Sinais de ataque cardíaco em mulheres com mais de 60 anos

Os sinais de um ataque cardíaco em mulheres podem ter características que dificultam o diagnóstico. O infarto do miocárdio é uma doença cardíaca aguda, que é acompanhada pela morte de células musculares cardíacas devido à interrupção do suprimento sanguíneo. As células mortas são substituídas por tecido conjuntivo, devido ao qual as funções do músculo cardíaco não são totalmente restauradas. É importante conhecer os sinais de um ataque cardíaco para reconhecê-lo o mais rápido possível e prestar assistência corretamente - a vida de uma pessoa pode depender disso.

Como reconhecer um alto risco de desenvolver um ataque cardíaco muito antes do início? Existem vários sinais clínicos que podem ajudar a determinar a abordagem de uma catástrofe cardiovascular. A maioria das mulheres que tiveram infarto agudo do miocárdio mostrou sinais da doença cerca de 25 a 30 dias antes do ataque:

  • síndrome da fadiga crônica - fadiga aumentada, falta de energia, o que não alivia nem um longo descanso. Com o tempo, fadiga sem causa, a fadiga se torna mais forte;
  • sono superficial ou intermitente, insônia;
  • ronco do sono, apneia;
  • inchaço das pernas, pés e mãos causado por fluxo sanguíneo prejudicado e atividade cardíaca fraca. Dormência ou formigamento nos membros;
  • dor no estômago, distúrbios freqüentes do trato gastrointestinal sem motivo aparente - esse sintoma é explicado pelo fato de que o diafragma e os órgãos digestivos estão próximos ao músculo cardíaco. Assim, com danos nas partes inferiores da parede posterior do ventrículo do coração, é dada dor a essa área;
  • ataques curtos de ansiedade inexplicável;
  • dores de cabeça frequentes, episódios de deficiência visual;
  • sangramento e dor nas gengivas causadas por uma violação do suprimento de sangue para os vasos periféricos;
  • dificuldade em tentar respirar fundo ou falta de ar com pouco esforço físico. A sensação de falta de ar passa após o descanso;
  • palpitações cardíacas, arritmia - as consequências do desenvolvimento de insuficiência cardíaca ou dano à artéria coronária;
  • micção aumentada à noite;
  • desconforto no peito, na região do coração - os pacientes têm uma sensação semelhante à tensão muscular.

Os precursores de um possível ataque cardíaco geralmente são fugazes por natureza, manifestam-se e desaparecem por conta própria. Às vezes, um ataque cardíaco em mulheres é quase assintomático; nesses casos, o paciente pode não sentir dor intensa, atribuir o estado enfraquecido a osteocondrose, aumentos de pressão ou mal-estar geral.

Quando um ataque cardiovascular começa, ele se manifesta por sintomas bastante pronunciados. O sinal mais característico de ataque cardíaco agudo iminente, que pode ser usado como teste, é o aparecimento de dor compressiva aguda no peito, que dura mais de 15 a 20 minutos e não desaparece depois de tomar analgésicos ou nitroglicerina.

  • falta de ar, sensação de asfixia;
  • dormência do lado esquerdo (braço, perna, pescoço);
  • tosse seca e dolorosa;
  • náusea, vômito;
  • sentindo falta de ar;
  • diminuir ou aumentar a pressão;
  • deficiência visual;
  • excitação do sistema nervoso;
  • fraqueza, palidez da pele, tonturas;
  • medo inexplicável da morte;
  • suor frio e pegajoso causado por uma quantidade significativa de hormônios do estresse que as glândulas supra-renais secretam no sangue.

Muitas vezes, os sintomas de um ataque cardíaco em mulheres são atípicos ou vagos, confusos. Sinais de ataque cardíaco em mulheres com mais de 50 anos de idade podem mascarar sob exacerbação de pancreatite (náusea, vômito, azia), ataque de arritmia, broncoespasmo, distúrbios neurológicos (neurose, fala confusa, consciência embaçada, coordenação de movimentos prejudicada), gripe ou um resfriado.

Às vezes, um ataque cardíaco em mulheres é quase assintomático; nesses casos, o paciente pode não sentir dor intensa, atribuir a condição enfraquecida a osteocondrose, aumentos de pressão ou mal-estar geral. A ausência de dor cardíaca em um ataque cardíaco é especialmente comum em pacientes com diabetes mellitus. O que devo fazer se esses sintomas ocorrerem na minha família ou amigos?

Existem algumas características do curso do infarto do miocárdio em mulheres:

  • a dor não é tão intensa quanto nos homens. Freqüentemente, a dor cardíaca em um ataque cardíaco em mulheres não é aguda, mas um caráter puxador e dolorido. Acredita-se que a razão para isso possa ser um limiar de dor mais alto;
  • dor de estômago - esse sintoma raramente é encontrado nos homens e é explicado pelo fato de os órgãos digestivos do corpo feminino estarem localizados próximos ao músculo cardíaco;
  • dor nos braços, costas, pescoço, mandíbulas. A dor nas mulheres geralmente irradia.

Um estudo da dinâmica da morbidade mostrou que a mortalidade por infarto do miocárdio entre as mulheres era de 9%, enquanto entre os homens era de apenas 4%. A probabilidade de morte nas primeiras horas após um ataque cardíaco em mulheres jovens (até 30 anos) e média (acima de 35 anos) é 68% maior que em homens da mesma faixa etária.

Com o desenvolvimento de um estado pré-infarto, há uma probabilidade de problemas com a digestão e um aumento da temperatura corporal. Na maioria dos casos, a dor aguda na região do peito é manifestada, mas muitas mulheres nem percebem que sofreram um ataque cardíaco e, às vezes, várias.

Se você considerar cuidadosamente sua própria saúde e ouvir os sinais que o corpo envia, poderá determinar a abordagem da doença a tempo e evitar sérias conseqüências negativas.

Talvez você queira saber sobre o novo medicamento - Cardiol, que normaliza perfeitamente a pressão sanguínea. Cardiol cápsulas são uma excelente ferramenta para a prevenção de muitas doenças cardíacas, porque contêm componentes únicos. Este medicamento é superior em suas propriedades terapêuticas a esses medicamentos: Cardiline, Recardio, Detonic. Se você quiser saber informações detalhadas sobre Cardiol, Vá para o site do fabricante. Aqui você encontrará respostas para perguntas relacionadas ao uso deste medicamento, avaliações de clientes e médicos. Você também pode descobrir o Cardiol cápsulas no seu país e as condições de entrega. Algumas pessoas conseguem obter um desconto de 50% na compra deste medicamento (como fazer isso e comprar pílulas para o tratamento da hipertensão por 39 euros, está disponível no site oficial do fabricante).Cardiol cápsulas para o coração

Precursores de doenças

Nas mulheres, esses sintomas pré-infarto podem ser observados:

  • as pernas começam a inchar fortemente, sem motivo;
  • há um aumento na pressão sanguínea;
  • insônia começa a incomodar;
  • na região torácica há uma sensação de desconforto;
  • há uma sensação de náusea;
  • dificuldade em respirar;
  • vômito se abre;
  • um sentimento de ansiedade se desenvolve;
  • micção se torna mais frequente à noite;
  • dor na parte de trás da cabeça;
  • as gengivas começam a sangrar;
  • dor no ombro esquerdo;
  • arritmia se desenvolve;
  • falta de ar aparece.

O desenvolvimento de todos esses sinais de uma doença ocorre num contexto de circulação insuficiente ou irregular. Os sintomas mais comuns são pressão alta por vários dias e inchaço grave nas pernas. Muitas mulheres não decidem imediatamente procurar um médico, e é por isso que perdem a oportunidade de impedir um ataque.

Sinais gentilmente expressos da doença levam ao fato de que um microinfarto é transferido, que os pacientes só saberão se aparecerem certas complicações. Há casos em que o médico não pode reconhecer a patologia e fazer um diagnóstico preciso. A manifestação da doença, de acordo com os principais sinais, assemelha-se a intoxicação alimentar. Os principais sintomas de um microinfarto em mulheres são:

  • um sentimento de fraqueza por todo o corpo;
  • vômito grave;
  • queimação e dor aguda na área do peito;
  • suor frio;
  • dores agudas no abdômen;
  • azia grave e contínua.

Com o desenvolvimento de um ataque cardíaco agudo, manifesta-se dor na mandíbula e no occipital. A dor mais intensa na área do ombro e peito esquerdo pode ser aguda ou dolorida. O sinal mais importante de um ataque é dor intensa no lado esquerdo da região do peito, que não pode ser removida com nitroglicerina. Há casos em que as convulsões são repetidas repetidamente por várias horas após um curto período de tempo.

  • a transpiração se intensifica acentuadamente;
  • falta de ar e tonturas graves começam a incomodar;
  • torna-se difícil respirar;
  • perturbado pelo contínuo sentimento de náusea;
  • a mão esquerda começa a ficar dormente;
  • a fala fica confusa e arrastada;
  • existe um pânico forte e inexplicável e um sentimento de ansiedade.

Dependendo da intensidade dos sintomas da doença, os especialistas distinguem várias formas de patologia:

  • Típico pode se manifestar por todos os sinais.
  • Uma forma assintomática da doença é determinada apenas se um eletrocardiograma for realizado.
  • Gastralgic manifesta dor no abdômen.
  • Cerebral é caracterizado por sintomas semelhantes a um acidente vascular cerebral.
  • Fluxos arrítmicos com arritmias cardíacas graves.
  • Asmático é manifestado por problemas respiratórios pronunciados.

Quando os primeiros sinais dessa doença aparecerem, você deve ligar imediatamente para um médico. Se o paciente receber atendimento médico dentro de 10 minutos após o ataque, o risco de consequências negativas será minimizado. Antes da chegada do médico, você pode fazer o seguinte:

  • o paciente deve ser colocado em uma superfície plana, levante levemente a cabeça;
  • você não pode se levantar;
  • roupas apertadas precisam ser soltas;
  • o paciente recebe um comprimido de Analgin;
  • nitroglicerina é colocada sob a língua;
  • se o médico não chegar dentro de meia hora, os comprimidos são administrados novamente;
  • o paciente recebe acesso a ar fresco;
  • se ocorrer parada cardíaca, uma massagem cardíaca indireta é realizada.

Medidas preventivas simples ajudarão a reduzir a probabilidade de desenvolver um ataque cardíaco - atividade física moderada, nutrição adequada, manutenção de um estilo de vida saudável, bom descanso, evitar situações estressantes etc. É muito fácil impedir o desenvolvimento de um ataque cardíaco se você monitorar sua saúde desde tenra idade. É necessário não apenas praticar esportes e comer direito, mas também fazer exames preventivos regularmente no médico.

A autora do artigo: Yachnaya Alina, cirurgião oncologista, educação médica superior, graduada em Medicina Geral. O infarto do miocárdio em mulheres nem sempre apresenta sintomas clássicos. Neste artigo, você aprenderá: quais são os primeiros sinais que indicam o início da doença e quais sintomas de um ataque cardíaco em mulheres são o motivo de procurar ajuda médica com urgência (em ambulância ou hospital).

Um sinal clássico que identifica infarto do miocárdio é dor aguda no peito. Esse sintoma é chamado status anginal e se manifesta em 95% dos casos em pacientes com menos de 60 anos de idade. Mas essas estatísticas se aplicam mais aos homens. As mulheres são mais suscetíveis ao infarto do miocárdio após 60 anos. Até essa idade, eles têm seguro contra essa doença devido ao alto nível de estrogênio.

Não tolere dores no coração, especialmente graves!

Reabilitação após um ataque cardíaco

  • causas e fatores de risco para seu desenvolvimento;
  • precursores;
  • angina de peito e microinfarto.

Sua detecção indica uma ameaça potencial de ataque cardíaco.

destaque

Os fatores que representam uma ameaça ao infarto do miocárdio em mulheres incluem: idade, níveis hormonais, hereditariedade, estilo de vida e doenças concomitantes.

É impossível influenciar alguns fatores de risco para um ataque cardíaco, enquanto outros são passíveis de correção ou eliminação médica. O conhecimento e a explicação das causas do ataque cardíaco atrasarão, impedirão ou reduzirão os danos do miocárdio.

  • hereditariedade (parentes de sangue afetados por cardiopatia isquêmica até 55 anos);
  • idade de 50 a 55 anos;
  • menopausa precoce.
  • hipertensão arterial;
  • colesterol alto e açúcar no sangue;
  • obesidade (especialmente do tipo abdominal);
  • nutrição inadequada (excesso de gorduras animais, sal, falta de fibras);
  • estresse crônico;
  • atividade física irregular;
  • tabagismo, consumo de álcool superior a 20 g por dia;
  • uso prolongado de hormônios contraceptivos.

Antes da menopausa, que ocorre entre 50 e 55 anos, o coração de uma mulher está sob a proteção do estrogênio. Eles diminuem a viscosidade do sangue, dilatam os vasos sanguíneos e afetam positivamente o espectro de lipídios no sangue. Assim, os hormônios sexuais femininos nivelam os principais mecanismos de desenvolvimento de ataques cardíacos: trombose, espasmo dos vasos cardíacos e aparecimento de placas ateroscleróticas.

Nas mulheres na pós-menopausa, a produção de estrogênio é interrompida, o coração permanece sem proteção hormonal.

  • sobrecarga física ou psicoemocional;
  • a primeira hora depois de acordar (o corpo experimenta como estresse);
  • resfriamento acentuado e mudança na pressão atmosférica.

Uma combinação de fatores adversos aumenta o risco de um acidente cardiovascular.

Precursores

Os sintomas de lesão miocárdica iminente podem aparecer várias horas ou meses antes que ocorram problemas cardíacos agudos.

  • fadiga sem causa;
  • respiração frequente ou sensação de falta de ar;
  • dentes doloridos no frio (um sintoma de angina de peito);
  • dor de estômago, náusea e após vômito, não há sensação de alívio;
  • as pernas não cabem em sapatos previamente confortáveis ​​(inchaço);
  • episódios de transpiração, após os quais, após alguns minutos, aparece dor no peito (ativação excessiva do sistema nervoso simpático);
  • durante o dia durar mais de 40 minutos, insônia à noite;
  • desconforto no peito, braço ou mandíbula.

O reconhecimento dos precursores e a consulta com o médico impedirão o desenvolvimento de patologia cardíaca aguda.

Microinfarto

Em 30% das mulheres, pequenos focos de necrose do músculo cardíaco (microinfarto) levam ao desenvolvimento de grande lesão focal. O microinfarto é considerado um sinal de ataque cardíaco, pode se manifestar com os mesmos primeiros sinais, mas geralmente ocorre sem sintomas pronunciados, razão pela qual é frequentemente chamado de "perna".

Ao contrário dos sinais de patologia nos homens, os sintomas da doença nas mulheres não são tão pronunciados que trazem um grande perigo. Muitos simplesmente sofrem dor, sem dar muita importância. Muitas vezes, essa patologia ocorre em mulheres que sofrem de pressão alta, fadiga crônica e falta de ar. Mas há outros precursores de um ataque cardíaco que se aproxima.

Microinfarto

inchaço sem causa das pernas;

  • uma sensação de “fadiga”, fadiga constante mesmo após um longo descanso;
  • distúrbios do sono;
  • as viagens noturnas ao banheiro se tornam mais frequentes - a micção se torna mais frequente precisamente à noite;
  • mesmo em um estado de relativa calma, a falta de ar é notada sem nenhum esforço físico;
  • náuseas podem aparecer e vômitos podem abrir;
  • agravou ou aparece, se não fosse, doença periodontal;
  • a parte occipital da cabeça começa a doer;
  • o desconforto é notado no peito, como se algo estivesse interferindo, o ombro esquerdo é doloroso, principalmente ao mudar a posição do corpo, patologicamente sensível ao toque;
  • pressão arterial aumenta;
  • há um sentimento de pânico e destruição.
  • Se uma mulher tiver um (ou mais) desses sintomas por vários dias seguidos, você não pode hesitar em nenhum caso, é necessário consultar urgentemente um médico que conduzirá os estudos necessários e ajudará a prevenir a condição de risco de vida de um paciente.

    Sob esse nome, oculta-se uma patologia perigosa, na qual uma parte do músculo cardíaco é afetada com sua morte parcial e substituição da área afetada por tecido conjuntivo, incapaz de contração.

    Mas, dependendo do sexo, as características do aparecimento desta doença variam significativamente.

    Como reconhecer um ataque cardíaco em mulheres nos estágios iniciais para fornecer a ajuda necessária. Existem sinais especiais da doença.

    1. Dor no infarto do miocárdio em mulheres na articulação do ombro, a dor dá para o lado esquerdo.
    2. Insuficiência cardíaca causada por qualquer motivo.
    3. Havia a sensação de que um objeto quente e prensado (como um tijolo) estava deitado no peito.
    4. Tontura ocorre.
    5. O movimento se torna rígido.
    6. A coordenação está interrompida.
    7. A fala fica confusa, como em um derrame.
    8. Discurso coerente se transforma em ilusório.
    9. A atividade consciente cessa.
    10. A pressão alta aumenta o risco de doença arterial coronariana aguda e geralmente é uma pressão fixa com um ataque cardíaco em mulheres.
    11. A rápida micção noturna, associada a outros sintomas, pode ser um sinal de insuficiência cardíaca.
    12. Insuficiência cardíaca que ocorre mesmo após um leve esforço, uma sensação de falta de oxigênio.
    13. A insônia, cujas causas não são claras, também é um sintoma distante de uma doença iminente.
    14. Mesmo leve, mas não com o tempo, a dor na área do coração, causando um leve desconforto, é um fator perturbador.

    Fadiga constante, que continua por muito tempo, mesmo depois de acordar do sono, que não passa após o descanso, deve alertar. Pior ainda, quando um estado cansado se torna crônico. A doença periodontal dentária regular, quando as gengivas sangram e doem, indica um suprimento sanguíneo local ruim. Embora um distante, mas um certo sinal de ataque cardíaco distante.

    O inchaço frequente da perna direita ou esquerda, bem como dos pés, pode ocorrer devido a uma violação da atividade cardíaca do coração. Familiar para muitos, mesmo para pessoas jovens, o batimento cardíaco arrítmico, ou seja, um mau funcionamento da artéria que bombeia sangue para o coração.

    Insuficiência cardíaca causada por falta de ar e falta de ar. Um sinal de que o coração está trabalhando com produtividade insuficiente. Se ocorrer tosse durante a falta de ar, isso significa que a circulação pulmonar é mais lenta, podendo ocorrer necrose de uma área significativa do ventrículo esquerdo. Possível edema pulmonar.

    Uma sensação aguda de medo mortal incompreensível para uma pessoa saudável, uma premonição de problemas iminentes, semeando sentimentos de pânico.

    O despertar repentino do sono, após o qual uma pessoa sente suor frio e pegajoso, dá um sinal sobre o início do desenvolvimento de uma doença patológica grave, possivelmente infarto do miocárdio.

    Uma dor de cabeça, freqüentemente recorrente, não apenas traz sofrimento, mas também pode indicar, juntamente com outros sintomas, uma ameaça iminente - infarto do miocárdio.

    O estado de ansiedade sem causa, ansiedade grave, característica das mulheres, deve ser alarmante. Pode falar sobre o aparecimento de insuficiência coronariana, ser seu primeiro sinal.

    Existem dores de queimação e dor no abdômen, escápula, pescoço, etc. A dor é compressiva. Pode ser administrado a dentes, orelhas, clavícula, mandíbula.

    Sinais de infarto do miocárdio em mulheres

    Yachnaya Alina, cirurgião oncologista, ensino médico superior, formado em Medicina Geral.

    Um sinal clássico que identifica infarto do miocárdio é dor aguda no peito. Esse sintoma é chamado status anginal e se manifesta em 95% dos casos em pacientes com menos de 60 anos de idade.

    Mas essas estatísticas se aplicam mais aos homens. As mulheres são mais suscetíveis ao infarto do miocárdio após 60 anos.

    Até essa idade, eles têm seguro contra essa doença devido ao alto nível de estrogênio.

    Os estrogênios impedem o desenvolvimento de um ataque cardíaco, impedindo a formação de placas ateroscleróticas e reduzindo a contratilidade das paredes dos vasos coronários. Assim, duas causas possíveis do início da doença são niveladas: espasmo irreversível da artéria coronária e seu bloqueio com placas de colesterol.

    No período pós-menopausa, como a síntese de estrogênio é inibida, as mulheres têm maior probabilidade de desenvolver infarto do miocárdio.

    Mas nessa idade, eles vêm com uma bagagem de outras doenças crônicas: hipertensão arterial, arritmia e várias outras patologias que não estão relacionadas à atividade do músculo cardíaco.

    A combinação dessas doenças, juntamente com as características da localização da área afetada do coração, nem sempre apresenta os sintomas clássicos de um ataque cardíaco. Em 25-40% dos casos em mulheres, são registradas formas atípicas de infarto do miocárdio, o que complica muito o diagnóstico.

    O infarto do miocárdio é perigoso não apenas pela incapacidade potencial, mas também por uma taxa de mortalidade bastante alta. Uma consulta oportuna com um cardiologista minimiza o risco de seu desenvolvimento. Portanto, as mulheres precisam saber quais sintomas são os primeiros sinais de uma patologia irreversível.

    Apesar do fato de as mulheres sofrerem dessa patologia duas vezes menos que os homens, mais de 2 mulheres morrem de ataque cardíaco em nosso país todos os dias.

    Todos devem conhecer os sinais de um ataque cardíaco em uma mulher para ligar imediatamente para os médicos e prestar os primeiros socorros.

    Patologia em mulheres

    Segundo as estatísticas, as mulheres sofrem com infarto do miocárdio com muito menos frequência do que os homens. O fundo hormonal os protege da estenose vascular. Mas, apesar disso, a patologia é cada vez mais registrada nas mulheres.

    Os médicos atribuem isso ao ritmo moderno da vida, quando as mulheres carregam cargas enormes, estão em constante estresse e não se preocupam com sua saúde.

    Na maioria das vezes, a patologia ocorre em mulheres durante a menopausa, mas os pacientes jovens às vezes vão a hospitais com esse diagnóstico.

    O ataque cardíaco nas mulheres tem características próprias. Se os homens costumam sofrer um ataque de forma aguda, as mulheres podem sofrer mal-estar alguns dias antes do desastre. Isso se justifica pelo fato de as mulheres terem tamanhos menores do músculo cardíaco, e o pulso geralmente é um pouco mais rápido.

    Os primeiros sinais de um ataque cardíaco em mulheres podem ocorrer muito antes do ataque. O estado pré-infarto é caracterizado por fadiga sem causa.

    Uma mulher pode se sentir cansada mesmo depois de uma noite de sono.

    Recursos adicionais são:

    • Insônia.
    • Suor frio.
    • Ronco.
    • Pare de respirar em um sonho.
    • Violações do trato digestivo.
    • Pressionando dores no peito, estendendo-se para o braço e ombro.
    • Desejo frequente de urinar.
    • Dor de cabeça.
    • Sangramento nas gengivas.

    Todos esses sintomas nas mulheres se desenvolvem em meio à circulação insuficiente. Além disso, as mulheres podem experimentar aumento da pressão e inchaço das extremidades inferiores. Na maioria das vezes, as mulheres não consultam imediatamente um médico. Isso se deve ao fato de que eles são mais pacientes com dor e chamam uma ambulância já no momento de um ataque agudo.

    O primeiro sintoma de um ataque é, obviamente, dor no peito no lado esquerdo. Essa dor pode ser causada no braço, pescoço, escápula, maxilar inferior, dentes e nuca. O sintoma da dor não é interrompido pela nitroglicerina. Os ataques podem ser repetidos em intervalos curtos por várias horas.

    O segundo sintoma característico é falta de ar. Pode ocorrer com cargas leves e mesmo em repouso. A combinação de falta de ar e dor no peito é uma ocasião para chamar urgentemente uma ambulância.

    Outros sintomas característicos das mulheres com infarto do miocárdio são:

    • Pressão arterial baixa.
    • Secreção de suor frio.
    • Baixando a temperatura corporal.
    • Dormência das mãos.
    • Tontura e náusea.
    • Discurso e coordenação prejudicados.
    • Sentimento de medo, pânico.

    Todos esses sinais pertencem a uma forma típica de patologia. No entanto, muitas vezes os sintomas de um ataque cardíaco nas mulheres podem se disfarçar de outras doenças. Formas atípicas de patologia podem manifestar os seguintes sintomas:

    • Espasmo brônquico.
    • Edema pulmonar.
    • Náusea.
    • Vômitos.
    • Dor abdominal.
    • Dor de cabeça.
    • Deficiência visual.
    • Perda de consciência.

    O infarto do miocárdio em mulheres pode se desenvolver no contexto de várias doenças do sistema cardiovascular. Tudo começa com o desenvolvimento de isquemia, angina de peito e arritmia.

    Todas essas doenças sem tratamento oportuno podem levar ao desenvolvimento de um ataque cardíaco. O ataque se desenvolve no momento em que a artéria coronária está entupida. As células do miocárdio começam a morrer por falta de oxigênio.

    O músculo não pode mais se contrair completamente.

    O grupo de risco inclui mulheres com as seguintes doenças:

    • Diabetes.
    • Excesso de peso.
    • Aterosclerose.
    • Reumatismo.
    • Doença cardíaca.
    • Insuficiência cardíaca.
    • Maus hábitos.

    Além dos riscos médicos de desenvolver doenças cardíacas, também existem fatores domésticos que exacerbam a situação e aumentam significativamente o risco de ataque cardíaco. Entre os riscos domésticos, os médicos distinguem:

    • Estresse.
    • Estilo de vida sedentário.
    • Comida incorreta.
    • Ecologia ruim.

    Primeiro socorro

    Se você notar sinais de infarto do miocárdio em uma mulher, precisará tomar medidas urgentes para aliviar sua condição. A sequência de ações deve ser a seguinte:

    1. Pare de atividade física.
    2. Chame uma ambulância.
    3. Deite o paciente na cama, levante a cabeça.
    4. Administre aspirina e nitroglicerina.
    5. Dê um corvalol doente.
    6. Em caso de perda de consciência e parada cardíaca, realize medidas de ressuscitação.
    7. Hospitalizar um paciente em uma ambulância.

    Em nenhum caso você deve recusar hospitalização. O tratamento do infarto do miocárdio é possível apenas em um hospital na unidade de terapia intensiva. O paciente deve estar sob a supervisão de um médico para evitar as consequências de um ataque. Possíveis complicações:

    • Insuficiência cardíaca em forma aguda. Essa violação é caracterizada por ataques de falta de ar, palidez da pele, desvio da pressão arterial, descarga espumosa da boca.
    • Aneurisma cardíaco. Geralmente, a patologia se desenvolve 15 dias após um ataque cardíaco. Falta de ar, arritmia, sinais de inflamação, temperatura, insuficiência cardíaca aparecem.
    • A síndrome é pós-infarto. A patologia é perigosa pelo desenvolvimento de várias doenças inflamatórias, da pericardite à pneumonia. Os sintomas incluem febre, dor nas articulações, alta VHS e leucocitose.
    • Pericardite. Uma patologia perigosa, caracterizada pela inflamação do pericárdio. Na patologia, ocorrem graves congestão venosa, dor atrás do esterno, vômitos, falta de ar e tosse seca.

    Todas essas complicações podem complicar significativamente a recuperação e reabilitação do paciente. Por esse motivo, aos primeiros sinais de um ataque cardíaco, você deve consultar um médico.

    Para evitar complicações, o paciente deve estar no hospital pelo tempo prescrito. Um extrato é possível somente após a aprovação de um médico.

    Lembre-se de que os sintomas do infarto do miocárdio em mulheres nem sempre são agudos, com queixas de dor no coração em combinação com falta de ar e problemas de saúde devem ser uma ocasião para chamar uma ambulância.

    Prevenção

    Muitas vezes, os pacientes perguntam quais medidas preventivas devem ser tomadas para manter o coração saudável. Os médicos aconselham você a seguir algumas regras simples para que você nunca sofra dores no coração, a saber:

    • Atividade física moderada. Lembre-se de que o coração é um músculo e precisa ser treinado, mas cargas fortes podem desgastar o músculo do coração e, portanto, tudo é bom com moderação.
    • Todo ano você precisa se submeter a exames preventivos. Se você se sentir mal, consulte um médico.
    • Todos devem conhecer sua pressão. Todas as mulheres com mais de 40 anos precisam ter um monitor de pressão arterial em casa e medir regularmente a pressão.
    • Assista o seu peso corporal. O peso deve ser estável. Você não pode perder peso rapidamente e melhorar. Idealmente, o peso deve estar no mesmo nível que em 30 anos.
    • Descanso total. Uma pessoa precisa dormir o suficiente para manter seu coração saudável.
    • Estilo de vida ativo. Tente andar mais e estar na natureza. Pegue o seu carro para o fim de semana, ande por aí.
    • Evite o estresse. Está provado que mulheres excessivamente emocionais têm maior probabilidade de sofrer um ataque cardíaco do que mulheres equilibradas.
    • Coma direito. A dieta das mulheres após 40 anos deve incluir vegetais, frutas, ervas, nozes, frutas secas, mel, carne com baixo teor de gordura, frutos do mar. Reduza os alimentos gordurosos, fritos, enlatados, gorduras transgênicas, salsichas e alimentos processados.
    • Pare de fumar e beber álcool. Maus hábitos tornam-se a causa do desenvolvimento de muitas doenças, incluindo doenças cardíacas.

    De fato, não é tão difícil reconhecer um ataque cardíaco. Em qualquer curso do ataque, os sinais de infarto do miocárdio em mulheres incluem dor, falta de ar e medo.

    É o medo que se torna o ímpeto que motiva o paciente a chamar uma ambulância. Lembre-se de que os riscos de um ataque cardíaco nas mulheres aumentam com a idade.

    É especialmente importante monitorar sua saúde com o início da menopausa, porque nesse momento uma mulher perde sua defesa natural - o fundo hormonal.

    O que é infarto do miocárdio? Uma doença grave na qual parte das células dos músculos do coração morre. O tecido conjuntivo formado em seu lugar não é capaz de contrair. O processo circulatório é perturbado ou parado. A área privada de comida morre, formando uma cicatriz. O ataque causa insuficiência cardíaca, geralmente fatal. As principais causas da doença nas mulheres são:

    • diabetes;
    • excesso de peso;
    • hipodinamia;
    • idade após 50 anos;
    • consumo de álcool;
    • colesterol alto;
    • fumar;
    • hereditariedade.

    Ao contrário dos sintomas nos homens, os sinais de um ataque cardíaco em uma mulher não são tão pronunciados. Isso é perigoso porque os pacientes sofrem dor sem dar sentido a ela.

    Muitas vezes, existem doenças com pressão alta, falta de ar, fadiga crônica. Algumas pessoas têm problemas com digestão, febre. A dor aguda no peito durante isso, por via de regra, se manifesta.

    • dor intensa no coração, ombro ou abdome superior, com duração superior a 30 minutos e não eliminada com a utilização de nitroglicerina ou outros agentes vasodilatadores ou contendo nitrato;
    • dores de caráter ardente, compressivo, lacrimejante ou punhal que não se resolvem, como na angina de peito, mesmo em repouso;
    • o retorno da dor para o braço esquerdo (às vezes direito), braço, cotovelo, punho, pescoço, mandíbula, nuca, região interescapular ou omoplata;
    • medo da morte, causando pânico e ansiedade intensa;
    • presença de tontura no contexto da dor, palidez grave com acrocianose (cianose das mucosas), suor frio e pegajoso, náusea e vômito, desmaio;
    • dificuldade em respirar e falta de ar (essas manifestações aumentam mesmo com carga mínima, por exemplo, depois de virar o corpo);
    • violação do ritmo do pulso e sua rapidez;
    • dormência das mãos;
    • inicialmente um aumento e, em seguida, uma diminuição na pressão sanguínea;
    • aumento de temperatura até 38 ° C (às vezes).
    • distúrbios do sono (até insônia);
    • ansiedade irracional;
    • síndrome do ronco ou apneia do sono;
    • fadiga frequente e inexplicável (mesmo após um fim de semana completo ou férias);
    • inchaço dos pés e pernas;
    • distúrbios digestivos sem motivo aparente (a ocorrência de tais manifestações é explicada pelo fato de que, nas mulheres, o diafragma é maior que nos homens, e as partes inferiores do coração estão localizadas mais próximas do estômago e a dor geralmente é causada por esse órgão) ;
    • dores de cabeça frequentes;
    • pulso arrítmico;
    • início repentino de dispnéia anteriormente ausente (este é o primeiro sinal de insuficiência coronariana);
    • desconforto e asfixia puxando dores no peito, dando para o pescoço, braço, ombro ou parte superior das costas;
    • sangramento nas gengivas;
    • micção freqüente à noite.
    • reduzir a carga no coração (colocar o paciente na cama);
    • aumentar o acesso ao oxigênio (janela aberta);
    • aliviar o espasmo dos vasos sanguíneos do coração (nitroglicerina 1 comprimido 2 vezes com um intervalo de 5 minutos);
    • reduzir a taxa de formação de trombos (aspirina na dose de 160–325 mg, mastigar)
    • reduzir o estresse (Corvalol, Valocordin);
    • preparar para hospitalização (coletar documentos, extratos, certificados).
    • O primeiro ataque de angina de peito;
    • Duração aumentada ou aumentada da angina de peito com uma doença previamente diagnosticada;
    • Aparência de falta de ar após um pequeno esforço físico, tontura sem motivo aparente ou ocorrência de inchaço nas pernas à noite.
    • O paciente deve estar sentado ou deitado de uma posição reclinada: a cabeça deve estar elevada, as pernas dobradas na melhor das hipóteses. Para evitar desmaios, um paciente com baixa pressão é colocado em uma cama ou no chão sem travesseiros com as pernas levantadas. Se o paciente tiver falta de ar grave, ele está sentado e suas pernas são abaixadas no chão.
    • Para desatar as roupas fechadas no paciente (gravata, cinto, botões superiores nas roupas), abra as janelas para acesso ao ar fresco.
    • Dê rapidamente ao paciente metade ou um comprimido inteiro (250-300 mg) de aspirina. Mastigue um comprimido! Dê sob a língua nitroglicerina. Existem opções de medicamentos em sprays (Nitroprint, Nitromint, Nitro-Mik) - 1-2 doses são dadas. Se anteriormente o paciente recebeu medicamentos antiarrítmicos (Metaprolol, Atenolol), 1 guia. (também mastigue!), independentemente da recepção prescrita pelo médico.
    • Se a dor não diminuir dentro de 3 minutos, chame uma ambulância. Antes de sua chegada, recomenda-se administrar nitroglicerina com um intervalo de 5 minutos. não mais que 3 vezes. É aconselhável medir a / d. A nitroglicerina reduz a pressão, portanto, desmaios não devem ser permitidos a taxas baixas.
    • Quando a parada cardíaca - o paciente perdeu a consciência, a respiração parou - uma massagem cardíaca indireta é realizada imediatamente (o paciente é deitado no chão ou em outra superfície dura) e continua até o médico chegar. Técnica: pressionar com as palmas das mãos dobradas na área do coração 2 vezes por segundo. 3 cm para a deflexão do peito. Segunda opção: três pressões no peito, uma expiração na boca ou nariz do paciente.
    • O período mais agudo - dura cerca de 2 horas desde o início da dor. O quadro sintomático é mais pronunciado. É durante esse período que o atendimento de emergência a um ataque cardíaco minimiza o risco de consequências graves.
    • Ataque cardíaco agudo - o período dura de 7 a 14 dias. No momento, o site necrótico é delimitado. A pressão geralmente diminui (mesmo em pacientes hipertensos), o pulso se torna raro (bradicardia). O aumento máximo da temperatura é observado por 2-3 dias.
    • Estágio subagudo - dura 4-8 semanas. Durante esse período, a área necrótica é substituída pelo tecido de granulação. A intensidade dos sintomas dolorosos é acentuadamente reduzida.
    • Período pós-infarto - dura até 6 meses. Durante esse período, a cicatriz após o infarto do miocárdio se torna mais densa e o músculo cardíaco se adapta e restaura sua funcionalidade.

    Reabilitação após um ataque cardíaco

    • adaptação do corpo a um novo estado do coração;
    • prevenção de complicações graves pós-infarto;
    • minimizando o risco de ataque cardíaco.

    As consequências de um ataque cardíaco em mulheres dependem do tamanho do foco, da presença de complicações, de doenças concomitantes e da idade. Com um grande ataque cardíaco focal com complicações (insuficiência cardíaca, aneurisma, arritmias), o prognóstico é menos favorável do que com um microinfarto.

    O tratamento medicamentoso destinado a restaurar o coração é prescrito pelo médico de acordo com as indicações individuais.

    Os princípios gerais de reabilitação estão relacionados ao estilo de vida após um ataque cardíaco. Seu registro permite que você se recupere da doença mais rapidamente.

    1. Rejeição de maus hábitos.
    2. Correção nutricional: inclusão na dieta de produtos que melhoram as propriedades sanguíneas e a microcirculação (nozes, frutas cítricas, peixes gordurosos) e a rejeição do excesso de gorduras animais e sal.
    3. Expansão gradual da atividade física. Andando no ar, exercite-se terapia.
    4. Controle de peso corporal.
    5. Correção da pressão arterial, lipídios e glicose.
    6. Ajuda do psicólogo para superar situações estressantes.

    Você não deve desistir da busca viável de seus negócios e comunicação favoritos. Uma atitude positiva e interesse na vida são os melhores ajudantes no caminho da recuperação.

    As complicações do infarto do miocárdio em mulheres e homens podem ser diferentes. Sua gravidade depende em grande parte do estado de saúde, da extensão dos danos nos tecidos do músculo cardíaco, da pontualidade e da precisão dos primeiros socorros. Muitas vezes, após um ataque, o paciente desenvolve complicações precoces pós-infarto, como arritmias e insuficiência cardíaca, que podem levar a edema pulmonar e morte.

    A ocorrência dessas complicações é explicada pelo fato de que a substituição de parte do músculo cardíaco por tecido conjuntivo e a formação de uma cicatriz reduzem a contratilidade do miocárdio. Em casos mais raros, as primeiras consequências de um ataque cardíaco são: ruptura do coração, pericardite, trombose vascular (até derrame isquêmico).

    Com ataques cardíacos extensos e cicatrizes de volume, é possível a formação de aneurisma do coração. Tal complicação é fatal para o paciente, pois o aneurisma pode se romper e sempre cria condições favoráveis ​​para a trombose. É por isso que esses pacientes sempre precisam de cirurgia cardíaca. As seguintes condições estão relacionadas às consequências a longo prazo de um ataque cardíaco:

    • insuficiência cardíaca crônica;
    • tromboendocardite parietal;
    • desordens neurotróficas;
    • Síndrome de Dressler (pleurisia, pericardite, pneumonite).
  • A luta contra a obesidade.

    As consequências de um ataque cardíaco em mulheres dependem do tamanho do foco, da presença de complicações, de doenças concomitantes e da idade. Com um ataque cardíaco focal grande com complicações (insuficiência cardíaca, aneurisma, arritmia), o prognóstico é menos favorável do que com um microinfarto. Um médico prescreve tratamento médico destinado a restaurar o trabalho do coração de acordo com as indicações individuais. Os princípios gerais de reabilitação estão relacionados ao estilo de vida após um ataque cardíaco. O registro deles permite que você se recupere da doença mais rapidamente.

  • Correção nutricional: inclusão na dieta de produtos que melhoram as propriedades sanguíneas e a microcirculação (nozes, frutas cítricas, peixes gordurosos) e a rejeição do excesso de gorduras animais e sal.
  • Expansão gradual da atividade física. Andando no ar, exercite-se terapia.
  • Controle de peso corporal.
  • Correção da pressão arterial, lipídios e glicose.
  • Ajuda do psicólogo para superar situações estressantes.

    Alimentos saudáveis ​​para o coração

    Especificidade e características do desenvolvimento da patologia, dependendo do sexo

    • Na maioria das vezes, o infarto do ventrículo esquerdo é diagnosticado, enquanto o mais desfavorável em termos de prognóstico é a necrose de sua parede anterior.
    • No infarto transmural (toda a espessura do miocárdio é afetada), o quadro sintomático é mais grave do que na forma intramural (formas de necrose no interior do miocárdio). O dano necrótico geralmente se espalha para partes vizinhas do coração.
    • Com uma pequena lesão focal, o quadro sintomático é menos pronunciado. Em 30% dos casos, um grande foco se desenvolve e uma intensificação da dor em forma de onda indica uma expansão da zona de necrose: os primeiros 3-8 dias - ataque cardíaco recorrente, após 28 dias - repetidos.
    • O procedimento mais fácil e prognóstico favorável é um ataque cardíaco do ventrículo direito.
    • Subepicardial (dano à camada externa do coração) é frequentemente acompanhado por ruptura do vaso danificado, o que leva a hemorragia na cavidade pericárdica e morte.
    • hereditariedade, isto é, a presença de parentes que sofrem ataques cardíacos precoces;

    • tabagismo;
    • estresse constante;
    • excesso de peso;
    • doença renal;
    • hipertensão arterial;
    • abuso de álcool;
    • a presença de diabetes;
    • a presença de uma grande quantidade de colesterol no sangue;
    • distúrbios na função secretora do corpo.

    Nas mulheres com mais de 60 anos, devido a alterações naturais no corpo, patologias cardíacas e vasculares começam a se desenvolver. Nessa idade, é importante monitorar constantemente o trabalho do sistema cardiovascular e tentar aderir a um estilo de vida saudável. O desenvolvimento da patologia cardíaca aos 50 anos de idade está frequentemente associado ao início da menopausa e alterações hormonais no corpo: a barreira estrogênica não protege mais os vasos sanguíneos e, como resultado, existe o risco de desenvolver a doença.

    Aos 40 anos, as mulheres ainda se sentem bem jovens e muitas vezes não prestam atenção suficiente à saúde de seu corpo: elas são propensas a tensões frequentes e comem alimentos desequilibrados. Como resultado, existe um risco significativo de se tornar um paciente em um hospital cardiológico. Mulheres com 30 anos ainda são fortes e resistentes, mas podem ser subitamente superadas por uma doença.

    Como prevenir?

    • eliminar fatores de risco modificáveis ​​(maus hábitos, excesso de peso, inatividade física);
    • corrigir com a ajuda de manifestações terapêuticas de doenças concomitantes;
    • aprender a superar situações estressantes construtivamente;
    • quando os primeiros precursores aparecerem, não adie a visita ao médico.

    Tentar "suportar" a dor é o caminho para um desastre cardiovascular. Nitroglicerina deve ser tomada. Se a dor persistir, beba outra pílula em intervalos de 5 minutos. Se não houver efeito, chame uma ambulância.

    Fatores de risco para ataque cardíaco em mulheres

    • Parada cardíaca súbita

    Geralmente ocorre com infarto transmural extenso (50% das rupturas cardíacas devido a aneurisma cardíaco precoce ocorre nos primeiros 5 dias), forma epicárdica e hemorragia de uma artéria danificada. A morte ocorre rapidamente, antes da chegada de uma ambulância.

    • Ruptura do septo interventricular

    Complica o curso da necrose da parede anterior do miocárdio, se desenvolve nos primeiros 5 dias. Uma condição séria que requer cirurgia de emergência geralmente se desenvolve em mulheres e pacientes idosos. O risco de ruptura aumenta com alta pressão, extra-sístole.

    Pode se desenvolver em qualquer estágio do infarto do miocárdio, mais frequentemente com necrose da parede anterior. No entanto, o maior risco de seu desenvolvimento nos primeiros 10 dias, especialmente com terapia trombolítica tardia (eficaz nos primeiros 3 dias).

    Os transtornos mentais geralmente ocorrem nos primeiros dias. O paciente, negando completamente sua condição séria, exibe atividade física exorbitante. Na ausência de atenção adequada de parentes ou equipe médica, pode ocorrer recidiva da necrose.

    A complicação mais comum do infarto do miocárdio no período agudo e agudo. Os distúrbios do ritmo são observados em mais da metade dos pacientes, enquanto a extra-sístole é mais frequentemente registrada. O perigo é causado por extra-sístoles de grupo, contrações ventriculares extraordinárias precoces e extra-sístoles atriais.

    Mesmo com infarto focal pequeno, podem ocorrer graves distúrbios do ritmo: flutter atrial, fibrilação ventricular, taquicardia paroxística. A fibrilação atrial desocupável com lesão extensa muitas vezes leva à fibrilação ventricular e estado agonal. Com grande necrose focal, não é descartado o risco de desenvolver bloqueio atrioventricular e assistolia, o que leva à morte.

    • Insuficiência ventricular esquerda aguda

    Mais pronunciado com a ruptura do músculo papilar (geralmente ocorre no primeiro dia com um ataque cardíaco mais baixo), o que leva à insolvência da válvula mitral. Alto risco de desenvolvimento precoce de insuficiência ventricular esquerda, manifestada por asma cardíaca.

    Sinais de edema pulmonar: respiração ofegante e audição de sibilos disseminados, aumento da falta de ar, tonalidade azulada das extremidades, tosse seca ou com ligeira descarga de escarro, ritmo galopante - aparece 3 tons ao ouvir o coração, como um eco do segundo tom. Necrose macrofocal e infarto transmural são geralmente manifestados por sintomas leves de insuficiência cardíaca.

    Uma queda acentuada da pressão durante o infarto do ventrículo esquerdo leva a um distúrbio hemodinâmico descompensado. Hipóxia e aumento da acidose levam à estagnação do sangue nos capilares e sua coagulação intravascular. O paciente tem cianose da pele, pulso rápido fraco, aumento da fraqueza muscular e perda de consciência.

    O choque pode se desenvolver tanto no período agudo quanto no estágio agudo sob a ação adicional de drogas antiarrítmicas. Uma condição de choque requer cuidados intensivos.

    • Insuficiência ventricular direita aguda

    Uma complicação rara que ocorre com um infarto do ventrículo direito. Manifesta-se por um aumento e dor no fígado, inchaço das pernas.

    É formado durante o infarto focal transmural, manifesta-se como pulsação patológica (o tom no ápice do coração é fortalecido ou duplo), sopro perisistólico e pulso fraco.

    Em uma data posterior no processo de recuperação, o paciente pode desenvolver os seguintes distúrbios:

    • Aneurisma tardio - geralmente se forma no ventrículo esquerdo, a cicatriz se projeta após o infarto do miocárdio;
    • Síndrome pós-infarto - inflamação causada por agressão auto-imune, começa com o pericárdio e depois se espalha para a pleura e os pulmões;
    • Tromboendocardite parietal - geralmente acompanha o aneurisma, caracterizado pela formação de coágulos sanguíneos nas câmaras cardíacas, cuja separação é repleta de trombembolismo da artéria pulmonar, vasos cerebrais (derrame isquêmico), rins (infarto renal);
    • Cardiosclerose pós-infarto - crescimento excessivo de tecido conjuntivo que forma uma cicatriz no local da necrose, é diagnosticado em 2 a 4 meses e está repleto de desenvolvimento de fibrilação atrial e outros distúrbios do ritmo;
    • Insuficiência cardíaca crônica - a gravidade dos sintomas da asma cardíaca (falta de ar, inchaço etc.) devido à escala do processo necrótico.

    Fatores conhecidos que contribuem para o desenvolvimento de infarto do miocárdio em mulheres. Eles estão associados a características estruturais do corpo e estilo de vida em meninas e mulheres. Entre eles:

    • estrutura do coração: um coração feminino é, em média, ligeiramente menor que um coração masculino. A massa do coração feminino é 200-300 g, o masculino - 270-380 g;
    • estrutura vascular: o lúmen das artérias, incluindo coronárias, nas mulheres é muito menor. Isso contribui para o aumento da pressão do fluxo sanguíneo nas paredes dos vasos sanguíneos e a deposição mais intensa de colesterol;
    • aumento da formação de placas ateroscleróticas e sua localização: como regra, em mulheres, a aterosclerose afeta freqüentemente pequenos vasos;
    • uma maior frequência de doenças que contribuem para a ocorrência de um ataque cardíaco, em particular diabetes mellitus;
    • maior prevalência de obesidade.

    A ausência de dor cardíaca em um ataque cardíaco é especialmente comum em pacientes com diabetes mellitus. Em outro grupo, você pode combinar fatores de risco para ataque cardíaco, relevantes não apenas para as mulheres, mas também para os homens:

    • predisposição hereditária;
    • lipídios no sangue elevados;
    • maus hábitos, em particular fumar;
    • estilo de vida sedentário;
    • níveis elevados de homocisteína;
    • excesso de peso;
    • pressão alta;
    • fatores psicossociais, resistência ao estresse.

    Na maioria das vezes, um impulso direto para o infarto do miocárdio se torna tensão nervosa excessiva, estresse, alto esforço físico, flutuações na pressão atmosférica, crises vasculares (geralmente hipertensas), menos frequentemente intervenção cirúrgica, hipotermia. Que pressão pode desencadear um ataque cardíaco? Valores perigosos da pressão arterial são considerados números acima de 140/90 mm Hg. Art.

    Em quase 90% dos casos, a causa do infarto do miocárdio é a aterosclerose, que causa entupimento das artérias coronárias com fragmentos de placas ateroscleróticas. Esse processo na corrente sanguínea causa a interrupção do fluxo sanguíneo no miocárdio e as células do músculo cardíaco morrem devido à falta de oxigênio.

    • trombose coronariana;
    • lesões cardíacas
    • espasmo da artéria coronária;
    • tumores.

    Fatores predisponentes são capazes de contribuir para o aparecimento de um ataque cardíaco:

    • aterosclerose;
    • hipertensão arterial;
    • uma história de infarto do miocárdio;
    • fumar;
    • obesidade;
    • hipo e adinamia;
    • diabetes;
    • níveis elevados de LDL (colesterol "ruim");
    • situações estressantes frequentes;
    • distúrbios no sistema de coagulação sanguínea;
    • estresse físico ou emocional excessivo;
    • alta ingestão de álcool e alcoolismo crônico;
    • idade pós-menopausa em mulheres.

    Como isso se manifesta nos homens?

    Até os 50 anos de idade, a frequência de ataques cardíacos nos homens é cinco vezes maior que nas mulheres. Manifesta-se por um conjunto clássico de sinais: dor no peito, falta de ar, desconforto nas mãos. As causas do suprimento de sangue coronariano não são diferentes das mulheres. Pequenas diferenças são devidas a um background hormonal diferente, características de resposta ao estresse, prevalência de maus hábitos.

    Até 50 anos, a frequência de ataques cardíacos nos homens é cinco vezes maior que nas mulheres.

    Manifesta-se em um conjunto clássico de sinais: dor no peito, falta de ar, desconforto na mão.

    As causas dos distúrbios do fluxo sanguíneo coronário não diferem das mulheres. Pequenas diferenças são devidas a um background hormonal diferente, características de resposta ao estresse, prevalência de maus hábitos.

    Causas e fatores predisponentes

    O que causa um ataque cardíaco? O estreitamento do lúmen das artérias coronárias leva a uma diminuição no fluxo sanguíneo para qualquer parte da camada muscular do coração (miocárdio), há um enfraquecimento ou interrupção completa do suprimento sanguíneo para o músculo cardíaco, desenvolvendo doença cardíaca coronária. Uma forma aguda de doença cardíaca coronária que ocorre com o desenvolvimento de necrose cardíaca é denominada infarto do miocárdio.

    O papel principal no desenvolvimento de um ataque cardíaco pertence a processos patológicos nas artérias coronárias do coração: estreitamento de suas paredes, espasmos vasculares, perda de elasticidade, alterações ateroscleróticas. Na maioria dos casos, a doença se desenvolve no contexto da aterosclerose. O aparecimento de placas ateroscleróticas e hemorragia causa estreitamento ou fechamento completo do lúmen do vaso, geralmente esse processo é acompanhado pelo aparecimento de coágulos sanguíneos.

    Um estudo da dinâmica da incidência mostrou que a taxa de mortalidade por infarto do miocárdio entre as mulheres era de 9%, enquanto entre os homens era de apenas 4%. Qual a idade de um ataque cardíaco? Segundo as estatísticas, o infarto do miocárdio em mulheres jovens é muito menos comum que nos homens. Isso se deve ao fato de o estrogênio produzido no corpo de uma mulher ter um efeito benéfico na vasodilatação e no trabalho da camada muscular do coração, além de ter um efeito antioxidante, cardioprotetor e antiaterogênico.

    conclusões

    1. O curso da doença nas mulheres tem características que podem "mascarar" um ataque cardíaco e dificultar o diagnóstico.
    2. A dor em um ataque cardíaco em mulheres costuma ser localizada no abdome superior, na mandíbula ou ausente.
    3. Os precursores frequentes da doença são fadiga desmotivada, insônia, distúrbios digestivos, sudorese e inchaço.
    4. Conhecer e explicar as causas e precursores de um ataque cardíaco pode reduzir o risco de um acidente cardiovascular.
    5. O fornecimento de primeiros socorros médicos durante a “hora de ouro” pode melhorar o prognóstico do resultado da doença.
    6. Correção do estilo de vida, adesão às prescrições médicas ajudarão a retornar à vida plena.

    O que pode confundir um ataque cardíaco?

    Sinais do início de um período agudo

    O principal sintoma de um ataque é uma súbita dor no peito que se espalha pela parte superior esquerda do corpo, cobrindo as regiões maxilofacial, occipital e do ombro. A dor pode ser tanto aguda quanto dolorosa por natureza. Nesse caso, tomar nitroglicerina é ineficaz. Um sintoma importante neste caso é falta de ar. O aparecimento desses dois sintomas em um par é uma indicação direta para uma visita imediata ao médico. Os sintomas de um ataque cardíaco agudo são os seguintes:

    • dificuldade em respirar;
    • sudorese abrupta;
    • tontura;
    • sensação contínua de náusea;
    • dormência do membro superior esquerdo;
    • fala ilegível;
    • sentimento de medo de pânico.

    Falando sobre os sinais e sintomas de um ataque cardíaco em mulheres, os médicos distinguem entre um curso típico da doença e uma forma atípica. Se no caso de uma condição típica do paciente, a patologia não é difícil de diagnosticar, então com manifestações atípicas há o risco de entrar em contato prematuramente com as autoridades de saúde e com o diagnóstico tardio. Entre as formas atípicas da doença, existem esses tipos:

    • asmático - pode ser confundido com asma brônquica, porque existem problemas respiratórios;
    • abdominal - os sintomas são semelhantes às doenças gastrointestinais;

    arrítmica - a dor neste caso está ausente, mas há um aumento nas contrações do músculo cardíaco;

  • cerebral - é fácil confundir com um derrame, pois os sintomas são de natureza neurológica;
  • assintomático - típico para pacientes com diabetes mellitus, o paciente não sente dor, mas se queixa de transpiração excessiva, e também há irritabilidade e nervosismo excessivos.
  • De qualquer forma, todos esses sintomas indicam danos ao órgão do coração e requerem hospitalização urgente.

    Detonic - um medicamento único que ajuda a combater a hipertensão em todas as fases do seu desenvolvimento.

    Detonic para normalização da pressão

    O efeito complexo dos componentes vegetais da droga Detonic nas paredes dos vasos sanguíneos e no sistema nervoso autônomo contribuem para uma rápida diminuição da pressão arterial. Além disso, este medicamento evita o desenvolvimento da aterosclerose, graças aos componentes únicos envolvidos na síntese da lecitina, um aminoácido que regula o metabolismo do colesterol e impede a formação de placas ateroscleróticas.

    Detonic síndrome não viciante e de abstinência, uma vez que todos os componentes do produto são naturais.

    Informações detalhadas sobre Detonic está localizado na página do fabricante www.detonicnd.com.

    Tatyana Jakowenko

    Editor-chefe da Detonic revista on-line, cardiologista Yakovenko-Plahotnaya Tatyana. Autor de mais de 950 artigos científicos, inclusive em revistas médicas estrangeiras. Ele trabalha como cardiologista em um hospital clínico há mais de 12 anos. Ele possui métodos modernos de diagnóstico e tratamento de doenças cardiovasculares e os implementa em suas atividades profissionais. Por exemplo, utiliza métodos de ressuscitação do coração, decodificação do ECG, testes funcionais, ergometria cíclica e conhece muito bem o ecocardiograma.

    Por 10 anos, ela tem participado ativamente de inúmeros simpósios médicos e oficinas para médicos - famílias, terapeutas e cardiologistas. Ele tem muitas publicações sobre um estilo de vida saudável, diagnóstico e tratamento de doenças cardíacas e vasculares.

    Ele monitora regularmente novas publicações de revistas européias e americanas de cardiologia, escreve artigos científicos, prepara relatórios em conferências científicas e participa de congressos europeus de cardiologia.

    Detonic