Os primeiros sinais de infarto do miocárdio em mulheres e homens e primeiros socorros

  • estilo de vida sedentário;
  • comida com excesso de gordura;
  • compulsão alimentar;
  • hipertensão;
  • maus hábitos

O MI é uma doença muito séria e perigosa. Devido a isquemia do miocárdio e distúrbios metabólicos, algumas das células contráteis do miocárdio morrem, que são substituídas por células conectivas que não são capazes de contrair. Uma cicatriz se forma no coração, o que leva a uma deterioração em seu trabalho. Segundo as estatísticas das mulheres, essa patologia afeta 2 vezes menos que os homens.

O infarto do miocárdio ocorre em mulheres após 50 anos. Em uma idade jovem, os hormônios femininos (estrógenos), capazes de dilatar os vasos coronários, reduzem o risco de ataque cardíaco. A quantidade desses hormônios na idade pós-menopausa diminui acentuadamente, sua proteção deixa de agir. Especialmente nesta faixa etária, o sexo mais justo precisa estar alerta.

Você precisa conhecer os sinais de um ataque cardíaco em uma mulher. Eles são divididos em distantes e próximos. O sinal distante mais formidável é a DIC (doença cardíaca coronária). Um ataque cardíaco é uma complicação e consequência desta doença, cujo tratamento não pode ser negligenciado. Com doença cardíaca coronária, você deve estar constantemente sob a supervisão do seu médico e seguir as recomendações dele.

Um fator fundamental no desenvolvimento de infarto agudo do miocárdio é a aterosclerose dos vasos sanguíneos, especialmente os coronarianos, que fornecem fluxo sanguíneo ao coração.

Mesmo em tenra idade, a causa dessa patologia pode ser:

  1. Sobrecarregado pela hereditariedade, aterosclerose em parentes.
  2. Metabolismo lipídico prejudicado, colesterol alto e uma fração prejudicial de lipoproteínas de baixa densidade.
  3. Dislipoproteinemia.
  4. Obesidade, excesso de nutrição de alimentos gordurosos e carboidratos.
  5. Tabagismo e uso frequente de álcool e drogas.

Além da aterosclerose, a hipertensão arterial, distúrbios hormonais ou metabólicos aumentam o risco de ataque cardíaco. Em mulheres com menos de 45 anos, a causa de um ataque cardíaco pode ser deficiência de estrogênio como resultado de um ciclo menstrual irregular, falta de ovulação, com o início de uma menopausa precoce ou após o uso de medicamentos que inibem a produção de estrogênio.

A causa da patologia coronariana pode ser:

  1. Espasmos vasospásticos das artérias coronárias.
  2. Estrutura anômala dos vasos do coração.
  3. Fibrose secundária de artérias coronárias de natureza contagiosa - alérgica, tóxica.
  4. Violação da coagulabilidade do sangue ao tomar contraceptivos ou medicamentos hormonais.
  5. Grande perda de sangue e desidratação grave contribuem para o espessamento do sangue.
  6. Hipercoagulação leva à formação de coágulos sanguíneos, trombose dos vasos coronários.
  7. A situação é agravada pela obesidade em tenra idade.
  8. Em casos raros, uma ruptura da artéria coronária (dissecção) pode provocar um ataque cardíaco durante ou após o parto.

A exclusão de circunstâncias propícias ao desenvolvimento de doença cardíaca coronária pode levar a um aumento do tempo de vida dos idosos em cinco a seis anos, avançado - em dois a três anos.

Leia o material relacionado: Pressão nos idosos

O que é infarto do miocárdio?

O infarto do miocárdio é uma forma de doença cardíaca coronária. A doença prossegue com o desenvolvimento de necrose isquêmica do local do miocárdio, acompanhada por falta total ou parcial de suprimento sanguíneo. Nos últimos 20 anos, a mortalidade por essa doença entre os homens aumentou 60%. Um ataque cardíaco durante esse período foi muito jovem.

Hoje, um ataque cardíaco em uma pessoa de trinta anos não surpreende ninguém. Mulheres antes dos 50 anos não haviam sido afetadas por essa doença, embora, tendo ultrapassado essa faixa etária, a incidência em mulheres tenha sido comparada à incidência em homens. Uma pessoa que sofreu um ataque cardíaco sofre de incapacidade e a taxa de mortalidade entre todos os pacientes é de 10 a 12%.

Sintomas de infarto do miocárdio

As pessoas que sofreram um ataque cardíaco falam dele como um ataque muito sério e terrível. O principal sintoma do infarto do miocárdio é dor intensa no peito. A dor é tão forte que a vontade do paciente fica completamente paralisada. Uma pessoa tem a idéia de quase morte. A dor perturba constantemente, independentemente da atividade física, geralmente se espalha para o ombro e o braço, o pescoço e a mandíbula. Novamente, a dor pode ser não apenas constante, mas também intermitente.

Como mostra a prática médica, em quase 25% dos pacientes ocorre um ataque cardíaco sem sintomas especiais, também chamado de "isquemia silenciosa" ou "ataque cardíaco silencioso". No entanto, a ausência de sintomas não significa que o músculo cardíaco não esteja danificado.

Muitas vezes, ou melhor, em 95% dos casos, a causa do infarto do miocárdio é a trombose da artéria coronária na área da placa aterosclerótica. Assim que a placa aterosclerótica se rompe, sua erosão (a formação de uma úlcera na superfície da placa) ou uma rachadura no revestimento interno do vaso, plaquetas e outras células sanguíneas ficam presas ao local do dano. Um "plaqueta" é formado.

Além disso, torna-se mais denso, cresce em volume e, no final, bloqueia completamente o lúmen da artéria. Isso é chamado de oclusão. A artéria bloqueada fornece oxigênio às células do músculo cardíaco, e o suprimento desse oxigênio é suficiente por cerca de 10 segundos. Depois disso, por mais 30 minutos, o músculo cardíaco permanece viável.

Sinais de infarto do miocárdio

- Respiração intermitente frequente

- Batimentos cardíacos irregulares rápidos

- Pulso rápido fraco nos membros

- Desmaio (síncope) ou perda de consciência

Sintomas distintos do pré-infarto

Os primeiros sinais de um ataque cardíaco em mulheres podem ocorrer muito antes do ataque. O estado pré-infarto é caracterizado por fadiga sem causa.

Recursos adicionais são:

  • Insônia.
  • Suor frio.
  • Ronco.
  • Pare de respirar em um sonho.
  • Violações do trato digestivo.
  • Pressionando dores no peito, estendendo-se para o braço e ombro.
  • Desejo frequente de urinar.
  • Dor de cabeça.
  • Sangramento nas gengivas.

Todos esses sintomas nas mulheres se desenvolvem em meio à circulação insuficiente. Além disso, as mulheres podem experimentar aumento da pressão e inchaço das extremidades inferiores. Na maioria das vezes, as mulheres não consultam imediatamente um médico. Isso se deve ao fato de que eles são mais pacientes com dor e chamam uma ambulância já no momento de um ataque agudo.

O primeiro sintoma de um ataque é, obviamente, dor no peito no lado esquerdo. Essa dor pode ser causada no braço, pescoço, escápula, maxilar inferior, dentes e nuca. O sintoma da dor não é interrompido pela nitroglicerina. Os ataques podem ser repetidos em intervalos curtos por várias horas.

O segundo sintoma característico é falta de ar. Pode ocorrer com cargas leves e mesmo em repouso. A combinação de falta de ar e dor no peito é uma ocasião para chamar urgentemente uma ambulância.

Outros sintomas característicos das mulheres com infarto do miocárdio são:

  • Pressão arterial baixa.
  • Secreção de suor frio.
  • Baixando a temperatura corporal.
  • Dormência das mãos.
  • Tontura e náusea.
  • Discurso e coordenação prejudicados.
  • Sentimento de medo, pânico.

Todos esses sinais pertencem a uma forma típica de patologia. No entanto, muitas vezes os sintomas de um ataque cardíaco nas mulheres podem se disfarçar de outras doenças. Formas atípicas de patologia podem manifestar os seguintes sintomas:

  • Espasmo brônquico.
  • Edema pulmonar.
  • Náusea.
  • Vômitos.
  • Dor abdominal.
  • Dor de cabeça.
  • Deficiência visual.
  • Perda de consciência.

Por que a patologia se desenvolve

O infarto do miocárdio em mulheres pode se desenvolver no contexto de várias doenças do sistema cardiovascular. Tudo começa com o desenvolvimento de isquemia, angina de peito e arritmia. Todas essas doenças sem tratamento oportuno podem levar ao desenvolvimento de um ataque cardíaco. O ataque se desenvolve no momento em que a artéria coronária está entupida. As células do miocárdio começam a morrer por falta de oxigênio. O músculo não pode mais se contrair completamente.

O grupo de risco inclui mulheres com as seguintes doenças:

  • Diabetes.
  • Excesso de peso.
  • Aterosclerose.
  • Reumatismo.
  • Doença cardíaca.
  • Insuficiência cardíaca.
  • Maus hábitos.

Além dos riscos médicos de desenvolver doenças cardíacas, também existem fatores domésticos que exacerbam a situação e aumentam significativamente o risco de ataque cardíaco. Entre os riscos domésticos, os médicos distinguem:

  • Estresse.
  • Estilo de vida sedentário.
  • Comida incorreta.
  • Ecologia ruim.

Ao contrário dos homens, as mulheres têm uma defesa natural contra esta doença. O fato é que o corpo feminino produz um hormônio específico, o estrogênio, que impede o estreitamento dos vasos sanguíneos e reduz o risco de doença cardíaca coronária.

Se a patologia se desenvolve, isso acontece em uma idade mais avançada - mais perto dos 60 anos, quando o período da menopausa se instala e a quantidade de estrogênio diminui acentuadamente. Se a doença ultrapassou uma mulher em uma idade mais jovem, houve causas específicas que desempenharam o papel de um gatilho.

Sinais de infarto do miocárdio extenso, agudo e muito próximo e iminente em mulheres e homens

Segundo as estatísticas, as mulheres sofrem com infarto do miocárdio com muito menos frequência do que os homens. O fundo hormonal os protege da estenose vascular. Mas, apesar disso, a patologia é cada vez mais registrada nas mulheres. Os médicos atribuem isso ao ritmo moderno da vida, quando as mulheres carregam cargas enormes, estão em constante estresse e não se preocupam com sua saúde. Na maioria das vezes, a patologia ocorre em mulheres durante a menopausa, mas os pacientes jovens às vezes vão a hospitais com esse diagnóstico.

O ataque cardíaco nas mulheres tem características próprias. Se os homens costumam sofrer um ataque de forma aguda, as mulheres podem sofrer mal-estar alguns dias antes do desastre. Isso se justifica pelo fato de as mulheres terem tamanhos menores do músculo cardíaco, e o pulso geralmente é um pouco mais rápido.

Os sinais e sintomas de um infarto do miocárdio se manifestam e se tornam visíveis cerca de um mês antes do desastre com os vasos sanguíneos do coração. Você ainda pode evitar a tragédia se recorrer a um cardiologista a tempo, for submetido a exame e tratamento para fortalecer os vasos coronários.

  • ronco e paradas curtas em um sonho. Tal insuficiência respiratória, ronco e apneia levam a uma violação do suprimento de oxigênio ao coração, isquemia do músculo cardíaco;
  • fadiga prolongada e inexplicável;
  • insônia;
  • doença periodontal (dor e sangramento nas gengivas) - suprimento sanguíneo periférico insuficiente, como sinal de patologia cardíaca;
  • inchaço das extremidades inferiores - retardo na retirada do líquido, o que indica função cardíaca fraca;
  • dor no ombro esquerdo - um sinal de angina de peito;
  • falta de ar, falta de ar - insuficiência cardíaca;
  • dor de cabeça acompanhada de aumento da pressão;
  • micção freqüente à noite.

A necrose miocárdica é um processo irreversível. Muitas vezes, nas mulheres, os sinais iniciais de uma condição pré-infarto são leves ou se assemelham a outras doenças. O sexo mais fraco é caracterizado pela paciência e um alto limiar de dor. As mulheres costumam suportar até o fim, até que ocorra dano irreversível aos vasos coronários. Apesar da afirmação de estatísticas de que um ataque cardíaco nos homens ocorre com mais frequência do que nas mulheres, nas mulheres, muitas vezes termina na morte.

O momento mais perigoso para pessoas com patologias do sistema cardiovascular é o período de entressafra. A reestruturação do corpo e a falta de nutrientes são refletidas especialmente nas pessoas expostas. Recomendamos misturar coquetéis: nozes, damascos secos, mel (proporção 1: 1: 1), misture e dilua com água quente para fortalecer o músculo cardíaco. Beba 3-4 vezes ao dia.

Se possível, meça a pressão. A baixa pressão, você não pode beber nitroglicerina, isso pode agravar a condição do paciente. Sob pressão normal, dê um comprimido de nitroglicerina. Valocordin e validol não ajudam na estenose aguda. Tentar aliviar a dor com uma almofada de aquecimento quente é inútil. Ofereça ao paciente a realização de exercícios respiratórios: respire superficialmente, faça pequenas respirações e exalações com o nariz para saturar os órgãos com oxigênio e equalizar o pulso.

Algumas mulheres são infinitamente pacientes e se recusam a chamar um médico, mas às vezes esse atraso pode custar uma vida. A tempo de parar um ataque cardíaco e evitar consequências sérias, e às vezes tristes, apenas os médicos. Ligue para o atendimento de emergência sem esperar pela condição crítica da mulher. Nem uma única pessoa foi capaz de sofrer um ataque cardíaco nas pernas.

Nos últimos anos, um ataque cardíaco, como muitas outras doenças, tornou-se mais jovem. No entanto, o risco de ataque cardíaco é mais provável na idade pré-aposentadoria e aposentadoria. As doenças vasculares são agravadas com a idade devido ao entupimento do corpo com toxinas e toxinas, os vasos sanguíneos perdem sua elasticidade, os canais sanguíneos estreitam os coágulos sanguíneos e os depósitos de gordura nas paredes.

As mulheres jovens não são imunes a ataques cardíacos, se houver predisposição hereditária, excesso de trabalho e estresse e doença vascular crônica. Um fator de risco para mulheres de 18 a 30 anos é o uso prolongado de contraceptivos orais, que provocam doenças vasculares.

Mulheres de 30 a 45 anos. Para essa idade, fatores que provocam ataques cardíacos: estresse, tabagismo, tensão constante. Nesta idade ativa, uma mulher tem que combinar trabalho, paternidade, cuidar de sua família e cuidar de seus pais idosos.

Mulheres de 45 a 60 anos são a faixa etária com maior risco de ataque cardíaco. Doenças crônicas adquiridas com a idade, uma diminuição no hormônio feminino estrogênio no sangue aumenta um ataque.

Mulheres com 60 anos ou mais estão conscientes de sua saúde. Eles controlam a pressão arterial, mais frequentemente fazem um exame de sangue para controlar o açúcar, visitam os médicos. E, graças a isso, as estatísticas mostram uma diminuição na porcentagem de ataque cardíaco em mulheres após os 60 anos.

  • Antes de tudo, vale dizer que o infarto do miocárdio é um processo de necrose de uma certa parte do músculo cardíaco (miocárdio) como resultado da limitação ou interrupção do suprimento sanguíneo.
  • Na maioria das vezes, uma doença desse tipo afeta pessoas idosas. No entanto, estatísticas modernas indicam que o infarto do miocárdio é significativamente mais jovem - os casos de manifestação dessa doença em pessoas após os 30 anos e, às vezes, até 30 anos, tornaram-se mais frequentes.
  • Os sintomas de infarto do miocárdio em pessoas após 50 anos dependerão diretamente da gravidade da doença.
  • Também é importante notar que os sinais de um ataque cardíaco em seus vários estágios diferem significativamente.

Cardiolos ogistas chamam 5 estágios do infarto do miocárdio:

  1. O pré-infarto (ruptura de uma placa aterosclerótica, a formação de um coágulo sanguíneo, o bloqueio da artéria coronária) - dura de alguns dias a várias semanas e não aparece em todos os casos.
  2. Agudo (uma zona de necrose do miocárdio é formada) - dura de 20 minutos a 4 horas e é caracterizada por isquemia.
  3. Aguda (fusão dos tecidos do músculo cardíaco como resultado de enzimas) - dura de 2 dias a 2 semanas.
  4. Subagudo (cicatrização do tecido do infarto do miocárdio) - tem uma duração de 4-8 semanas.
  5. Pós-infarto (caracterizado por cicatrização completa da área afetada do músculo e dependência do miocárdio pela cicatriz).

No período pré-infarto, os pacientes podem apresentar os seguintes sintomas:

  1. Arbitrária, dor repetida no coração, com duração de pelo menos 15 minutos e decorrente, tanto como resultado de esforço físico, como em estado de repouso completo.
  2. Taquicardia.
  3. Sensação de falta de ar.
  4. A chegada do suor frio.
  5. A falta de efeito após tomar nitroglicerina ou a necessidade de aumentar sua dose.

O estágio agudo do infarto do miocárdio é caracterizado pela presença dos seguintes sintomas:

  1. Dor aguda, cortante e penetrante na região do coração e atrás do esterno, estendendo-se frequentemente para o braço esquerdo, omoplata, parte do pescoço e mandíbula com duração de pelo menos meia hora.
  2. Ataques de pânico na forma de um medo aterrorizante da morte e sua inevitabilidade.
  3. Impotência e fraqueza.
  4. Pele pálida.
  5. Respiração rápida e intermitente.
  6. Batimento cardíaco rápido e irregular.
  7. A chegada do suor frio.
  8. Náusea, vômito.
  9. Saltos repentinos na pressão sanguínea.
  10. Lábios e pele azuis.
  11. Ocasionalmente, a temperatura corporal sobe para 38 graus.

O estágio agudo do infarto do miocárdio se manifesta pelos seguintes sintomas:

  1. A redução ou desaparecimento completo da dor no coração.
  2. Calafrios prolongados (cerca de uma semana).
  3. Tonturas e olheiras diante dos olhos.
  4. Dispnéia.
  5. Tonalidade azulada das unhas e triângulo nasolabial.
  6. Pressão alta.
  7. A presença de um alto nível de glóbulos brancos no sangue.
  8. VHS alto.

Os sintomas do estágio subagudo do infarto do miocárdio são caracterizados pela redução de todos os sinais anormais da doença e pela estabilização gradual da condição do paciente.

No estágio pós-infarto, absolutamente todos os sintomas desaparecem e os testes retornam ao normal.

Os principais sintomas de infarto do miocárdio em pessoas após 40 anos são:

  • Dores fortes, compressivas e costuradas no coração, peito, atrás do esterno.
  • A dor pode ser causada no ombro esquerdo (às vezes direito), pescoço, clavícula, mandíbula.
  • A aparência do medo animal da morte.
  • Pânico e falta de controle do paciente.
  • Suor frio e pegajoso entra.
  • Pulso rápido.
  • Pele pálida ou cinza do rosto.
  • Falta de ar, sufocando.
  • Arritmia do coração.
  • Náusea, vômito e febre (em casos raros).
  • Curiosamente, mas nessa idade o infarto do miocárdio pode acontecer.
  • Os jovens e suas famílias geralmente descartam ou até impedem a ideia de que sintomas perturbadores são sinais dessa doença em particular.
  • Em uma idade tão jovem, dor de estômago, náusea, vômito, diarréia podem se juntar aos sintomas já apresentados no artigo acima.
  • No restante, o quadro clínico permanece o mesmo, tanto para pacientes com idade entre 40 e 50 anos quanto para jovens com menos de 40 anos.
  • A dificuldade em diagnosticar infarto do miocárdio em idosos é facilmente explicada pela presença de várias doenças e condições relacionadas à idade que apresentam sintomas semelhantes.
  • É por isso que o estágio pré-infarto da doença em idosos costuma passar quase imperceptivelmente.
  • Taquicardia, formigamento no peito, saltos na pressão arterial e medo da morte, característica do infarto do miocárdio, são comuns na maioria das pessoas idosas.
  • É especialmente difícil surpreender as mulheres com menopausa com tais sintomas - suor frio, palpitações cardíacas e medos constantes não são estranhos para elas.
  • Dependendo do tamanho de uma seção do músculo cardíaco que afeta um ataque cardíaco, é classificada em pequena focal e extensa.
  • Um ataque cardíaco extenso é uma forma mais complexa e perigosa de necrose do músculo cardíaco.
  • Seus sintomas geralmente não são diferentes dos sintomas de infarto focal pequeno.
  • Houve casos em que os pacientes não sentiram nenhum desconforto, mesmo com extenso ataque cardíaco.
  • O pequeno enfoque focal e o microinfarto podem se fazer sentir com sinais óbvios característicos de necrose extensa e aguda do músculo cardíaco.
  • No entanto, às vezes esses tipos de ataques cardíacos não se manifestam de maneira alguma - uma pessoa só pode sentir fraqueza, dores no corpo, formigamento no peito e febre.
  • Esses sintomas são muito fáceis de confundir com sinais de uma SARS comum ou um resfriado.
  • Para excluir o infarto do miocárdio, é necessário tomar nitroglicerina ou outro medicamento que diminua a pressão sanguínea e alivia o espasmo vascular.
  • Se, depois de tomar este medicamento, o alívio não chegar, é imperativo chamar a ambulância.
  • Se você tomar medidas a tempo para o infarto do miocárdio, poderá evitar várias consequências.

Sinais de infarto do miocárdio - o que fazer: primeiros socorros

Se ocorrerem sintomas próximos, é impossível atrasar a chamada de uma ambulância. Especialmente com dor no peito e falta de ar em conjunto. Por um curto período de tempo, pode ocorrer um ataque cardíaco - necrose das células do miocárdio e o quão extenso será depende da velocidade do atendimento.

  • dor no lado esquerdo do peito, estendendo-se para o ombro, atrás do esterno, no abdome superior (sensação de peso, formigamento, sensação de queimação). Dura várias horas intermitentemente, não passa depois de tomar nitroglicerina. A dor pode ocorrer em diferentes partes do corpo: o braço esquerdo, cotovelo, omoplata, aparecem na parte de trás da cabeça, na área da mandíbula com dor de dente;
  • marcha instável, olheiras sob os olhos;
  • a redução da pressão é relativamente normal para uma mulher em particular;
  • falta de ar com pouco esforço físico;
  • aumento da transpiração (suor frio), pele pegajosa e fria ao toque;
  • dormência e formigamento nos dedos, estendendo-se até o cotovelo e antebraço;
  • tonturas e náuseas;
  • coordenação prejudicada e fala arrastada,
  • uma condição semelhante à intoxicação, que indica isquemia miocárdica aguda;
  • ansiedade, medo da morte, pânico devido ao fornecimento insuficiente de oxigênio ao cérebro.

Às vezes, os sintomas de um ataque cardíaco em mulheres podem se assemelhar a outras doenças:

  • falta de ar, sinais de broncoespasmo asmático, edema pulmonar;
  • dor abdominal, náusea, vômito e fraqueza - sintomas semelhantes a um ataque de pancreatite;
  • tonturas e dores de cabeça, visão turva, consciência prejudicada e neurose são sintomas neurológicos.

A principal característica de um ataque cardíaco em tenra idade é um início agudo no contexto de completo bem-estar, a ausência de precursores de patologia cardíaca. A maioria dos pacientes não tem histórico de dor isquêmica no coração ou relata alguma deterioração do bem-estar em uma ou duas semanas.

  • fraqueza irracional, após o repouso e em repouso;
  • deterioração acentuada durante o dia, horas;
  • tonturas, mãos trêmulas, pernas fracas e sudorese;
  • dores doloridas no estômago e na região epigástrica;
  • indigestão, desconforto abdominal;
  • nausea e vomito;
  • um ataque asmático de broncoespasmo;
  • uma combinação de fraqueza, falta de ar e aumento da ansiedade, mesmo em repouso;
  • o aparecimento de dor na metade esquerda do abdome com radiação nas costas ou no espaço interescapular;
  • sensação de compressão ou dormência do pescoço e peito à esquerda, desconforto ou formigamento na mão esquerda;
  • dormência, resfriamento e dor no queixo e mandíbula à esquerda, dor de dente;
  • dor de cabeça, visão turva, falta de ar inalado, uma condição próxima ao desmaio.

Dada a manifestação atípica de um ataque cardíaco em tenra idade, muitos pacientes não procuram ajuda médica e tentam tratamento por conta própria, acreditando que a causa da deterioração foi um resfriado, um trato gastrointestinal perturbado ou gripe. Isso, por sua vez, aumenta o risco de detecção tardia.

Em uma idade mais avançada, uma manifestação mais típica de um ataque cardíaco é característica. Os principais sinais de um ataque cardíaco em mulheres com mais de 50 anos:

  • dor aguda no coração, no peito ou atrás do esterno é o primeiro sinal de ataque em mulheres mais velhas;
  • a dor pode ser sentida na metade esquerda do tronco, pescoço e peito, costas e costas;
  • possível irradiação de dor entre as omoplatas ou na área da face ou atrás da orelha;
  • aumento repentino de falta de ar e sensação de falta de oxigênio no ar inalado;
  • no contexto da instabilidade da pressão arterial, a fraqueza se desenvolve;
  • tonturas, pensamentos embaçados, visão embaçada;
  • fraqueza nas pernas e braços, uma condição semelhante ao desmaio;
  • pode haver distúrbio do trato gastrointestinal, dor de estômago, desconforto;
  • o medo e o pânico se intensificam à medida que a dor aumenta.

Um eletrocardiograma do coração permite não apenas diagnosticar a presença de infarto do miocárdio, mas também identificar sua localização e a profundidade dos danos no músculo cardíaco.

Usando um ECG, três áreas de danos ao músculo cardíaco podem ser determinadas:

  1. Local de necrose - no cardiograma é caracterizado por violações do complexo QRS, nas quais muitas vezes aparece uma onda Q patológica.
  2. O local do dano (localizado ao redor do local da necrose) - se manifesta por uma mudança no segmento ST.
  3. O local da isquemia (zona na borda com uma área saudável do músculo cardíaco) - corresponde a alterações na amplitude e polaridade do dente T.

Dada a profundidade dos danos ao músculo cardíaco, os seguintes tipos de infarto do miocárdio podem ser detectados no ECG:

  • Infarto transmural - caracterizado pela perda da onda R do complexo QRS, formando o complexo QS.
  • Infarto subpericárdico - caracterizado pela preservação do complexo QRS, metamorfose da onda T e depressão do segmento ST.
  • Infarto intramural - manifestado por metamorfose do complexo QRS, aumento e relação sexual do segmento ST com uma onda T positiva.
  • Às vezes, acontece que uma pessoa não sente nada de especial durante um infarto do miocárdio ou anula as sensações experimentadas para outras condições e doenças.
  • Nesses casos, temos que falar sobre um ataque cardíaco, realizado "em pé".
  • As conseqüências dessa condição podem não aparecer - o paciente só pode aprender sobre um ataque cardíaco experimentado por acidente em um eletrocardiograma.

Mas nem toda necrose miocárdica passa assim sem deixar vestígios - em alguns casos, doenças e condições que são consequência de um ataque cardíaco podem se desenvolver:

  • Uma queda acentuada na pressão sanguínea.
  • Edema pulmonar devido a insuficiência cardíaca aguda.
  • Separação de um coágulo de sangue.
  • Violação da integridade da parede do coração (em pessoas comuns, "coração partido").
  • Interrupções na ondulação.
  • Choque cardiogênico (falta de ar, declínio acentuado da pressão arterial, cianose do triângulo nasolabial e unhas).
  • Insuficiência cardíaca.
  • Cardiosclerose.
  • Arritmia.
  • Manifestações de embolia, aneurisma, trombose.

Todas essas condições, resultado de infarto do miocárdio, indicam apenas que você não deve ignorar nem os sintomas mais ilusórios dessa doença, mas imediatamente procurar ajuda de especialistas.

Ao primeiro sinal de infarto do miocárdio, você deve chamar uma ambulância. Enquanto a ambulância chega ao seu destino, você pode tomar várias medidas:

  • Deite o paciente no chão para que a cabeça fique um pouco mais alta que o nível do corpo.
  • Se o paciente estiver com falta de ar, é necessário plantá-lo de forma que as pernas estejam em uma posição elevada e dar um comprimido de nitroglicerina.
  • Se o paciente tiver pele pálida, batimentos cardíacos fracos e pressão arterial baixa, é aconselhável organizá-lo para que a cabeça fique em uma posição baixa - nesse caso, é melhor não dar nitroglicerina.
  • Se o paciente não tiver alergias, é aconselhável mastigar aspirina (300 g - meio comprimido) para acalmar a dor no peito.
  • Para tranquilizar uma pessoa, ela pode receber Valerianka, Valocordin ou mãe.
  • Um comprimido de Analgin ou outro medicamento anti-inflamatório não esteróide também ajudará a se livrar da dor intensa.

Se o coração do paciente parou, ele está inconsciente e o pulso praticamente não é sentido, é aconselhável tomar as seguintes medidas:

  • Para desfibrilar os ventrículos do coração, você pode tentar dar ao paciente um golpe exato e forte na região do coração.
  • Depois, é aconselhável começar a fazer uma massagem cardíaca indireta, pressionando alternadamente o peito com as mãos abertas (15 vezes) e fazendo 2 respirações e 2 exalações na boca, enquanto cobre o nariz.

Se o paciente não se recuperar, a massagem cardíaca e a respiração artificial devem continuar até a chegada da ambulância.

Caros leitores, chamamos sua atenção para o fato de que o infarto do miocárdio é uma das doenças mais perigosas e comuns atualmente. Milhões de pessoas morrem a cada ano, independentemente da idade e do status social. Portanto, não ignore os sintomas alarmantes, mas consulte urgentemente um médico com eles. Minutos preciosos podem salvar a sua vida ou de outra pessoa!

Os sinais de um ataque cardíaco nos homens geralmente têm uma forma pronunciada; às vezes, podem ser confundidos com alguns sintomas de outras doenças graves; no entanto, na maioria dos casos, sua manifestação combinada indica insuficiência cardíaca precisamente aguda, cuja aparência pode ser desencadeada por vários fatores.

As principais causas de ataque cardíaco nos homens incluem: aterosclerose, obstrução cirúrgica das artérias, defeitos cardíacos congênitos, espasmos das artérias coronárias, trombose, hipertensão arterial, diabetes mellitus.

O quadro clínico de um ataque cardíaco depende em grande parte do estágio de seu desenvolvimento. Os primeiros sinais de um ataque cardíaco nos homens geralmente aparecem mesmo na fase pré-infarto, na maioria dos casos são expressos:

  • o aparecimento de uma sensação prolongada de depressão, ansiedade e ansiedade;
  • exacerbação de ataques de angina (dor aguda atrás do esterno);
  • o aparecimento de taquicardia (palpitações cardíacas de até 90 ou mais batimentos por minuto).

Às vezes, o estágio do estado pré-infarto está ausente e o ataque cardíaco se desenvolve rapidamente, imediatamente a partir do período agudo. Nesses casos, os seguintes sintomas de um ataque cardíaco em homens podem aparecer:

  1. Dor intensa e prolongada no coração. Geralmente, com um ataque cardíaco, a dor ocorre repentinamente e dura pelo menos meia hora. Uma manifestação prolongada de tais sensações dolorosas indica um aumento no processo patológico no músculo cardíaco. Os médicos observam que essas dores são bastante persistentes, como regra, elas não desaparecem mesmo depois de tomar nitroglicerina, mas podem enfraquecer um pouco ou assumir outra forma (elas ficam queimando, pressionando, comprimindo, sem brilho, etc.). Apesar de geralmente a dor com um ataque cardíaco progressivo se manifestar principalmente na parte esquerda do esterno, ela também é capaz de alterar a localização, cobrindo a mandíbula inferior, pescoço, ombro esquerdo (braço), bem como a região interescapular .
  2. A pressão arterial aumenta. Na maioria das vezes, com um ataque cardíaco, a pressão aumenta primeiro e depois cai acentuadamente, caindo abaixo da fronteira 90/60. Tais saltos na pressão sanguínea são geralmente acompanhados de tontura, fraqueza, desmaios e náuseas e vômitos.
  3. Um aumento acentuado da temperatura. Geralmente, isso acontece algumas horas depois (próximo ao final do primeiro dia) após o aparecimento de dores cardíacas persistentes como resultado do envenenamento geral do orgasmo por massas necróticas que caíram no sangue. Um aumento de temperatura nesses casos geralmente é acompanhado pela palidez da pele e pelo aparecimento de um suor pegajoso frio ou quente.
  4. Um sintoma asmático de um ataque cardíaco na forma de ataques de asma. Tais ataques são caracterizados por falta de ar, respiração difícil e intermitente, bolhas e dor no peito.
Talvez você queira saber sobre o novo medicamento - Cardiol, que normaliza perfeitamente a pressão sanguínea. Cardiol cápsulas são uma excelente ferramenta para a prevenção de muitas doenças cardíacas, porque contêm componentes únicos. Este medicamento é superior em suas propriedades terapêuticas a esses medicamentos: Cardiline, Recardio, Detonic. Se você quiser saber informações detalhadas sobre Cardiol, Vá para o site do fabricante. Aqui você encontrará respostas para perguntas relacionadas ao uso deste medicamento, avaliações de clientes e médicos. Você também pode descobrir o Cardiol cápsulas no seu país e as condições de entrega. Algumas pessoas conseguem obter um desconto de 50% na compra deste medicamento (como fazer isso e comprar pílulas para o tratamento da hipertensão por 39 euros, está disponível no site oficial do fabricante).Cardiol cápsulas para o coração

Primeiros sinais

Sinais, sintomas e precursores precoces

  • respiração rápida e palpitações;
  • sudorese pesada;
  • palidez e fraqueza;
  • o pulso é fraco e rápido;
  • náusea;
  • desmaio.

Primeiros sinais

Além dos sintomas listados, são observados os primeiros sintomas de um ataque cardíaco nas mulheres, como falta de ar e falta de ar. Além disso, a maioria das mulheres em um estado pré-infarto experimenta desconforto no peito, dor na área do coração, que ocorre em uma ou nas duas mãos. Náuseas ou vômitos podem ocorrer. Outro sintoma é a ocorrência de suor frio pegajoso.

Se esses sinais forem detectados, diagnóstico e tratamento adequados devem ser realizados imediatamente, caso contrário, um ataque cardíaco ocorrerá.

Muitas vezes, há casos em que uma pessoa se sente muito bem, mas de repente ocorre um ataque prolongado de dor. Nem todo mundo é capaz de entender que isso é precisamente uma patologia do coração. Portanto, é importante conhecer as seguintes características da dor que acompanha o infarto do miocárdio:

  • um ataque cardíaco dura mais de 15 minutos;
  • se você tomar o medicamento “nitroglicerina”, a dor não desaparecerá, mas poderá enfraquecer;
  • se espalha para o braço esquerdo, pescoço, omoplata e mandíbula;
  • a principal zona de dor está na metade esquerda do esterno ou atrás do peito;
  • na maioria dos casos intenso, no entanto, é ondulado;
  • caracterizada por forte pressão e contração na área do peito.

Juntamente com esses recursos, também se manifestam sinais gerais de ataque cardíaco nas mulheres. Os sintomas encontrados antes da doença são complementados por uma cor de pele em mármore, pernas e lábios azuis e tontura.

As causas do infarto do miocárdio são conhecidas há muito tempo pela medicina. O mais comum é a aterosclerose dos vasos sanguíneos. Os vasos coronários são usados ​​para transferir oxigênio e nutrientes para as células musculares do coração. Durante um ataque, um coágulo de sangue se forma em um desses vasos e, em seguida, o coração para de funcionar após 10 segundos.

A causa de um ataque cardíaco pode ser obstrução devido à cirurgia. Além disso, a doença tem potencial para se desenvolver devido à embolização das artérias cardíacas ou espasmo dos vasos coronários.

Ainda existem alguns fatores que podem resultar em infarto do miocárdio. Os sintomas em mulheres com mais de 50 anos ou com diabetes mellitus ocorrem com mais frequência. O abuso de álcool e o fumo também aumentam a possibilidade de um ataque cardíaco. É necessário monitorar o nível de colesterol no sangue: se houver muito, os sintomas de um ataque cardíaco nas mulheres poderão aparecer em breve. As razões e o tratamento são determinados pelo médico.

Formas não padronizadas de doença cardíaca podem ocorrer em mulheres:

  1. Asmático. Os sintomas dessa forma são falta de oxigênio e falta de ar, característicos da asma brônquica. Em um caso grave, começa o edema pulmonar.
  2. Gastralgic. A doença é acompanhada por dor abdominal, náusea e vômito. Muitas vezes, as mulheres sofrem esse ataque cardíaco por intoxicação alimentar.
  3. Cerebrovascular. Distúrbios do sistema nervoso levam ao desenvolvimento de uma doença desta forma. Tonturas ocorrem, perda de consciência ou paralisia pode ocorrer. No caso avançado, um acidente vascular cerebral é gravado.
  4. Arrítmico. É caracterizada por uma violação do ritmo cardíaco. Os mais perigosos são os bloqueios atrioventriculares, nos quais a frequência cardíaca é reduzida criticamente.
  5. Indolor. A forma mais insidiosa, porque os sintomas de um ataque cardíaco nas mulheres não aparecem. Já são notadas complicações que colocam a vida de uma pessoa em risco.

As consequências de um ataque cardíaco

A patologia do coração afeta o trabalho de todo o organismo. Devido a uma violação do suprimento sanguíneo para o músculo cardíaco, ocorre necrose de suas seções individuais, essa complicação aparece na maioria dos casos.

Além disso, pode ocorrer insuficiência cardíaca. Sua forma aguda é caracterizada por ataques frequentes de respiração e asma. A pele torna-se pálida, forma de escarro espumoso, que serve como um sinal claro de edema pulmonar. Muitas vezes há taquicardia, pressão alta, ansiedade motora e náusea.

Duas semanas após o ataque, um aneurisma do coração aparece. Seus sintomas são falta de ar, febre, fraqueza.

Pericardite (inflamação do saco pericárdico) também pode se desenvolver. Manifesta-se na forma de febre e dor atrás do esterno, acompanhada de tosse seca e falta de ar, às vezes vômito.

Outra consequência da doença pode ser a síndrome pós-infarto. Nesse caso, se desenvolvem pericardite, pneumonia, poliartrite e pleurisia.

O principal é reconhecer os sinais de um ataque cardíaco a tempo e chamar uma ambulância, pois pode haver consequências menos desagradáveis.

Primeiro socorro

A primeira coisa que não pode ser adiada é uma chamada de ambulância. Quanto mais rápido os médicos chegarem, maior será a probabilidade de uma mulher sobreviver e continuar a viver como uma pessoa de pleno direito.

Depois que a ambulância é chamada, você deve colocar o paciente em uma superfície plana para que a parte superior do corpo fique levemente elevada. É importante lembrar que uma pessoa não deve ficar de pé ou sentada durante um ataque cardíaco. Então você precisa garantir que a mulher retorne à respiração normal: desaperte o colar e o cinto, ventile a sala.

Em seguida, você precisa dar à vítima um comprimido da droga "Aspirina" e "Nitroglicerina". Repita depois de meia hora se a ambulância não chegar. Para reduzir um ataque de pânico, um sedativo, como o Corvalol, deve ser administrado. Para reduzir a dor, você pode dar à vítima "Analgin".

Você deve sempre estar perto da vítima e monitorar sua pressão, respiração e função cardíaca. Se uma mulher tiver uma parada cardíaca, é necessário executar imediatamente várias medidas de ressuscitação:

  • Massagem cardíaca indireta
  • nos primeiros segundos de parada, bata com força na área do peito;
  • fazer ventilação dos pulmões pelos métodos boca a nariz ou boca a boca.

Reabilitação

O programa de reabilitação é individual para cada pessoa, no entanto, existem princípios gerais:

  1. Tratamento farmacológico de suporte. Os médicos prescrevem "aspirina" ou "ticlopidina" para evitar coágulos sanguíneos. Os betabloqueadores são prescritos para ajustar a frequência cardíaca e a pressão arterial.
  2. Diet. Recomenda-se às mulheres que sofreram um ataque cardíaco que comam muitos vegetais e frutas, além de reduzir a ingestão de alimentos gordurosos e aqueles que contêm muito colesterol. Tem que desistir de café, creme, especiarias e muito sal.
  3. Atividade física. A condição geral da vítima é levada em consideração. Os exercícios adequadamente selecionados garantirão um nível normal de oxigênio no sangue.
  4. Rejeição absoluta de maus hábitos.

Para evitar o desenvolvimento de patologia cardíaca, deve-se começar a tomar medidas em uma idade jovem. O tipo primário e secundário de prevenção é:

  • deixar de fumar;
  • atividade física;
  • consumo de álcool raro;
  • nutrição apropriada;
  • observação de colesterol e açúcar no sangue;
  • o uso de medicamentos “aspirina” ou “heparina” com risco aumentado.

Os homens correm maior risco de doença cardíaca, e os sintomas de um ataque cardíaco nas mulheres são diferentes. Isso se deve ao fato de o coração feminino ser muito menor que o masculino. Além disso, bate mais rápido. O número de batimentos de um coração feminino por minuto difere do masculino em 15 a 20 vezes. Outra razão para a diferença nos sintomas é a produção do hormônio sexual estrogênio no corpo feminino, que fornece proteção adicional aos vasos coronários.

Diagnóstico da condição: como determinar a patologia no tempo?

Para detectar um ataque cardíaco, você deve seguir o protocolo. Primeiro de tudo, o médico realiza eletrocardiografia (ECG) para determinar os sinais característicos de um ataque cardíaco, desvios dos dentes no cardiograma. Para confirmação, pode ser usado um teste rápido de troponina, que determina os marcadores de um ataque cardíaco - troponinas, bem como o ultra-som do coração por uma gota de sangue. Recomenda-se determinar as enzimas séricas - creatina fosfoquinase, lactato desidrogenase, mioglobina, troponina I.

  1. Teste clínico e bioquímico geral no sangue.
  2. O espectro lipídico do sangue é determinado.
  3. Teste de coagulação sanguínea.

Quando os primeiros sinais característicos de um ataque aparecerem, uma ambulância deve ser chamada imediatamente. É extremamente importante iniciar o tratamento dentro de 15 a 60 minutos após o aparecimento dos sintomas do infarto do miocárdio em uma mulher. O resultado e o prognóstico da recuperação dependem da velocidade de contato com um médico e do início dos cuidados médicos.

  1. No estágio pré-hospitalar, a equipe da ambulância, levando em consideração os primeiros sinais de um ataque cardíaco em uma mulher e o ECG ou dados de testes, cateteriza a veia e fornece uma máscara de oxigênio.
  2. Entrega o paciente a um hospital de cardiologia.
  3. O hospital está considerando stent, angioplastia ou cirurgia de ponte de safena.

Como tratar um ataque cardíaco em idosos

Muitas vezes, as medidas de emergência para um ataque cardíaco são tomadas pelos próprios pacientes ou por seus familiares. É importante saber que, aos primeiros sinais de angina de peito, um precursor de um ataque cardíaco, um paciente idoso precisa de nitroglicerina em comprimidos. Se a dor persistir em cinco minutos, a administração de nitroglicerina é repetida. Se a administração repetida do medicamento não produziu efeito, o comprimido é colocado sob a língua pela terceira vez. Se a dor não aliviar, é necessário chamar uma ambulância e, antes que ela chegue, tomar aspirina esmagada.

Ataque cardíaco em idosos requer hospitalização imediata. A princípio, são realizadas intensas medidas de emergência com o paciente, ele é limitado em movimento por pelo menos um dia. O paciente recebe uma dieta que exclui alimentos salgados e gordurosos. A terapia de um ataque cardíaco prossegue com a nomeação de analgésicos e drogas antitrombóticas.

A reabilitação de um paciente idoso que sobreviveu ao infarto do miocárdio prossegue sob a supervisão de pessoal médico e consiste em tratamento em spa ou sanatório com cursos de exercícios de fisioterapia, terapia de hipertensão arterial e perda de peso. Gorduras animais e alimentos com colesterol alto são excluídos da dieta. É extremamente importante abandonar completamente os maus hábitos, antes de tudo, de fumar.

Primeiros socorros rápidos, reabilitação cardíaca eficaz e aderência estrita às recomendações do médico do paciente são a chave para uma recuperação bem-sucedida após um ataque cardíaco.

Leia o material relacionado: Hemoglobina em idosos: recomendações para ajudar a mantê-lo normal

Primeiro socorro

Se você notar sinais de infarto do miocárdio em uma mulher, precisará tomar medidas urgentes para aliviar sua condição. A sequência de ações deve ser a seguinte:

  1. Pare de atividade física.
  2. Chame uma ambulância.
  3. Deite o paciente na cama, levante a cabeça.
  4. Administre aspirina e nitroglicerina.
  5. Dê um corvalol doente.
  6. Em caso de perda de consciência e parada cardíaca, realize medidas de ressuscitação.
  7. Hospitalizar um paciente em uma ambulância.

Em nenhum caso você deve recusar hospitalização. O tratamento do infarto do miocárdio é possível apenas em um hospital na unidade de terapia intensiva. O paciente deve estar sob a supervisão de um médico para evitar as consequências de um ataque. Possíveis complicações:

  • Insuficiência cardíaca em forma aguda. Essa violação é caracterizada por ataques de falta de ar, palidez da pele, desvio da pressão arterial, descarga espumosa da boca.
  • Aneurisma cardíaco. Geralmente, a patologia se desenvolve 15 dias após um ataque cardíaco. Falta de ar, arritmia, sinais de inflamação, temperatura, insuficiência cardíaca aparecem.
  • A síndrome é pós-infarto. A patologia é perigosa pelo desenvolvimento de várias doenças inflamatórias, da pericardite à pneumonia. Os sintomas incluem febre, dor nas articulações, alta VHS e leucocitose.
  • Pericardite. Uma patologia perigosa, caracterizada pela inflamação do pericárdio. Na patologia, ocorrem graves congestão venosa, dor atrás do esterno, vômitos, falta de ar e tosse seca.

Todas essas complicações podem complicar significativamente a recuperação e reabilitação do paciente. Por esse motivo, aos primeiros sinais de um ataque cardíaco, você deve consultar um médico. Para evitar complicações, o paciente deve estar no hospital pelo tempo prescrito. Um extrato é possível somente após a aprovação de um médico.

As consequências de um ataque cardíaco em idosos e complicações

Sem dúvida, como resultado de um ataque cardíaco, há consequências divididas em aguda (precoce) e distante (tardia). Os primeiros são caracterizados por:

insuficiência cardíaca aguda;

Menor necrose do músculo cardíaco causa menos complicações. Devido ao fato de que na maioria das vezes o ventrículo esquerdo é afetado, a insuficiência ventricular esquerda progride. É caracterizada pela respiração difícil do paciente, que força uma pessoa a se sentar com uma inclinação para frente para aliviar o desconforto. Essa insuficiência é perigosa com o possível desenvolvimento de edema pulmonar.

Como resultado de um ataque cardíaco, pode começar uma contração fragmentada e descoordenada dos ventrículos (fibrilação), fibrilação atrial e distúrbios da condução intracardíaca (bloqueio do feixe de Seu feixe). Nesses casos, é necessária atenção médica de emergência. Se um ataque cardíaco atingir a área sob a parede interna do coração (endocárdio), então, em um grande círculo de circulação sanguínea, é provável que trombose se forme. A separação de um coágulo sanguíneo e sua penetração na corrente sanguínea do cérebro é repleta de tromboembolismo e derrame subseqüente.

As estatísticas dizem que é menos provável que o coração feminino tenha ataques cardíacos, mas na idade adulta, os riscos de isquemia aguda em mulheres aumentam significativamente.

As anomalias causadas por um ataque cardíaco são isquêmicas, elétricas, mecânicas etc., mas todas podem levar ao seguinte:

Sintomas claros de insuficiência cardíaca, levando a choque cardiogênico. O choque é causado por uma violação significativa da circulação sanguínea, vasodilatação e falta de oxigênio nos tecidos e no cérebro. Os sintomas são perda de consciência, palpitações, fraqueza severa e escurecimento dos olhos.

As disfunções da válvula mitral nas formas leve e moderada são frequentemente o resultado de um ataque cardíaco nas mulheres. Se os músculos papilares (papilares) são afetados, a intervenção cirúrgica é necessária o mais rápido possível.

A ruptura do coração é uma patologia extremamente perigosa que leva cerca de 3% das vidas. Esse desenvolvimento de eventos, infelizmente, é característico de mulheres cujo coração, em virtude de sua fisiologia, é menos resistente a complicações após um ataque cardíaco.

A síndrome pós-infarto (Dressler) é uma lesão auto-imune do tecido conjuntivo do coração que não afeta sua estrutura muscular. Pulmonite, pleurisia e pericardite são características dele. Nesse caso, o tratamento de emergência é extremamente importante para evitar complicações infecciosas mais perigosas.

O bloqueio agudo de um vaso sanguíneo por um trombo (tromboembolismo) como consequência de um ataque cardíaco em mulheres ocorre com mais frequência do que em homens. Após o bloqueio, a isquemia tecidual geralmente se desenvolve. Uma consequência extremamente perigosa pode ser a separação de um coágulo sanguíneo. Para evitar o risco de separação, é necessária uma prevenção oportuna.

Um ataque cardíaco em idosos e as complicações acima são extremamente perigosas, portanto, sua identificação em um estágio inicial ajudará a iniciar o tratamento eficaz o mais rápido possível ou a estabelecer a necessidade de intervenção cirúrgica.

Leia material relacionado: medicamentos para idosos: 13 dicas de medicamentos

Prevenção

Muitas vezes, os pacientes perguntam quais medidas preventivas devem ser tomadas para manter o coração saudável. Os médicos aconselham você a seguir algumas regras simples para que você nunca sofra dores no coração, a saber:

  • Atividade física moderada. Lembre-se de que o coração é um músculo e precisa ser treinado, mas cargas fortes podem desgastar o músculo do coração e, portanto, tudo é bom com moderação.
  • Todo ano você precisa se submeter a exames preventivos. Se você se sentir mal, consulte um médico.
  • Todos devem conhecer sua pressão. Todas as mulheres com mais de 40 anos precisam ter um monitor de pressão arterial em casa e medir regularmente a pressão.
  • Assista o seu peso corporal. O peso deve ser estável. Você não pode perder peso rapidamente e melhorar. Idealmente, o peso deve estar no mesmo nível que em 30 anos.
  • Descanso total. Uma pessoa precisa dormir o suficiente para manter seu coração saudável.
  • Estilo de vida ativo. Tente andar mais e estar na natureza. Pegue o seu carro para o fim de semana, ande por aí.
  • Evite o estresse. Está provado que mulheres excessivamente emocionais têm maior probabilidade de sofrer um ataque cardíaco do que mulheres equilibradas.
  • Coma direito. A dieta das mulheres após 40 anos deve incluir vegetais, frutas, ervas, nozes, frutas secas, mel, carne com baixo teor de gordura, frutos do mar. Reduza os alimentos gordurosos, fritos, enlatados, gorduras transgênicas, salsichas e alimentos processados.
  • Pare de fumar e beber álcool. Maus hábitos tornam-se a causa do desenvolvimento de muitas doenças, incluindo doenças cardíacas.

De fato, não é tão difícil reconhecer um ataque cardíaco. Em qualquer curso do ataque, os sinais de infarto do miocárdio em mulheres incluem dor, falta de ar e medo. É o medo que se torna o ímpeto que motiva o paciente a chamar uma ambulância. Lembre-se de que os riscos de um ataque cardíaco nas mulheres aumentam com a idade. É especialmente importante monitorar sua saúde com o início da menopausa, porque nesse momento uma mulher perde sua defesa natural - o fundo hormonal.

Ao longo da vida, muitos fatores afetam adversamente o corpo feminino e o CCC. Tente evitar ou pelo menos reduzir o impacto negativo.

  1. Nutrição inadequada. Colesterol e toxinas contidas em alguns alimentos afetam negativamente o estado dos vasos sanguíneos. Placas de colesterol e depósitos de gordura nas paredes dos vasos sanguíneos, reduzem a permeabilidade dos dutos sanguíneos, obstruem-nos, o que leva à falta de oxigênio nos órgãos e sistemas humanos.

Nocivo: alimentos gordurosos fritos, condimentados, salgados, fast food, doces.

Útil: o uso de fibra de origem vegetal.

  1. Ecologia ruim. A intoxicação crônica das grandes cidades afeta negativamente a imunidade das mulheres e afeta negativamente o sistema cardiovascular.
  2. Estresse A saúde das mulheres é prejudicada pelo estresse constante e pela necessidade de viver em tensão e multitarefa, emocionalidade excessiva.
  3. Atividade física inadequada, excesso de peso. É necessário praticar esportes, ser responsável por sua saúde.

E mais algumas dicas:

  • Observe um senso de proporção por toda parte. Tudo o que é "muito" prejudicial ao coração.
  • Tente evitar excessos, estresse, insônia, esforço físico excessivo.
  • Monitore sua pressão arterial.
  • Cuidado com o seu peso, tentando aderir à norma.
  • Atividade física saudável alternativa e bom descanso.

Detonic - um medicamento único que ajuda a combater a hipertensão em todas as fases do seu desenvolvimento.

Detonic para normalização da pressão

O efeito complexo dos componentes vegetais da droga Detonic nas paredes dos vasos sanguíneos e no sistema nervoso autônomo contribuem para uma rápida diminuição da pressão arterial. Além disso, este medicamento evita o desenvolvimento da aterosclerose, graças aos componentes únicos envolvidos na síntese da lecitina, um aminoácido que regula o metabolismo do colesterol e impede a formação de placas ateroscleróticas.

Detonic síndrome não viciante e de abstinência, uma vez que todos os componentes do produto são naturais.

Informações detalhadas sobre Detonic está localizado na página do fabricante www.detonicnd.com.

Tatyana Jakowenko

Editor-chefe da Detonic revista on-line, cardiologista Yakovenko-Plahotnaya Tatyana. Autor de mais de 950 artigos científicos, inclusive em revistas médicas estrangeiras. Ele trabalha como cardiologista em um hospital clínico há mais de 12 anos. Ele possui métodos modernos de diagnóstico e tratamento de doenças cardiovasculares e os implementa em suas atividades profissionais. Por exemplo, utiliza métodos de ressuscitação do coração, decodificação do ECG, testes funcionais, ergometria cíclica e conhece muito bem o ecocardiograma.

Por 10 anos, ela tem participado ativamente de inúmeros simpósios médicos e oficinas para médicos - famílias, terapeutas e cardiologistas. Ele tem muitas publicações sobre um estilo de vida saudável, diagnóstico e tratamento de doenças cardíacas e vasculares.

Ele monitora regularmente novas publicações de revistas européias e americanas de cardiologia, escreve artigos científicos, prepara relatórios em conferências científicas e participa de congressos europeus de cardiologia.

Detonic