Sintomas e tratamento de insuficiência cardíaca

Os fatores que provocaram o desenvolvimento da síndrome podem ser doenças passadas ou em andamento relacionadas a danos no miocárdio. Razões para o desenvolvimento são caracterizadas por:

  • hipertrofia ventricular do miocárdio;
  • isquemia miocárdica;
  • pressão alta nos vasos pulmonares;
  • doença valvular cardíaca;
  • insuficiência renal;
  • cardiopatia congênita ou doença mitral;
  • doenças pulmonares (doenças respiratórias crônicas) ou feridas, infecções. A doença se desenvolve devido à contração dos ventrículos e contração do miocárdio.

Detonic - um medicamento único que ajuda a combater a hipertensão em todas as fases do seu desenvolvimento.

Detonic para normalização da pressão

O efeito complexo dos componentes vegetais da droga Detonic nas paredes dos vasos sanguíneos e no sistema nervoso autônomo contribuem para uma rápida diminuição da pressão arterial. Além disso, este medicamento evita o desenvolvimento da aterosclerose, graças aos componentes únicos envolvidos na síntese da lecitina, um aminoácido que regula o metabolismo do colesterol e impede a formação de placas ateroscleróticas.

Detonic síndrome não viciante e de abstinência, uma vez que todos os componentes do produto são naturais.

Informações detalhadas sobre Detonic está localizado na página do fabricante www.detonicnd.com.

crianças

Com o desenvolvimento desta doença, a criança aumenta a fadiga, dificuldade em respirar ou falta de ar, perda de consciência, tontura, escurecimento dos olhos, a pele fica pálida, lábios, dedos das mãos e mãos escurecem, taquicardia, sono agitado, tosse com chiado, vômito. Nos bebês, regurgitação frequente, inchaço específico dos membros é observado.

O desenvolvimento da forma aguda ocorre sob a influência de:

  1. Doenças que reduzem a contratilidade do músculo cardíaco, danificando-o ou atordoando-o. Isso ocorre com o infarto do miocárdio, quando uma violação do fluxo sanguíneo para a área do coração causa morte celular, com inflamação do músculo cardíaco, bem como após intervenções cirúrgicas no coração ou como resultado do uso de um medicamento. circulação extracorpórea.
  2. Descompensação da insuficiência crônica, como resultado do qual o coração não pode provar>ostraya serdechnaya nedostatochnost5 - Sintomas e tratamento da insuficiência cardíaca

Existem também causas extracardíacas da doença. A insuficiência cardiovascular aguda pode ser causada por:

  • processos infecciosos;
  • um distúrbio circulatório em desenvolvimento no cérebro, no qual os tecidos são danificados e as funções dos órgãos são prejudicadas;
  • intervenções cirúrgicas extensas;
  • lesões cerebrais graves;
  • efeitos tóxicos no músculo cardíaco com drogas ou álcool;
  • pulsoterapia elétrica, lesões resultantes da exposição a uma corrente elétrica.

Na grande maioria dos casos, a insuficiência cardíaca é um resultado natural de muitas doenças do coração e dos vasos sanguíneos (doença cardíaca valvular, doença coronariana (DCC), cardiomiopatia, hipertensão arterial, etc.). Apenas ocasionalmente, a insuficiência cardíaca é uma das primeiras manifestações de uma doença cardíaca, como cardiomiopatia dilatada.

Com a hipertensão, pode levar muitos anos desde o início da doença até o início dos primeiros sintomas de insuficiência cardíaca. Considerando que, como resultado de, por exemplo, infarto agudo do miocárdio, acompanhado pela morte de uma parte significativa do músculo cardíaco, esse tempo pode ser de vários dias ou semanas.

Além das doenças cardiovasculares, o aparecimento ou exacerbação de manifestações de insuficiência cardíaca é promovido por febre, anemia, aumento da função tireoidiana (hipertireoidismo), abuso de álcool, etc.

Para uma condição como insuficiência cardíaca aguda, a patogênese pode incluir complicações de várias doenças nas quais ocorrem distúrbios circulatórios devido a um enfraquecimento da função de bombeamento do coração e seu menor preenchimento sanguíneo.

Deve-se ressaltar que em um quadro patológico como a insuficiência cardíaca aguda, as causas de sua ocorrência, bem como os mecanismos de seu desenvolvimento, podem variar, além disso, ela pode se desenvolver no contexto de outras doenças, agravando gravemente o seu curso. O que causa insuficiência cardíaca aguda? Estes podem ser cardiolCausas e situações ogicas que não se relacionam com o coração.

Etiologia da insuficiência cardíaca aguda associada a problemas cardíacos:

  • Cardioldoenças ogicas que levam a uma diminuição acentuada da contratilidade do miocárdio (como resultado de seu “atordoamento” ou dano) - entre eles miocardite, infarto agudo do miocárdio, as consequências da conexão com um bypass cardiopulmonar, as consequências da cirurgia cardíaca.
  • Descompensação (fenômenos acumulativos) de insuficiência cardíaca crônica, ou seja, uma condição na qual o coração não é capaz de fornecer sangue adequadamente ao corpo.
  • Tamponamento do coração.
  • Violação da integridade das câmaras ou válvulas cardíacas.
  • Crise hipertensiva.
  • Hipertrofia grave (espessamento das paredes) do miocárdio.
  • Doenças que levam a um aumento da pressão na circulação pulmonar: doenças agudas, embolia pulmonar.
  • Arritmias cardíacas (taquicardia ou bradicardia).

As causas da insuficiência cardíaca aguda podem não ser de um cardiolnatureza ogica:

  • intervenção cirúrgica extensa;
  • acidente vascular cerebral (falta de circulação sanguínea, levando à morte de certas partes do cérebro e à interrupção do seu funcionamento);
  • infecção;
  • envenenamento do miocárdio com álcool ou com uma overdose de drogas;
  • lesão cerebral grave;
  • as consequências da pulsoterapia - trauma elétrico resultante da exposição do corpo de um paciente à corrente elétrica.

As causas da insuficiência cardíaca crônica são as seguintes:

  • Patologia das válvulas cardíacas. Eles levam à entrada de excesso de sangue nos ventrículos, o que causa sua congestão.
  • Hipertensão Consiste em pressão crônica alta devido à disfunção da regulação do fluxo sanguíneo.
  • A cardiomiopatia dilatada é uma distensão da cavidade cardíaca que reduz a descarga de sangue nas artérias.
  • Estenose aórtica. O lúmen aórtico é estreitado, resultando em acúmulo de sangue no ventrículo esquerdo.
  • A taquiarritmia é um batimento cardíaco acelerado.
  • A miocardite é uma inflamação do músculo cardíaco que causa uma redução em sua condutividade.
  • A doença de Bazedova é o conteúdo no sangue de um número impressionante de hormônios da tireóide que afetam o funcionamento do coração.
  • Infarto do miocárdio, doença isquêmica, leva ao fato de o miocárdio não receber sangue nos volumes necessários.
  • Pericardite - a inflamação deste revestimento do coração impede o enchimento normal das câmaras cardíacas.
  • Cardiomiopatia hipertrófica - hipertrofia das paredes do ventrículo, devido à qual seu volume interno é estreitado.

Todas essas doenças levam ao enfraquecimento do coração.

As causas da insuficiência cardíaca aguda são geralmente divididas em dois grandes grupos:

  • patologias e defeitos cardíacos;
  • doenças que não estão relacionadas ao coração.

Os sintomas de insuficiência cardíaca aguda causada por patologias e defeitos cardíacos são os seguintes:

  • Tromboembolismo de pequenos ramos da artéria pulmonar. A alta pressão nos vasos pulmonares leva a uma sobrecarga severa do ventrículo direito.
  • Crise hipertensiva. Um espasmo das pequenas artérias que alimentam o coração é devido ao aumento da pressão. Assim, ocorre isquemia. Ao mesmo tempo, o número de contrações cardíacas aumenta rapidamente, levando à sobrecarga deste órgão.
  • Problemas com o movimento intracardíaco de sangue. Pode haver várias razões para essa patologia: dano à válvula cardíaca, ruptura do acorde e paredes de retenção da válvula.
  • Perturbações agudas do ritmo cardíaco. Os batimentos cardíacos tornam-se frequentes, portanto, insuficiência cardíaca congestiva.
  • Patologia “tamponamento do coração”. O excesso de líquido se acumula entre as folhas do pericárdio, enquanto as cavidades cardíacas não são comprimidas e nada impede sua redução total.
  • Miocardite aguda grave. Freqüentemente, em humanos, a inflamação do miocárdio leva a uma diminuição acentuada da função de bombeamento do coração, mau funcionamento dos ritmos cardíacos.
  • Infarto do miocárdio. Pode levar à morte de células cardíacas do miocárdio devido a distúrbios circulatórios agudos.
  • Bradicardia ou taquicardia, levam a uma diminuição da função contrátil do coração, há uma violação do ritmo dos batimentos cardíacos.
  • Ruptura da aorta. Esta doença leva a problemas na saída de sangue do ventrículo esquerdo e no funcionamento do coração.

Além disso, a AHF pode desencadear estresse físico ou choque emocional ao se juntar à insuficiência cardíaca crônica.

Variedades de insuficiência cardíaca

De acordo com a classificação de insuficiência, existem duas formas de evolução da doença de acordo com as lesões miocárdicas. A forma aguda tem rápido desenvolvimento, manifestando-se na forma de asma cardíaca e choque cardiogênico. Causas - ruptura das paredes do ventrículo esquerdo, infarto do miocárdio. A forma crônica se desenvolve gradualmente, ao longo de várias semanas, meses, anos. Causas - defeitos nas válvulas cardíacas, insuficiência respiratória crônica, anemia, redução da pressão arterial.

estágios

Existem quatro estágios funcionais desta doença:

  • No primeiro estágio, ao praticar esportes, não há fraqueza, batimentos cardíacos acelerados e qualquer dor na região do peito.
  • No segundo estágio da doença, o paciente apresenta restrições moderadas à prática de esportes. Em repouso, o paciente se sente bem, mas a falta de ar se manifesta durante o esporte.
  • No terceiro estágio da doença, o paciente se sente à vontade em repouso.
  • No quarto estágio da doença, observa-se desconforto com qualquer atividade, carga. A síndrome da angina de peito é observada apenas em repouso.

shutterstock 463298582 - Sintomas e tratamento de insuficiência cardíaca

Existem várias opções para o curso da doença.

Se o movimento do sangue estiver estagnado, o desenvolvimento será observado:

  • Insuficiência ventricular direita, na qual o sangue venoso estagna em todos os órgãos e tecidos.
  • Insuficiência ventricular esquerda com estase sanguínea na circulação pulmonar.
  • Asma cardíaca. A condição é caracterizada por um forte início de falta de ar, transformando-se em asfixia.
  • Edema pulmonar. Nesse caso, o líquido intravascular se acumula no tecido pulmonar.

Para o tipo hipocinético da hemodinâmica, observa-se desenvolvimento:

  1. Choque cardiogênico. Ao mesmo tempo, a contratilidade miocárdica diminui abruptamente e o fluxo sanguíneo para todos os órgãos e tecidos pára.
  2. Choque arrítmico associado a batimentos cardíacos comprometidos.
  3. Choque reflexo. Ocorre como resultado de dor intensa e é rapidamente eliminada com analgésicos.
  4. Choque cardiogênico verdadeiro. O problema é observado se metade dos músculos do ventrículo esquerdo for afetada. Geralmente, isso ocorre em pessoas após 60 anos com um ataque cardíaco repetido e na presença de hipertensão e diabetes.

Uma deterioração acentuada no decurso da insuficiência cardíaca crônica também pode ocorrer. Ao mesmo tempo, o suprimento sanguíneo adequado para órgãos e tecidos se torna impossível.

De acordo com as fases do batimento cardíaco, onde ocorre uma violação:

  • sistólica (incapacidade do coração de jogar fora a quantidade necessária de sangue do ventrículo);
  • diastólica (incapacidade dos ventrículos de encher completamente de sangue).

Pelo motivo que causou a doença:

  • falha que ocorreu em humanos pela primeira vez e na qual anteriormente não foram observadas patologias cardíacas;
  • insuficiência aguda, resultado de descompensação aguda de insuficiência cardíaca crônica previamente existente.

Na parte predominantemente afetada do coração:

Dois tipos de OCH são conhecidos na medicina:

  • Insuficiência ventricular direita. É causada por problemas no ventrículo direito, geralmente resultantes de malformações congênitas ou ataques cardíacos.
  • Insuficiência ventricular esquerda. A patologia do ventrículo esquerdo é sua causa, enquanto o direito continua funcionando normalmente. A metade esquerda não lida com o fluxo de sangue que sai da direita. Portanto, o sangue estagna na circulação pulmonar.

Com o infarto do miocárdio, pode ocorrer insuficiência biventricular se os dois ventrículos forem afetados ou se um septo interventricular for rompido.

As seguintes características do curso da insuficiência cardíaca aguda são destacadas:

  • Edema pulmonar. É um preenchimento dos órgãos respiratórios com um líquido que penetra através das paredes capilares, o que causa falta de ar e falta de ar.
  • Choque cardiogênico. Esta é uma diminuição significativa na contratilidade do miocárdio. O nível de volume sanguíneo minuto e acidente vascular cerebral é reduzido, o que não é capaz de compensar nem mesmo o aumento da resistência vascular. Os sintomas são os seguintes: uma cor de pele terrosa, um pulso frequente, uma sensação de medo, uma forte dor no peito que passa para o pescoço, braços, omoplatas. O paciente precisa de ajuda urgente.
  • Crise hipertensiva. Aumento da pressão levando a danos nos órgãos. Se o paciente já tem defeitos cardíacos, o risco de morte é grande.
  • Descompensação aguda de CHF. Nesse caso, os sintomas da AHF são apresentados implicitamente.
  • DOS com alto débito cardíaco. Os sinais de insuficiência cardíaca são os seguintes: taquicardia, estagnação do sangue nos pulmões, freqüentemente pressão alta.

É caracterizado por um desenvolvimento repentino, dinâmico e até certo ponto imprevisível. Um ataque pode se desenvolver em 3-5 minutos ou 3-5 horas. Há uma violação da função contrátil do coração, portanto, a circulação sanguínea sofre, e a carga no tecido cardíaco (no ventrículo esquerdo ou direito) aumenta dramaticamente.

Vários tipos de forma aguda são caracterizados por:

  • estagnação do sangue em várias veias grandes ou circulação pulmonar;
  • uma queda acentuada na frequência dos batimentos cardíacos, o que causa uma deterioração no suprimento sanguíneo para órgãos e tecidos do corpo;
  • deterioração súbita na condição de um paciente que sofre de uma forma crônica da doença.

A forma mais comum. É caracterizada por um curso progressivo, um aumento nos problemas funcionais do coração. A doença tem várias etapas.

Inicialmente, o músculo cardíaco compensa a quantidade insuficiente de sangue ejetado, aumentando o número de contrações. Nesse momento, a hipertrofia miocárdica ocorre gradualmente, os vasos começam a se estreitar reflexivamente e o paciente sente doenças periódicas.

Essa condição dura até o mecanismo de compensação esgotar seus recursos. Órgãos e tecidos são mais deficientes em oxigênio entregue ao sangue, e os produtos metabólicos são excretados pior. Os fenômenos distróficos se desenvolvem no corpo.

  • Primeiro. O paciente é fisicamente ativo e não sente nenhum sinal óbvio da doença.
  • Segundo. O paciente experimenta boa paz, mas a atividade física causa o aparecimento dos sintomas da doença.
  • Terceiro O paciente está confortável em repouso, no entanto, para o aparecimento de sinais da doença, é necessária muito menos atividade física.
  • Quarta. Já em repouso, o paciente sente desconforto e, com uma carga mínima, os sintomas aumentam acentuadamente.

Tipos e etapas

ostraya serdechnaya nedostatochnost - sintomas e tratamento de insuficiência cardíaca

Na medicina, são conhecidos quatro estágios (graus) de insuficiência cardíaca.

  • Primeiro. Manifestações leves da doença durante o esforço físico (fadiga, falta de ar, aumento dos batimentos cardíacos), às quais a maioria dos pacientes geralmente não presta atenção. Quando calmo, os sintomas desaparecem.
  • O segundo Há mudanças muito longas e crescentes nas funções do coração. O paciente começa a sentir interrupções no ritmo cardíaco e a falta de ar já está em repouso, no entanto, seu grau ainda permanece moderado. Além disso, os sintomas podem aparecer repentinamente, por exemplo, ao tentar sair da cama.
  • O terceiro. No final, as interrupções no trabalho de outros órgãos, vasos sanguíneos, acompanhadas de alterações patológicas em seus tecidos, e o sistema circulatório se fazem sentir.

Características gerais e mecanismo de desenvolvimento

O momento do início da insuficiência cardíaca aparente é individual para cada paciente e sua doença cardiovascular. Dependendo de qual ventrículo do coração sofre mais como resultado da doença, faça uma distinção entre insuficiência cardíaca ventricular direita e esquerda.

Nos casos de insuficiência cardíaca do ventrículo direito, o excesso de líquido é retido nos vasos da circulação pulmonar, resultando em inchaço, inicialmente na área dos pés e tornozelos. Além desses sinais básicos, a insuficiência cardíaca do ventrículo direito é caracterizada por fadiga rápida, devido à baixa saturação de oxigênio no sangue, além de uma sensação de plenitude e pulsação no pescoço.

A insuficiência cardíaca ventricular esquerda é caracterizada pela retenção de líquidos na circulação pulmonar, como resultado da diminuição da quantidade de oxigênio que entra no sangue. Como resultado, ocorre falta de ar, intensificando-se durante o esforço físico, além de fraqueza e fadiga.

A sequência de ocorrência e gravidade dos sintomas de insuficiência cardíaca são individuais para cada paciente. Nas doenças acompanhadas de danos no ventrículo direito, os sintomas de insuficiência cardíaca aparecem mais rapidamente do que nos casos de insuficiência ventricular esquerda. Isso se deve ao fato de o ventrículo esquerdo ser a parte mais poderosa do coração.

Dependendo da rapidez com que os sintomas da insuficiência cardíaca aumentam, eles falam sobre suas variantes agudas ou crônicas.

  • A insuficiência cardíaca aguda aumenta em poucas horas ou até minutos. É precedido por várias catástrofes cardíacas: infarto agudo do miocárdio, tromboembolismo pulmonar. Nesse caso, o ventrículo esquerdo ou direito do coração pode estar envolvido no processo patológico.
  • A insuficiência cardíaca crônica é o resultado de doenças a longo prazo. Ela progride gradualmente e é agravada desde manifestações mínimas até falência grave de múltiplos órgãos. Pode se desenvolver em um dos círculos da circulação sanguínea.

Sintomas de insuficiência cardíaca em homens

Além dos sintomas gerais, nas mulheres, a doença se manifesta:

  • dores no peito (natureza ardente);
  • perda de peso devido à falta de apetite;
  • aumento da pressão arterial;
  • inchaço dos membros e pontas dos dedos azuis.

Os sintomas mais frequentemente observados nos homens são os seguintes:

  • dor no peito (de natureza premente) que dá à mão esquerda;
  • tosse, acompanhada em alguns casos por hemoptise;
  • inchaço das extremidades;
  • insuficiência respiratória com vermelhidão da pele no peito.

Quando procurar ajuda: os principais sintomas da doença

A síndrome da insuficiência cardíaca apresenta vários tipos de sintomas clínicos divididos em estágios. Observa-se falta de ar, acompanhada de tosse com sangue. Você pode encontrá-los durante os esportes. O paciente pode se queixar de fraqueza geral, fadiga. Alguns pacientes se queixam de uma diminuição na urina durante as visitas noturnas ao banheiro. Com a doença, pode ser observado um tom azulado na pele das mãos, pés, ponta do nariz, lóbulos das orelhas.

Os sintomas de insuficiência cardíaca aguda estão associados a funções prejudicadas dos ventrículos esquerdo ou direito.

O desenvolvimento de insuficiência ventricular esquerda é observado com patologias que aumentam a carga no coração esquerdo. Isso é possível se uma pessoa sofre de hipertensão, defeito da aorta, sofreu infarto do miocárdio.

Se o ventrículo esquerdo não pode desempenhar suas funções, há um aumento da pressão nos vasos grandes e pequenos dos pulmões, sua permeabilidade aumenta, devido à qual a parte líquida do sangue flui através de suas paredes. O edema intersticial e gradualmente alveolar se desenvolve.

O quadro clínico dessa condição é representado por asma cardíaca e edema pulmonar alveolar. Um ataque ocorre se uma pessoa está finalmente sob estresse físico ou emocional. Os pacientes geralmente sofrem de asfixia súbita à noite, o que os leva a acordar.

A asma cardíaca é caracterizada pelo aparecimento de uma sensação de falta de ar, palpitações, tosse com expectoração, fraqueza severa, suor frio. Um ataque força uma pessoa a se agachar e abaixar as pernas.

Com o desenvolvimento de estagnação na circulação pulmonar, o edema pulmonar progride. Durante uma asfixia aguda, o paciente começa a tossir e o escarro rosa espumoso é liberado, devido ao aparecimento de impurezas no sangue.

O paciente respira como um samovar fervente, está sentado com as pernas para baixo, o rosto fica azul, as veias do pescoço incham, a pele está coberta de suor frio.

Na presença de edema pulmonar, é necessário entregar urgentemente o paciente à unidade de terapia intensiva e prestar assistência médica, pois a probabilidade de um resultado fatal é muito alta.

Insuficiência atrial esquerda é encontrada na estenose mitral. As manifestações clínicas são semelhantes à patologia do ventrículo esquerdo.

O desenvolvimento de insuficiência ventricular direita ocorre em conexão com um bloqueio trombo de grandes ramos da artéria pulmonar.

A estagnação se desenvolve em um grande círculo de circulação sanguínea, devido ao qual as extremidades inferiores incham, dói à direita sob as costelas, as veias do pescoço estão estourando e pulsando, ocorre falta de ar, a superfície da pele fica azul, dores urgentes aparecem na área do coração.

Há também um enfraquecimento do pulso periférico, uma diminuição acentuada da pressão arterial.

Se a patologia do ventrículo direito se desenvolver no estágio de descompensação, os sinais aparecerão mais cedo do que na insuficiência ventricular esquerda aguda. Isso se deve ao fato de que este último possui um grande conjunto de capacidades compensatórias, pois é a parte mais poderosa do coração.

A insuficiência cardíaca pode se manifestar com sintomas diferentes, dependendo de qual parte do coração é mais afetada. Falta de ar, arritmias, tonturas, escurecimento dos olhos, desmaio, inchaço das veias cervicais, palidez da pele, inchaço das pernas e dor nas pernas, aumento do fígado, ascite (líquido livre na cavidade abdominal) pode ocorrer .

Os sintomas de insuficiência cardíaca dependem de qual lado do coração, direito, esquerdo ou ambos, é ineficaz. Se o lado direito do coração não funcionar bem, o sangue transborda das veias periféricas e, como resultado, penetra nos tecidos das pernas e cavidade abdominal, incluindo o fígado. Isso causa inchaço e aumento do fígado.

Se o lado esquerdo for afetado, o sangue transborda dos vasos da circulação pulmonar e do coração e passa parcialmente para os pulmões. Respiração rápida, tosse, frequência cardíaca frequente, cor da pele azulada ou pálida são características deste caso de insuficiência cardíaca. Os sintomas podem ser de gravidade variável, a morte é possível.

O edema é um dos primeiros sintomas de insuficiência cardíaca do ventrículo direito. Inicialmente, os pacientes estão preocupados com edema menor, geralmente afetando os pés e as pernas. O edema afeta uniformemente as duas pernas. O inchaço ocorre no final da tarde e passa pela manhã. Com o desenvolvimento da insuficiência, o edema torna-se denso e não passa completamente pela manhã.

Então, o líquido se acumula na cavidade abdominal (ascite). Com o desenvolvimento da anasarca, o paciente costuma sentar-se, pois na posição supina há uma acentuada falta de ar. A hepatomegalia se desenvolve - um aumento do fígado devido ao transbordamento de sua rede venosa com a parte líquida do sangue. Pacientes com fígado aumentado freqüentemente notam desconforto (desconforto, peso) e dor no hipocôndrio direito.

ostraya serdechnaya nedostatochnost2 - Sintomas e tratamento da insuficiência cardíaca

A fadiga é um sintoma característico da insuficiência ventricular direita e esquerda. Inicialmente, os pacientes notaram falta de força ao realizar atividades físicas previamente bem toleradas. Com o tempo, a duração dos períodos de atividade física diminui e as pausas para descanso aumentam.

Falta de ar é o principal e freqüentemente o primeiro sintoma de insuficiência ventricular esquerda crônica. Durante a falta de ar, os pacientes respiram com mais frequência do que o habitual, como se tentassem encher os pulmões com a quantidade máxima de oxigênio. A princípio, os pacientes percebem falta de ar apenas quando realizam esforços físicos intensos (corrida, subida rápida de escadas etc.).

Uma tosse paroxística, que ocorre principalmente após a realização de um exercício intenso, é freqüentemente percebida pelos pacientes como uma manifestação de doença pulmonar crônica, por exemplo, bronquite. Portanto, ao entrevistar um médico, os pacientes, principalmente os fumantes, nem sempre se queixam de tosse, acreditando que não estão relacionados a doenças cardíacas.

As palpitações cardíacas (taquicardia sinusal) são percebidas pelos pacientes como uma sensação de “palpitação” no peito, que ocorre com algum tipo de atividade motora e desaparece após algum tempo após seu término. Freqüentemente, os pacientes se acostumam com as palpitações cardíacas, sem fixar sua atenção nisso.

Manifestações de insuficiência circulatória dependem de sua gravidade. Três estágios são tradicionalmente distinguidos.

Eu estágio

No estágio inicial da doença, fadiga, falta de ar, freqüência cardíaca excessiva durante o esforço físico ocorrem. Até vários agachamentos causam depressão respiratória uma a duas vezes e meia. A restauração da freqüência cardíaca inicial ocorre antes de 10 minutos de descanso após o exercício. Com intenso esforço físico, pode aparecer um leve engasgo.

shutterstock 607133411 - Sintomas e tratamento de insuficiência cardíaca

Os sintomas locais são leves. Às vezes, acrocianose de curto prazo pode aparecer (pele azul das mãos, pés). Após cargas significativas, bebendo grandes quantidades de água ou sal à noite, aparece um pequeno inchaço das pernas ou pele pastosa nos tornozelos.

O tamanho do fígado não aumenta. Às vezes, há uma noctúria periódica - micção frequente à noite.

Após limitar a carga e corrigir o uso de sal e líquido, esses fenômenos desaparecem rapidamente.

Fase II

No segundo estágio da doença, aparecem sintomas locais de insuficiência cardíaca. Primeiro, há sinais de danos principalmente em um dos ventrículos do coração.

Com insuficiência ventricular direita, a estase sanguínea ocorre em um grande círculo de circulação sanguínea. Os pacientes estão preocupados com a falta de ar durante o esforço físico, por exemplo, ao subir escadas, caminhar rápido. Há um batimento cardíaco acelerado, uma sensação de peso no hipocôndrio certo. Muitas vezes há noctúria e sede.

Esta fase é caracterizada pelo inchaço das pernas, que não passam completamente pela manhã. A acrocianose é determinada: cianose das pernas, pés, mãos, lábios. O fígado aumenta, sua superfície é lisa e dolorosa.

Com insuficiência ventricular esquerda, prevalecem sintomas de estagnação na circulação pulmonar. Os pacientes se sentem pior do que com insuficiência ventricular direita. Falta de ar durante o exercício é mais forte, ocorre durante a caminhada normal. Com uma carga significativa, bem como à noite, ocorrem asfixia, tosse seca e até hemoptise leve.

Externamente, determina-se a palidez da pele, acrocianose, em alguns casos um rubor cianótico peculiar (por exemplo, com defeitos cardíacos mitrais). É possível ouvir estertores borbulhantes secos ou pequenos nos pulmões. Sem inchaço nas pernas, o tamanho do fígado é normal.

Limitando a carga, corrigindo o uso de água e sal, o tratamento adequado pode levar ao desaparecimento de todos esses sintomas.

A insuficiência cardíaca congestiva está aumentando gradualmente, ambos os círculos da circulação sanguínea estão envolvidos no processo patológico. Há estagnação de líquido nos órgãos internos, manifestada por uma violação de sua função. Existem mudanças na análise da urina. O fígado engrossa e fica indolor. Alterações na análise bioquímica do sangue, indicando insuficiência hepática.

Os pacientes estão preocupados com falta de ar com esforço físico mínimo, pulso frequente, sensação de peso no hipocôndrio direito. A produção de urina diminui, aparece inchaço dos pés e pernas. À noite, uma tosse pode aparecer, o sono é perturbado.

  • Um dos sintomas mais comuns na insuficiência cardíaca é falta de ar. Com o desenvolvimento da doença, sua intensidade aumenta.
  • Devido ao suprimento insuficiente de oxigênio ao tecido, a fome de oxigênio se desenvolve, que é expressa em fadiga rápida, fadiga crônica.
  • O líquido estagnado nos pulmões, associado à piora da hemodinâmica na circulação pulmonar, causa tosse úmida.
  • Um aumento nos ventrículos leva ao fato de que o coração precisa se contrair com mais frequência para expulsar a quantidade certa de sangue - o batimento cardíaco aumenta.

Como identificar insuficiência cardíaca?

O diagnóstico funcional desta doença é o seguinte. Os médicos realizam um exame clínico, usam métodos instrumentais de exame. No estudo inicial, o especialista determina a gravidade dos sintomas e a condição do paciente. Para fazer isso, verifique os sintomas da doença durante a atividade física e durante o repouso, verifique os sinais objetivos de insuficiência cardíaca durante o repouso.

Na etapa dos métodos instrumentais, é utilizado um ECG, que mede as dimensões da cavidade dos átrios esquerdo e direito, de ambos os ventrículos, e o tamanho da fração de ejeção. Um critério de exame obrigatório é a ecocardiografia Doppler, que permite determinar a velocidade do fluxo sanguíneo, a pressão e a presença de secreção patológica de sangue. Com avaliações negativas dos médicos, o paciente é encaminhado para tratamento para cardiology.

A insuficiência cardíaca é uma consequência de várias doenças e condições, cardiovasculares e outras. Para estabelecer a presença de insuficiência cardíaca, algumas vezes um exame médico de rotina é suficiente, enquanto vários métodos de diagnóstico podem ser necessários para esclarecer suas causas.

A eletrocardiografia (ECG) ajuda os médicos a detectar sinais de hipertrofia e suprimento sanguíneo inadequado (isquemia) do miocárdio, além de várias arritmias. Por via de regra, esses sinais de ECG podem ocorrer em várias doenças, ou seja, não são específicos para insuficiência cardíaca.

Com base no ECG, os chamados testes de esforço foram criados e são amplamente utilizados, consistindo no fato de que o paciente deve superar níveis gradualmente crescentes de exercício. Para isso, é utilizado um equipamento especial para dosar a carga: uma modificação especial da bicicleta (ergometria da bicicleta) ou uma esteira (esteira). Esses testes fornecem informações sobre os recursos de reserva da função de bombeamento do coração.

O método principal e geralmente disponível para diagnosticar as doenças que ocorrem com a insuficiência cardíaca é a ultrassonografia do coração - ecocardiografia (ecocardiografia). Usando esse método, você pode não apenas estabelecer a causa da insuficiência cardíaca, mas também avaliar a função contrátil dos ventrículos do coração.

Um exame de raios-X dos órgãos do tórax na insuficiência cardíaca revela estagnação do sangue na circulação pulmonar e um aumento no tamanho das cavidades do coração (cardiomegalia). Algumas doenças cardíacas, por exemplo, as valvopatias, têm seu próprio “quadro” radiológico característico.

Esse método, além da ecocardiografia, pode ser útil para monitorar o tratamento. Os métodos de radioisótopos para examinar o coração, em particular a ventriculografia por radioisótopos, permitem uma avaliação altamente precisa da função contrátil dos ventrículos do coração em pacientes com insuficiência cardíaca, incluindo o volume de sangue que possuem. Esses métodos são baseados na introdução e subsequente distribuição de medicamentos radioisótopos no corpo.

Uma das mais recentes conquistas da ciência médica, em particular, o chamado diagnóstico nuclear, é o método da tomografia por emissão de pósitrons (PET). Este é um estudo muito caro e ainda raro. O PET permite o uso de uma “etiqueta” radioativa especial para identificar áreas de miocárdio viável em pacientes com insuficiência cardíaca, a fim de poder ajustar o tratamento.

Obviamente, o diagnóstico de insuficiência cardíaca aguda, que inclui as seguintes medidas, é de suma importância.

  • Análise das queixas dos pacientes e histórico médico.
  • Uma análise da história da vida, a fim de determinar as possíveis causas de FA, bem como doenças cardiovasculares prévias.
  • Uma análise do histórico familiar para determinar se os parentes tiveram uma doença cardíaca.
  • Exame para detectar sopros cardíacos, chiado no pulmão, pressão arterial e estabilidade hemodinâmica nos vasos.
  • A remoção de um eletrocardiograma, com o qual é possível detectar um aumento no tamanho (hipertrofia) do ventrículo, sinais de sobrecarga e também alguns sinais mais específicos que indicam uma violação do suprimento sanguíneo do miocárdio.
  • Realizando um exame de sangue geral, com base no qual é possível determinar a leucocitose (um aumento no nível de leucócitos), um aumento na VHS, que é um sinal inespecífico da presença no corpo de inflamação devido à destruição de células do miocárdio.
  • Um exame de sangue bioquímico para determinar os níveis de colesterol total e "ruim", responsável pela formação de placas ateroscleróticas nas paredes dos vasos sanguíneos, bem como o colesterol "bom", que, pelo contrário, impede a formação de placas. O nível de triglicerídeos e açúcar no sangue também é determinado.
  • Realização de uma análise geral da urina, através da qual é possível detectar um nível elevado de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos e proteínas, o que pode ser uma conseqüência do AHF.
  • O ecocardiograma permite detectar possíveis violações da contratilidade miocárdica.
  • Determinação no sangue do nível de biomarcadores - corpos que indicam a presença de uma lesão no corpo.
  • Radiografia dos órgãos torácicos, a fim de determinar o tamanho do coração, a nitidez de sua sombra e determinar a estagnação do sangue nos pulmões. A radiografia é útil não apenas como método diagnóstico, mas também como forma de avaliar a eficácia do tratamento.
  • Avaliação do sangue arterial quanto à sua composição gasosa e determinação de suas características.
  • A angiografia cardíaca é um estudo que permite encontrar com precisão o local de estreitamento das artérias coronárias que alimentam o coração, determinar seu grau e natureza.
  • A tomografia computadorizada multiespiral do coração com a introdução de um agente de contraste permite visualizar defeitos das válvulas e paredes cardíacas, avaliar seu trabalho e encontrar locais de estreitamento dos vasos coronários.
  • O cateterismo da artéria pulmonar ajuda não apenas no diagnóstico, mas também no processo de rastreamento dos resultados do tratamento da FAH.
  • Usando imagens de ressonância magnética, imagens de órgãos internos podem ser obtidas sem o uso de raios-X prejudiciais.
  • Detecção do peptídeo natriurético ventricular - esta proteína é produzida nos ventrículos do coração no momento da sobrecarga e, com o aumento da pressão e alongamento do ventrículo, é ejetada do coração. Quanto mais forte a insuficiência cardíaca, mais esse peptídeo aparece no sangue.

Entre os principais recursos, estão os seguintes:

Tendo notado esses sintomas básicos, você deve ser examinado e, se necessário, tratado.

Os sintomas de insuficiência cardíaca aguda do ventrículo direito são devidos à presença de sangue estagnado na circulação pulmonar. As manifestações de insuficiência cardíaca serão as seguintes:

  • Batimento cardíaco rápido. Ocorre quando o sangue entra nos vasos cardíacos coronários. As pessoas são caracterizadas por falta de ar, sensação de peso por trás do esterno, tontura e ataques de taquicardia.
  • Inchaço. Surgem devido a vários fatores: a permeabilidade das paredes capilares aumenta, a circulação sanguínea diminui, o líquido é retido nos tecidos, acumula-se nos membros e nas cavidades corporais. O edema também pode causar um desequilíbrio no metabolismo do sal de água.
  • Veias cervicais inchadas - o inchaço aumenta com a inspiração, o que está associado ao aumento da pressão intratorácica e a problemas com o fluxo sanguíneo para o coração.
  • Pressão arterial baixa causada por uma diminuição no débito cardíaco. Pode ser reconhecido por transpiração excessiva, palidez e perda de força.

Os sintomas são bastante graves, mas não há congestão nos pulmões.

A insuficiência cardíaca aguda do ventrículo esquerdo pode ser determinada pelos seguintes sintomas:

  • Durante o sono, são observados ataques de asma cardíaca: falta de ar com respiração ruidosa, falta de ar, pânico. O paciente deve sentar-se e começar a respirar com a boca para sentir melhora. Mas a falta de ar é sentida por algum tempo - de vários minutos a duas horas.
  • Tosse. No início, é muito seco, e começa a produção de escarro rosa, o que não traz melhorias.
  • O desenvolvimento de edema pulmonar. A pressão nos capilares dos pulmões se torna alta, fazendo com que as células sanguíneas e fluidas vazem para o espaço ao redor dos pulmões e alvéolos. Isso leva a uma deterioração das trocas gasosas, devido à qual o sangue não recebe a quantidade necessária de oxigênio. O paciente começa a chiar, sua respiração fica borbulhante, ocorre com dificuldade, o número de respirações aumenta. A tensão dos músculos respiratórios é palpável.
  • Formas de espuma nos pulmões. O líquido que entra nos alvéolos começa a espumar a cada respiração, o que leva à distensão dos pulmões; com tosse, é liberado escarro espumoso, que pode ser liberado pela boca e pelo nariz.
  • Dor no coração Os pacientes podem sentir dor atrás do esterno, geralmente com cãibras no pescoço, omoplatas e cotovelos.
  • Problemas perceptivos e excitação. Problemas circulatórios afetam o cérebro, razão pela qual o paciente pode começar a se comportar de maneira inadequada. Essas pessoas são caracterizadas por ataques de pânico, medo de morte iminente, geralmente desmaiam, o que indica o início da falta de oxigênio.

A combinação desses sinais indica que a insuficiência cardíaca se desenvolve e o tratamento não pode ser retardado.

Se houver suspeita de insuficiência cardíaca aguda, a determinação de seu tipo e sintomas é realizada por meio de um exame abrangente, que consiste em várias etapas:

  • Na primeira etapa, é realizado um exame inicial, permitindo ao médico identificar a cianose, e a taxa de pulso e a pressão também são verificadas.
  • O próximo passo é ouvir o coração. Muitas vezes, é difícil e é acompanhado por chiado e barulho.
  • Além disso, é realizado um eletrocardiograma (ECG), que permite detectar anormalidades na função cardíaca.
  • O ECHO-KG com dopplerografia ajuda a obter informações detalhadas sobre a condição cardíaca do paciente.
  • Raio-X Permite detectar um aumento na pressão sanguínea nos vasos e um aumento no coração.
  • Um estudo do plasma sanguíneo ajuda a determinar o nível de hormônios produzidos pelas células do miocárdio.

Tratamento de insuficiência cardíaca

Existem dois tipos de tratamento para esta doença - terapia medicamentosa e não medicamentosa. Durante o tratamento com medicamentos, o paciente é prescrito medicamentos após o diagnóstico. O tratamento da insuficiência cardíaca sem drogas é uma dieta, reabilitação física, repouso na cama. A dieta deve ser rígida, sem sal.

A atividade física consiste em caminhar ou praticar exercícios em bicicletas ergométricas. No dia, o paciente deve se exercitar por 25 minutos. Nesse caso, os médicos devem monitorar o bem-estar e o pulso do paciente (aumentar ou diminuir a frequência). Em relação ao repouso na cama. Os especialistas não recomendam repouso absoluto e repouso absoluto aos pacientes, pois o coração precisa de movimento. O tratamento da insuficiência cardíaca crônica ocorre por meio da atividade física.

Primeiro socorro

Com a manifestação de falta de ar, tosse, respiração ruidosa, presença de medo, ansiedade, o paciente deve prestar os primeiros socorros:

  • Uma pessoa deve ser colocada em uma posição confortável, enquanto as costas devem ser levantadas o máximo possível.
  • Mãos e pés podem ser mergulhados em água quente.
  • Então você deve chamar uma ambulância, o despachante precisa descrever todos os sintomas.
  • Depois disso, sente o paciente mais perto da janela aberta e tire sua roupa de respiração. Depois meça a pressão e apoie a pessoa.
  • Para pressão arterial sistólica baixa (acima de 90 mm), dê ao paciente um comprimido de nitroglicerina e um diurético.
  • 20 minutos depois de colocar o paciente, coloque um torniquete em uma coxa. Quando a parada cardíaca é necessária para realizar uma massagem cardíaca indireta, respiração artificial, batimento pré-cardíaco, ou seja, um conjunto de medidas para a ressuscitação cardiopulmonar.

Remédio

Os inibidores da angiotensão afetam o trabalho da renina-angiotensina-aldosterona. Eles retardam a progressão da doença. Estes incluem captopril e quinapril. Captopril não pode ser usado para insuficiência hepática grave, choque cardiogênico, hipotensão arterial, gravidez, lactação e crianças com menos de 18 anos de idade. É tomado 1 hora antes das refeições, cada dosagem é individual. Para eliminar os sintomas - falta de ar ou sufocação - é prescrita Morfina ao paciente.

O bloqueador reduces reduz o risco de morte por falta de atividade cardíaca e bloqueia a transmissão de impulsos para órgãos, tecidos do corpo. Estes incluem carvediol não cardiosseletivo. Esta ferramenta não pode ser usada para hipotensão arterial, bradicardia grave, choque cardiogênico e asma brônquica. Primeiro, o paciente recebe 6,25 mg por dia, aumentando gradualmente a dose para 50 mg em 14 dias.

Medicamentos que melhoram a circulação sanguínea muscular e o metabolismo do miocárdio ou glicosídeos cardíacos. Estes incluem Erinit e Nitrosorbit:

  • A erinite é absorvida lentamente. É um remédio eficaz. Para evitar ataques de insuficiência coronariana crônica, eles são tomados por via oral.
  • O nitrosorbitol tem um efeito semelhante e absorção prolongada.

Se o paciente receber uma cirurgia para tratar a doença, ele poderá fazer um transplante cardíaco ou uma cardiomioplastia. A cardiomioplastia consiste no fato de que durante a operação o cirurgião corta um retalho do músculo largo das costas e com ele envolve o coração do paciente para melhorar a função contrátil.

A insuficiência cardíaca aguda é uma condição que ameaça a vida de uma pessoa.

A terapia da doença após os primeiros socorros depende do principal motivo:

  1. Se a violação for causada por arritmia, para estabilizar a condição do paciente e estabelecer a circulação sanguínea, restaure a frequência normal de contrações.
  2. Na presença de infarto do miocárdio, a trombólise sistêmica é usada para restaurar o fluxo sanguíneo normal, ou seja, os trombos são dissolvidos com a ajuda de drogas trombolíticas. Os medicamentos são administrados por via intravenosa.
  3. Se ocorrer falha aguda devido a lesões, ruptura do miocárdio, danos à válvula, é necessário internar urgentemente o paciente e prestar assistência cirúrgica.

A insuficiência ventricular direita congestiva aguda é tratada com o método de correção das condições que a causaram, ou seja, eliminam o tromboembolismo, status asmático.

A insuficiência cardíaca direta é eliminada:

  1. ostraya serdechnaya nedostatochnost6 - Sintomas e tratamento da insuficiência cardíacaOxigenoterapia.
  2. Sedação. Os medicamentos causam sono, do qual o paciente pode ser acordado a qualquer momento.
  3. Analgésicos.
  4. Glicosídeos cardíacos, que têm um efeito estimulante no coração.
  5. Cardiotônico para aumentar a contratilidade do músculo cardíaco.
  6. Diuréticos para remover o excesso de líquido do corpo.
  7. Drogas vasodilatadoras.
  8. Agentes antiplaquetários para reduzir a adesão plaquetária.

Diferentemente dos anos anteriores, as conquistas da farmacologia moderna permitiram não apenas ampliar, mas também melhorar a qualidade de vida dos pacientes com insuficiência cardíaca. No entanto, antes do início do tratamento medicamentoso da insuficiência cardíaca, é necessário eliminar todos os fatores possíveis que provocam seu aparecimento (febre, anemia, estresse, consumo excessivo de sal, abuso de álcool, além de tomar medicamentos que ajudam a reter líquidos no corpo etc.). A ênfase principal no tratamento é dada tanto à eliminação das causas da insuficiência cardíaca em si quanto à correção de suas manifestações.

Entre as medidas gerais para o tratamento da insuficiência cardíaca, a paz deve ser observada. Isso não significa que o paciente deva se deitar o tempo todo. O exercício é aceitável e desejável, mas não deve causar fadiga e desconforto significativos. Se a tolerância das cargas for significativamente limitada, o paciente deverá sentar-se o máximo possível e não mentir.

Dormir com insuficiência cardíaca é mais conveniente com a cabeceira levantada da cama ou em um travesseiro alto. Recomenda-se também aos pacientes com edema nas pernas que durmam com a ponta dos pés levemente elevada da cama ou com um travesseiro fino colocado sob as pernas, o que ajuda a reduzir a gravidade do edema.

A dieta deve ser pobre em sal; alimentos cozidos não devem ser adicionados. É muito importante conseguir a perda de excesso de peso, pois cria uma carga adicional significativa para um coração doente. Embora com insuficiência cardíaca avançada, o peso possa diminuir por conta própria. Para controlar o peso e a detecção oportuna da retenção de líquidos no corpo, a pesagem diária deve ser realizada na mesma hora do dia.

Atualmente, os seguintes medicamentos são utilizados para tratar a insuficiência cardíaca, o que contribui para: • aumentar a contratilidade miocárdica; • diminuição do tônus ​​vascular; • reduzir a retenção de líquidos no corpo; • eliminação de taquicardia sinusal; • prevenção de trombose nas cavidades do coração.

Entre os fármacos que aumentam a contratilidade miocárdica, destacam-se os chamados glicosídeos cardíacos (digoxina, etc.) utilizados por vários séculos. Os glicosídeos cardíacos aumentam a função de bombeamento do coração e a micção (diurese) e também contribuem para uma melhor tolerância à atividade física.

shutterstock 470445872 - Sintomas e tratamento de insuficiência cardíaca

Entre os principais efeitos colaterais observados durante a overdose, noto náusea, aparecimento de arritmias e mudança na percepção das cores. Se nos últimos anos foram prescritos glicósidos cardíacos para todos os pacientes com insuficiência cardíaca, agora eles são prescritos principalmente para pacientes com insuficiência cardíaca em combinação com a chamada fibrilação atrial.

Os medicamentos que reduzem o tônus ​​dos vasos sanguíneos incluem os chamados vasodilatadores (das palavras latinas vas e dilatatio - “vasodilatação”). Existem vasodilatadores com efeito predominante nas artérias, veias, bem como drogas de ação mista (artérias das veias). Os vasodilatadores de dilatação arterial ajudam a reduzir a resistência criada pelas artérias durante a contração cardíaca, resultando em aumento do débito cardíaco.

Vasodilatadores que expandem as veias contribuem para um aumento da capacidade venosa. Isso significa que o volume de sangue contido nas veias aumenta, como resultado do qual a pressão nos ventrículos do coração diminui e o débito cardíaco aumenta. A combinação dos efeitos dos vasodilatadores arteriais e venosos reduz a gravidade da hipertrofia miocárdica e o grau de dilatação das cavidades cardíacas.

Os vasodilatadores do tipo misto incluem os chamados inibidores da enzima de conversão da angiotensina (ECA). Vou citar alguns deles: captopril, enalapril, perindopril, lisinopril, ramipril. Atualmente, são os inibidores da ECA os principais medicamentos utilizados no tratamento da insuficiência cardíaca crônica.

Como resultado da ação dos inibidores da ECA, a tolerância ao exercício aumenta significativamente, o suprimento sanguíneo para o coração e o débito cardíaco melhora e a micção aumenta. O efeito colateral mais comumente relatado associado ao uso de todos os inibidores da ECA é uma tosse seca e irritante ("como se estivesse fazendo cócegas com uma escova na garganta").

Como alternativa aos inibidores da ECA em caso de tosse, atualmente são utilizados os chamados bloqueadores dos receptores da angiotensina II (losartan, valsartan, etc.).

Primeiros socorros para uma pessoa com um ataque

Em um ataque agudo, 3 minutos são suficientes para prejudicar a função ventricular. Se tal situação surgir, deve ser prestada assistência imediata. A hospitalização é necessária, portanto, a ajuda deve ser solicitada imediatamente após os primeiros sinais.

Em primeiro lugar, chame imediatamente uma ambulância, tranquilize o paciente. Eles próprios também não devem entrar em pânico, uma vez que a ansiedade só piora o estado de saúde da pessoa. Se o ataque ocorrer em ambientes fechados, é recomendável fornecer ar fresco. Desabotoar os botões superiores da roupa, facilitando a respiração do paciente.

Antes da chegada dos especialistas, é recomendável colocar a vítima em uma posição semi-sentada, isso ajudará o sangue a se mover para as pernas. Depois de alguns minutos, aplique um torniquete na área da coxa. Coloque nitroglicerina sob a língua, repita o medicamento a cada 10 minutos. Se possível, controle a pressão.

%D1%81%D0%B5%D1%80%D0%B4%D0%B5%D1%87%D0%BD%D0%B0%D1%8F %D0%BD%D0%B5%D0%B4%D0%BE%D1%81%D1%82%D0%B0%D1%82%D0%BE%D1%87%D0%BD%D0%BE%D1%81%D1%82%D1%8C6 - Heart failure symptoms and treatment

Os primeiros socorros para insuficiência cardíaca são principalmente necessários para doenças agudas, quando o risco de infarto do miocárdio aumenta. Somente uma equipe de ressuscitadores com equipamentos especiais pode ajudar na qualificação. Portanto, você precisa chamar urgentemente uma ambulância.

Enquanto espera médicos, forneça os primeiros socorros para insuficiência cardíaca aguda:

  • assente o paciente colocando travesseiros;
  • dê a ele um comprimido de nitroglicerina;
  • fornecer acesso aéreo.

Se o paciente perder a consciência, é necessária uma massagem cardíaca indireta.

Gripe da idade e fatores de risco

O prognóstico para insuficiência aguda piora se a freqüência cardíaca estiver significativamente comprometida. Também afeta o sexo e a idade do paciente. As mulheres se recuperam mais rápido que os homens. Além disso, um prognóstico favorável é observado em pessoas com menos de 65 anos de idade quando comparadas com pacientes com idade superior a essa idade.

Até 50 anos, é mais provável que um homem sofra de doenças cardíacas do que uma mulher. Após esse marco, a probabilidade é igualada. Ataques cardíacos em pessoas com menos de 40 anos de idade são raros.

Desde os 45 anos, nos homens, a principal causa de morte é a insuficiência cardíaca aguda. Nas mulheres, depois dos 65 anos.

Importante! Doença coronariana em pais, avós - uma alta probabilidade de desenvolver patologia na posteridade.

Note-se que mais da metade das mortes por insuficiência cardíaca é causada por provocadores como:

  • Fumar. Tal exercício dobra o risco de desenvolver um ataque cardíaco. Fumantes de longa data que param de fumar podem melhorar significativamente sua saúde;
  • Estilo de vida passivo. A atividade física é necessária em qualquer idade. Os exercícios são selecionados individualmente, mas de acordo com o padrão, uma caminhada de 30 minutos por dia é suficiente para manter a saúde de uma pessoa;
  • Colesterol alto. Com um ligeiro aumento no nível, o risco de desenvolver patologia aumenta várias vezes. Nesse caso, recomenda-se equilibrar a dieta;
  • Hipertensão 50 milhões de pessoas têm pressão alta. A doença prossegue sem sinais pronunciados, razão pela qual é perigosa;
  • Diabetes As pessoas com esta doença correm o risco de deixar este mundo com mais frequência do que estão doentes sem um diagnóstico semelhante. Recomenda-se manter os níveis de açúcar em uma escala ideal, mudar o estilo de vida, tomar medicamentos;
  • Álcool O consumo moderado de refrigerantes reduz o desenvolvimento de insuficiência cardíaca aguda em 40%;
  • Obesidade Com excesso de peso superior a 20%, o risco de doença cardíaca dobra. O lugar mais perigoso para armazenar gordura é o estômago.

Prevenção

Para prevenir complicações da doença, as medidas preventivas são as seguintes: alimentação adequada e variada, praticar exercícios regularmente, manter rotinas diárias, abandonar hábitos ruins e, frequentemente, visitar um cardiologist. Os pacientes precisam se movimentar fisicamente constantemente, por exemplo, caminhando rápido por 30-50 minutos por dia.

Para evitar insuficiência cardíaca aguda, você deve:

  • visite um médico pelo menos duas vezes por ano, especialmente se houver doenças crônicas do sistema cardiovascular;
  • parar de fumar e abuso de álcool;
  • evitar estresse psicoemocional;
  • manter o peso corporal ideal;
  • prover atividade física regular;
  • monitorar indicadores de pressão arterial;
  • comer de forma racional e equilibrada, consumir alimentos que contenham mais fibras, recusar frituras, quentes e picantes;
  • monitorar o colesterol.

O cumprimento dessas recomendações reduzirá a probabilidade de desenvolver insuficiência cardíaca aguda.

A prevenção e a correção do estilo de vida ajudarão a reduzir a probabilidade de desenvolver insuficiência cardíaca aguda.

Um pré-requisito é uma visita a um cardiologista duas vezes por ano. Assim, você pode identificar o problema no estágio inicial.

Você não pode expor o corpo a intenso esforço físico.

Isto é especialmente verdade para pessoas despreparadas. Evite a gordura corporal, monitore a nutrição e a ingestão de sal.

É aconselhável fazer uma caminhada diária ao ar livre e começar a nadar. Com uma estadia constante na sala, a inatividade física pode se desenvolver.

Previsão

O prognóstico que pode ser dado para esta doença depende inteiramente de sua gravidade. Com o tratamento oportuno, o uso de meios modernos, a mortalidade é reduzida para 30%. Nos estágios iniciais da doença, o medicamento pode ajudar a estabilizar os sintomas; esta é uma chance de aumentar a vida útil do paciente. Se você realizar corretamente todas as consultas de um especialista, a doença vai desacelerar por meses ou muitos anos.

Segundo as estatísticas, em pacientes com insuficiência nos estágios finais perigosos, a mortalidade aumenta para 70%. Nos primeiros estágios, esta doença pode ser curada. Segundo os cientistas, quase 50% dos pacientes diagnosticados com insuficiência vivem cinco ou mais anos, praticando esportes e levando um estilo de vida normal. No entanto, você não pode se livrar completamente desta doença.

O prognóstico da AHF é determinado pela doença que a provocou. O prognóstico da insuficiência cardíaca é sempre desfavorável, portanto, como causa da morte, a insuficiência cardíaca aguda é mencionada com bastante frequência.

Dentro de um ano após a hospitalização com IHF, 17% dos pacientes morrem, bem como 7% observados em nível ambulatorial. Muitas vezes (30-50%) pessoas com insuficiência cardíaca aguda morrem subitamente de arritmias cardíacas graves.

Portanto, é muito importante que os pacientes em tratamento ambulatorial tomem regularmente medicamentos prescritos e mantenham um estilo de vida saudável.

Somente uma estrita adesão às recomendações do médico assistente melhorará a qualidade de vida e evitará mais hospitalizações repetidas.

Você ou seus entes queridos foram diagnosticados com insuficiência cardíaca aguda? Como você lidou com essa doença? Conte-nos sobre isso nos comentários - ajude outros leitores!

Nutrição e rotina diária

A refeição deve ser fracionada: 5-6 vezes ao dia em pequenas porções. Limite o uso de carne, sal, exclua carnes defumadas, chocolate, álcool. Para reabastecer a força, os pacientes devem comer alimentos ricos em potássio: trigo sarraceno e aveia, banana, damasco seco, couve de Bruxelas, etc. Prescreva uma dieta de proteínas e vitaminas.

O regime do dia depende da forma da doença. Na forma aguda, apenas a paz é necessária. Na crônica, pelo contrário, a paz é contra-indicada. O paciente é recomendado moderação em atividade física, um sistema especial de exercícios é desenvolvido para a prevenção da doença.

Tatyana Jakowenko

Editor-chefe da Detonic revista online, cardiologista Yakovenko-Plahotnaya Tatyana. Autor de mais de 950 artigos científicos, inclusive em revistas médicas estrangeiras. Ele tem trabalhado como um cardiologista em um hospital clínico há mais de 12 anos. Possui modernos métodos de diagnóstico e tratamento de doenças cardiovasculares e os implementa em suas atividades profissionais. Por exemplo, usa métodos de reanimação do coração, decodificação de ECG, testes funcionais, ergometria cíclica e conhece muito bem a ecocardiografia.

Por 10 anos, ela tem participado ativamente de vários simpósios médicos e workshops para médicos - famílias, terapeutas e cardiologistas. Ele tem muitas publicações sobre estilo de vida saudável, diagnóstico e tratamento de doenças cardíacas e vasculares.

Ele monitora regularmente novas publicações de europeus e americanos cardiolrevistas científicas, escreve artigos científicos, prepara relatórios em conferências científicas e participa em conferências europeias cardiology congresses.

Detonic