Miocardite aguda causa da doença, sintomas, métodos de diagnóstico e tratamento

Devido à baixa atividade física e prejudicial ou desnutrição, problemas cardíacos costumam ocorrer. Obviamente, esses não são os únicos fatores que podem causar várias patologias. Os músculos do coração podem ser afetados por infecções.

Miocardite aguda é uma doença que ocorre mais frequentemente após uma infecção. Mas a causa pode não ser apenas bactérias. Sobre o que constitui uma doença, seus sintomas e métodos de tratamento - mais adiante no artigo.

Uma vez no sangue, as bactérias podem entrar nos músculos do coração. Eles podem causar alterações, como exsudação, proliferação, degeneração inadequada dos tecidos e outros. Em outras palavras, a miocardite é chamada inflamação do miocárdio. A miocardite pode ter uma natureza aguda, crônica e subaguda da aparência e desenvolvimento.

Infecções agudas ou envenenamento podem causar miocárdio no músculo, o que por sua vez levará à sua inflamação. O quadro anatômico da doença depende completamente de sua natureza. A patologia viola completamente a funcionalidade do miocárdio - é excitabilidade, condutividade, velocidade e modo de contratilidade, bem como sua estrutura. O reumatismo agudo é sempre acompanhado por miocardite.

Nesse caso, formam-se acúmulos de leucócitos e células entre as fibras musculares. A difteria causa danos completos às fibras musculares. Eles renascem e alguns morrem. Assim, ocorre dano difuso ao tecido. Estas são as duas principais opções para eventos. Outras doenças causam um quadro anatômico misto.

A doença também pode ser desencadeada por febre tifóide, erisipela e até amigdalite comum. Mas o mais perigoso é a miocardite infecciosa com difteria. A morte celular pode ocorrer rapidamente, causando complicações da miocardite.

Causas da miocardite aguda

Segundo as estatísticas, 50% dos casos de miocardite aguda estão associados a uma infecção viral. A inflamação do miocárdio geralmente ocorre no contexto de:

  • Gripe
  • Catapora;
  • Rubéola;
  • Sarampo
  • Herpes
  • Infecção por adenovírus;
  • Infecção por enterovírus;
  • Hepatite infecciosa.

Você deve saber que na maioria das vezes a miocardite aguda se desenvolve durante surtos de doenças respiratórias agudas causadas pela disseminação de infecção viral.

Nesse caso, os primeiros sintomas da doença aparecem algumas semanas após a infecção, ou seja, no momento em que uma pessoa pode se considerar recuperada. Entre uma infecção bacteriana comum que pode provocar o desenvolvimento de miocardite aguda, vale destacar:

  • Bactéria difteria;
  • Estafilococos;
  • Estreptococos;
  • Gonococos;
  • Meningococos;
  • Mycobacterium tuberculosis.

Raramente, mas ainda pode causar miocardite aguda, inflamação do miocárdio:

  • Lesões fúngicas, especialmente candidíase muito comum;
  • Infecções parasitárias.

As seguintes categorias de pessoas estão em risco:

  • Homens jovens
  • Gestantes;
  • Crianças pequenas, incluindo recém-nascidos;
  • Pessoas com imunidade prejudicada.

Sintomas da doença

Ao contrário de outras espécies, a miocardite na forma aguda é caracterizada por sinais mais pronunciados que não podem passar despercebidos. Inicialmente, no contexto de uma cura para uma infecção viral, esta doença manifesta claramente a síndrome astênica, a saber:

  • Há uma mudança frequente de humor;
  • Existe irritabilidade;
  • Um distúrbio do sono ocorre em um contexto de constante medo interno.

Após um curto período de tempo após essa pessoa, a dor na área do peito começa a perturbar. Ao mesmo tempo, a miocardite na forma aguda pode se manifestar por diversas dores: dores, costuras ou compressões.

A síndrome da dor na miocardite aguda pode ser de curto prazo e bastante longa, forte e fraca, às vezes com radiação no ombro esquerdo. A inflamação aguda do músculo cardíaco é frequentemente acompanhada por:

  • Febre;
  • Arritmia;
  • Maior fraqueza e fadiga;
  • Dor nos músculos e articulações;
  • Inchaço;
  • Pressão arterial baixa;
  • Aumento da transpiração.

O fato de o mal-estar geral estar associado precisamente ao desenvolvimento de miocardite aguda é indicado por uma violação dos ritmos cardíacos. Ou seja, uma pessoa começa a sentir o trabalho do coração, que em um estado normal não deve ser observado.

Doença em adultos

Miocardite aguda e subaguda em adultos é bastante comum. É diagnosticado especialmente em jovens. A idade deles é de trinta a quarenta anos. Curiosamente, a doença afeta principalmente mulheres. Os homens adoecem com menos frequência. Mas, se esta doença é diagnosticada em homens, ela ocorre de uma forma particularmente grave.

Um grande número de pessoas morre de miocardite aguda do que de miocardite subaguda. Na etiologia da doença em adultos, a influência de fatores tóxicos é isolada. Além disso, o efeito tóxico está associado a um estilo de vida saudável. Incluindo uso de drogas, tabagismo e álcool. Um papel importante na etiologia da doença nos homens é desempenhado por fatores no desenvolvimento da prostatite.

A prostatite grave contribui para o desenvolvimento de fenômenos irreversíveis no músculo cardíaco. Portanto, os homens devem chegar a tempo de realizar a terapia de tratamento. A miocardite aguda na velhice leva a consequências irreversíveis.

Freqüentemente manifestava danos extensos no músculo cardíaco. Especialmente se uma infecção séptica se juntar. Adultos imunocomprometidos também são propensos a complicações. Incluindo do sistema cardiovascular. Portanto, é necessário observar um estilo de vida saudável e tomar vitaminas. Nos adultos, a doença é caracterizada pela presença de certos sintomas.

O estágio subagudo pode não ter sinais clínicos pronunciados. Enquanto o curso agudo da doença se manifesta pelos seguintes sintomas:

Patologia em crianças

A miocardite aguda e subaguda em crianças é a doença mais grave. Na maioria das vezes, a causa da doença em crianças é o processo infeccioso. A influência mais significativa de origem viral. Em crianças, a doença é uma conseqüência de uma infecção grave. Especialmente se o patógeno não for detectado a tempo, a sensibilidade não será determinada.

Qual é o mais necessário neste caso. Quais patógenos causam um processo infeccioso grave? Os patógenos que causam uma infecção grave em crianças incluem:

A doença mais relevante é a tuberculose.

Isso leva à extensa distribuição de palitos. Isso afeta órgãos e sistemas. O processo circulatório é perturbado. A doença em crianças pode ser causada por um efeito colateral da vacinação. Muito depende da presença de uma doença concomitante. Afinal, sabe-se que a vacinação deve ser realizada após uma doença, após um certo tempo.

As crianças desenvolvem certos sinais clínicos. Por exemplo, falta de ar é determinada. Ou fadiga sem causa. Incluindo dor no peito e taquicardia. Um aumento da temperatura corporal em uma criança é possível, mas nem sempre. Um aumento no fígado é determinado. Especialmente com diagnóstico por ultrassom. Possível ampliação do coração.

O curso da miocardite aguda, dependendo da gravidade

As características do curso da miocardite aguda, dependendo da gravidade, são as seguintes:

    Uma forma grave é clinicamente manifestada por um sintoma pronunciado de intoxicação, o estado geral da criança sofre significativamente.

A temperatura corporal aumenta para 38–39 ° C. Uma criança doente está ansiosa, agitada, aparece insônia. A pele é pálida, mesmo com um tom acinzentado. Uma tosse seca, intrusiva e persistente é característica, o que não traz alívio.

Edema pronunciado e falta de ar aparecem muito cedo. Com a auscultação dos pulmões contra o fundo da respiração difícil, vários estertores de estertores são ouvidos. Com a percussão da região do coração, observa-se uma expansão de suas bordas para a esquerda, direita e para cima.

Durante a auscultação do coração, os tons são abafados, arrítmicos, um sopro sistólico intenso e intenso é ouvido acima do ápice. Na palpação, o abdômen é macio, indolor, notando um aumento no fígado e no baço. Muitas vezes, a pericardite se junta.

No eletrocardiograma, há um deslocamento do segmento 5T e da onda T abaixo da isolina, uma diminuição na voltagem dos dentes, a dominância dos potenciais elétricos do ventrículo esquerdo e do átrio. Há violações das funções do coração: automatismo, condução e excitabilidade.

Ao realizar radiografia de tórax, um aumento acentuado no tamanho do coração é registrado. Uma forma grave de cardite é mais comum em crianças pequenas.

A forma moderada se manifesta por um aumento da temperatura corporal para 37–38 ° C.

Uma criança doente se queixará de fadiga desmotivada. Um exame objetivo indica palidez da pele. Com a percussão do coração, observa-se uma expansão de suas bordas para a esquerda em uma média de 1,5-2 cm. Durante a ausculta, o enfraquecimento do tom I e um breve sopro sistólico no ápice são ouvidos.

Uma variedade de distúrbios do ritmo é observada no eletrocardiograma. Ao realizar radiografia de tórax, é registrado um aumento no tamanho do coração, principalmente devido ao ventrículo esquerdo. Uma forma moderada com igual frequência é encontrada em crianças de tenra idade e mais velhas.

Uma forma leve de miocardite é caracterizada pela escassez de manifestações clínicas. A condição geral de uma criança doente praticamente não sofre.

Com a percussão do coração, observa-se uma extensão de suas bordas para a esquerda em 0,5-1 cm. Um aumento característico da frequência cardíaca.

Durante a ausculta, um certo enfraquecimento do tom I e um suave e sistólico sopro de curto prazo no ápice são ouvidos. Os sinais de distúrbios circulatórios, por via de regra, estão ausentes.

No eletrocardiograma, há violações do automatismo (taquicardia ou bradicardia sinusal, flutter ou fibrilação atrial), excitabilidade (extra-sístole) e condução (bloqueio atrioventricular, bloqueio do feixe de His).

Ao realizar radiografia de tórax, um aumento no tamanho do coração pode não ser determinado. Uma forma leve de miocardite é mais comum em crianças mais velhas. A cardite subaguda se desenvolve gradualmente.

Existem duas opções para o desenvolvimento da doença.

  • A primeira opção (principalmente cardite subaguda) é caracterizada pelo aparecimento de insuficiência cardíaca 4-6 meses após a infecção viral respiratória aguda.
  • A segunda - após uma fase aguda pronunciada, o processo patológico segue um longo curso, ou seja, representa o resultado do processo agudo.

Os sintomas são moderados. As manifestações da astenização vêm à tona: letargia, irritabilidade, diminuição do apetite e aumento da fadiga. A temperatura corporal, por via de regra, permanece em números normais.

Frequentemente, os sintomas de dano cardíaco ocorrem no contexto de uma infecção viral repetida ou após vacinas preventivas. Após o exame, é revelada alguma palidez da pele. Visualmente, a região do coração é alterada na forma de uma corcunda cardíaca emergente, o que confirma a prescrição do processo patológico.

Um aumento na frequência cardíaca é detectado. Os limites da relativa estupidez do coração são um pouco expandidos. Durante a ausculta do coração, os sons cardíacos são altos, rítmicos, o sotaque do tônus ​​II acima da artéria pulmonar é determinado, o sopro sistólico no ápice é ouvido.

No eletrocardiograma, o desvio do eixo elétrico do coração para a esquerda, a desaceleração da condução atrioventricular, os sinais de sobrecarga do ventrículo esquerdo e do átrio, a onda T positiva é determinada.

A radiografia de tórax revelou um ligeiro aumento do padrão pulmonar como resultado da estagnação dos pulmões, a configuração patológica da sombra do coração (aórtica ou mitral) como resultado de um aumento nas cavidades dos ventrículos e átrios. Os sintomas são persistentes.

Diagnóstico

Após surgir uma suspeita de desenvolvimento de miocardite aguda, você deve entrar em contato com urgência com uma instituição médica. O tratamento da doença pode ser realizado somente após o exame e o estabelecimento de um diagnóstico preciso.

Deve-se lembrar que a automedicação da miocardite aguda não pode ser praticada devido ao risco de agravar a condição e provocar alterações irreversíveis no músculo cardíaco, o que levará ao desenvolvimento de miocardite crônica e outras complicações graves.

Durante uma visita ao médico, é necessário descrever em detalhes a que horas os primeiros sintomas da doença apareceram e de que forma a miocardite aguda se manifesta atualmente. Além disso, o médico certamente estará interessado na presença de doenças crônicas e em quais doenças infecciosas o paciente teve.

Informações sobre se um dos parentes sofre de doenças do sistema cardiovascular também podem ser importantes. Os seguintes métodos de diagnóstico laboratorial são usados ​​para detectar a presença de inflamação e possíveis complicações:

  • Análise geral de sangue;
  • Química do sangue;
  • Análise geral de urina.

O diagnóstico final é estabelecido após a realização de exames de hardware usando eletrocardiograma e ecocardiografia. Se for necessário esclarecer o diagnóstico de miocardite aguda, o médico pode decidir realizar o monitoramento diário do eletrocardiograma de acordo com Holter, usando um sensor especial fixado no corpo.

Em casos graves de manifestações de miocardite aguda, outros exames de hardware podem ser prescritos, como:

  • Radiografia de tórax;
  • Ressonância magnética;
  • Sondagens de cavidades cardíacas;
  • Cintilografia do coração.

Se o exame do paciente revelou inchaço das veias cervicais e inchaço, isso indica o desenvolvimento de insuficiência ventricular direita ou ventricular esquerda. Com miocardite, um exame de sangue bioquímico e geral mostra um aumento na taxa de sedimentação de eritrócitos, o aparecimento de uma proteína C reativa etc.

A cultura bacteriológica do sangue (ou outros fluidos biológicos do paciente) em muitos casos nos permite estabelecer se a natureza da miocardite é infecciosa. A reação em cadeia da polimerase ajuda a estabelecer a infecção, que causou inflamação no miocárdio.

No eletrocardiograma na miocardite aguda, são observadas alterações características do infarto do miocárdio (por exemplo, o aparecimento de uma onda Q patológica). Portanto, você não pode fazer um diagnóstico baseado apenas em dados de ECG. O ecocardiograma com miocardite permite que você esclareça o grau de sua disfunção, diminuição da função contrátil do coração, dilatação de suas cavidades, permite identificar trombos intracavitários.

Um raio-x do tórax na miocardite aguda determinará quanto o coração aumentou de tamanho. A ressonância magnética do coração permite visualizar o processo inflamatório no miocárdio e seu edema.

A presença de miocardite em um paciente não pode ser considerada absolutamente comprovada se não for confirmada por biópsia. O diagnóstico é considerado comprovado se cardiomiócitos danificados ou necróticos, bem como infiltração inflamatória de células, foram encontrados na amostra de teste miocárdico. A gravidade da miocardite é avaliada pelo número de cardiomiócitos danificados.

O diagnóstico diferencial

O diagnóstico diferencial é realizado com várias doenças.

  1. Distonia neurocirculatória (NDC). Os seguintes fatores testemunham a favor da NDC:
    • idade dos anos 40;
    • queixas respiratórias (principalmente respirar com suspiros);
    • dor maçante prolongada na região do ápice do coração, sem irradiação; a dor aparece ou se intensifica com o estresse emocional e desaparece ou diminui com o esforço físico, tomando tranqüilizantes ou β-bloqueadores;
    • tendência à taquicardia e aumento da pressão arterial sistólica, raridade de distúrbios do ritmo;
    • valores normais de MV-CPK, troponina I e T;
    • manifestações de ortostatismo simpático-tônico, fadiga e capacidade reduzida de trabalhar, aumento da irritabilidade, sudorese, membros frios, aumento dos reflexos tendinosos;
    • falta de progressão dos sintomas.
  2. A miocardite de gravidade moderada é diferenciada pela febre reumática, caracterizada por:
    • queixas de artralgia;
    • a presença de uma infecção estreptocócica;
    • envolvimento endocárdico no processo patológico;
    • durante a observação dinâmica: a formação de defeitos cardíacos, o interesse de outros órgãos e sistemas;
    • alterações acentuadas nos indicadores de fase aguda, um aumento no título de anticorpos para exotoxinas de estreptococos.
  3. É necessário diferenciar miocardite de gravidade moderada com doença cardíaca coronária (CHD) nos seguintes casos:
    • com síndrome de dor atípica para DIC;
    • em jovens com alterações patológicas no ECG;
    • na presença de alterações no ECG na ausência de dor.

Ao realizar um diagnóstico diferencial, deve-se considerar o seguinte:

  • presença de fatores de risco para doença cardíaca coronariana (hipertensão arterial, diabetes mellitus, metabolismo lipídico comprometido, excesso de peso, tabagismo, sexo);
  • resultados de monitoramento diário de ECG (episódios de isquemia), testes de estresse (VEM, teste em esteira);
  • dados de angiografia coronariana.
  • Miocardite grave é diferenciada com cardiomiopatia dilatada (DCMP). A favor do DCMP é evidenciada por:
    • falta de uma conexão clara com os efeitos de agentes infecciosos e não infecciosos (após uma análise completa da história);
    • desenvolvimento gradual de sinais de insuficiência cardíaca congestiva, resistente à terapia anti-inflamatória e sintomática em andamento;
    • falta de sinais laboratoriais de inflamação, aumento de biomarcadores de danos aos cardiomiócitos (MV-KFK, troponina I e T).

      É dada importância decisiva aos resultados da biópsia endomiocárdica indicando DCMP: ausência de marcadores inflamatórios, grande massa muscular, fibrose difusa, alterações ateroscleróticas mínimas.

      O diagnóstico diferencial com pericardite é realizado com cardiomegalia grave (é necessária a exclusão de derrame pericárdico maciço) e com dor constante, característica de pericardite fibrinosa no coração, que às vezes se intensifica na posição abdominal e com respiração profunda.

      Neste último caso, geralmente é ouvido ruído de atrito pericárdico, confirmando a presença de pericardite. A conclusão sobre a natureza isolada da pericardite é justificada pela exceção adicional de dano do miocárdio: a ausência de alterações no ECG que não são características da pericardite (por exemplo, distúrbios de condução). Caso contrário, é estabelecido um diagnóstico de miopericardite.

      A ausência de uma sombra triangular característica do coração durante o exame radiológico permite excluir um derrame maciço na região pericárdica com cardiomegalia. Um método mais confiável é a ecocardiografia, com a qual você pode não apenas detectar fluidos na cavidade pericárdica, mas também estimar aproximadamente sua quantidade.

      A eliminação da cardiopatia mitral é necessária nos casos em que a ocorrência de sopro sistólico é combinada com um aumento predominante no coração esquerdo, imitando o quadro de regurgitação mitral orgânica.

      Diferentemente do último, com miocardite, o sopro sistólico geralmente não se liga ao som cardíaco, varia de intensidade em dias diferentes e pode desaparecer após melhora da função contrátil.

      No fonocardiograma, o sopro sistólico é definido como mesossistólico e geralmente é combinado com a presença de III tom, prolongando o intervalo Q - I. Radiologicamente com miocardite, é detectada uma diminuição, em vez de um aumento, nas pulsações dos contornos do coração, quase não há movimentos semelhantes a rochas entre os arcos III e IV ao longo do contorno do coração esquerdo.

      O ecocardiograma elimina o dano orgânico das cúspides da valva mitral e às vezes revela a causa do sopro sistólico (por exemplo, prolapso da cúspide funcional).

      Anti-germes

      O tratamento da miocardite aguda é realizado no departamento de cardiologia, onde o paciente deve ser hospitalizado sem falhas. No tratamento desta doença, o repouso no leito é prescrito por 3-8 semanas - a fim de facilitar o trabalho do coração e do sistema cardiovascular o máximo possível.

      Não há tratamento específico para miocardite. A terapia medicamentosa depende da causa da miocardite. Se a inflamação do coração apareceu devido a uma infecção viral, o paciente recebe remédios antivirais e é realizado um saneamento intensivo dos focos de infecção.

      Além disso, o tratamento visa restaurar o nível hemodinâmico, melhorando o metabolismo miocárdico. Para isso, são utilizadas preparações de potássio, vitaminas, riboxina e ATP. O tratamento sintomático de suporte é direcionado ao tratamento da hipertensão e outros sintomas de insuficiência cardíaca.

      A causa mais comum de miocardite são os enterovírus: vírus da poliomielite, vírus Coxsackie. Nesse caso, o paciente recebe terapia de manutenção. A recuperação ocorre dentro de alguns dias, mas as alterações no ECG permanecem por vários meses.
      Se a miocardite foi causada por sarampo, rubéola ou caxumba, a terapia de manutenção também está disponível.

      Se a miocardite aguda se desenvolver devido ao vírus do herpes, citomegalovírus ou vírus de Epstein-Barr, são prescritas injeções intravenosas de aciclovir ou ganciclovir. A miocardite geralmente se desenvolve com o HIV: nesse caso, o tratamento é realizado com a droga zidovudina.

      Se a causa da inflamação é uma infecção bacteriana, o paciente recebe antibioticoterapia. Nesse caso, o uso de glicocorticosteróides e anti-inflamatórios inespecíficos é contraindicado, pois podem acelerar o crescimento de bactérias e aumentar o grau de lesão do miocárdio.

      No caso da natureza alérgica da miocardite, você deve primeiro descobrir a causa de sua ocorrência e eliminá-la. Na maioria das vezes, a miocardite alérgica aguda se desenvolve como resultado da administração de vacinas ou preparações séricas, medicamentos ou contato com toxinas (medicamentos).

      No caso de miocardite aguda devido ao envenenamento por substâncias tóxicas, é necessário eliminar as causas do envenenamento e limpar o corpo de venenos. A miocardite aguda pode se desenvolver devido à rejeição do transplante (pode se desenvolver três meses após o transplante cardíaco).

      Nesse caso, o paciente é tratado com altas doses de glicocorticosteróides e, se forem ineficazes, é prescrita globulina antitimocítica. Durante a gravidez, a miocardite geralmente se desenvolve 1 mês antes do parto e dentro de 5 meses após. O tratamento neste caso consiste em terapia de manutenção.

      Após o término do tratamento, é realizado um segundo exame e, se a condição do paciente tiver melhorado significativamente, ele receberá alta. Após a alta hospitalar para monitorar o estado de saúde de uma pessoa que teve miocardite, recomenda-se que visite um cardiologista para um exame de rotina a cada três meses.

      Medicação

      Um conjunto corretamente selecionado de medidas terapêuticas evitará uma alteração irreversível nas câmaras cardíacas, minimizará o risco de insuficiência cardíaca crônica e outras complicações.

      O tratamento medicamentoso da miocardite aguda visa principalmente eliminar as causas da doença e aliviar seus sintomas. Os medicamentos são selecionados de forma a suprimir rapidamente o processo infeccioso que provocou a inflamação do músculo cardíaco.

      Para isso, dependendo do agente causador da doença, certos antibióticos ou antivirais são prescritos. É muito importante durante o tratamento identificar e reorganizar os focos infecciosos existentes que podem apoiar o processo inflamatório no miocárdio.

      Por exemplo, se disponível, é necessário curar:

      É importante entender que, para obter um prognóstico positivo, todas as prescrições e consultas do médico devem ser seguidas.

      Em cada caso individual após o diagnóstico, o tratamento é prescrito individualmente, dependendo dos motivos que causaram o desenvolvimento de miocardite e da condição do paciente. O tratamento da miocardite aguda é sempre complexo. Para aliviar a condição do paciente pode ser atribuído:

      • Medicamentos anti-inflamatórios não esteróides com propriedades analgésicas e antipiréticas;
      • Glucocorticosteróides, que pertencem ao grupo de anti-inflamatórios hormonais;
      • Medicamentos imunomodulados que melhoram as propriedades protetoras naturais do corpo;
      • Anti-histamínicos que excluem o desenvolvimento de reações alérgicas;
      • Drogas metabólicas;
      • Drogas antiarrítmicas;
      • Complexos vitamínicos, bem como preparações contendo potássio e magnésio, que restauram o equilíbrio eletrolítico no músculo cardíaco.

      O tratamento sintomático da miocardite aguda visa:

      • Normalização de ritmos cardíacos;
      • Elimine a hipertensão arterial;
      • Eliminação de sinais de insuficiência cardíaca;
      • Prevenção de coágulos sanguíneos.

      Lista de medicamentos essenciais:

      • ácido acetilsalicílico 100 mg, 250 mg, 325 mg, 500 mg comprimido,
      • diclofenaco de sódio 25 mg, 100 mg, guia de 150 mg; Injeção de 75 mg / 3 ml; Supositórios retais de 50 mg, gel para uso externo 1%,
      • injeção de 30 mg / ml de prednisona; Comprimidos de 5 mg
      • cloroquina 100 mg, 150 mg comprimidos,
      • azatioprina 50 mg comprimido,
      • amoxicilina 500 mg, 1000 mg, comprimido; 250 mg; 500 mg, caps .; 250 mg / 5 ml suspensão oral,
      • amoxicilina / clavulanato 250 mg / 125 mg, 500 mg / 125 mg, 875 mg / 125 mg, pó para suspensão oral 125 mg / 31,25 mg / 5 ml, 200 mg / 28,5 mg / 5 ml, 400 mg / 57 mg / 5 ml
      • eritromicina 250 mg, 500 mg, comprimido; 250 mg / 5 ml suspensão oral,
      • azitromicina 125 mg, 500 mg comprimido; Cápsulas de 250 mg .; 200 mg / 100 ml num frasco para injetáveis,
      • cefuroxima 250 mg, 500 mg comprimidos; 750 mg de pó para a preparação de uma solução injectável num frasco para injetáveis,
      • ceftriaxona 250 mg, 500 mg, 1 mg, em frasco, pó para a preparação de uma solução injetável,
      • ceftazidima - pó para a preparação de uma solução injectável num frasco de 500 mg, 1 g, 2 g,
      • digoxina 62,5 mcg, 250 mcg comprimido; 0,025% 1 ml de amp.,
      • furosemida 40 mg, comprimido; 20 mg / 2 ml, amp.,
      • espironolactona 25 mg; cápsula 50 mg comprimido,
      • aciclovir 200 mg, 800 mg comprimidos,
      • propranolol 40 mg, tab.,
      • verapamil 40 mg, 80 mg comprimidos,
      • enalapril 2,5 mg, 10 mg tab .; 1,25 mg / 1 ml de amp.,
      • glucose 5%, 10% 400 ml, 500 ml numa garrafa; 40% 5 ml, 10 ml amp.,
      • ácido ascórbico 50 mg, 100 mg, 500 mg comprimidos; 5%, 10% 2 ml, 5 ml amp.

      Após remover a inflamação do músculo cardíaco e restaurar o coração no modo normal, o paciente recebe alta. Mas, ao mesmo tempo, uma pessoa que teve miocardite deve ser submetida a exames regulares pelo menos duas vezes por ano.

      E após uma forma grave da doença, hospitalizações repetidas são necessárias para prevenção. Além disso, para acelerar a reabilitação, é muito importante evitar a hipotermia e excluir atividades físicas intensas.

      etnociência

      Como agentes de fortalecimento adicionais, no tratamento da miocardite aguda, as decocções de ervas e bagas medicinais também podem ser incluídas na dieta. Deve-se entender que a miocardite na forma aguda não é tratada apenas por métodos alternativos, receitas para curandeiros e curandeiros devem ser usadas exclusivamente para manter o músculo cardíaco.

      Entre as receitas mais populares da medicina tradicional que são usadas no tratamento da miocardite aguda:

      • Caldo de espinheiro: uma colher de sopa de frutas secas é derramada em um copo de água fervente e infundida em uma garrafa térmica por uma hora. Essa decocção fortalece o músculo cardíaco e deve ser tomada 3-4 colheres de sopa antes das refeições.
      • Coleta de ervas secas: é necessário colher grama de erva-doce, zimbro, erva-mãe (1 colher de sopa cada), adonis e hortelã (1,5 colher de sopa cada), raiz de valeriana e grama de orégano (2 colheres de sopa cada) e misturar recipientes separadamente com uma tampa. Em seguida, despeje a água fervente em um volume de 0,5 litros, ferva por 5 minutos e insista por 8 horas. Depois de filtrar o caldo, tome 100 gramas meia hora antes das refeições
    • Infusão de lírio do vale: as flores (1 colher de sopa) são servidas com um copo de água fervente. O caldo é infundido por uma hora e filtrado. Recomenda-se tomar 2 colheres de sopa a cada duas horas durante o dia.

    Útil no tratamento da doença é o mel natural de flores. Deve ser consumido com leite frio ou mel. Não é recomendável usar mel de flores com chá quente devido ao aumento da carga no coração.

    1. Skullcap Baikal.

    Na medicina folclórica chinesa e tibetana, Scutellaria é usado para miocardite, reumatismo, além de um reafirmante, calmante e anticonvulsivante.

    A tintura de Scutellaria é preparada com álcool a 70 graus na proporção de 1: 5 ou 1:10 com raiz de scutellaria (despeje 1 colher de sopa de raízes trituradas com 100 ml de álcool e deixe por 14 dias em um local escuro e fresco). Coe e tome 30 gotas três vezes ao dia.

  • O icteric está se espalhando. O suco de icterícia faz parte do medicamento de farmácia Cardiovalen, usado no tratamento de miocardite, reumatismo, defeitos cardíacos, insuficiência cardiopulmonar crônica e aterosclerose. Para o tratamento, também foi utilizada a infusão de folhas da icterícia (1:10).
  • Eleutherococcus.

    Extrato de Eleutherococcus (medicamento de farmácia). Tome 30-40 gotas para doenças cardíacas reumáticas, neurose cardíaca, fadiga mental e física, para melhorar a acuidade visual e auditiva na velhice.

    Em casa, você pode preparar a tintura de Eleutherococcus: despeje as raízes esmagadas da planta com álcool a 40 graus na proporção de 1: 1 e deixe por 10 dias. Para reduzir os efeitos de uma ressaca, adicione o extrato de eleutherococcus a uma garrafa de vodka (40-50 gotas por 500 ml).

    Maio lírio do vale. Beba tintura de lírio do vale com defeitos cardíacos, insuficiência cardiopulmonar, miocardite e doenças cardíacas com fenômenos nervosos pronunciados.

    Tintura: encha a garrafa com flores de lírio do vale e despeje 90 graus de álcool no pescoço. Insista por uma semana em um local escuro e fresco, coe. Tome 20 gotas três vezes ao dia.

    Mais frequentemente, a tintura de lírio do vale é usada em uma mistura com tinturas de valeriana ou erva-mãe. Para dores no coração, os especialistas búlgaros recomendam a seguinte composição 1:

    • anis - 20 g,
    • erva valeriana - 30 g,
    • grama de motherwort - 30 g,
    • grama Yarrow - 20 g.

    2 colheres de sopa de coleção picada despeje 200 ml de água fervente, aqueça em banho-maria por 15 minutos, deixe esfriar por uma hora, coe. Beba um terço de um copo 3-4 vezes ao dia.

    Para dores de cabeça, tome 3 gramas de sementes de espinafre três vezes ao dia meia hora antes das refeições. Lave com água morna.

  • A tintura de motherwort (preparação farmacêutica) toma 25 gotas três vezes ao dia para miocardite, defeitos cardíacos, fraqueza cardíaca, neurose cardíaca.
  • Dieta no tratamento da doença

    No tratamento da miocardite aguda, um papel importante para um bom prognóstico é a organização da nutrição adequada. Para normalizar o trabalho do coração, faça dieta Não. 10 é recomendado. Seus princípios básicos:

    • Restrição de sal e líquido;
    • Saturação da dieta com vitaminas e oligoelementos essenciais;
    • O aumento de produtos proteicos, reduzindo a proporção de carboidratos.

    No menu durante o tratamento da miocardite aguda, os produtos devem ser excluídos sem falhas:

    • Contendo colesterol;
    • Causando flatulência;
    • Fígado e rim irritantes;
    • Emocionando o sistema nervoso.

    Você deve seguir rigorosamente as regras da culinária, a saber:

    • O cozimento deve ser feito sem adicionar sal;
    • A carne e o peixe são consumidos apenas na forma cozida ou cozida;
    • Somente carne magra deve ser incluída na dieta;
    • Todos os pratos são preparados exclusivamente em óleo vegetal.

    No tratamento da miocardite aguda, atenção especial deve ser dada à restrição de líquidos. Pacientes com miocardite não devem consumir mais de 1,4 litros de líquido livre por dia, incluindo sopas, gelatina e compota de frutas.

    Dieta no tratamento da miocardite aguda pode acelerar a recuperação. É importante organizar refeições regulares para não sobrecarregar o estômago e, ao mesmo tempo, excluir a ocorrência de sentimentos de fome.

    Complicações e consequências da miocardite aguda

    As consequências da miocardite aguda sem tratamento oportuno podem ser as mais graves. E, em casos raros, a patologia cardíaca que se desenvolve no contexto de uma doença infecciosa pode ser fatal. Entre as possíveis complicações da miocardite, podemos destacar:

    • O desenvolvimento de insuficiência cardíaca, quando o coração de uma pessoa se torna incapaz de suprir os órgãos e tecidos necessários do corpo humano.
    • O surgimento de arritmias persistentes de vários tipos, o que leva à necessidade de manutenção constante dos ritmos cardíacos normais com medicamentos. Mesmo intervenção cirúrgica pode ser necessária para corrigir disfunção miocárdica grave.
    • O desenvolvimento da miocardite cardiosclerose, caracterizada pela substituição das fibras musculares do músculo cardíaco pelo tecido conjuntivo da cicatriz, bem como pela deformação das válvulas cardíacas, o que leva a sérios distúrbios na atividade cardíaca em geral.
    • A ocorrência de várias complicações tromboembólicas associadas à possibilidade de entupimento dos vasos sanguíneos do sistema circulatório, formado por coágulos sanguíneos, devido à função cardíaca inadequada.

    Deve-se lembrar que a miocardite aguda é uma doença muito grave. Portanto, devem ser tomadas precauções durante a disseminação da infecção viral para minimizar o risco de infecção.

    Em contato com pessoas doentes, uma máscara médica deve ser usada. Deve-se lembrar que a infecção pode entrar no corpo através de picadas de carrapatos e mosquitos; portanto, ao caminhar pela floresta, você deve usar roupas apertadas e usar aerossóis para assustar os insetos. Infelizmente, o prognóstico da miocardite é muito variável: da recuperação completa à morte.

    Por um lado, frequentemente a miocardite progride secretamente e termina com uma recuperação absoluta. Por outro lado, a doença pode levar, por exemplo, à cardiosclerose, acompanhada de proliferação de tecido conjuntivo cicatricial no miocárdio, deformação das válvulas e substituição de fibras do miocárdio, o que leva a arritmias cardíacas persistentes e sua condução.

    As prováveis ​​conseqüências da miocardite também incluem uma forma crônica de insuficiência cardíaca que pode causar incapacidade e até morte. Portanto, após a hospitalização, um paciente com miocardite fica sob supervisão clínica por mais um ano. Ele também é recomendado em tratamentos cardíacos em instituições cardíacas.

    Obrigatória é uma observação ambulatorial, que envolve um exame médico 4 vezes por ano, exames laboratoriais de sangue (incluindo análises bioquímicas) e urina, além de ultrassonografia do coração - uma vez a cada seis meses, ECG mensal. Estudos imunológicos regulares e testes para infecções virais também são recomendados.

    As medidas para a prevenção da miocardite aguda são causadas pela doença subjacente que causou essa inflamação e também estão associadas ao uso especialmente cuidadoso de soros estranhos e outros medicamentos que podem causar reações alérgicas e autoimunes.

    E o último. Considerando a gravidade das complicações da miocardite, a autocura da inflamação do músculo cardíaco, usando os “métodos da avó”, vários remédios populares ou medicamentos sem receita médica, é extremamente imprudente, pois enfrenta sérias conseqüências.

    E vice-versa: a detecção oportuna dos sintomas da miocardite e o tratamento abrangente correspondente no departamento de cardiologia de uma instituição médica sempre têm um efeito positivo no prognóstico dos pacientes.

    O principal é que, com a menor suspeita do desenvolvimento de miocardite aguda, é urgente entrar em contato com um cardiologista e, após o diagnóstico da doença, siga rigorosamente as recomendações e consultas médicas.
    "Alt =" ">

    Detonic - um medicamento único que ajuda a combater a hipertensão em todas as fases do seu desenvolvimento.

    Detonic para normalização da pressão

    O efeito complexo dos componentes vegetais da droga Detonic nas paredes dos vasos sanguíneos e no sistema nervoso autônomo contribuem para uma rápida diminuição da pressão arterial. Além disso, este medicamento evita o desenvolvimento da aterosclerose, graças aos componentes únicos envolvidos na síntese da lecitina, um aminoácido que regula o metabolismo do colesterol e impede a formação de placas ateroscleróticas.

    Detonic síndrome não viciante e de abstinência, uma vez que todos os componentes do produto são naturais.

    Informações detalhadas sobre Detonic está localizado na página do fabricante www.detonicnd.com.

    Talvez você queira saber sobre o novo medicamento - Cardiol, que normaliza perfeitamente a pressão sanguínea. Cardiol cápsulas são uma excelente ferramenta para a prevenção de muitas doenças cardíacas, porque contêm componentes únicos. Este medicamento é superior em suas propriedades terapêuticas a esses medicamentos: Cardiline, Recardio, Detonic. Se você quiser saber informações detalhadas sobre Cardiol, Vá para o site do fabricante. Aqui você encontrará respostas para perguntas relacionadas ao uso deste medicamento, avaliações de clientes e médicos. Você também pode descobrir o Cardiol cápsulas no seu país e as condições de entrega. Algumas pessoas conseguem obter um desconto de 50% na compra deste medicamento (como fazer isso e comprar pílulas para o tratamento da hipertensão por 39 euros, está disponível no site oficial do fabricante).Cardiol cápsulas para o coração
    Tatyana Jakowenko

    Editor-chefe da Detonic revista on-line, cardiologista Yakovenko-Plahotnaya Tatyana. Autor de mais de 950 artigos científicos, inclusive em revistas médicas estrangeiras. Ele trabalha como cardiologista em um hospital clínico há mais de 12 anos. Ele possui métodos modernos de diagnóstico e tratamento de doenças cardiovasculares e os implementa em suas atividades profissionais. Por exemplo, utiliza métodos de ressuscitação do coração, decodificação do ECG, testes funcionais, ergometria cíclica e conhece muito bem o ecocardiograma.

    Por 10 anos, ela tem participado ativamente de inúmeros simpósios médicos e oficinas para médicos - famílias, terapeutas e cardiologistas. Ele tem muitas publicações sobre um estilo de vida saudável, diagnóstico e tratamento de doenças cardíacas e vasculares.

    Ele monitora regularmente novas publicações de revistas européias e americanas de cardiologia, escreve artigos científicos, prepara relatórios em conferências científicas e participa de congressos europeus de cardiologia.

    Detonic