca o paciente durante o registro do cardiograma, em uma câmara fria, com insuficiência respiratória, soluços, parkinsonismo.

O bloqueio intra-atrial não representa uma ameaça direta à vida, no entanto, sua presença no paciente pode indicar que ele apresenta um alto risco de fibrilação atrial, o que pode levar a complicações perigosas.

fibrilação atrial - uma complicação perigosa da condução atrial

Se o paciente encontrou esses sintomas, ele precisa entrar em contato com um cardiologista e, de preferência, um arritmologista para exames adicionais e para decidir sobre a necessidade de tratamento.

O médico prescreverá métodos de pesquisa adicionais:

  • Holter ECG para diagnóstico mais preciso de distúrbios de condução em diferentes momentos do dia,
  • Testes de ECG com carga - esteira - teste, bicicleta ergométrica. Andar em uma esteira ou pedalar em uma bicicleta estável com eletrodos de ECG sobrepostos ajudará a identificar com mais precisão a conexão dos distúrbios de condução com a carga,
  • O ultra-som do coração (ecocardiografia) visualiza as estruturas anatômicas do coração, revela doenças cardíacas e também permite avaliar a função da contratilidade miocárdica.

Importante! Se você notar sintomas de distúrbios de condução ou foram detectados em um eletrocardiograma, consulte um médico o mais rápido possível para excluir doenças cardíacas perigosas que requerem tratamento ativo.

  • Causas de origem orgânica (são causadas por processos anormais na estrutura dos caminhos do sinal).
  • Causas funcionais (distúrbios patológicos do sistema circulatório do coração e do sangue não ocorrem, o princípio do funcionamento do sistema de sinalização muda, é observado o funcionamento desequilibrado dos sistemas simpático e parassimpático).
  • Ao tomar medicamentos que afetam o funcionamento rítmico do coração, a natureza de tais anomalias é manifestada por sintomas agudos e uma reação fraca ao efeito terapêutico.
  • isquemia cardíaca;
  • infarto do miocárdio;
  • cardiosclerosis;
  • patologias associadas à cardiomiopatia;
  • tumores benignos de tecido conjuntivo fibroso ou fibroma;
  • tumores ou metástases na região do coração;
  • amiloidose;
  • manifestações de angina de peito;
  • alto grau de hipotermia.

sintomatologia

A patologia dos impulsos ao longo do sistema His, com exceção do bloqueio de três feixes, não manifesta sintomas específicos. Mas isso não significa que pacientes com condução intraventricular comprometida se sintam bem e não tenham problemas de saúde.

As doenças que levam à condução prejudicada podem se manifestar com muitos sintomas. Uma das principais razões que levam ao desenvolvimento repentino da cessação dos impulsos ao longo de um ou vários ramos do feixe de His é o infarto do miocárdio. Esse bloqueio pode indicar isquemia miocárdica - irrigação sanguínea insuficiente do músculo cardíaco. Devido à deformação pronunciada dos complexos ventriculares, o diagnóstico de um infarto pelo eletrocardiograma é muito difícil.

  1. O primeiro grau significa abrandar a passagem dos pulsos.
  2. No segundo grau, parte dos pulsos é bloqueada, mas o restante passa por uma porção patologicamente alterada do sistema condutor.
  3. O terceiro grau significa a impossibilidade de conduzir impulsos que vão para os ventrículos.
  • redução da frequência cardíaca;
  • intolerância ao esforço físico, ainda que menor, em que ocorrem falta de ar, fraqueza, dor no coração;
  • desmaio, confusão intermitente.

No contexto de doenças cardíacas graves, o desenvolvimento repentino de bloqueio trifascicular pode causar complicações graves associadas a uma diminuição do ritmo ou uma longa pausa, quando as contrações dos ventrículos estão temporariamente ausentes (assistolia transitória). Essas complicações incluem:

  • Os ataques de Morgagni-Adams-Stokes, nos quais, devido à diminuição do débito cardíaco e, como resultado, da isquemia cerebral, o paciente fica pálido, perde a consciência. Após 1-2 minutos, a pessoa volta a si; ​​após um ataque, ocorre frequentemente vermelhidão da pele. Ataques repetidos podem levar a memória e inteligência prejudicadas.
  • Choque cardiogênico.
  • Morte cardíaca súbita por assistolia (cessação da atividade cardíaca).
  • Deterioração do curso de doença cardíaca coronária, agravamento da insuficiência cardíaca congestiva, patologia renal.

A maior parte do bloqueio do feixe His é encontrado apenas no eletrocardiograma sem sintomas ou no contexto das principais manifestações da doença que causaram esse desvio. Com má circulação, fraqueza, tontura e desmaio aparecem. Eles estão associados à baixa descarga de sangue na rede arterial devido à contração não síncrona das fibras musculares.

Bloqueio PNPG

O ventrículo direito é excitado por sinais vindos do coração esquerdo. Isso se manifesta por um S expandido, alto, largo R, o complexo ventricular adquire uma configuração de qRS, é alongado para 0,11 segundos.

Bloqueio do LDL

Com uma derrota completa, não há movimento de sinais ao longo do tronco ou dois ramos ao mesmo tempo. A excitação se espalha para o ventrículo esquerdo da direita através das células de Purkinje. O eixo elétrico é desviado para a esquerda, o QRS é largo e deformado.

A parte da frente da perna é responsável pela contração da parede anterolateral. Com o bloqueio, os impulsos se aproximam da parede traseira, na direção do topo do coração até a base. Quando o ramo traseiro é bloqueado, as ondas de excitação vão na direção oposta. É caracterizada por um aumento dos complexos ventriculares no eletrocardiograma.

É possível suspeitar de uma violação da condução no PNPG e na parte frontal do LDL por QRS expandido, entalhe S, T negativo, deslocamento do eixo do coração para a esquerda. Se a perna direita e o ramo traseiro da esquerda forem afetados, no ECG há sinais de bloqueio do PNPG e desvio do eixo para a direita. Essa combinação é freqüentemente encontrada com lesões comuns (ataque cardíaco extenso, miocardite).

Se todos os três ramos estiverem bloqueados, as ondas passarão pelo bloqueio menos atrioventricular unido. Com uma parada completa dos sinais atriais, eles funcionam em um ritmo normal, e os ventrículos contraem com sua própria frequência (idi-ventricular). No ECG, diferentes durações dos intervalos PQ são observadas. Freqüentemente, um bloqueio completo de três feixes leva à fibrilação atrial ou interrompe as contrações.

Se os resultados das gravações padrão de ECG não forem convincentes o suficiente, então o método transesofágico ou o monitoramento de Holter podem ser utilizados para a realização de ritmo cardíaco. Para detectar a causa do bloqueio da condução, os pacientes recebem ultra-sonografia cardíaca, ressonância magnética, tomografia computadorizada (TCM), tomografia por emissão de pósitrons.

As causas de distúrbios de condução podem ser:

  • doenças gerais acompanhadas por uma alteração no metabolismo (patologia endócrina, colagenoses sistêmicas);
  • dano local ao sistema de condução por áreas de isquemia, inflamação, cardiosclerose, distensão do miocárdio com hipertrofia de locais individuais.

Após a cicatrização da zona de necrose, as miofibrilas e as células condutoras são gradualmente substituídas nas áreas da cardiosclerose

A reação inflamatória (miocardite) é mais frequentemente encontrada com:

  • doenças infecciosas agudas de natureza viral e bacteriana (influenza, infecções virais respiratórias agudas, difteria em crianças, ataques reumáticos após amigdalite);
  • processos autoalérgicos no fundo da vasculite com envolvimento de vasos coronários;
  • inflamação granulomatosa produtiva.

A área de isquemia causada pelo suprimento insuficiente de sangue para as fibras condutoras depende da trombose nos ramos direito e esquerdo das artérias coronárias. Às vezes, pelo tipo de bloqueio intraventricular, eles julgam a possível localização de um ataque cardíaco.

A patologia é observada no ataque cardíaco agudo, insuficiência coronária crônica.

Defeitos cardíacos causam deformação das câmaras cardíacas, alongamento excessivo e hipertrofia. Portanto, uma violação da condução em crianças com alterações congênitas na estrutura das câmaras e no aparato valvar não é incomum.

O desenvolvimento de hipertrofia ventricular esquerda com hipertensão, cardiomiopatia também leva à interrupção dos caminhos de propagação do impulso ventricular. Nesses casos, o grau de bloqueio indica a gravidade da lesão.

A violação da condução intraventricular é uma condição que não apresenta sinais patognomônicos. Portanto, com o mau funcionamento do pacote His, os seguintes sintomas podem ser detectados em um paciente:

  • Tonturas.
  • Um sentimento de interrupção no trabalho do coração.
  • Fraqueza geral.
  • Dispnéia.
  • Bradicardia.
  • Desmaio.

De qualquer forma, é importante entender que as manifestações dos distúrbios de condução são individuais e, na maioria das vezes, dependem diretamente da doença subjacente. É por isso que, quando os primeiros sintomas aparecem, indicando um mau funcionamento do coração, é necessário procurar ajuda de um especialista.

Os sinais do desenvolvimento de uma lesão com não passagem parcial ou completa dos impulsos de controle ao longo do músculo cardíaco são os seguintes:

  1. 1.
    Com a condução parcialmente prejudicada, a maioria das pessoas quase não sente nada, uma vez que, em muitos casos, essa condição não se manifesta clinicamente.
  2. 2.
    Se uma pessoa tem um bloqueio completo da passagem de um impulso nas pernas do feixe de His, então sinais como ternura no peito, raros impulsos aparecem, é possível uma completa perda de consciência.
  3. 3.
    Ao examinar um paciente que se queixa de dor súbita e fortemente pressionada atrás do esterno, uma fraqueza aguda e irracional, o aparecimento de suor frio, um bloqueio completo do ventrículo esquerdo geralmente é detectado no eletrocardiograma. Isso permite determinar o desenvolvimento de infarto agudo do miocárdio, que geralmente é disfarçado de obstrução por impulso. O paciente tem um pulso raro, muitas vezes fica doente. É muito difícil determinar a presença de um ataque cardíaco em uma pessoa a partir de um eletrocardiograma pela primeira vez; portanto, se houver suspeita dessa lesão, os pacientes são urgentemente hospitalizados.

Com essa violação da passagem dos pulsos, na maioria das vezes não há sinais da doença, uma vez que as mudanças no eletrocardiograma são tão pequenas que é muito difícil diferenciá-las. Mas ainda existem alguns sinais, tendo notado quais, é urgente levar o paciente ao médico. Normalmente, um paciente tem uma doença da seguinte maneira:

  1. 1.
    Uma pessoa reclama de um giro de cabeça bastante frequente.
  2. 2.
    O paciente tem uma falta de ar notável, que não desaparece mesmo se estiver em repouso.
  3. 3.
    Muitas vezes, um paciente com uma passagem de impulso inespecífica reclama de um resfriado incompreensível na região do músculo cardíaco.
  4. 4.
    Essa pessoa se cansa em um período de tempo bastante curto e não tem força suficiente para terminar o trabalho.
  5. 5.
    Se você medir o pulso de um paciente, acontece que ele diminuiu bastante a velocidade.
  6. 6.
    Uma pessoa começa a reclamar de comprometimento da memória. Ele não consegue se lembrar muito, às vezes até o que fez recentemente.
  7. 7.
    Durante o dia, o paciente pode sofrer várias alterações de humor.
  8. 8.
    Uma pessoa doente sofre de um sentimento incompreensível de medo. Ele tem pensamentos perturbadores para os quais não existem pré-requisitos. Geralmente, o paciente reclama com a família sobre o medo da morte, que o assombra mesmo em um sonho.
  9. 9.
    O comprometimento inespecífico da condução de impulso nos ventrículos do músculo cardíaco pode de repente se manifestar como uma pessoa caindo em uma superfície completamente plana.

Se o paciente tiver pelo menos um desses sintomas, é urgente chamar um médico, pois pode ser necessária hospitalização.

  • fraqueza;
  • suor frio;
  • tontura;
  • desmaios;
  • incapacidade;
  • dor no coração;
  • pulso lento, que é muito pouco audível.

Freqüentemente, esses sintomas podem indicar simultaneamente infarto do miocárdio e violação da condução intraventricular. Para fazer um diagnóstico mais preciso, é necessário usar métodos de exame especiais.

Cada bloqueio tem suas próprias características. Eles dependem da localização do foco da violação. Na maioria das vezes, com bloqueio incompleto, não há manifestações óbvias da patologia, exceto as leituras de ECG. O bloqueio completo pode se manifestar com sintomas de diferentes intensidades, por exemplo:

  1. Com bloqueio completo sinoatrial, falta de ar, dor no peito, um pulso raro e fraco são sentidos.
  2. O bloqueio completo atrioventricular é caracterizado por uma desaceleração significativa no ritmo cardíaco, sendo possível desmaio.
  3. Com distúrbios da condução atrial, o bloqueio, via de regra, passa sem sinais visíveis. Às vezes, ocorre falta de ar, pernas inchadas.
  4. O bloqueio absoluto intraventricular (nos ramos de His) se manifesta por uma diminuição da freqüência cardíaca, fraqueza acentuada, náusea, perda de consciência, secreção de suor frio.
!  Como reduzir a concentração do hormônio estimulador da tireoide (TSH) com remédios populares

Terapias

O bloqueio parcial da perna direita, detectado acidentalmente por eletrocardiografia, geralmente não é uma patologia e não requer tratamento. Mas se uma violação da condução intraventricular do coração ocorreu repentinamente, é necessário descobrir a causa da condição e prescrever terapia adequada. O tratamento é realizado, influenciando as causas do distúrbio de condução: se ocorrer distúrbio de condução devido a miocardite, defeito aórtico, embolia pulmonar - o tratamento dessas patologias é organizado.

Freqüentemente, bloqueios transitórios se desenvolvem devido a isquemia do miocárdio. Nesse caso, são realizadas medidas terapêuticas destinadas a melhorar o suprimento sanguíneo para o miocárdio, o tratamento da aterosclerose. O tratamento da patologia subjacente pode levar à eliminação do problema dos impulsos.

Com o infarto do miocárdio, é realizada terapia intensiva para limitar a área de necrose, reduzir a área de isquemia e combater as complicações patológicas, incluindo as que ameaçam a vida. O perigo é um bloqueio completo de três feixes, como resultado do qual a assistolia (cessação das contrações cardíacas e atividade elétrica) pode se desenvolver. O tratamento é realizado com estimulação externa e intracardíaca.

  1. Bloqueio de duas pernas do feixe de His, manifestado por uma rara frequência de contrações cardíacas, insuficiência cardíaca congestiva, ataques de angina.
  2. A combinação de patologia de condução na perna esquerda ou direita do feixe de His e bloqueio atrioventricular.
  3. O término da passagem de pulsos ao longo da perna direita e do ramo posterior do sistema His.
  4. Perturbação persistente da condução de ambas as pernas, persistindo 3 semanas após um ataque cardíaco.
  5. Os ataques de Morgagni-Adams-Stokes.

Os distúrbios moderados de condução não requerem tratamento. O bloqueio incompleto no ramo direito do feixe de His não é perigoso. Nesta situação, recomendamos que você seja observado por um cardiologista, faça exames médicos anuais e um ECG. Mas isso ocorre se o paciente não tiver outras queixas ou patologia concomitante. Se forem detectadas anormalidades, a terapia apropriada é indicada.

O bloqueio do ventrículo esquerdo é mais perigoso. No contexto, distúrbios no fluxo sanguíneo e insuficiência cardíaca se desenvolvem com mais frequência. Recomendamos tomar glicosídeos cardíacos, antiarrítmicos e outros medicamentos. O regime de tratamento é determinado individualmente com base na gravidade da condição, na idade do paciente e nas doenças concomitantes.

É importante saber: não foi desenvolvido tratamento específico para bloqueio intraventricular. As drogas propostas apenas aumentam a excitação do tecido cardíaco, mas não eliminam a causa. É necessário tratar a patologia principal - aquela que causou o mau funcionamento do sistema condutor. Essa é a única maneira de retardar a progressão da doença.

Se a terapia medicamentosa for ineficaz ou o paciente estiver em estado grave, o tratamento cirúrgico é sugerido. A instalação de um marca-passo - um instrumento que impõe seu próprio ritmo do coração. O dispositivo implantado garante atividade miocárdica ininterrupta.

Conselho de especialistas: quando eles colocam o marcapasso

A instalação do marca-passo é uma operação cirúrgica e é prescrita apenas de acordo com as indicações. Não faz sentido realizar o procedimento na ausência de sintomas óbvios de patologia. Se o paciente se sente bem, a introdução de marcapasso artificial não é indicada. A operação não é recomendada se os sintomas identificados estiverem associados a causas reversíveis. É necessário enfrentar a doença subjacente - e o músculo cardíaco pode voltar a funcionar totalmente.

Indicações para a instalação de um marcapasso:

  • bradicardia com frequência cardíaca inferior a 40 batimentos / min e distúrbios do ritmo na presença de sintomas óbvios;
  • complicações que ameaçam a vida do paciente;
  • Ataques MAC
  • distúrbios persistentes de condução após infarto do miocárdio.

É discutida a possibilidade de instalação de um marcapasso com pulso inferior a 40 batimentos / min na ausência de sintomas clínicos óbvios. O procedimento é realizado em qualquer idade.

A prevenção de distúrbios da condução cardíaca ainda não foi desenvolvida. Não adie o tratamento, evite fatores de risco. Isso reduzirá as chances de desenvolver uma patologia. Para identificar o problema a tempo, faça regularmente exames preventivos no terapeuta com uma avaliação do ECG (conforme necessário).

O bloqueio intraventricular estável a longo prazo não requer tratamento específico. A detecção inicial de alterações intraventriculares, principalmente em pacientes idosos, requer hospitalização e exame completo para determinar as causas.

A isquemia envolve o uso de coronariolíticos e o uso cuidadoso de β-bloqueadores fracos.

Se a natureza inflamatória das alterações for detectada, um curso de terapia antibacteriana, medicamentos hormonais é realizado.

No caso de combinação com insuficiência cardíaca crônica, pequenas doses de digitálicos e diuréticos são usadas.

É importante resolver oportunamente a questão da adequação da instalação de um marcapasso. Isso é especialmente verdadeiro para casos de bloqueios de dois e três feixes.

O tratamento é realizado sob a supervisão de um médico local em uma clínica ou no cardioldepartamento de ogy (arritmologia). A terapia deve começar com a eliminação da causa do distúrbio de condução. Se nenhuma doença cardíaca for detectada, vitaminas e medicamentos são prescritos para melhorar a nutrição do músculo cardíaco, por exemplo, pré-ductal, ATP, etc.

Com uma violação completa da condução, que causa bradicardia grave, o problema da instalação de um marcapasso artificial é resolvido.

Com a síndrome de ERW e QP encurtado com sintomas graves de taquiarritmias, é possível a ablação por radiofreqüência (RFA). Esta é a destruição de feixes de condução adicionais através da introdução de equipamentos através das artérias na cavidade cardíaca.

  1. Se uma pessoa tem uma violação da condução intraventricular, o tratamento que afeta diretamente o bloqueio existente não é realizado. Com esta patologia, todos os recursos devem ser direcionados para a identificação e tratamento da doença subjacente. Por exemplo, se a doença é causada por hipertensão, é necessário tomar medicamentos anti-hipertensivos, bem como seguir uma dieta adequada e levar um estilo de vida ativo.
  2. Caso o bloqueio seja assintomático, é necessário observá-lo dinamicamente até que as primeiras alterações sejam detectadas. Depois, inicie também a terapia para a doença subjacente.
  3. Caso seja observado o desenvolvimento de um bloqueio atrioventricular, a instalação de um marcapasso pode ser necessária. Essa intervenção consiste em implantar um marcapasso artificial no paciente, no qual os dispositivos especiais atuam. Os motivos para instalar o estimulador são:
  • Perturbações de condução que levam a desmaios ou falta de ar grave.
  • Deficiência do paciente.
  • A incapacidade de tratar a doença subjacente.
  • A formação de insuficiência circulatória.

Você deve entender que o uso de marcapassos requer conformidade com certas regras, em particular:

  • Evite procedimentos baseados em impulso magnético (RM).
  • Não recorra a tratamento fisioterapêutico.
  • Evite choque elétrico.
  • Não machuque seu peito.

Ao diagnosticar uma violação da condução intraventricular do coração, o que indica a aprovação de um curso completo de exame, é necessário prosseguir para eliminar a causa da doença.

Se a violação não estiver associada à presença de um paciente com qualquer doença cardiovascular, os especialistas prescrevem um curso que consiste nesses medicamentos:

  • vitaminas ou complexos de minerais;
  • medicamentos cuja ação visa regular e estabilizar o processo de suprimento sanguíneo para o coração (ATP ou preductal).

Ao diagnosticar obstrução intraventricular completa, o tratamento consiste na introdução de um marcapasso artificial, que estimulará o ritmo cardíaco com uma frequência definida. Caso contrário, o paciente pode desenvolver bradicardia do coração com complicações subsequentes.

No tratamento de pacientes com patologia semelhante, a nomeação de medicamentos que estimulam os processos metabólicos do miocárdio do coração é extremamente importante. Entre eles estão a inosina, cocarboxilase, ácido adenosina trifosfórico. O curso de tomar tais drogas dura 30 dias.

Se um paciente for diagnosticado com uma violação da condução intraventricular e bloqueio atrioventricular 1 ou 2 graus, deve-se ter muito cuidado e atenção à indicação de qualquer medicamento.

Isso ocorre pelo fato de que, ao bloquear um ataque de um tipo de bloqueio, você pode ativar o motivo do desenvolvimento de outro tipo de patologia. Esses pacientes devem estar sob a supervisão constante de especialistas e realizar periodicamente um exame eletrocardiográfico.

Se houver uma ameaça de desenvolver um bloqueio focal atrioventricular, o paciente é imediatamente hospitalizado e um método como o cateterismo é prescrito.

Cuide-se e seja saudável!

As vias do órgão principal do sistema circulatório incluem os seguintes departamentos: o centro sintrial na área do átrio direito, os tecidos atriais, o centro atrioventricular na junção dos átrios e ventrículos do coração, o feixe de Seus ramos direito e esquerdo, a área distante, são os ramos do feixe de Purkinje.

O caminho contribui para a origem e passagem do sinal contrátil através do coração, para que ele execute ações contráteis. Essa atividade contribui para o bombeamento de sangue dentro das câmaras e o envio para os vasos sanguíneos. Às vezes, há uma violação da condução intraventricular do coração. O que é isso Esta é a passagem suspensa do pulso através dos canais de fio ou sua completa ausência. Como resultado de tais fenômenos, a arritmia se desenvolve.

A escolha do efeito terapêutico depende da causa de distúrbios de condução no interior dos ventrículos. Por exemplo, com miocardite, geralmente são prescritos medicamentos antibacterianos, além de glicocorticosteróides. Se o problema for disfunção tireoidiana, um endocrinologista deve estar envolvido no tratamento.

Na ausência de doenças cardíacas, será útil prescrever complexos vitamínicos que fortaleçam o músculo cardíaco, medicamentos para melhorar a nutrição dos órgãos. Se for observada condutividade reduzida, não há distúrbios orgânicos, o tratamento não é realizado.

Pesquisa sobre gravidez

O bloqueio permanente do feixe único da perna direita e os ramos individuais da perna esquerda em pessoas sem patologia cardíaca não afetam a saúde e a expectativa de vida.

O prognóstico para a primeira ocorrência de distúrbios de condução resultantes de danos orgânicos ao coração depende da gravidade da doença subjacente.

Existem opiniões diferentes sobre o grau de influência do bloqueio da perna esquerda nas taxas de mortalidade. Alguns pesquisadores não consideram os bloqueios de feixe único e duplo como fatores de risco que reduzem a sobrevida do paciente. Segundo outras fontes, uma forma de patologia constante ou recorrente pode aumentar em 5 vezes a probabilidade de morte por complicações cardíacas.

O desenvolvimento do bloqueio da perna esquerda no período agudo do infarto do miocárdio piora significativamente o prognóstico: a taxa de mortalidade aumenta e é de 40 a 50%.

O prognóstico mais desfavorável é o bloqueio trifascicular devido ao alto risco de desenvolver assistolia.

Se a patologia for detectada na criança, na maioria das vezes isso indica malformações ou violações congênitas no contexto da hereditariedade. Com uma violação parcial, o pânico não vale a pena, pois mais frequentemente aparece dentro dos limites normais. Não há outras características específicas da patologia em crianças e adolescentes.

Os sintomas pelos quais uma patologia em uma criança pode ser identificada são os seguintes:

  • Comprometimento da memória
  • Desatenção.
  • A ocorrência de falta de ar.
  • Deterioração no desempenho escolar.
  • Dor no peito.
  • Mal-estar geral.
  • Fadiga com baixo esforço físico.

A escolha da terapia, como nos adultos, depende diretamente dos motivos que provocaram essa condição.

A primeira etapa não precisa de tratamento, mas a criança é levada sob supervisão médica. No segundo caso, os medicamentos são prescritos e um grau mais avançado requer intervenção cirúrgica, ou seja, implante de um ECS, marca-passo artificial.

Em nenhum caso deve-se deixar a manifestação de sinais sem atenção; um bloqueio extenso pode causar a morte.

Uma doença semelhante pode se manifestar em uma mulher durante a gravidez. Muitas vezes, os sintomas não são claros, mas se houver uma fraqueza irracional, tontura, falta de ar, humor instável, você deverá consultar um médico sem falhas.

Antes de prescrever medidas terapêuticas, é necessário um exame completo para fazer um diagnóstico preciso. Para começar, uma mulher é enviada para um ECG.

Com a condução pelo coração parcialmente prejudicada, o prognóstico é favorável. Se houver bloqueio completo de qualquer parte do músculo cardíaco, o prognóstico é ruim, pois pode levar a complicações - parada cardíaca e morte súbita, fibrilação ventricular e complicações tromboembólicas, como embolia pulmonar e acidente vascular cerebral isquêmico.

Caso o bloqueio das pernas do feixe de His seja assintomático, o prognóstico é mais frequentemente favorável. Esses pacientes não precisam se submeter a medidas de tratamento. É importante apenas observar a dinâmica das mudanças no cardiologist. Isso ajudará a identificar lesões orgânicas em tempo hábil.

Se ocorrerem bloqueios em um contexto de patologia orgânica, o prognóstico dependerá diretamente da gravidade da doença subjacente. De qualquer forma, é importante monitorar sua saúde e não evitar médicos. Portanto, a triagem é extremamente importante. Mesmo o bloqueio assintomático é muito fácil de detectar ao realizar um estudo de ECG.

Note-se que os bloqueios são um dos fatores prognósticos no curso das principais doenças. Portanto, você precisa destacar os seguintes pontos:

  1. O bloqueio da perna esquerda aumenta a mortalidade de patologias cardíacas em 5 vezes.
  2. No caso de bloqueios ocorrerem no contexto de infarto do miocárdio, isso indica uma grande área de necrose. Nesse caso, a mortalidade pode chegar a 50%.
  3. O bloqueio da perna direita não é considerado fator de risco para patologias cardíacas.

De qualquer forma, qualquer doença é mais fácil prevenir do que tratar. Como já mencionado, os distúrbios de condução por si só não prejudicam uma pessoa saudável. Portanto, para impedir o desenvolvimento de patologias graves, é importante monitorar-se cuidadosamente. Eliminar maus hábitos, não levar um estilo de vida sedentário e também seguir uma dieta. Tudo isso ajudará a prevenir doenças que podem levar ao aparecimento de bloqueios por conduzir um impulso aos ventrículos.

Violação da condução intraventricular do coração - o que é? Se durante a conduta do exame do paciente com queixas de dores no músculo cardíaco for detectada esta doença, que é claramente visível no ECG (eletrocardiograma), então o paciente está progredindo para bloqueio de 2 ou 3 graus.

Tipos de doença

A interrupção da condução ventricular é muito perigosa. É dividido em duas subespécies principais:

  1. 1.
    Um impulso não passa por uma área específica do músculo cardíaco. Isso causa um bloqueio que ameaça a vida do paciente.
  2. 2.
    O impulso se move na direção certa, mas passa com um certo atraso. Diminuir a velocidade causa um bloqueio incompleto do coração.

Tais bloqueios completos ou parciais aparecem nas chamadas pernas do feixe de His.

Se ocorrer uma violação local da condução intraventricular no lado direito do feixe de His, o ritmo da contração normal do ventrículo direito é interrompido. Se isso ocorre ao longo da perna esquerda do feixe de His, o ventrículo esquerdo sofre o mesmo. Junto com isso, pode haver vários tipos de lesões com condução de impulso intraventricular. Eles são os seguintes:

  1. 1.
    Lesões locais fracas.
  2. 2.
    Bloqueio completo do ventrículo esquerdo, característico de infarto agudo do miocárdio.
  3. 3.
    Lesões inespecíficas com bloqueio de impulsos intraventriculares.

Todos eles têm suas próprias especificidades de diagnóstico e tratamento e, para algumas formas de doenças desse tipo, o processo de tratamento não é realizado.

09 e1469635436428 - desaceleração local da condução intraventricular

Causas da doença

As causas do aparecimento da doença podem ser completamente diferentes. Os seguintes são considerados os principais:

  1. 1.
    Em uma pessoa absolutamente saudável, ocorrem comparativamente distúrbios locais da condução intraventricular na perna direita do chamado feixe de His.
  2. 2.
    Se a criança tem uma janela oval aberta no músculo cardíaco, isso pode levar a distúrbios locais da condução intraventricular do coração em crianças.
  3. 3.
    É possível bloquear completamente qualquer uma das pernas do pacote Dele. Isso pode ocorrer devido à ocorrência de doenças do músculo cardíaco, como hipertrofia do miocárdio (espessamento e proliferação do coração) durante o desenvolvimento de defeitos valvares nas válvulas, infarto agudo do miocárdio no músculo cardíaco, doença cardíaca coronária. Os mesmos problemas podem ocorrer durante doenças dos brônquios e pulmões, por exemplo, com bronquite obstrutiva, bronquiectasia, durante o desenvolvimento da asma brônquica. Os médicos encontram fenômenos semelhantes durante o aparecimento de miocardite, cardiomiopatia, cardiosclerose pós-infarto.
  4. 4.
    Em alguns casos, é possível uma violação não específica da condução intraventricular, que ocorre devido à operação inadequada e descoordenada de um ou mais sistemas do músculo cardíaco. Geralmente, isso pode causar uma desaceleração das contrações cardíacas com bloqueio incompleto e, em caso de falha completa do impulso de controle, é possível uma parada prática do miocárdio. Tais violações ocorrem devido ao aparecimento do profeta do coração, à formação de cicatrizes ou cicatrizes nele e à divisão nos próprios ventrículos. Na maioria das vezes isso ocorre devido a processos inflamatórios ou exposição orgânica. Também pode resultar do uso inadequado de certos medicamentos.

5521 - Diminuição local da condução intraventricular

Sintomas principais

Os sinais do desenvolvimento de uma lesão com não passagem parcial ou completa dos impulsos de controle ao longo do músculo cardíaco são os seguintes:

  1. 1.
    Com a condução parcialmente prejudicada, a maioria das pessoas quase não sente nada, uma vez que, em muitos casos, essa condição não se manifesta clinicamente.
  2. 2.
    Se uma pessoa tem um bloqueio completo da passagem de um impulso nas pernas do feixe de His, então sinais como ternura no peito, raros impulsos aparecem, é possível uma completa perda de consciência.
  3. 3.
    Ao examinar um paciente que se queixa de dor súbita e fortemente pressionada atrás do esterno, uma fraqueza aguda e irracional, o aparecimento de suor frio, um bloqueio completo do ventrículo esquerdo geralmente é detectado no eletrocardiograma. Isso permite determinar o desenvolvimento de infarto agudo do miocárdio, que geralmente é disfarçado de obstrução por impulso. O paciente tem um pulso raro, muitas vezes fica doente. É muito difícil determinar a presença de um ataque cardíaco em uma pessoa a partir de um eletrocardiograma pela primeira vez; portanto, se houver suspeita dessa lesão, os pacientes são urgentemente hospitalizados.

2 3 2 - Diminuição local da condução intraventricular

Sintomas em casos não específicos da doença

Com essa violação da passagem dos pulsos, na maioria das vezes não há sinais da doença, uma vez que as mudanças no eletrocardiograma são tão pequenas que é muito difícil diferenciá-las. Mas ainda existem alguns sinais, tendo notado quais, é urgente levar o paciente ao médico. Normalmente, um paciente tem uma doença da seguinte maneira:

  1. 1.
    Uma pessoa reclama de um giro de cabeça bastante frequente.
  2. 2.
    O paciente tem uma falta de ar notável, que não desaparece mesmo se estiver em repouso.
  3. 3.
    Muitas vezes, um paciente com uma passagem de impulso inespecífica reclama de um resfriado incompreensível na região do músculo cardíaco.
  4. 4.
    Essa pessoa se cansa em um período de tempo bastante curto e não tem força suficiente para terminar o trabalho.
  5. 5.
    Se você medir o pulso de um paciente, acontece que ele diminuiu bastante a velocidade.
  6. 6.
    Uma pessoa começa a reclamar de comprometimento da memória. Ele não consegue se lembrar muito, às vezes até o que fez recentemente.
  7. 7.
    Durante o dia, o paciente pode sofrer várias alterações de humor.
  8. 8.
    Uma pessoa doente sofre de um sentimento incompreensível de medo. Ele tem pensamentos perturbadores para os quais não existem pré-requisitos. Geralmente, o paciente reclama com a família sobre o medo da morte, que o assombra mesmo em um sonho.
  9. 9.
    O comprometimento inespecífico da condução de impulso nos ventrículos do músculo cardíaco pode de repente se manifestar como uma pessoa caindo em uma superfície completamente plana.

1 111 1 - Diminuição local da condução intraventricular

Se o paciente tiver pelo menos um desses sintomas, é urgente chamar um médico, pois pode ser necessária hospitalização.

Diagnóstico de patologia

Se uma pessoa apresentar sintomas dessas doenças, um exame urgente por um cardiologista ou arritmologista é necessário. Após exame externo preliminar, registro das queixas do paciente, eles encaminharão o paciente a exames laboratoriais para fins de diagnóstico. Os seguintes tipos de verificações e testes são geralmente atribuídos:

  1. 1.
    Os eletrocardiogramas são monitorados pelo método Holter. É necessário para detectar a transmissão por impulso por 24 horas.
  2. 2.
    O paciente deve ser submetido a exames especiais com os resultados registrados em um eletrocardiograma. Para esses fins, use bicicletas ergométricas, teste em esteira. O paciente pode caminhar em uma esteira ou pedalar em uma bicicleta em pé, e eletrodos de um eletrocardiograma serão colocados nele neste momento. Isso permite que você estabeleça a relação exata entre a condutividade prejudicada e a carga do paciente.
  3. 3.
    Na etapa seguinte, é realizado um exame do músculo cardíaco, utilizando equipamento de ultrassom, que pode revelar uma patologia na estrutura do coração, avaliar o desempenho do miocárdio.

1 2 2 - Diminuição local da condução intraventricular

  1. 1.
    Complexos vitamínicos e minerais.
  2. 2.
    medicamentos que melhoram significativamente a nutrição do coração com sangue, por exemplo, ATP, Preductal e outros.

Se o paciente for diagnosticado com um bloqueio completo dos ventrículos devido ao impulso que não passa, então um marcapasso pode ser necessário; caso contrário, bradicardia ocorre no músculo cardíaco, o que pode levar a complicações e até a morte.

Com o comprometimento não específico da passagem dos impulsos, nenhuma droga geralmente ajuda. Portanto, os médicos prescrevem uma dieta especial para os pacientes e um longo descanso. Isso inibe processos negativos, o que permite prolongar a vida do paciente

Se uma lesão não específica não for tratada, a doença progride rapidamente e isso pode causar as seguintes consequências:

  1. 1.
    Morte súbita (com bloqueio completo).
  2. 2.
    O desenvolvimento de insuficiência cardíaca.
  3. 3.
    O aparecimento de outras doenças graves.
  4. 4.
    Diminuição da circulação sanguínea no cérebro. Nesse caso, um derrame se desenvolve.
  5. 5.
    Pode ser necessária cirurgia.
  6. 6.
    Os trombos começam a se formar em grandes quantidades nos vasos.

Se a doença for detectada a tempo, quando uma pessoa mudar para um estilo de vida saudável (dieta, parar de fumar, interromper o uso de álcool, medicamentos às vezes podem ser necessários), o desenvolvimento da doença poderá ser interrompido.

Com comprometimento parcial da passagem dos pulsos, o prognóstico é mais frequentemente favorável.

Com bloqueio completo em qualquer parte ou em todo o músculo cardíaco, uma parada cardíaca súbita pode ocorrer com um resultado fatal. Em alguns casos, ocorre fibrilação ventricular. Portanto, o prognóstico é desfavorável.

Violação de condução ao longo do nó atrioventricular

O bloqueio AV de 1 e 2 graus significa que a excitação dos ventrículos dos átrios está atrasada, mas os impulsos ainda atingem os ventrículos. Um bloqueio completo do grau 3 indica que nem um único impulso passa para os ventrículos, e eles se contraem separadamente dos átrios. Esta é uma condição perigosa, uma vez que 17% de todos os casos de morte cardíaca súbita são causados ​​pelo bloqueio do 3º grau.

  • Por via de regra, o bloqueio atrioventricular se desenvolve com defeitos, doença cardíaca coronária, no período agudo do infarto do miocárdio, com miocardite (dano inflamatório do miocárdio), cardiosclerose (substituição do músculo cardíaco normal por tecido cicatricial devido a infarto do miocárdio, miocardite),
  1. O bloqueio de graus 1 e 2 pode não ser sintomático se houver uma ligeira diminuição da frequência cardíaca (50 - 55 por minuto),
  2. Com o bloqueio de grau 3, assim como se for observada bradicardia significativa (menos de 40 por minuto), surgem ataques de Morgagni-Edems-Stokes (ataques MES) - fraqueza súbita, suor frio, desmaios e perda de consciência por vários segundos. São possíveis convulsões devido ao esgotamento do fluxo sanguíneo nos vasos do cérebro. Um ataque requer atendimento de emergência, pois pode causar parada cardíaca completa e morte.

O eletrocardiograma mostra prolapso dos complexos ventriculares a uma taxa de contração atrial normal (o número de ondas P é maior que os complexos QRS)

Conduzir a excitação no coração pode não só ser mais lento, como também acelerado. Isto é devido ao funcionamento de vias adicionais para conduzir um impulso, para uma dada patologia de feixes de Kent através de uma junção atrioventricular. Como resultado, a excitação é transmitida aos ventrículos muito mais rapidamente do que o normal, levando-os a contrair com mais frequência e, além disso, os impulsos se movem na direção oposta aos átrios, provocando taquicardia supraventricular.

No ECG, a seta indica um sintoma característico da síndrome ERW - a onda "delta" no início do complexo ventricular

destaque

ERW - uma síndrome é uma doença congênita, pois as vias adicionais normais no feto são fechadas após 20 semanas de gravidez. No caso da síndrome ERW, eles permanecem funcionando. A ocorrência desta patologia pode ser influenciada por uma predisposição genética, fatores negativos que atuam sobre o feto (radiação, uso de drogas, álcool, drogas tóxicas, gestantes).

Os sintomas

A síndrome pode se manifestar na infância e na idade adulta, ou pode nem aparecer, sendo então diagnosticada apenas pelo ECG. Os sinais de taquicardia sinusal ou fibrilação atrial são característicos - aumento da freqüência cardíaca de mais de 200 por minuto, dor no peito, falta de ar, sensação de falta de ar. Em casos muito raros, é possível desenvolver arritmias com risco de vida - fibrilação ventricular.

É uma forma peculiar de síndrome ERW, apenas os feixes de James entre os átrios e a parte inferior do nó atrioventricular atuam como caminhos anormais. Também uma característica inata. Se for diagnosticado apenas por ECG, não acompanhado de sintomas, então eles falam sobre o fenômeno do PQ encurtado, e se for acompanhado por sinais de taquicardia, então sobre a síndrome do PQ encurtado. Diferenças entre as síndromes ERW e PQ nos sinais de ECG.

Mais frequentemente, antes do início de um ataque, os pacientes apresentam sintomas prodrômicos:

  • observe ansiedade, excitação;
  • aumento de tontura;
  • barulho na cabeça;
  • aparece dormência nos braços e pernas.

Esses sinais também são chamados de forma leve, se o desenvolvimento posterior dos sintomas parar.

Além disso, as manifestações são agravadas:

  • perda de consciência;
  • é possível uma queda repentina de uma pessoa que anda;
  • a tez da pele muda - da vermelhidão à palidez com uma tonalidade azulada;
  • movimentos respiratórios tornam-se raros e profundos;
  • pupilas dilatadas;
  • nos braços e artérias carótidas é impossível determinar a pulsação.

Curso grave é caracterizado pelo aparecimento de:

  • cãibras na forma de espasmos dos músculos faciais faciais ou contrações agudas dos membros, músculos nas costas;
  • descarga involuntária de urina e fezes.

As crises com a clínica descrita afetam até 60% dos pacientes com bloqueio atrioventricular completo

A frequência de sua aparência varia significativamente em diferentes pacientes, dependendo da eficácia do tratamento.

(disfunção do nó sinusal, Arrest-2-sinus) Esta patologia está muito próxima do bloqueio sinoauricular, mas difere porque as células P que produzem um ritmo sinusal, ao invés das células T, sofrem. Nesse caso, é frequente a bradicardia, de aumento constante e resistente aos vagolíticos (atropina e seus análogos). Então, conforme a fraqueza do nó sinusal aumenta, os focos heterotrópicos nos átrios tornam-se excitados - ocorrem distúrbios do ritmo paroxístico:

alina foto supermini - desaceleração local da condução intraventricular

taquicardia paroxística ou fibrilação atrial e flutter. Ao sair da taquicardia, o período de sístole ocorre em poucos segundos, e então a bradicardia sinusal reaparece. Este quadro patológico está associado a uma lesão orgânica do nó sinusal (dano às células P), cansa o paciente, o atraso prolongado pode levar ao seu óbito. A síndrome de Arrest-2-sinus é uma indicação para estimulação elétrica constante - intervenção cirúrgica.

Anatomia

Na junção da veia cava superior com o átrio direito existe um grupo de células que gera o impulso elétrico inicial de cada batimento cardíaco normal - o nó sinusal (SU). O impulso elétrico dessas células marca-passo se espalha para as células vizinhas, o que leva à estimulação das câmaras cardíacas em uma sequência ordenada.

Os impulsos se propagam dentro do átrio para a junção atrioventricular (AB) através da condução preferida dos tratos intersticiais atriais e miócitos não especializados. O tempo de atraso da AV afeta a freqüência cardíaca e é modulado pelo tônus ​​autonômico e pelas catecolaminas que circulam na corrente sanguínea para maximizar o desempenho cardíaco a qualquer momento.

Os átrios são eletricamente isolados dos ventrículos pelo anel fibroso em todos os lugares, exceto no septo anterior. Existe um feixe de His (continuação do nó AV), que entra no septo interventricular, onde bifurca-se em feixes esquerdo e direito.

Tipos de bloqueio ventricular

De acordo com a classificação de VL Doshchitsin, todos os distúrbios da condução intraventricular são divididos em:

  • mono-, bi e trifascicular, dependendo da derrota de um, dois ou três feixes;
  • focal: o dano local não é confirmado em todas as derivações de ECG;
  • arborização: localizada na parte final das fibras de Purkinje;
  • transitório: mudanças alternadas com condutividade adequada;
  • persistente
  • completo e incompleto;
  • alternando: um ou outro tipo de bloqueio é revelado.

O processo patológico pode causar um bloqueio de impulso em qualquer nível.

Dependendo do local de interrupção do pulso, os bloqueios são diferenciados:

  • monofascicular (feixe único): o bloco da frente ou de trás esquerdo, apenas a perna direita de His;
  • bifascicular (dois feixes): é possível em duas versões como one-s>438 02 - desaceleração local da condução intraventricular

Uma variedade de bloqueios é refletida na decodificação do eletrocardiograma. A condução de um impulso a partir dos nós supraventriculares do coração diminui ou é completamente interrompida. Isso viola a sequência de excitação dos ventrículos, afeta os processos bioquímicos no miocárdio, a utilidade do débito cardíaco.

As causas dos diferentes tipos de bloqueios diferem entre si, causando mudanças desiguais. Considere como uma violação da condução intraventricular é formada em doenças do miocárdio.

A condução da excitação nervosa é uma das funções únicas do coração. Ele fornece uma transmissão seqüencial de momento do nó principal para os átrios e ventrículos. Para isso, células especiais conectadas nos ramos passam dentro do septo interventricular. Pelo nome do descobridor, eles são chamados cachos ou pernas dele.

As terminações na parte inferior de ambos os ventrículos e o ápice do coração formam uma fina rede de fibras de Purkinje.

Qualquer violação da condução intraventricular implica uma interrupção mais ou menos pronunciada do método de transmissão de pulso. Tais mudanças são chamadas de bloqueios. Eles são funcionais ou orgânicos por natureza. Na maioria das vezes, a obstrução do trato ventricular reflete o grau de dano ao músculo cardíaco por um processo patológico.

O bloqueio intraventricular em si não é prejudicial à função cardíaca. Mas eles complicam seriamente a doença subjacente, afetam outras funções e prognóstico do miocárdio.

Os distúrbios da condução intraventricular não apresentam sintomas clínicos típicos, são detectados durante um estudo de ECG de controle.

A condução da excitação nervosa é uma das funções únicas do coração. Ele fornece uma transmissão seqüencial de momento do nó principal para os átrios e ventrículos. Para isso, células especiais conectadas nos ramos passam dentro do septo interventricular. Pelo nome do descobridor, eles são chamados cachos ou pernas dele.

A condução prejudicada dentro dos ventrículos pode ser detectada em crianças e adultos. Entre as patologias detectadas pela eletrocardiografia, a proporção de bloqueio intraventricular é de até 2,4%. É observado um aumento na taxa de detecção em pacientes idosos.

Por prevalência na população:

  • em primeiro lugar, há um bloqueio na perna esquerda (ramo anteroposterior);
  • no segundo - a perna direita.

A condução prejudicada no feixe inferior posterior é rara.

Este tipo inclui bloqueio completo ou incompleto das pernas do feixe de His. Se houver uma violação da condução ventricular ao longo da perna direita do feixe de His, a contração do ventrículo direito sofre, se à esquerda, respectivamente, à esquerda.

  • Pode ocorrer bloqueio incompleto da perna direita em pessoas saudáveis,
  • Nas crianças, uma janela oval aberta no coração pode levar a distúrbios locais da condução intraventricular
  • O bloqueio completo de qualquer uma das pernas indica doenças cardíacas, por exemplo, hipertrofia miocárdica (crescimento e espessamento) com defeitos valvares, doença coronariana, infarto agudo do miocárdio, hipertrofia miocárdica em doenças broncopulmonares (bronquite obstrutiva, asma brônquica, bronquiectasia), miocardite, cardiosclerose, cardiomiopatia.

tipos de bloqueio intraventricular - distúrbios de condução ao longo das pernas do feixe de His

  1. O distúrbio de condução parcial pode não se manifestar clinicamente,
  2. O bloqueio completo é caracterizado por sinais como pulso raro, dor no peito, perda de consciência,
  3. Se um paciente repentinamente sentir dor intensa por trás do esterno, uma fraqueza acentuada, suor frio, sensação de tontura, pulso raro e um bloqueio esquerdo completo for revelado no ECG, provavelmente um infarto agudo do miocárdio "mascarado" no O ECG por trás do bloco será desenvolvido. É devido à incapacidade de determinar um ataque cardíaco em um único ECG com tais queixas, é necessária hospitalização urgente em um hospital.

Perturbação inespecífica da condução intraventricular
- Este é um bloqueio de impulso nas áreas mais remotas do músculo cardíaco - nas fibras de Purkinje. As causas são as mesmas doenças do bloqueio do feixe de His, os sinais no ECG são mínimos e os sintomas clínicos não ocorrem.

ECG - complexos ventriculares deformados

Portanto, na maioria dos casos, o diagnóstico de “distúrbio da condução intraventricular” em pessoas relativamente saudáveis ​​é uma variante da norma e é devido ao bloqueio incompleto da perna direita do feixe de His.

Os tipos de violações são divididos dependendo do local de ocorrência dos bloqueios:

  • focal - o dano nem sempre é visível no ECG;
  • a arborização é formada nas extremidades das fibras de Purkinje;
  • focal - nem sempre detectado pelo ECG;
  • transiente - há uma alternância de mudanças de condutividade;
  • persistente
  • completa.

Com o bloqueio completo, a contração muscular não ocorre, existe uma completa ausência de um impulso nervoso. Isso geralmente leva a parada cardíaca e morte.

438 03 - desaceleração local da condução intraventricular

Incompleto - há uma desaceleração na passagem e diminuição na frequência do impulso para o músculo cardíaco. Com esse problema, a função de uma parte individual do coração fica prejudicada. Este tipo de violação não é mortal.

Sintomas alternados de um ou outro bloqueio - a patologia causa o bloqueio dos impulsos em qualquer parte do coração.

Dependendo do local da ocorrência, os bloqueios são divididos em vários tipos:

  • monofascicular (feixe único): a frente esquerda ou a traseira estão bloqueadas, apenas o ramo direito;
  • bifascicular (dois feixes): o ramo esquerdo está bloqueado ou o ramo direito com o ramo frontal esquerdo. Parte traseira esquerda com direita;
  • trifascicular (três feixes).

E também é freqüentemente encontrada uma violação inespecífica da condução intraventricular, na qual o funcionamento normal do coração é impossível.

Há uma probabilidade de distúrbios focais. O comprometimento não específico é chamado de bloqueio de impulso na parte mais remota do miocárdio.

O motivo é a mesma doença do bloqueio, os valores de ECG são insignificantes e os sintomas clínicos não aparecem.

O bloqueio intraventricular por si só não causa danos graves, no entanto, implica uma complicação da doença subjacente, produz um efeito negativo em outros processos do músculo cardíaco.

O conceito de bloqueio implica violações da patência de impulso normal através do sistema muscular do coração. Mas uma violação não significa a completa ausência de um impulso nervoso. Pode ser simplesmente uma desaceleração do momento, o que levará a uma desaceleração parcial da freqüência cardíaca em crianças, mulheres grávidas e adultos. Existem sinais da doença, que são acompanhados por uma falta de condução nervosa, levando à parada cardíaca completa.

As patologias intracardíacas são acompanhadas por bloqueio intraventricular de várias formas de abdução. E se não houver impulso, isso é uma violação completa da condutividade. Quando o impulso interventricular é mais lento, é chamado de patologia local incompleta (PNPH).

As violações são divididas pela frequência da lesão: bloqueio intraventricular do ventrículo esquerdo proximal e distal, bpn.

A violação da condução intraventricular do coração ocorre se o tempo mudar patologicamente, durante o qual o impulso elétrico do nó sinoatrial deve passar pelo sistema cardíaco condutor e atingir o miocárdio ventricular. A condução atrioventricular e sua qualidade desempenham um papel importante na atividade do coração, portanto, qualquer uma de suas violações acarreta várias doenças e complicações.

Obviamente, uma pessoa se pergunta sobre a causa da violação da condução intraventricular. O que poderia ser? Existem vários pré-requisitos para o desenvolvimento da patologia:

  1. Alterações no sistema cardiovascular, não acompanhadas de desvios orgânicos.
  2. Doenças transmitidas pelo paciente, como malformações congênitas, isquemia, miocardite, cardiomiopatia.
  3. O efeito da operação nos vasos do coração.
  4. O impacto negativo das drogas, efeitos colaterais.

Quando a exacerbação da situação, por exemplo, a ocorrência de infarto do miocárdio, sonda prontamente injetada. A princípio, o tratamento é reduzido para eliminar a causa da doença e só então começa o trabalho para aliviar os sintomas.

Características do bloqueio da perna direita com o ramo traseiro esquerdo

O mecanismo de perturbação da condução: no caso de um bloqueio completo do ramo direito do feixe, o ventrículo direito e a metade adjacente do septo ventricular ficam excitados de outra maneira. A onda de despolarização celular passa aqui do lado esquerdo do septo interventricular, do outro ventrículo. Eles são excitados primeiro e as fibras transmitem lentamente impulsos para o ventrículo direito.

O bloqueio incompleto se distingue pela maneira correta de transmissão, mas pela velocidade lenta do pulso.

As causas do bloqueio completo são principalmente doenças acompanhadas de sobrecarga do ventrículo direito:

  • doenças pulmonares crônicas com formação de “coração pulmonar”;
  • malformações congênitas, falha valvar em crianças;
  • dos defeitos adquiridos, a estenose mitral é importante, criando aumento da pressão na circulação pulmonar;
  • doença isquêmica crônica, combinada com hipertensão arterial;
  • infarto do miocárdio da região diafragmática e apical posterior, a detecção de patologia é considerada um indicador da alta prevalência da zona de necrose e isquemia.

O ventrículo direito sobrecarregado radiologicamente é visto pela expansão dos contornos no canto superior direito

Com um coração saudável, esse tipo de bloqueio é raro.

Os motivos do bloqueio incompleto devem ser acrescentados:

  • miocardite (cardiopatia reumática, consequências de doenças virais infecciosas em uma criança);
  • cardiosclerose difusa e focal;
  • espessamento do ventrículo esquerdo com hipertensão;
  • intoxicação por drogas (derivados da digital, quin>438 05 - desaceleração local da condução intraventricular

Nestes casos, a condução tardia indica hipertrofia ventricular. Possível como uma variante da norma em atletas.

O mecanismo de perturbação da condução: sempre existem obstáculos para a excitação ao longo das paredes frontal e lateral do ventrículo esquerdo. Primeiro, o impulso passa pelo ramo posterior esquerdo, ativa o septo interventricular e o fundo da parede posterior. Então, através das fibras de Purkinje, uma onda de excitação direcionada de baixo para cima vai para a parte anterolateral do ventrículo esquerdo.

As razões são a patologia das câmaras esquerdas do coração:

  • infarto do miocárdio da parede anterior ou lateral;
  • cardiosclerose focal;
  • hipertensão;
  • não fechamento do septo atrial;
  • malformações aórticas;
  • insuficiência de cúspides da válvula mitral;
  • miocardite;
  • cardiomiopatia hipertrófica;
  • distrofia miocárdica com alterações metabólicas.

O mecanismo de perturbação da condução: a entrega de impulsos é inibida na parte inferior posterior do ventrículo esquerdo. A excitação vai ao longo do feixe anterior esquerdo para o miocárdio da região anterolateral, através das fibras de Purkinje que se espalham para as seções posterior e inferior. O miocárdio é ativado ao longo da parede frontal de cima para baixo.

Esse tipo de bloqueio raramente é isolado, mais comum com o bloqueio do bloqueio do ramo direito.

Causas - mudanças focais no ventrículo esquerdo da parede posterior com:

  • infarto do miocárdio diafragmático posterior;
  • cardiosclerosis;
  • miocardite;
  • cardiomiopatias;
  • calcificação idiopática do sistema condutor.

Quadro de ECG para infarto do miocárdio com bloqueio da perna esquerda

O mecanismo de perturbação da condução: o bloco do tronco comum da perna esquerda deve ser localizado antes de se ramificar nos ramos dianteiro e traseiro ou, ao mesmo tempo, bloquear o fluxo de pulsos ao longo dos dois ramos. O ventrículo direito é excitado da maneira usual, depois que a onda é transmitida através das células contráteis para o ventrículo esquerdo da direita para a esquerda. No caso de um bloqueio incompleto, alguns pulsos, embora lentamente, “rompem” ao longo da perna esquerda.

As razões para a ocorrência desse tipo de distúrbio de condução devem ser procuradas em um dano muito extenso ao ventrículo esquerdo com:

  • infarto agudo do miocárdio transmural;
  • cardiosclerose difusa;
  • malformações aórticas e coarctação;
  • curso maligno da hipertensão arterial.

O mecanismo de distúrbio de condução: o obstáculo está localizado simultaneamente na perna direita e no feixe frontal esquerdo (ramo). A primeira, pelo ramo posterior esquerdo intacto, excita a parede posterior e a parte inferior do ventrículo esquerdo, ao longo das vias anastomóticas - frontal e lateral. Com grande atraso, de forma indireta, os impulsos chegam ao ventrículo direito. Esta é a variante mais comum dos distúrbios intraventriculares na disseminação da excitação.

  • doença isquêmica crônica;
  • infarto agudo do miocárdio generalizado com apreensão do septo interventricular;
  • defeitos cardíacos;
  • lesões escleróticas difusas, inflamatórias e degenerativas dos ventrículos na doença de Lenegra (degeneração, calcificação e esclerose do sistema de condução no interior dos ventrículos), doença de Levy (crescimento fibroso no septo interventricular).

O mecanismo de perturbação da condução: através do ramo anterior intacto esquerdo, a excitação entra nas paredes frontal e lateral do ventrículo esquerdo e, em seguida, ao longo das anastomoses, cobre suas seções posterior e inferior. Por fim, os impulsos atingem o ventrículo direito.

As causas não diferem das lesões profundas e generalizadas da parede do ventrículo esquerdo descritas acima. Os sinais de ECG combinam alterações nas derivações torácicas durante o bloqueio da perna direita com um desvio do eixo elétrico do lado direito.

De acordo com a classificação geralmente aceita, todos os blocos do impulso para os ventrículos são divididos da seguinte forma:

  1. Um, dois ou três feixes. Isso é determinado pelo número de feixes envolvidos na condução incorreta dos pulsos.
  2. Local A violação da condução não é observada em todas as derivações durante o exame de ECG.
  3. Transição A condução inadequada do impulso alterna com a normal.
  4. Arborização O bloqueio por impulso ocorre nas fibras de Purkinje. Mais precisamente, nas seções inferiores.
  5. Bloqueios completos.
  6. Bloqueios incompletos.
  7. Bloqueios alternados. Ao realizar pesquisas, uma ou outra opção é revelada.

Uma das funções que o coração desempenha é sua capacidade de realizar estimulação nervosa. Devido a isso, os impulsos entram nos átrios e ventrículos do coração.

Para isso, existe uma massa de células dentro do coração que são conectadas em ramos - feixes ou pernas de His. Em caso de violação da condutividade, o pulso é parcialmente transmitido ou deixa de passar completamente. Nesse caso, o paciente desenvolve um bloqueio.

O estado do bloqueio implica uma desaceleração na velocidade dos impulsos em todas as partes do coração. O tratamento da doença depende diretamente da causa que causou a patologia.

O tratamento em crianças com disfunções na condução cardíaca dependerá, como em adultos, da causa da doença. Os primeiros graus de bloqueio requerem observação dinâmica sem tratamento. No segundo grau, medicamentos de suporte podem ser recomendados; a configuração de um marcapasso é ocasionalmente recomendada. Com bloqueio grau 3, a criança deve ser submetida a cirurgia para implante de EX - marca-passo artificial. Às vezes, em crianças, há casos de recuperação total espontânea à medida que crescem.

As mulheres grávidas desenvolvem na maioria das vezes distúrbios de condução funcional, que não requerem medicação e passam espontaneamente. Mas, com distúrbios graves de condução, a mulher tem que tomar medicamentos selecionados por um cardiologista junto com um ginecologista-obstetra, levando em consideração o mínimo de dano ao bebê.

Na maioria das vezes, são recomendadas vitaminas, remédios de ervas e preparações de potássio. A implantação do ECS deve ser oportuna e realizada, se necessário, antes do parto. O parto em mulheres com patologias cardíacas orgânicas e bloqueios AV deve ser planejado apenas por cesariana, para não provocar sérias avarias nos ritmos do coração.

Medidas preventivas

Não existem medidas preventivas especiais. A única maneira de reduzir o risco de desenvolver distúrbios de condução cardíaca é levar um estilo de vida saudável, prevenir patologias cardíacas avançadas e overdoses de medicamentos, ser examinado regularmente por um terapeuta e cardiologista se houver indicações apropriadas.

Para prescrever o tratamento de bloqueios, é necessário determinar sua causa principal. Para diferenciar lesões orgânicas do aumento da influência do nervo vago, em casos leves, é realizado um teste de atropina.

A administração subcutânea de uma pequena dose de Atropina pode remover o efeito do sistema nervoso parassimpático. Se a imagem do ECG for restaurada durante o controle, recomenda-se ao paciente o uso de preparações à base de beladona (velas no reto, Zelenin cai no interior, Bellaspon ou Bellataminal) inconstantemente.

A detecção de miocardite, os efeitos de alterações metabólicas, interrupções hormonais, isquemia e hipertrofia permitem o uso da terapia de acordo com o princípio patogenético:

  • fármacos anti-inflamatórios (antibióticos, corticosteróides, citostáticos);
  • agentes alcalinizantes;
  • bloqueadores β e bloqueadores dos canais de cálcio;
  • agentes antiplaquetários e trombolíticos;
  • fundos para baixar a pressão arterial;
  • eliminação imediata de doenças cardíacas.

Teofedrina - um análogo da efedrina, é contra-indicada na hipertensão

Quando ocorre um ataque clássico de Morgagni-Edem-Stokes, o paciente precisa de cuidados de emergência, porque a circulação cerebral está em risco. Não há tempo para falar sobre os motivos em qualquer lugar da descoberta. Um adulto é capaz de:

  • deite o paciente em uma superfície dura;
  • infligir punho intenso no esterno;
  • iniciar a realização de eventos de ressuscitação cardiopulmonar no volume máximo acessível (apenas massagem cardíaca ou em combinação com respiração artificial);
  • peça a outras pessoas que liguem para uma ambulância.

Os médicos nesses casos ouvem rapidamente o coração para se certificar de derrames raros fracos e medem a pressão sanguínea.

438 06 - desaceleração local da condução intraventricular

No contexto da contínua massagem e respiração indireta, os fundos que estimulam a atividade cardíaca (solução adrenalina, efedrina) são administrados por via intravenosa através da bolsa Ambu.

Recomenda-se que pacientes ambulatoriais tomem uma dose de manutenção de Isadrin, Alupent.

No caso de convulsões frequentes, é considerada a questão das indicações para a instalação de um marcapasso.

A detecção de anormalidades de condução em uma pessoa com uma doença aguda ou crônica é considerada uma complicação. Esse sintoma requer uma revisão e tratamento contínuo por um período mais longo.

É igualmente importante controlar a forma temporária de bloqueios. Especialmente se a causa deles não for clara

O paciente deve passar por um teste de ECG pelo menos duas vezes por ano.

Fisiologia

Para entender as causas dos distúrbios do ritmo, é necessário ter uma idéia da fisiologia normal do coração.

eletrofisiologia

A passagem de íons pela membrana celular do miócito é regulada por canais iônicos específicos que causam a despolarização e repolarização cíclica da célula, denominada potencial de ação. O potencial de ação de um miócito ativo começa quando a célula é despolarizada de um potencial transmembranar diastólico - 90 mV para 50 mV.

Nesse potencial limiar, os canais rápidos de Na dependentes do potencial se abrem, causando despolarização rápida ao reduzir o gradiente de concentração dos íons Na. Os canais de Na rápidos são inativados e o influxo de Na cessa, mas os canais de íons dependentes da tensão são abertos, o que permite que o Ca entre através dos canais lentos de Ca (despolarização) e o K escape pelos canais K (repolarização).

Primeiramente, esses dois processos são equilibrados e suportam um potencial transmembranar positivo, além de ampliar o platô da fase do potencial de ação. Durante esta fase, o Ca que entra na célula é responsável pela conjugação e contração eletromecânica do miócito. No final, o influxo de Ca cessa e o efluxo K é aumentado, causando uma repolarização rápida das células de volta a 90 mV. Durante a despolarização, a célula é refratária a um evento despolarizante subsequente.

Existem 2 tipos principais de células cardíacas:

  • Células de canal rápido
  • Células do canal lento

Células com canais rápidos (miócitos atriais e ventriculares trabalhando, miócitos do sistema His-Purkinje) possuem alta densidade de canais Na rápidos e seus potenciais de ação são caracterizados por uma pequena ou completa ausência de despolarização diastólica espontânea, uma taxa e despolarização inicial muito rápida refratariedade, coincidindo com repolarização.

Células com canais lentos (nós CA e AV) têm baixa densidade de canais Na rápidos e seus potenciais de ação são caracterizados por despolarização diastólica espontânea mais rápida, taxa de despolarização inicial lenta e perda de refratariedade após a repolarização (e, portanto, têm um longo período refratário e impossibilidade de repetir pulsos em altas frequências).

O nó CA é o marcapasso automático dominante no coração normal. Se o nó da CA não produz pulsos, as células com um automatismo ligeiramente mais baixo (por exemplo, o nó AV) assumem o papel de marcapassos automáticos. A estimulação simpática aumenta a frequência de atividade das células marcapasso, e a estimulação parassimpática diminui.

Ritmo normal

Em repouso, a frequência do ritmo sinusal do coração em adultos é geralmente de 60 a 100 batimentos / min. Um ritmo de frequência mais baixa freqüentemente ocorre em pessoas jovens. Um aumento na frequência do ritmo ocorre com esforço físico, doença ou emoção. Como regra, ocorre uma diminuição diária perceptível da freqüência cardíaca antes do despertar matinal. O ritmo sinusal absolutamente regular (rígido) é patológico e ocorre em pacientes com denervação autonômica (por exemplo, em diabéticos).

A atividade elétrica do coração é apresentada em um ECG, embora a despolarização do local CA, local AV e His-Purkinje não envolva tecido suficiente para ser detectada.

Bloqueio de três feixes

O mecanismo de perturbação da condução: quando incompleto, um impulso elétrico segue dos átrios para os ventrículos ao longo de um dos ramos (menos afetados). Nesse caso, são detectados sinais de bloqueio atrioventricular. O bloqueio completo é caracterizado por um terceiro grau de obstrução atrioventricular e uma fonte alterada de ritmo ventricular.

Os motivos são lesões orgânicas graves do miocárdio já listadas acima.

A forma dos dentes indica o tipo de bloqueio intraventricular

Como a condutividade do ECG é diferente?

Os sinais de condução prejudicada dependem do tipo de bloqueio. Eles diferem em:

  • a direção do eixo elétrico do coração;
  • a forma de complexos ventriculares;
  • colocar no peito e ligações padrão;
  • a largura dos dentes e os intervalos.

Às vezes, alterações nos complexos ventriculares não são consideradas específicas, pois também estão presentes nos casos de coração pulmonar agudo e hiperfunção ventricular direita. O bloqueio transitório simula a extra-sístole ventricular.

O tipo de bloqueio de dois feixes é considerado um precursor do desenvolvimento de uma lesão de três feixes. Na variante de três feixes, a forma dos complexos ventriculares depende da localização da lesão, enquanto a manutenção parcial da condução em um dos ramos se assemelha às variantes dos bloqueios de dois feixes. O quadro de ECG é sobreposto a distúrbios atrioventriculares de gravidade variável.

Ao avaliar as características dos bloqueios para um médico, é importante observar os ECGs anteriores para ter certeza da idade das alterações. O bloqueio intraventricular estável a longo prazo não requer tratamento específico

A detecção inicial de alterações intraventriculares, principalmente em pacientes idosos, requer hospitalização e exame completo para determinar as causas

A isquemia envolve o uso de coronariolíticos e o uso cuidadoso de β-bloqueadores fracos. Se a natureza inflamatória das alterações for detectada, um curso de terapia antibacteriana, medicamentos hormonais é realizado.

É importante resolver oportunamente a questão da adequação da instalação de um marcapasso. Isso é especialmente verdadeiro para casos de bloqueios de dois e três feixes.

Ao avaliar as características dos bloqueios para um médico, é importante observar os ECGs anteriores para ter certeza da idade das alterações.

Violação da condução sinoatrial

438 07 - desaceleração local da condução intraventricular

De outra maneira, isso é chamado de bloqueio sinoatrial. Um impulso elétrico originado no nó sinusal não pode alcançar completamente os átrios, e sua excitação ocorre com um atraso. Frequentemente encontrado em pessoas saudáveis ​​e não requer tratamento ativo, mas também pode ocorrer com doenças orgânicas do tecido cardíaco.

  1. Com distúrbio de condução parcial, raramente ocorrem sintomas,
  2. Com uma violação completa da condução, há uma sensação de interrupções no coração, desconforto no peito, tonturas devido a uma deterioração do suprimento sanguíneo para o cérebro devido a raras contrações cardíacas,
  3. O pulso fica raro - menos de 50 por minuto.

ECG para bloqueio sinoatrial - prolapso dos átrios e ventrículos (complexo PQRS)

Classificação

O músculo cardíaco humano possui 4 câmeras, vários departamentos, são responsáveis ​​pela transmissão de impulsos. O bloqueio pode atingir um dos departamentos ou vários ao mesmo tempo. Os distúrbios locais são diferenciados por nós e caminhos.

Alguns tipos de bloqueio são destacados:

  1. Sinoatrial. Aparece no nó correspondente do átrio direito. O impulso não é capaz de passar devido a uma pequena força ou porque o átrio não pode aceitá-lo. Esse bloqueio tem três graus:
    • Há um atraso na condutividade do pulso.
    • É determinado pela frequência de deterioração.
    • O último, terceiro grau é determinado por impulsos fracos ou pela completa ausência de recebimento.
  2. Diminuindo a velocidade da condução intraventricular. Observa-se do nó sinoatrial até o átrio esquerdo ou para o nó da zona atrioventricular. É caracterizada pela inibição da condução por impulso.
  3. Bloqueio AV. Vários graus são destacados:
    • Condutividade lenta.
    • A parada de pulsos individuais é realizada em períodos.
    • Do átrio, os impulsos não podem passar para os ventrículos, enquanto o último e os átrios vivem, independentes dos outros.
  4. Bloqueio das pernas do ramo e ramos (esquerdo, direito, feixes frontais). Os pulsos chegam mais lentamente ou não passam.

A presença de tal patologia é determinada pela violação de um dos ventrículos. Este tipo provoca a formação de bloqueio AV.

O primeiro grau refere-se a desvios parciais, o segundo e o terceiro a serem concluídos. Os primeiros não pertencem à categoria de doenças, mas podem servir como motivo para a formação de um bloqueio completo. E este último, por sua vez, provoca complicações perigosas.

As falhas na condução pulsada podem não se manifestar por muito tempo, são detectadas durante um cardiograma devido à presença de outras patologias. Em alguns casos, eles aparecem como complicações de doenças cardíacas.

Com essas violações, a deterioração da condutividade ocorre em certas seções dos feixes de His, cada uma das quais dividida em pernas direita e esquerda. Este último possui um ramo anterior e posterior.

Três tipos de violações foram identificados:

  • Feixe único - a alimentação pára em um ramo.
  • Dois feixes - deterioração em dois ramos.
  • Três feixes - bloqueando em três ramos.

De acordo com a localização do processo, esses tipos de bloqueio são diferenciados:

  1. Feixe único - o atraso do sinal é registrado apenas em um dos ramos do feixe. Conseqüentemente, é detectado um bloqueio do ventrículo direito ou uma violação do trabalho do esquerdo.
  2. Dois feixes - dois ramos não funcionam - ambas as pernas esquerdas ou uma esquerda e direita.
  3. Três feixes - o atraso de pulso é observado em todos os três ramos.

Caso clínico

Paciente M., 65 anos, foi admitido no departamento terapêutico. No momento do exame, ele reclama de falta de ar durante o esforço físico, crises frequentes de tontura, fraqueza geral. Repetidamente, houve uma perda de consciência.

Durante a pesquisa, foi possível constatar que tais sintomas a incomodam há mais de um ano. Ao longo de 14 meses, foram notados fraqueza acentuada, dores de cabeça e tonturas. Durante seis meses, houve perda de consciência - cerca de uma vez por semana. No último mês, os desmaios ocorrem quase diariamente. O paciente desmaia por um minuto, então a fraqueza geral é notada.

Após um exame mais aprofundado, foram detectadas alterações no ECG. Ultrassom, dopplerografia, insuficiência ventricular esquerda, estenose valvar. Diagnóstico: doença cardíaca coronária; perturbação do ritmo como bloqueio de dois feixes e ataques MAC; insuficiência cardíaca eu colheres de sopa.

A paciente recebeu um marcapasso, sua condição melhorou e ela recebeu alta.

A natureza das violações distingue:

  • Bloqueio incompleto. A condução por impulso é lenta, mas é preservada. A excitação do miocárdio ocorre devido a ramos intactos. Essa condição ocorre em pessoas saudáveis, mas também pode indicar patologia. As alterações geralmente são detectadas por acaso no ECG. Não há queixas em pacientes, às vezes há fraqueza geral, fadiga aumentada.
  • Bloqueio completo. Os impulsos não atingem as partes inferiores dos ventrículos. Alta probabilidade de parada cardíaca no fundo de bradicardia. Esta condição é acompanhada por sintomas clínicos claros.

De acordo com o tipo de violações, existem:

  • Alterações focais - observadas em partes separadas do miocárdio mais próximas às fibras de Purkinje, o impulso passa parcialmente pelos ventrículos.
  • Mudanças na arborização - a transmissão do sinal é armazenada em todas as partes do sistema condutor, exceto em suas seções finais.

Prevenção

É muito importante tomar medidas preventivas oportunas para fortalecer o sistema vascular, mesmo que você não tenha encontrado uma violação da condução intraventricular. O que isso dá? Primeiro reduz o risco de doença. É melhor prevenir qualquer distúrbio no corpo do que combatê-lo. As principais medidas a serem seguidas por pessoas em qualquer idade:

  1. Andar ao ar livre é uma garantia de um bom suprimento de sangue para todos os órgãos vitais, incluindo o coração. O ar fresco oxigena tecidos e células.
  2. Uma dieta equilibrada, enriquecida com potássio e vitaminas. Em geral, comer alimentos saudáveis ​​acrescenta força, energia e saúde.
  3. Cumprimento do regime diário - se você dormir o suficiente, comer ao mesmo tempo, você se sentirá muito melhor e o risco de doenças será muito menor.
  4. Atividade física não intensiva, o que é muito importante - diariamente. Corrida fácil, ginástica, exercícios, ioga.
  5. O uso de esportes de força, especialmente musculação, é indesejável; isso afeta negativamente os vasos cardíacos.
  6. Não importa o quão banal, menos estresse e preocupações. O estresse emocional constante é prejudicial para o músculo cardíaco.
  7. Férias anuais no mar. Se houver uma oportunidade, ela definitivamente deve ser usada. Uma viagem de duas semanas à água pura, salgada e enriquecida com minerais restaura o estado físico e psicológico de uma pessoa. Se você não pode ir ao mar, basta organizar sua própria recreação ao ar livre. Uma viagem à floresta será uma alternativa digna à brisa do mar.
  8. Exame oportuno em uma instalação médica. É melhor não ignorar o menor desconforto quando se trata da saúde do músculo cardíaco.

Não é de admirar que o músculo cardíaco seja chamado de motor. Ele regula a maioria dos processos e fornece sangue aos órgãos vitais. O coração deve ser tratado com apreensão especial. Enquanto bate e não incomoda, às vezes não atribuímos a devida importância ao seu pequeno motor. Mas todo mundo sabe se problemas de saúde acontecem, incluindo uma violação da condução intraventricular, que está desequilibrada. Portanto, seria melhor não correr a sua saúde.

Medidas de prevenção permitirão fortalecer os vasos sanguíneos e melhorar o funcionamento do músculo cardíaco, mesmo com a patologia existente. Isso reduzirá o risco de formação de doenças e evitará complicações:

  1. Longas caminhadas ao ar livre.
  2. Uma dieta saudável rica em cálcio.
  3. A ingestão de vitaminas.
  4. Cumprimento da rotina diária, descanso suficiente.
  5. Pequeno exercício regular. Aulas de educação física.
  6. Eliminação de esportes de força, especialmente para musculação, que afeta adversamente o estado dos vasos cardíacos.
  7. Tente evitar situações estressantes graves.
  8. Sempre que possível, relaxe no mar todos os anos. Você pode relaxar na floresta.
  9. Em tempo hábil, faça exames médicos e elimine patologias identificadas.

Qualquer que seja o prognóstico da doença, é preciso lembrar que a medicina moderna ajuda a lidar com quase todos os distúrbios, mas para isso é necessário escutar seu corpo e fazer todos os esforços em prol da sua própria saúde.

Mesmo na ausência de distúrbios da condução intraventricular, a profilaxia é necessária em tempo hábil para reduzir o risco de doença. As principais medidas para prevenir a patologia em pessoas de qualquer idade serão caminhadas ao ar livre.

Esta é a chave para uma boa circulação sanguínea e suprimento de oxigênio a todos os tecidos e células do corpo. Você precisa comer alimentos enriquecidos com vitaminas e potássio.

A conformidade com a dieta e o sono saudável melhora muito o estado de saúde. Para fazer jogging leve, ginástica. Esportes de força são indesejáveis, por exemplo, a musculação tem um efeito negativo no sistema vascular. Estresse e ansiedade também afetam adversamente o corpo.

A única maneira de reduzir o risco de doenças continua sendo um estilo de vida saudável. Não inicie patologias cardíacas, bem como overdose de drogas. Constantemente, quando o sintoma correspondente aparecer, vá ao terapeuta e cardiologist.

Tatyana Jakowenko

Editor-chefe da Detonic revista online, cardiologista Yakovenko-Plahotnaya Tatyana. Autor de mais de 950 artigos científicos, inclusive em revistas médicas estrangeiras. Ele tem trabalhado como um cardiologista em um hospital clínico há mais de 12 anos. Possui modernos métodos de diagnóstico e tratamento de doenças cardiovasculares e os implementa em suas atividades profissionais. Por exemplo, usa métodos de reanimação do coração, decodificação de ECG, testes funcionais, ergometria cíclica e conhece muito bem a ecocardiografia.

Por 10 anos, ela tem participado ativamente de vários simpósios médicos e workshops para médicos - famílias, terapeutas e cardiologistas. Ele tem muitas publicações sobre estilo de vida saudável, diagnóstico e tratamento de doenças cardíacas e vasculares.

Ele monitora regularmente novas publicações de europeus e americanos cardiolrevistas científicas, escreve artigos científicos, prepara relatórios em conferências científicas e participa em conferências europeias cardiology congresses.

Detonic